Pelas curvas brasileiras | Tais Laporta | Digestivo Cultural

busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> Brandenburg Concertos (1 - 6)
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Frankenstein de Mary Shelley
>>> Christian Barbosa no MitA
>>> Obama e o oba-oba
>>> E se Amélia fosse feminista?
>>> O que é ser jornalista?
>>> Toda forma de amor
>>> O filósofo da contracultura
>>> Oderint Dum Metuant
>>> Beleza e barbárie, ou: Flores do Oriente
>>> A fragilidade dos laços humanos
Mais Recentes
>>> Trotski - O Profeta Banido de Isaac Deutscher pela Civilização Brasileira (1984)
>>> Nos Tempos de Getúlio: Da Revolução de 30 ao Fim do Estado Novo de Sonia de Deus Rodrigues Bercito pela Atual/ Sp. (1995)
>>> De Getulio a Getúlio: o Brasil de Dutra e Vargas (1945 a 1954) de Francisco Fernando Monteoliva Doratioto (e outro) pela Atual/ Sp. (1995)
>>> Indústria, Trabalho e Cotidiano: Brasil (1889-1930) de Maria Auxiliadora Guzzo de Decca pela Atual/ Sp. (1996)
>>> Indústria, Trabalho e Cotidiano: Brasil (1889-1930) de Maria Auxiliadora Guzzo de Decca pela Atual/ Sp. (1991)
>>> Império do Café: a Grande Lavoura do Brasil (1850 a 1890) de Ana Luiza Martins pela Atual/ Sp. (1995)
>>> Império do Café: a Grande Lavoura do Brasil (1850 a 1890) de Ana Luiza Martins pela Atual/ Sp. (1994)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Código da Vida - Fantástico Litígio Judicial de Uma Família de Saulo Ramos pela Planeta (2008)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1991)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1993)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1993)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Contabilidade introdutória de Sergio Iudicibus, Stephen e outros pela Atlas (1977)
>>> Language Its Nature - Development and Origini de Otto Jespersen, (Prof. Univ. Coppenhagen)./ pela George Allen & UnwinnLtd/London (1949)
>>> El Espejo y La Lámpara: Teoría Romántica y Tradición Clásica de M. H. Abrams pela Eitorial Nova/ Argentina (1962)
>>> Clause Sauf Encaissement de Casimir Pajot pela Librairie Nouvelle de Droit Et de Jurisprudence (1891)
>>> Catolicismo para Leigos de John Trigilio e Kenneth Brighenti pela Altabooks (2008)
>>> Estudos Sobre Sucessões Testamentária de Orosimbo Nonato pela Forense (1957)
>>> Los Caminos Actuales de La Critica (Encadernado) de René Girard/ G. W. Ireland/ Jacques Leenhardt... pela Planeta/ Barcelona (1969)
>>> Instituições de Direito Civil Portuguez de M.A. Coelho da Rocha pela Garnier Livreiro (1907)
>>> Régimen Argentino de la Propiedad Horizontal de José A. Negri pela Arayú (1953)
>>> Enciclopédia de Cultura de Joaquim Pimenta pela Freitas Bastos (1963)
>>> Direitos de Família de Lafayette Rodrigues Pereira pela Freitas Bastos (1945)
>>> Demarcação Divisão Tapumes de Alfredo de Araujo Lopes da Costa pela Bernardo Alves S.A. (1963)
>>> Consultor Civil de Carlos Antonio Gordeiro pela Garnier (1913)
>>> El Derecho de Familia en La Legislacion Comparada de Luis Fernandez Clerico pela Hispano Americana (1947)
>>> Estudos de Direito Civil de Manoel Martins Pacheco Prates pela São Paulo (1926)
>>> Direitos Reaes de Garantia de J.L. Ribeiro de SouSa pela C. Teixeira
>>> Obrigações de Pagamento em Dinheiro (Três Estudos) de Paulo Barbosa de Campos Filho pela Jurídica e Universitária (1971)
>>> Teoria e Pratica dos Testamentos de Manoel Ubaldino de Azevedo pela Saraiva (1965)
>>> Les Groupements D' Obligataires de Albert Buisson pela Librairie Générale de Droit et de Jurisprudence (1930)
>>> Novo Código Civil Anotado Volume II ( Direito das Obrigações) de J.M.Leoni Lopes de Oliveira pela Lumen Juris (2002)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 6 ) Direito das Sucessões de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1964)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 5 ) (Direto das Obrigações 2ª parte) de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1991)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 4 ) Direito das Obrigações de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (2019)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 3 ) Direito das Coisas de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1991)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 2 ) Direito Família de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1992)
>>> Curso de Direito Civil ( Parte Geral) Volume 1 de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1964)
>>> Usucapião de Imóveis de Lourenço Mario Prunes pela Sugestões Literárias S/A
>>> Instituições de processo Civil (Volume VI) de Caio Mário da Silva Pereira pela Forense (2007)
>>> Direito Civil Volume 6 de Silvio Rodrigues pela Saraiva (2004)
>>> O Pensamento Vivo de Einstein (Edição Ilustrada) de José Geraldo Simões Jr.: (Pesquisa e Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Direito Civil Volume 2 de Silvio Rodrigues pela Saraiva (2002)
>>> Posse o Direito e o Processo de Guido Arzua pela Revista dos Tribunais (1957)
>>> Estudo da Posse e das Acções Possessorias de Leopoldino Amaral Meira pela Livraria Academica (1928)
>>> Acção Possessória de J.M. de Azevedo Marques pela São Paulo (1923)
>>> O Direito de Ação e o Modo de Execê-lo de Ataliba Vianna pela Forense (1969)
>>> O Pensamento Vivo de Darwin (Edição Ilustrada) de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
COLUNAS

Terça-feira, 11/7/2006
Pelas curvas brasileiras
Tais Laporta

+ de 7700 Acessos
+ 1 Comentário(s)

flor
Ilustra by Tartaruga Feliz

Por que as esquinas possuem contornos arredondados? Por que geladeiras e elevadores têm a forma de cubos gigantes? Sob olhares desatentos, essas perguntas não merecem explicação. Mas os amantes do design as respondem com apenas dois nomes: beleza e funcionalidade. Sim, o design está em tudo, ainda que não percebamos, e ainda que ele exista para harmonizar as relações entre o humano e o resto do mundo. Com a intenção de explorar as raízes desse conceito no Brasil, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e o Movimento Brasil Competitivo (MBC) inauguraram a I Bienal Brasileira de Design, aberta para visitação até 6 de agosto no espaço da Oca, Parque do Ibirapuera, em São Paulo.

A mostra destaca a inventividade e multiplicidade da produção brasileira, e ressalta que sua origem vem antes de Cabral ter aportado nestas terras: os índios, nossos primeiros designers, foram os responsáveis por aliar o despudor do corpo ao artesanato. "Os artefatos criados ao longo de cinco séculos revelam projetos de design implícitos ou evidentes: noções de função, uso e padrões estéticos vigentes", aponta a socióloga Elizabeth De Fiore. Essa intuição natural ajudou a moldar a identidade do design nacional, que concebeu cores, formas e texturas pelas mãos de pessoas anônimas, representantes da cultura regional. Por esse motivo, não se pode dizer que a Bienal é somente uma exposição artística, mas, sobretudo, de objetos cotidianos, necessários e atuais.

Mobiliários dos anos 50

Nessa linha, a mostra faz um passeio pelas décadas do século XX, com destaque para objetos artesanais e industrializados, cujos projetos seguiram conceitos semelhantes dentro de sua época. Para as gerações mais antigas, uma verdadeira sensação de déjà-vu diante de móveis, eletrodomésticos e utensílios que não se vê há muito tempo. Para completar a ala histórica, duas figuras ilustres recebem homenagem no mesmo espaço: Rui Barbosa (o primeiro a defender a importância do desenho na arte industrial) e Santos Dummont, que além de grande inventor, soube aliar forma e função - o relógio de pulso, por exemplo, é uma criação atribuída a ele.

A designer francesa Charlotte Perriand, uma das mais importantes do século XX, também recebe, post-mortem, um espaço dedicado ao seu trabalho no último piso da Oca. O andar traz uma ampla visão de sua trajetória, seus projetos e idéias, assumidamente inspirados na paixão que nutria pelo Brasil, onde viveu por muitos anos. Nessa estadia, conviveu com grandes designers e arquitetos brasileiros, que foram fortemente influenciados por sua obra. "Devemos observar aqui essa disposição, a presença de um alto índice de invenção, na busca de peculiaridades que ainda podem ser exploradas", observa o designer Aloísio Magalhães.

Projeto de Charlotte Pierrand


Outro piso da Oca é dedicado às novas funções do design contemporâneo, transformado radicalmente pela tecnologia e pelo mercado. Os centros urbanos merecem destaque pela nova necessidade de uma interferência planejada, a exemplo dos projetos de sinalização brasileiros, que ganharam repercussão internacional. Também destacam-se as logomarcas brasileiras, as capas de livros e CDs e - um objeto que, para os brasileiros, vai além da função de locomoção - os automóveis. "O design de carros no Brasil sempre interessou aos estrangeiros, da Europa à África. O Fox, por exemplo, é o primeiro projeto nacional com presença mundial", ressalta Fábio Magalhães, curador geral da mostra. De fato, a partir dos anos 50, com a implantação da indústria automobilística por aqui, a produção de carros transformou a cara do Brasil. E o Brasil transformou a cara dos automóveis.

