O desafio de publicar | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
45137 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto Memória leva legado de Lélia Gonzalez ao CCBB BH
>>> DJ Erick Jay participa de A Quebrada É Boa, evento realizado pelo Monarckas em Sapopemba
>>> Circomuns Com Circo Teatro Palombar
>>> Prêmio AF de Arte Contemporânea abre inscrições para a edição comemorativa de 10 anos
>>> Inscrições abertas para o Prêmio LOBA Festival: objetivo é fomentar o protagonismo de escritoras
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Paciência e imediatismo
>>> Babação do popular
>>> A arte do romance, por Milan Kundera
>>> Micronarrativa e pornografia
>>> Os dois lados da cerca
>>> A primeira vez de uma leitora
>>> Se eu fosse você 2
>>> Banana Republic
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
Mais Recentes
>>> Livro Inventor de Poesia de Margarete Solange Moraes pela 8 (2014)
>>> Aqui, Agora: O Encontro De Jesus, Moises E Buda de Ian Mecler pela Record (2010)
>>> Remédio Maravilhoso De Jorge, O de Roald Dahl pela 34 (2018)
>>> A Longa Marcha Dos Grilos Canibais de Fernando Reinach pela Companhia Das Letras (2010)
>>> Universo e Vocabulário do Grande Sertão de Nei Leandro de Castro pela Livraria Jose Olympio (1970)
>>> Livro Literatura Estrangeira O Arqueiro e Suas Flechas de Jeffrey Archer pela Difel (1986)
>>> Estrategia Global de Mike W. Peng pela Cengage Learning Nacional (2008)
>>> Vintém De Cobre de Cora Coralina pela Global (2013)
>>> Die Brüder Karamasoff de Fjodor M. Dostojewskij pela C. Bertelmann
>>> Dictionnaire biographique des artistes contemporains 1910-1930 3 volumes de Edouard Joseph pela Art e edition (1930)
>>> Portões de Fogo de Steven Pressfield pela Marco Polo (2017)
>>> Posições Românticas na Literatura Inglesa - Antologia de Coord. Alvaro Pina pela Horizonte Universitario (1984)
>>> HQ Gibi nº 1 - Flash Gordon contra o Homem Elástico de Não Identificado pela Rge
>>> Livro Artes Sintaxe da Linguagem Visual de Donis A. Dondis pela Martins Fontes - Selo Martins (2007)
>>> Crônicas do Espírito Santo de Rubem Braga pela Ufes (1984)
>>> Um novo despertar de Maria Nazareth Dória pela Lúmen (2004)
>>> Les Leçons du Manuscrit - Questions de Génétique Textuelle de Diversos Autores pela Le Presses de Luniversite de Montreal (1992)
>>> Entre a História e a Liberdade de Margareth Rago pela Unesp (2001)
>>> A Longa Marcha Dos Grilos Canibais de Fernando Reinach pela Companhia Das Letras (2010)
>>> Livro Literatura Estrangeira Alta Fidelidade de Nick Hornby pela Companhia Das Letras (2013)
>>> Neoliberalismo Como Gestão Do Sofrimento Psíquico de Vladimir, Junior, Nelson Da Silva, Dunker, Christian Safatle pela Autêntica (2021)
>>> Amanhecer de Uma Nova Era de Divaldo Franco, pelo espirito Manoel Philomeno de Miranda pela Leal (2016)
>>> Espere O Inesperado de Roger Von Oech pela Bertrand (2003)
>>> Das Buch Der Ketzer de Walter Nigg pela Diogenes (1986)
>>> Filosofia Prática. Ética, Vida Cotidiana, Vida Virtual de Marcia Tiburi pela Record (2023)
COLUNAS

Terça-feira, 24/1/2006
O desafio de publicar
Marcelo Spalding
+ de 8900 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Publicar um livro ainda é o grande sonho de quem gosta de escrever. Fazemos oficinas, participamos de concursos, figuramos em blogs e sites e newsletters, mas publicar um livro ainda é o grande sonho. Um grande sonho e, para muitos, um tortuoso caminho.

Isso me lembra a menina pobre de uma escola humilde perguntando como fazer para publicar suas poesias. Ou um personagem-escritor de Dom Quixote batalhando para imprimir seu livro. Me lembra a Marô Barbieri e o Mario Pirata, competentes escritores gaúchos e promotores das próprias obras. E me lembra as livrarias modernas, enormes, organizadas, com cheiro de tudo, menos de livro.

É, há um looongo caminho entre o ponto final e o cheiro de papel.

De forma simples, podemos identificar três processos depois do ponto final em um texto. Primeiro, descobrir a dificuldade que é publicar, especialmente pela primeira vez. Segundo, entender o porquê dessa dificuldade (excesso de escritores, escassez de leitores, mercado com leis capitalistas e alto custo do papel são algumas pistas). Terceiro, encontrar uma solução para superar tais entraves.

Muitas obras que o autor considera "imortais" morrem aí, no ponto final. Ficam restritas ao escritor ou aos amigos do escritor. Não, ainda não foram recusadas por centenas de editoras. Simplesmente o autor, ao olhar para o mercado editorial, se pergunta: para que pôr mais um livro no mundo? Será que sou bom o suficiente?

Minha dica - se de cá posso dar alguma - é não desistir tão fácil. Querer publicar um livro é como querer ter um filho, não há nenhuma razão lógica para se pôr mais um filho nesse covil, mas é o sonho de muitos e, se formos otimistas, um bom livro nunca é demais para uma sociedade em formação. Melhor do que desistir seria tomar a consciência do tamanho da literatura, muito superior a qualquer outra arte, e reescrever mil vezes o texto, melhorando-o cada vez mais antes da publicação apressada.

Porque só a literatura compete de forma tão evidente com toda a sua história, uma história milenar. Na mesma prateleira de um romance estará Dom Quixote e Madame Bovary, na mesma estante de um teatro estarão os de Shakespeare e Ibsen. Um conflito, aliás, muito bem representado por Carlos Henrique Schroeder em A Rosa Verde (tema da próxima coluna): "eles continuam ali, rindo, me ameaçando com suas obras grandiosas, criativas, geniais, me reduzindo, intimidando". Se a intimidação servir de estímulo para a releitura, para a visão crítica do que se produziu, ótimo, estamos no caminho certo.

E então o texto está pronto e relido. Agora sim, pensa a menina, eu, os mil e um escritores por aí afora, agora sim vale a publicação. Aí há três caminhos:

1) enviar para uma editora comercial;
2) inscrever a obra em algum concurso literário;
3) pagar a própria edição.

É evidente que qualquer escritor começará pela 1, mas raramente terá sucesso. As editoras comerciais são mais comerciais que editoras. E nós não somos (ainda) o Pedro Bial biografando a vida do chefe. Então passaremos para a 2. Conheço muita gente que começou por um concurso ou financiamento público, pode ser uma alternativa. Mas requer, além de qualidade, muita paciência.

O terceiro caminho é o mais traiçoeiro e viável. Antes, vale ressaltar que sempre se pagou para publicar (de Augusto dos Anjos a James Redfield). A auto-publicação não é errada e se existe preconceito é pela quantidade de lixo que se publica por conta própria. O que torna traiçoeira esta alternativa são as falsas editoras que mal fazem o papel de gráfica, diagramando e imprimindo o livro para o jovem escritor por um preço muito superior ao que se conseguirá pelas vendas. Especialmente porque, depois do ponto final e do cheiro de papel, há outro problema, a distribuição.

Mas voltando à publicação, ela não atribui, por si só, qualidade a um texto. A gente pensa que publicar trará reconhecimento, mas não basta ver nossa história eternizada em papel. É preciso ter boas histórias, acima de tudo. E bem contadas. As que forem realmente boas, acabarão no papel. Porque o mercado editorial tem lá suas regras, parecidas com as de um banco, uma loja ou um canal de televisão. Ele está atolado no mercado, nas leis liberais deste, e só de vez em quando estica os olhos para a novidade, para a arte. Cabe a nós, iniciantes aventureiros malucos escritores em busca de espaço, aprimorar nossos textos para que se aproximem desta tal arte. E assim sejam percebidos nessas esticadas de olhos do mercado.

Dicas para quem tem um original pronto e não sabe o que fazer com ele:

1) Procure um bom primeiro leitor, de preferência algum escritor, professor ou leitor exigente que aponte mais defeitos do que qualidades;

2) Envie o texto para uma revisão, preferencialmente profissional;

3) Registre seu texto na Biblioteca Nacional (clique aqui);

4) Se você quiser enviar para editoras e concursos, mapeie quais estão adequadas ao perfil do livro. É importante conhecer a editora, pois você tem mais chances de publicar um livro de contos na Cia. das Letras do que na Sextante, por exemplo;

5) Prepare um original sem erros de digitação, diagramado com fonte de boa legibilidade e espaço no mínimo um e meio entre as linhas; acrescente antes do texto uma breve carta de apresentação sua e, depois, uma sinopse do livro que seja curta e eficiente;

6) Entregue o livro pessoalmente ou, se não for possível, envie pelo correio. E não hesite em enviar para mais de uma editora ao mesmo tempo. Mas se você for aceito por alguma, é no mínimo elegante avisar as demais;

7) Se você optar por uma edição paga, vá adiante, mas cuidado, principalmente, com a editora que vai escolher. Tente se informar sobre suas obras anteriores, converse com autores da editora, procure saber o que ela oferece em contrapartida e sua reputação no mercado;

8) Se você quiser fazer uma edição do autor, tenha em mente que pode ser importante o código de barras e a ficha catalográfica para a colocação em livrarias e até alguns prêmios literários;

9) Cuide, no caso de livros publicados por conta própria, com os custos de impressão em relação a tiragem e com a divulgação e distribuição da obra. Devido ao fotolito, é sempre mais barato o custo unitário do livro para tiragens maiores;

10) Não deixe de continuar produzindo e, especialmente, participando da comunidade literária enquanto seu livro não é aceito por nenhuma editora. Infelizmente ter um nome (re)conhecido é tão importante quanto um bom texto.


Marcelo Spalding
Porto Alegre, 24/1/2006

Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2006
01. O centenário de Mario Quintana, o poeta passarinho - 8/8/2006
02. Um defeito de cor, um acerto de contas - 31/10/2006
03. Romanceiro da Inconfidência - 10/1/2006
04. As cicatrizes da África na Moçambique de Mia Couto - 5/12/2006
05. A literatura feminina de Adélia Prado - 25/7/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
28/1/2006
08h35min
Marcelo: gostei das suas dicas inteligentes, bem intencionadas e bastante objetivas para ajudar um escritor iniciante a tentar fazer-se lido e conhecido. Por acaso, você gostaria de ler-me? Se sim, envie-me seu endereço postal que eu te envio meus dois romances.
[Leia outros Comentários de Rininha]
31/1/2006
17h05min
olá rininha, eu quero ler teus dois romances, pode mandar para mim ([email protected])?
[Leia outros Comentários de carl]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Mais Simples Presente
Stefanos Xenakis
Sextante
(2022)



Os Lusíadas
Luís de Camões
Ática
(1997)



Luís de Camões Coleção Vestibular
Luís de Camões
Klick
(1999)



Livro Auto Ajuda A História Do Outro Muda A Gente Por Que Precisamos Ouvir As Pessoas? Um Livro Do Ter.A.Pia
Alexandre Simone e Lucas Galdino
Nacional
(2023)



Proclim Programa de Atualização Em Clinica Médica
Antonio Carlos Lopes
Artmed
(2008)



The World of the First Australians
R. M ; C. H Berndt
Lansdowne press
(1977)



Asiáticos Podres De Ricos
Kevin Kwan
Record
(2018)



Guerras Secretas Guardiões da Galaxia - Nº 3
Panini Comics
Panini Comics
(2016)



A Metamorfose
Kafka
Sem



Exportar
Luiz Martins Garcia
Aduaneiras
(2004)





busca | avançada
45137 visitas/dia
2,3 milhões/mês