Entre os novos autores, uma artista | Rafael Lima | Digestivo Cultural

busca | avançada
48473 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Compreender para entender
>>> Para meditar
>>> O que há de errado
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O centenário do Castor
>>> O comercial do Obama
>>> Por que Dilma tem de sair agora
>>> Mininas no Canto Madalena
>>> Quase cinquenta
>>> Bate-papo com Odir Cunha
>>> Entrevista com Sérgio Rodrigues
>>> Leblon
>>> Uma entrevista literária
>>> A ilusão da alma, de Eduardo Giannetti
Mais Recentes
>>> A Música do Tempo Infinito de Tales A. M .Ab'Sáber pela Cosac & Naify (2012)
>>> Poesia e Filosofia de Antonio Cicero pela Civilização Brasileira (2012)
>>> A Estrada da Noite de Joe Hill pela Sextante (2007)
>>> O ornamento da massa de Siegfried Kracauer pela Cosac & Naify (2009)
>>> O Horror Econômico de Viviane Forrester pela Unesp (1997)
>>> Merleau-ponty e a Educação de Marina Marcondes Machado pela Autentica (2010)
>>> Revoluções de Michael Lowy pela Boitempo (2009)
>>> O Anticristo de Friedrich Nietzsche pela Lpm pocket (2008)
>>> E no Final a Morte de Agatha Christie pela Lpm pocket (2010)
>>> Estetica da Emergencia de Reinaldo Laddaga; Magda Lopes pela Martins Fontes (2012)
>>> Pós-produção: Como a Arte Reprograma o Mundo Contemporâneo de Nicolas Bourriaud pela Martins Fontes (2009)
>>> A saga da família Klabin-Lafer de Ronaldo Costa Couto pela Klabin (2020)
>>> Tudo Pelo Amor Dele de Sandie Jones pela Única (2019)
>>> Um Encontro de Sombras de V E Schwab pela Record (2017)
>>> O Vilarejo de Raphael Montes pela Suma das Letras (2015)
>>> Dança da Escuridão de Marcus Barcelos pela Faro (2016)
>>> Pyongyang - Uma Viagem a Coreia do Norte de Guy Delisle pela Zarabatana (2008)
>>> Com a Palavra o Ilustrador - O Que ´e Qualidade em Ilustração no Livro Infantil e Juvenil de Ieda de Oliveira pela Dcl (2008)
>>> Matrizes da Linguagem e Pensamento - Sonora Visual Verbal de Lucia Santaella pela Iluminuras (2009)
>>> Na Tessitura dos Signos Contemporâneos de Maria Zilda da Cunha pela Paulinas (2023)
>>> UM País se Faz Com Tradutores e Traduções de John Milton pela Martins Fontes (2019)
>>> O Tempo na Narrativa de Benedito Nunes pela Loyola (2013)
>>> Atlas De Cirurgia Ginecologica 7ª edição -2012 - de Diethelm Wallwiener pela Artemed (2012)
>>> O Que é ( Ou o Que Pode Ser) Ensino-Aprendizagem de Literatura Infantil de André Luiz Ming Garcia pela Crv (2021)
>>> Avanços Em Reprodução Humana Assistida - Capa Dura -2007- Medicina de Roger Abdelmassih pela Atheneu (2007)
COLUNAS >>> Especial Autores novos

Terça-feira, 30/5/2006
Entre os novos autores, uma artista
Rafael Lima
+ de 8000 Acessos
+ 5 Comentário(s)

Num movimento de renovação literária, como o que ora origina este especial, é natural que as atenções se voltem para os autores, no final das contas os atores principais desta encenação, mandando para o buraco negro da memória editores e revisores. Não é injustiça; se os revisores das reportagens gonzo de Hunter S. Thompson - Ivan Lessa lembra que os contos de Jorge Amado chegavam à redação da revista Senhor com cada erro sensacional - ou os editores de Jack Kerouac foram de grande valia na preparação dos respectivos textos, nenhum deles ficou para a História. Entretanto, se editores e revisores são claros sobressalentes num processo editorial, há uma profissão cujo talento influi demais para ser considerado acessório no processo de unificar uma suposta geração literária: o programador visual. O que define a identidade visual, a primeira que se nota. E se ainda restam dúvidas sobre o talento ou a capacidade da assim chamada geração que é foco deste especial, não fica nenhuma sobre sua apresentação, quando se sabe que ela está a cargo de Mariana Newlands.

Não é exagero; inúmeros exemplos se espalham: a Editora do Autor poderia ter dez Paulos Mendes Campos, vinte Sérgios Portos e trinta Fernandos Sabinos e ainda assim correria o risco de não marcar presença sem a inovadora programação visual de Eugênio Hirsch; o mesmo pode ser dito para os discos de bossa nova da Elenco. Qualquer apreciador de tipografia sabe que a fonte ressucitada por Bea Feitler para o logotipo do hebdomadário Pasquim, em 1969, seria usada até gastar na década que se seguiu. A Companhia das Letras não teria estabelecido uma respeitabilidade tão sólida, a partir do começo dos anos 1990, sem valorizar suas capas, chegando a produzir tiragens com detalhes pintados à mão. Portanto, se Victor Burton tem papel fundamental ao nivelar por cima a qualidade das capas de livros brasileiros, estaria nas mãos de Mariana Newlands a unidade gráfica da nova literatura. E que mãos.

Designer gráfica, ilustradora, fotógrafa e arquiteta de informação, visitar seu portfolio é um deleite para qualquer um que almeje ter um mínimo de sensibilidade estética: a expressão "de mão cheia" soa insuficiente para descrever os talentos múltiplos dessa artista visual. Dona de um traço solto e delicado, cheio de espontaneidade (à la Jules Feiffer), curiosamente semelhante ao de sua xará, a grande ex-ilustradora do JB Mariana Massarani e versátil, indo do infantil ao grave com grande elasticidade, Mariana Newlands parece incapaz de realizar qualquer trabalho sem cobrir com um ar de delicadeza, elegância e um jeito singelo, fruto do convívio em meio à natureza circundante, da contemplação do simples que o converte em belo, luz que se espalha pela areia das praias, molduras de janelas coloniais e entre as folhagens da mata - basta ver suas fotos - não fosse ela, e faça o favor de se mandar daqui agora quem se incomoda com bairrismo, uma legítima carioca da gema, daquela estirpe que só faz desejar para quem não é daqui: aquele abraço...

Coincidência ou exiguidade do mercado editorial, coube a ela dar rosto a alguns dos principais projetos que têm revelado novos autores, como as coletâneas de contos Rio Literário e Contos sobre Tela ou a capa do terceiro e recém-lançado livro de Daniel Galera, Mãos de Cavalo (só por reunir os dois um marco dessa geração). Não é a única programadora visual em cujos cuidados os novos textos ficaram; há que se lembrar do multi-instrumentista Joca Reiners Terron (editor, escritor, capista e faz-tudo no seu selo, Ciência do Acidente), ou de Guilherme Pilla, que conferiu respeitabilidade às diminutas edições da Livros do Mal com um projeto arrojado - mas só Mariana parece capaz de colocar todo mundo debaixo de seu guarda-chuva, de bolar uma identidade ao mesmo abrangente e inconfundível, que vá garantir que todos os autores sejam reconhecidos pela mesma chancela. Uma espécie de marca de qualidade, onde o leitor titubeia ante um escritor que ainda patina em seu ofício, a capa dá aquele empurrãozinho que faltava para a aquisição do livro.

E se até o próprio Galera confessa abertamente que compra livro pela capa, nada mais justo que, naqueles segundos iniciais em que o feitiço de uma capa bem bolada é mais forte, a gente lembre dela: à Mariana o que é de Mariana.


Para ir além
Interlúdio, por Mariana Newlands


Rafael Lima
Rio de Janeiro, 30/5/2006

Quem leu este, também leu esse(s):
01. As fezes da esperança de Luís Fernando Amâncio
02. Vamos pensar: duas coisas sobre home office de Fabio Gomes
03. Carles Camps Mundó e a poética da desolação de Jardel Dias Cavalcanti
04. Proust, rugas e colesterol de Wellington Machado
05. A interpretação dos chatos de Daniel Bushatsky


Mais Rafael Lima
Mais Acessadas de Rafael Lima
01. Charge, Cartum e Caricatura - 23/10/2001
02. O Tigrão vai te ensinar - 12/3/2001
03. A diferença entre baixa cultura e alta cultura - 24/7/2001
04. Sobre o ato de fumar - 7/5/2001
05. Um álbum que eu queria ter feito - 6/11/2001


Mais Especial Autores novos
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/5/2006
01h30min
Rafael, belo artigo. Mariana Newlands é, sem dúvida, uma artista de enorme talento e sensibilidade e seu trabalho é extraordinário e de uma beleza e estilo ímpares. Escrever sobre ela como você o fez é reconhecer e enaltecer aquilo que é bom e que merece ser de conhecimento público.
[Leia outros Comentários de Luis Eduardo Matta]
17/6/2006
19h18min
Como sempre, o Rafael (que tem artigos também no nosso modesto site de Cultura Pop) surpreende. Grande Rafael...
[Leia outros Comentários de Jose Carlos Neves]
20/9/2006
10h51min
Este artigo defendendo programador visual como fator importante na literatura só pode ter sido feito por um programador e para programadores, afinal, ninguém (nem o Galera) compraria um livro APENAS pela capa. É óbvio que se tiver um trabalho apurado e um nome (de autor ou de livro) interessante, atrairão mais a atenção. Porém achar que programador visual é importante, é o mesmo que atribuir a vitória numa corrida ao trocador de óleo.
[Leia outros Comentários de Mão Branca]
25/9/2006
05h27min
Caro Mão Branca, programação visual num livro é tão importante como beleza numa mulher. Imagino que as suas namoradas sejam pessoas deveras interessantes.
[Leia outros Comentários de Rafael Lima]
27/3/2007
17h28min
Hehehe, tás brincando com essa sua comparação, Rafael. Então, certamente vc não procura suas mulheres pelo conteúdo e sim pela maquiagem. Bem, no dia seguinte, depois de um banho imagino que elas não lhe sejam tão interessantes. []s
[Leia outros Comentários de Mão Branca]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Evangelii Gaudium - a Alegria do Evangelho
Jorge Mario (papa Francisco) Bergoglio
Paulus
(2013)



Querido Diário Otario 3 - Eu Sou a Princesa Ou o Sapo?
Jim Benton
Fundamento
(2012)



Supergigante
Ana Pessoa
Sesi
(2015)



Creative English 3 Sb
Colin Granger
Macmillan Elt
(2013)



Maria
Rodrigo Alvarez
Globo Livros
(2015)



O Moleiro, o Menino e o Burro
Mauricio de Sousa
Girassol
(2014)



Como Surgiram os Seres o as Coisas
Varios
Atica
(1996)



Livro - Dos Delitos e das Penas - Livro de Bolso
Cesare Beccaria
Edipro de Bolso
(2015)



Paixão e Vingança
Armando Fernandes de Oliveira
Mensagem de Esperança
(1992)



Pelas Veias da Selva
Vito Dalessio
Ftd
(1992)





busca | avançada
48473 visitas/dia
1,4 milhão/mês