"As sandálias da marca Havaianas são outro fenômeno de produto popular que é consumido pelas classes A e B dos países desenvolvidos", lembra Magalhães, ressaltando que a tecnologia proporcionou uma facilidade extraordinária para produzirmos, em larga escala, um design com identidade própria, sensualidade e paixão pelo arredondamento. Sem sombra de dúvida, nada representa melhor o Brasil do que a curva, presente nos relevos disformes, nas vegetações tropicais e, claro, nas formas humanas. É uma geometria aconchegante e receptiva, que faz o estrangeiro se sentir em casa. Nessa brecha, entra a diferença entre arte e design - a relação do pensar com o fazer - como lembra o curador geral da exposição. "O artesanato é ligado à tradição, já o design exerce uma função de ruptura, sempre à procura de novos caminhos, ainda que sua fonte de inspiração seja sempre a cultura brasileira".

Minimalismo estético dos anos 90


Faça um teste: repare nos objetos à sua volta, perceba suas formas, espessuras, peso e movimento. Tente encontrar algo que não tenha sido concebido para o fácil manuseio e o conforto. Desde os grandes projetos de arquitetura aos objetos mais simples, todos incorporam a anatomia do corpo humano. O século XX, especialmente o que sucede o modernismo, deixou de lado os detalhes desnecessários e aderiu ao minimalismo. Essa limpeza varreu os adornos barrocos e neoclássicos para dar lugar ao útil e simples. Ou seja, nos ares futuristas, o belo deixa de ser prioridade e passa a brilhar ao lado do funcional. Ninguém mais quer a estética no caos do desconforto.


Tais Laporta
São Paulo, 11/7/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. 40 anos sem Carpeaux de Celso A. Uequed Pitol
02. Saudade de ser 'professor' de Filosofia de Cassionei Niches Petry
03. Nós que aqui estamos pela ópera esperamos de Renato Alessandro dos Santos
04. A entranha aberta da literatura de Márcia Barbieri de Jardel Dias Cavalcanti
05. Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso de Cassionei Niches Petry


Mais Tais Laporta
Mais Acessadas de Tais Laporta em 2006
01. Guimarães Rosa no Museu da Língua Portuguesa - 1/11/2006
02. Pelas curvas brasileiras - 11/7/2006
03. Ninguém segura Lady Macbeth - 2/8/2006
04. Sem cortes, o pai do teatro realista - 17/5/2006
05. Confissões de uma ex-podcaster - 20/9/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/7/2006
02h52min
Muito bem lembrado. Penso que uma das melhores coisas que a modernidade fez por nós foi banir o raio do rococó. A simplificação para a funcionalidade é uma coisa boa que os tempos trouxeram. Só tem uma coisa que complicou mais do que a gente supunha ser possível: controle remoto. Você tem seu DVD, sua TV, seu Surround, seu antigo VHS e o corolário disso são vários controles remotos somando centenas de botões, a maioria absolutamente indecifrável, cujas funções misteriosas são diretamente proporcionais ao tamanho das letras e símbolos impressos no centro, dos lados, abaixo e acima de cada um deles, de preferência traçados como minúsculas ranhuras que rapidamente se enchem de sujeira e somem contra um fundo negro. Coisas de uma mente maligna. Isso é o que há de mais excessivo no barroco rococó, deslocado de sua antiga área formal, ressuscitado e invadindo a funcionalidade das coisas.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O TOQUE - MÉTODOS E MILAGRES DE CURA
M. A. DOUG HEYES
MADRAS
(2018)
R$ 34,90



INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS
PIERRE JACCARD
LIVROS HORIZONTE
(1977)
R$ 24,82



DO MEU AO TEU CORAÇÃO
PE. PAULO H. MOURA
ED. LOYOLA
R$ 15,00



THE HOLLOW EARTH
RAYMOND BERNARD
ADVENTURES UNLIMITED PRESS
(2009)
R$ 35,00



ORAÇÃO QUE TRANSFORMA
SUELY BEZERRA
FÔLEGO
(2009)
R$ 10,00



A 8 SERIE C
ODETTE DE BARROS
MUNDO JOVEM
(1987)
R$ 11,00



OS TERRITÓRIOS DO REINO DE DEUS:
MARCUS CASTRO FARIA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 258,00



O SELF ESSENCIAL
WILL SELF
ALFAGUARA BRASIL
(2014)
R$ 35,00
+ frete grátis



CLARA-COMO-O-SOL, ESCURO-COMO-A-NOITE 2º EDIÇÃO
JOSÉ BORTOLINI
PAULUS
(2005)
R$ 4,00



SÓCRATES ENCONTRA SARTRE
PETER KREEFT
VIDE EDITORIAL
(2013)
R$ 150,00





busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês