Wayne Shorter: o melhor do ano | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
>>> Bricksave oferece vistos em troca de investimentos em Portugal
>>> Projeto ‘Benzedeiras, tradição milenar de cura pela fé’ é lançado em multiplataformas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Geza Vermes, biógrafo de Jesus Cristo
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Os olhos brancos de Deus
>>> Alívios diamantinos
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Ser intelectual dói
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
>>> Distribua você também em 2008
>>> A proposta libertária
Mais Recentes
>>> Fbi--43--o grande golpe--105--41--67 de Monterrey pela Monterrey
>>> Hh--epopeias de guerra--375--furia e odio--6--160--146--153--158-- 23--141 de Peter kapra pela Monterrey
>>> Rpg--29--anjos e demonios--58--temporada de caça. de Trama pela Trama
>>> Egw--100--call of duty--black ops de Tambor pela Tambor
>>> A Saga dos Cristãos Novos de Joseph Eskenazi Pernidji pela Imago (2005)
>>> Uma Técnica de Viver de Leonard A. Bullen pela Pensamento (1988)
>>> Avaliação de Programas - Concepções e Práticas de Blaine R. Worthen, James R. Sanders e Jody L. Fitzpatrick pela Gente (2004)
>>> Concentração de Mouni Sadhu pela Pensamento (1984)
>>> O Melhor Livro Sobre Nada de Jerry Seinfeld pela Frente (2000)
>>> A República de Platão pela Nova Cultural (2000)
>>> Condenados da Terra de Frantz Fanon pela Edição Popular (1961)
>>> Com Olhos de Criança de Francesco Tonucci pela Instituto Piaget (1988)
>>> Revista Neuro Educação – Nº 4 – Dormir Bem Para Aprender Melhor de Vários Autores pela Segmento (2015)
>>> de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2018)
>>> Revista Ciência & Vida Psique – Ano 1 – Nº 2 – Psicopedagogia Pra Que? de Vários Autores pela Escala
>>> Revista Crescer em Família – Ano 7 – Nº 74 - Primeiro Ano do Bebê de Vários Autores pela Globo (2000)
>>> Revista Mente e Cérebro – Ano XVI – Nº 197 – As 5 Idades do Cérebro de Vários Autores pela Duetto (2009)
>>> Poder, Política e Partido de A. Gramsci pela Brasiliense (1992)
>>> Gramsci : Cem anos de um pensamento vivo - coleção P&T de J. Luiz Marques e Luiz Pilla Vares (Orgs.) pela Palmarica (1991)
>>> Memórias da Resistência de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2019)
>>> Supercapitalismo Como o capitalismo tem transformado os negócios, a democracia e o cotidiano de Robert B. Reich pela Campus (2008)
>>> Marx Engels - História -Coleção Grandes Cientistas Sociais 36 de Florestan Fernandes (Org.) pela Ática (1983)
>>> Começo de Conversa – Orientação Sexual de Osny Telles Marcondes Machado pela Saraiva (1996)
>>> Ciclos de Formação Proposta Político-Pedagógica da Escola Cidadã - Cadernos Pedagógicos 9 de Vários Autores pela SmedPoA (1999)
>>> Ciclos de Formação Proposta Político-Pedagógica da Escola Cidadã - Cadernos Pedagógicos 9 de Vários Autores pela SmedPoA (1996)
>>> A dieta dos 17 dias Um método simples para perder barriga de Mike Moreno pela Sextante (2011)
>>> O Especialista em Educação na Perspectiva da Escola Cidadã - Cadernos Pedagógicos 10 de Vários Autores pela SmedPoA (1996)
>>> Dez Leis Para Ser Feliz - Ferramentas par se apaixonar pela vida de Augusto Cury pela Sextante (2008)
>>> Projeto Revista de Educação – Nº 1 - Ano 1 de Vário Autores pela Projeto (1999)
>>> O Carvalho de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2020)
>>> Dicionário do Pensamento Marxista de Tom Bottomore - Editor pela Jorge Zahar (2001)
>>> Um tango para 5 Rainhas de Jony Wolff pela Edição do autor (2018)
>>> O Carvalho de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2020)
>>> Os Clássicos da Política vol. 1- Mquiavel-Hobbes-Montesquieu- Rousseau de Francisco C. Welfort (Org.) pela Ática (2006)
>>> Nacionalismos - O estado nacional e o nacionalismo no século XX de Montserrat Guibernau pela Jorge Zahar (1997)
>>> Bibliografia Estudos Sobre Violência Sexual Contra a Mulher:1984-2003 de Kátia Soares Braga - Elise Nacimento (Orgs.) pela Letras Livres - UNB (2004)
>>> O reino de James T. harman pela Restauração (2013)
>>> A importancia da cobertura de Lance Lambert pela Classicos (2013)
>>> O Reino Entre Nós de Não Informado pela O Lutador
>>> Como Realizar a Aprendizagem de Robert M. Gagné pela Mec (1974)
>>> Yoga para a Saúde do Ciclo Menstrual de Linda Sparrowe/ Patrícia Walden pela Pensamento (2004)
>>> Pequenos Segredos da Arte de Escrever de Luiz A. P. Victoria pela Ouro (1972)
>>> Deus Cristo e Caridade Reformador Revista de Espiritismo Cristão de Federação Espírita pela Federação Espírita (1988)
>>> Deus Cristo e Caridade Reformador Revista de Espiritismo Cristão de Federação Espírita pela Federação Espírita (1989)
>>> Paca, Tatú...Contos Infantis de Malba Tahan pela Cruzada da Boa Imprensa (1939)
>>> A Marquesa de Reval de May Logan pela Anchieta (1944)
>>> Camilo Compreendido Tomo 1 e 2 de Gondim da Fonseca pela Martins (1953)
>>> Técnicas de Yoga de Dr.M.L.Gharote pela Phorte (2007)
>>> A Essência da Alma de Sônia Tozzi (psicografia) pela Lúmen (2006)
>>> Minutos de Oração de Legrand (coord) pela Soler (2007)
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2005

Sexta-feira, 6/1/2006
Wayne Shorter: o melhor do ano
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 3000 Acessos

"O pássaro voa não porque tem asas, mas ele tem asas porque voa".
Wayne Shorter

O Brasil pode se orgulhar por ter recebido, na edição de 2005 do Tim Festival, uma das mais significativas figuras da história do jazz: Wayne Shorter. Acontecimento desta dimensão deveria ser louvado, decretando-se feriado nacional, e exibindo-se o show deste gênio ao vivo e em rede nacional. Mas isso não acontece, porque, como dizia Schoenberg, "a verdadeira arte é para poucos, se fosse para muitos não seria a verdadeira arte".

Louvar Wayne Shorter apenas por sua presença na história do jazz seria ainda importante. Mas não é apenas esse o caso. Ele deve ser louvado pelo que consegue realizar aqui e agora, diante de nossos olhos comovidos e nossos ouvidos maravilhados. O que o músico nos trás é algo que dificilmente poderemos traduzir em palavras. Mas como somos dados a falatórios e nossa emoção e entendimento desejam ardentemente se expressar, tentamos dar conta de um fenômeno da ordem do inefável: a música.

Vamos aos fatos. Como dizia Goethe, a verdadeira sabedoria é entender que o fato é a verdadeira teoria. O que aconteceu efetivamente no show brasileiro de Shorter? Antes de responder, permita-me, leitor, algumas elocubrações. Às vezes ao ouvirmos algum disco mais antigo de jazz, temos a impressão de que "aquela" música não existe mais, que aquela sonoridade se perdeu no tempo, não fazendo parte do registro da sensibilidade dos músicos atuais. Pior do que isso: hierarquizamos, dizendo a nós mesmos que música igual àquela que acabamos de ouvir, com uma qualidade semelhante a ela, não se pratica mais. Alguma coisa preciosa se perdeu no tempo. E essa impressão ocorre a muitas pessoas. O mesmo deve ocorrer com ouvintes apaixonados por ópera, que sentem a força de um cantor antigo, dotado de uma qualidade tão inebriante que sabe que não a encontrará mais nesta vida.

Pois bem, por alguma razão que desconhecemos, e isso rararamente ocorre, temos o prazer de experimentar, ao vivo e a cores, ao renascer dessa força vibratória antiga, podendo provar um bocado dessa delícia divina... Aqui no Brasil. Foi o caso da apresentação de Wayne Shorter.

Shorter surgiu acompanhado de três músicos também geniais, o pianista panamenho Danilo Perez, o baixista John Patitucci e o baterista Brian Blade. Instalado este quarteto, irmanados pelo encontro entre uma competência inquestionável e uma sensibilidade profunda, deu-se o fenômeno acima comentado. Uma música que parecia impossível de existir, que parecia fadada ao museu dos discos de música, que guardaria para a posteridade o exemplo de uma genialidade (como existe o Louvre e o Prado, por exemplo, para a pintura), esta música poderosa, surge, de repente, nos nossos ouvidos no momento presente.

Para que ela surja é necessário que exista a comunhão entre os quatro músicos, que eles vibrem em uníssono, mas com um ingrediente inusitado, porém vital: a força de cada um, a diferença e a individualidade criativa de cada músico tem que ser preservada. E fato como esse só acontece entre grandes espíritos. Foi o que ocorreu no show do quarteto de Shorter.

O princípio básico do jazz, o improviso, se impôs preponderantemente, imperativamente. Os instrumentistas gozaram da maior força que o jazz sempre teve a seu favor, criando a cada minuto seqüências inusitadas de sons que levaram o público ao êxtase. Algumas pessoas comentaram depois do show que ele deveria ter sido assistido de joelho. Por isso a palavra êxtase se aplica aqui neste momento. Se Wynton Marsalis, por exemplo, é clássico, o quarteto de Shorter foi barroco, sendo ao mesmo tempo moderno. E agora podemos falar na vertigem do jazz, como se os pintores Tintoreto e Picasso e o baterista Art Blakey estivessem juntos dentro do sax de Shorter, produzindo uma música que a cada momento soava inusitada, inesperada, variando do meditativo ao tempestivo.

O resultado sonoro do sax de Shorter, enlaçado ao baixo de Patitucci, sobrevoado pelo piano de Perez e sacudido pela bateria de Blade fizeram do show um acontecimento ímpar. Todos esses movimentos se alternavam, hora o baixo fazendo a corte ao piano, ora se distanciando para que a bateria sobrevoasse a cena, ora o sax lançando rajadas entrecortantes sobre a bateria e ora todos irmanados numa febril vibração que se ampliava a cada momento quando, então, já divinizados pela vertigem, encontrassem uma comunhão meditativa, solene, espiritual.

Wayne Shorter não chegou a isso do nada. Tem uma história. A frase popular "diga-me com quem tu andas e direi-te quem és" tem sentido aqui. Saxofonista nascido em 1933, surgiu do Jazz Messengers de Art Blakey, onde tocou de 1959 a 1963. Foi inevitavelmente tocado pela profusão criativa de Blakey nesse período. Em 1969, participa de In a Silent Way, gravado com o quinteto de Miles Davis, com quem trabalhou tocando sax tenor de 1963 a 1970. Em 1970, emprestou, ao lado de Herbie Hancock, uma sonoridade expressiva ao álbum Britches Brew, de Miles Davis. Logo após, como um dos inovadores musicais do jazz dos anos 70, participou junto com Joe Zawinul da criação do grupo Wheater Report, um dos mais bem sucedidos grupos de fusion (fusão entre rock e jazz). Nesta época conviveu em um ambiente musical extremamente experimental onde circulavam nada menos que Chick Corea, Keith Jarret, John MacLaughlin e Joe Zawinul, entre outros.

Agora, como fruto de uma experiência vital com o jazz tradicional e o experimental, Shorter encontra-se novamente em um lugar onde poucos músicos chegaram, um lugar próprio, maduro, reservado aos gênios como John Coltrane, Miles Davis, Charlie Parker, Thelonious Monk, Charles Mingus, Lester Young e outros, um lugar onde a música soa atemporal, num caminho irreversível para a eternidade. E nós podermos apreciar este momento é uma dádiva.

Pena que o público do jazz não é a massa, que faz os discos idiotas de ouro que andam por aí, mas uma pequena minoria, como aquela que aprecia a ópera e a música clássica. Por isso, ainda Wayne Shorter é para poucos, tal qual os divinos manjares e os melhores vinhos, que necessitam de um aprendizado contínuo para serem saboreados em seu significado profundo. Precisam da elevação do espírito, como as doutrinas que Shorter abraça, uma de hoje, o zen-budismo, e uma de sempre, o jazz.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 6/1/2006


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2006
01. Guimarães Rosa: linguagem como invenção - 12/4/2006
02. Orkut, ame-o ou deixe-o - 27/1/2006
03. Bienal 2006: fracasso da anti-arte engajada - 24/11/2006
04. Renato Russo: arte e vida - 26/7/2006
05. Eleições: democracia como um falso slogan - 25/9/2006


Mais Especial Melhores de 2005
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COMO USAR O JORNAL NA SALA DE AULA
MARIA ALICE FARIA
CONTEXTO
(1996)
R$ 18,00



O GAÚCHO
JOSÉ DE ALENCAR
EDIGRAF
R$ 8,75



O SOL TAMBÉM SE LEVANTA
ERNEST HEMINGWAY
ABRIL CULTURAL
(1981)
R$ 10,02



ACIMA DE QUALQUER SUSPEITA
SCOTT TUROW
RECORD
(1987)
R$ 6,90



O HOMEM SADIO: UMA NOVA VISÃO
VÁRIOS AUTORES
FONTE VIVA
(1992)
R$ 8,90



HQ BATMAN MESTRE DO FUTURO + SÉRIE TÚNEL DO TEMPO
BRIAN AUGUSTYN & EDUARDO BARRETO
ABRIL JOVEM
(1992)
R$ 16,50
+ frete grátis



DIÁRIO DE INVERNO
PAUL AUSTER
COMPANHIA DAS LETRAS
(1990)
R$ 15,00



MULHERES LIDERAM MELHOR QUE HOMENS
LOIS P. FRANKEL
GENTE
(2007)
R$ 12,00



CONTOS & CRÔNICAS
FERNANDO SABINO
O DIA
R$ 9,80



TEORIA Z: COMO AS EMPRESAS PODEM ENFRENTAR O DESAFIO JAPONÊS
WILLIAM OUCHI
FUNDO EDUCATIVO BRASILEIRO
(1982)
R$ 5,00





busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês