E-mails a um jovem resenhista | Rafael Rodrigues | Digestivo Cultural

busca | avançada
70300 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Samir Yazbek e Marici Salomão estão à frente do ciclo on-line “Pensando a dramaturgia hoje”
>>> Chá das Cinco com Literatura recebe Luís Fernando Amâncio
>>> Shopping Granja Vianna de portas abertas
>>> Teatro do Incêndio lança Ave, Bixiga! com chamamento público para grupos artistas e crianças
>>> Amantes do vinho celebram o Dia Mundial do Malbec
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> La Guerra del Fin del Mundo
>>> Parangolé: anti-obra de Hélio Oiticica
>>> Alfredo Bosi e a dignidade da crítica
>>> Pi, o [fi]lme, e o infinito no alfa
>>> Sábia, rubra, gorda (e gentil)
>>> Sol sem luz
>>> Letícia Sabatella #EuMaior
>>> Réquiem reloaded
>>> Fábio Porchat no Comedia em Pé
Mais Recentes
>>> A Senhora do Jogi de Sidney Sheldon pela Record (2010)
>>> A Palavra Perdida de Lino de Albergaria pela Atual (1991)
>>> O Desafio Amazonico de Samuel Murgel Branco pela Moderna (1989)
>>> Alguém Para Amar a Vida Inteira de Roniwalter Jatobá pela Positivo (2015)
>>> O Céu está caindo de Sidney Sheldon pela Record (2000)
>>> Alquimistas e Quimicos de Vanin Jose Atilio pela Moderna (1994)
>>> Trafico de Anjos de Luiz Puntel pela Atica (1992)
>>> O Plano Perfeito de Sidney Sheldon pela Record (2012)
>>> As Aventuras do Marujo Verde de Glaucia Lemos pela Atual (1990)
>>> Posso Te Dar Meu Coração? de Ganymedes José pela Moderna (1989)
>>> O Segredo do ídolo de Barro de Elisabeth Loibl pela Melhoramentos (1987)
>>> O Elefante Assassino de Pedro Bandeira pela Atual (1987)
>>> Lover in the rough de Elizabeth Lowell pela Avon books (1994)
>>> O Passado Esteve Aqui de Stella Carr pela Moderna (1988)
>>> O Guarani - de José de Alencar pela Reddiel (1997)
>>> A Maldição da Fabrica de José Americo de Lima pela Atual (1989)
>>> Vinda Com a Neve de Odette de Barros Mott pela Moderna (1982)
>>> Qual é a Minha de Marcia Leite pela Scipione (1990)
>>> Um Cadáver Ouve Rádio de Marcos Rey pela Atica (1984)
>>> O Caso da Ilha de Odette de Barros Mott pela Atual (1987)
>>> Literatura Comentada de Mário Quintana pela Abril Educação (1982)
>>> Literatura Comentada de José Lins do Rego pela Abril Educação (1982)
>>> Literatura Comentada de Graciliano Ramos pela Abril Educação (1981)
>>> Literatura Comentada de Camilo Castelo Branco pela Abril Educação (1980)
>>> Literatura Comentada de Antonio Callado pela Abril Educação (1982)
COLUNAS

Sexta-feira, 28/12/2007
E-mails a um jovem resenhista
Rafael Rodrigues

+ de 3300 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Volta e meia puxo uma conversa, quase sempre sobre literatura e relações pessoais, com uma das pessoas mais sensatas que conheço. Ela sempre me dá bons conselhos e nossos e-mails rendem boas conversas. Dessa vez não resisti, e pedi a ela que me deixasse reproduzir um trecho da nossa correspondência eletrônica. Mas a conversa foi tão boa que aproveitei mais de um trecho.

O primeiro é sobre as panelinhas no meio literário. Já fui acusado, há alguns anos, de participar de uma panelinha. Um absurdo, visto que a maioria dos conhecidos que tenho no meio são apenas conhecidos virtuais. Fiz algumas amizades, claro, mas nunca tirei proveito de nada. Eu digo que tudo o que tenho são minhas referências, meus escritos espalhados por aí. Sempre corri atrás de minhas coisas. Óbvio que, se algum dia surgir uma oportunidade por indicação de alguém, não vou recusar. Nem é nada desonrador pedir ajuda a um amigo mais bem relacionado (no sentido de pedir o contato de alguém, ou que ele faça a ponte entre você e outra pessoa). Mas isso não é participar de panelinha. Isso é reconhecimento de esforço e capacidade.

"Existem sim as tais panelinhas. E como. Você não faz idéia da podridão que reina no mundo literário, sobretudo na nova geração de autores. A verdade é que o mundo literário é uma ridícula guerra de egos. Cada um se acha dono da verdade e, o pior, se atribuem uma importância irreal e disparatada. E a verdade maior ainda é que essas pessoas têm muito pouca projeção no mercado em geral (falo do conjunto de leitores) e quase nenhuma influência no que é vendido e no que se lê pela maioria."

O problema das panelinhas é que, no geral, todos os participantes são medíocres, no sentido de serem medianos. Décadas atrás as panelinhas também existiam. Mas uma panelinha constituída por Fernando Sabino, Otto Lara Resende, Paulo Mendes Campos, Hélio Pellegrino, Murilo Rubião, Carlos Drummond de Andrade, Vinicius de Moraes, Clarice Lispector e outros tantos, que liam e elogiavam os livros uns dos outros é muito diferente de uma panelinha constituída por escritores que escrevem livros, na melhor das hipóteses, "mais ou menos".

Eu, como aspirante a crítico literário e escritor, não posso me deixar seduzir por uma dessas panelinhas. Os amigos que fiz, fiz por gostar verdadeiramente deles. De alguns até me afastei, justamente para não correr o risco de ser considerado integrante de determinado grupo. É uma pena, pode ser bobagem, mas é verdade.

"Existe uma prática muito comum entre jornalistas-escritores que é a seguinte: 'escreva uma resenha falando bem do meu livro que eu escrevo outra falo bem do seu'."

Eis algo que realmente acontece. Essa troca de favores é abominável. E não é camaradagem, é picaretagem mesmo. Isso explica, em parte, o fato de alguns livros ruins serem tão elogiados por aí. E lá vamos nós de volta à discussão sobre as panelinhas, dos parágrafos acima. Quando algum amigo ou conhecido meu lança um livro e ele não é bom (para não dizer que é ruim), eu prefiro não escrever sobre o livro. Pro autor, eu digo o que achei. Por mais chato que seja fazer isso. Perco a amizade, mas não deixo de dizer a verdade. Se for amigo mesmo, vai entender que aquela é apenas a minha opinião. Não significa que o livro é ruim. Leitores diferentes fazem leituras diferentes, como bem diz o experiente José Castello.

"Quanto à sua relação, enquanto crítico, com os autores amigos, ela será sempre problemática. Porque é um terreno em que é preciso estar sempre pisando em ovos. Faça uma escolha. Você pode optar por não resenhar livros de amigos, o que é válido. Agora, como crítico, você terá sempre desafetos, a menos que seja um vaselina total. E mesmo esses viram alvo de ressentimento por parte de escritores que se enfurecem por seus livros não terem sido mencionados ou criticados (afinal, não se pode escrever sobre tudo o que é lançado e na literatura brasileira atual há muito lixo)."

Justo o que eu disse acima. Mas não posso deixar de resenhar bons livros de amigos por conta da possibilidade de alguém dizer que é um elogio gratuito, que só estou elogiando porque é o livro de um amigo meu, esse tipo de coisa. Por mim, podem falar até cansar. Não vou jamais me justificar ou pedir desculpas por elogiar um amigo.

"Volta e meia, acontece um briga pavorosa em torno de um assunto, em geral, besta, uma bobagem. Eu me pergunto: para quê? Ninguém toma conhecimento daquilo. É pura guerra de egos. Perda de tempo e de energia total."

O engraçado é como essas bobagens, essas picuinhas ganham tanto tamanho e espaço. A literatura é importante para quem faz, para quem ama, para quem gosta. Mas são tão poucas pessoas que fazem, amam e gostam de literatura, que chega a ser ridícula a proporção que alguns autores dão às más críticas de seus livros, por exemplo. São ridículos também comentários do tipo "ah, só publicaram porque ele é amigo de fulano". É verdade que isso ocorre, mas reclamar e choramingar vai adiantar? Não vai. Então. O melhor é esquecer as reclamações e trabalhar, ou seja, escrever.

O leitor que sustenta o mercado não está interessado em polêmicas entre escritores ou entre críticos e escritores. O chamado "leitor de fim de semana" deve achar um porre dois escritores brigando, ou um escritor e um crítico discutindo. Às vezes até que é bom, pra animar o ambiente. Mas de uns tempos pra cá, de quinze em quinze dias temos uma discussão boba no "meio literário", e isso enche o saco. Da mesma maneira que a "briga" pode fazer o leitor comprar o livro, pode fazê-lo jamais comprar o livro. Polêmica e discussão não são garantia de vendagem. Garantia de vendagem e de público leitor é qualidade. Seja o retorno imediato ou a médio-longo prazo. E o escritor de verdade, que prima pela qualidade, não se importa muito se terá retorno agora ou depois de morto. Ele quer escrever, só isso. E é isso que ele deve fazer. Não que polêmicas não sejam válidas. Algumas são. Mas nem todas.


Rafael Rodrigues
Feira de Santana, 28/12/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. As 8 mulheres de François Ozon de Clarissa Kuschnir


Mais Rafael Rodrigues
Mais Acessadas de Rafael Rodrigues em 2007
01. O óbvio ululante, de Nelson Rodrigues - 2/11/2007
02. O nome da morte - 16/2/2007
03. História dos Estados Unidos - 29/6/2007
04. Os dois lados da cerca - 7/12/2007
05. O homem que não gostava de beijos - 9/3/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
28/12/2007
14h31min
Estas panelinhas existiram, existem e sempre existirão. Eu de certa forma tenho a minha, mas melhor seria chamá-la "grupo de amigos que têm um gosto em comum, a literatura". Estou longe de poder publicar algo, se é que um dia poderei. Em relação às panelinhas "oficiais", foi-se o tempo em que me preocupava (acho que já conversamos sobre isso). Deixa elas.
[Leia outros Comentários de Diego Barreto Ivo]
29/12/2007
11h27min
Pertinente o seu texto. Acho que faz bastante sentido. Essa história de panelinha faz tanta parte desse meio, que quase foi condicionada à publicação de algum livro. Quem consegue, por si só, lançar e publicar um livro, sem a ajuda dessa panelinha? Se consegue, é um herói ou ele mesmo se banca, sei lá. O que não pode ocorrer é deixar-se contaminar pela vaidade e achar que é um foda, que é um grande escritor. Deixe que o público indique isso, como você disse, a curto ou médio prazo. O tempo e os leitores dirão. Pena que muitos bons e verdadeiros escritores deixem seus livros guardados no fundo de alguma gaveta. E para que façam parte dessa panelinha, talvez, só depois de mortos. Ou quando são descobertos por algum mecenas, com boa alma. Muito bom o seu texto. Abraço, Adriana
[Leia outros Comentários de Adriana Godoy ]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Jorge Rachid Bussab - Autografado
Jacob Klintowitz
Marprint
(1983)



A Aposta de Luiz Ignácio Maranhão Filho
Maria Conceição Pinto de Góes
Ufrj - Revan
(1999)



Hospital São Francisco de Assis e Minhas Circunstâncias
Helio Aguinaga
Não Identificada
(2011)



Rostos Invisíveis da Violência Armada
Tatiana Moura
7letras
(2007)



Ils Étaient de Leur Village, Tome 1
Gérard Boutet
Jean-cyrille Godefroy
(1999)



Verena Matzen - a Cerimônia do Encontro - Bilíngue
Jacob Klintowitz
Instituto Olga Kos
(2016)



Kick Boxing o Início de Tudo
Prof. Sergio A. Silva
Blue Star
(2001)



Fisica I Analise Dimensional Estatica
Terezinha Jocelen Masson
Pleides
(2003)



Desafios e Enigmas dos Tronos
Tim Dedopulos
Coquetel



Mentes Felizes
Drª Tereza Aubele - Dr Stan Wenck - Susan Reynolds
Universo dos Livros
(2018)





busca | avançada
70300 visitas/dia
2,6 milhões/mês