Eleição local, disputa nacional? | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
60272 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Festival Som na Faixa apresenta edição online com atrações da música instrumental
>>> Leituras Urbanas começa novo ciclo literário
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Dublinenses
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> A Lógica do Cisne Negro, de Nassim Nicholas Taleb
>>> Villa-Lobos tinha dias de tirano
>>> Abbas Kiarostami: o cineasta do nada e do tudo
>>> White Blues Boys
>>> 21º de Mozart: Pollini e Muti
>>> Mentiras diplomáticas 1: a Copa do Mundo é nossa
>>> Separar-se, a separação e os conselhos
Mais Recentes
>>> Os Lusíadas de Luís de Camões pela Abril (1979)
>>> Os Trabalhadores do Mar de Victor Hugo pela Abril (1979)
>>> Decamerão (2 volumes) de Giovanni Boccaccio pela Abril (1981)
>>> Relações entre a Igreja e o Estado de Rafael Llano Cifuentes pela José Olympio (1989)
>>> A Interpretação do Homem de Renato Kehl pela Francisco Alves (1951)
>>> Envelheça Sorrindo de Renato Kehl pela Francisco Alves (1949)
>>> O Milagre de Lourdes de Ruth Cranston pela Melhoramentos (1955)
>>> Diário de um pároco de aldeia de Georges Bernanos pela Agir (1964)
>>> A Doutrina Social da Igreja de G. C. Rutten, O. P. pela Agir (1947)
>>> Maria e o Evangelho de Jean Galot pela Aster (1961)
>>> O que sobrou do paraíso? de Jean Delumeau pela Companhia das letras (2003)
>>> Senhores de engenho, judeus em Pernambuco colonial 1542-1654 de José Alexandre Ribemboim pela 20-20 Comunicação (2002)
>>> Os magnatas do tráfico negreiro de José Gonçalves Salvador pela Pioneira, Edusp (1981)
>>> A comunidade judaico-cristã de Mateus de Anthony J. Saldarini pela Paulinas (2000)
>>> A Formação da Terra - Biblioteca Salvat de Grandes Temas de Vários Colaboradores pela Salvat (1979)
>>> As origens do Novo Testamento de C. F. D. Moule pela Paulinas (1979)
>>> Mártires do coliseu romano de Emma Leslie pela Aeebar (1984)
>>> Filosofia para entender teologia de Diogenes Allen e Eric Springsted pela Paulus, Academia cristã (2011)
>>> Nigella Bites de Nigella Lawson pela Ediouro (2019)
>>> Minidicionário da Língua Portuguesa de Francisco da Silveira Bueno pela FTD (1996)
>>> Desenho Técnico de Thomas E. French pela Globo (1958)
>>> Métodos de Ensaios nas Indústrias de Celulose e Papel de Alfred Halward e Outro pela Brusco
>>> Minha Vida na Estrada de Gloria Steinem pela Bertrand Brasil (2017)
>>> Quantitative Analysis de V. Alexeyer pela Mir
>>> Pulp Technology and Treatment For Paper de James d'A. Clark pela Miller Freeman (1978)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 47 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 46 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 43 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 41 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 40 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 39 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 38 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Cinco Minutos e a Viuvinha de José de Alencar pela Ciranda Cultural / W. Bucb (2009)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 37 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 36 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 35 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 34 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Fim de Fernanda Torres pela Companhia das Letras (2013)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 33 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 32 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 31 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Cinco Minutos e a Viuvinha de José de Alencar pela Ática (2002)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 30 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 29 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Cardiologia Baseada em Relatos de Casos de Carlos V. Serrano Jr.; Flávio Tarasoutchi; Outros pela Manole (2006)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 28 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 27 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 26 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Um Encontro Inesperado de Rosamunde Pilcher pela Bertrand Brasil (2003)
>>> Temas de Marcapasso de Celso Salgado De Melo; Oswaldo Tadeu Greco; Outros pela Leitura Médica (2011)
COLUNAS >>> Especial Eleições 2008

Quarta-feira, 8/10/2008
Eleição local, disputa nacional?
Vicente Escudero

+ de 3400 Acessos
+ 3 Comentário(s)


Ela, anula.

A eleição para prefeito e vereador passou e o eleitor escolheu entre sapatear sem controle por quatro anos, como no comercial da Justiça Eleitoral, ou votar em candidatos sérios. Tal escolha parecia fácil, mas não era. Se o sapateado compulsivo é ridículo, pelo menos é aparente, comparado ao balé adiposo, dançado secretamente nos bastidores dos governos, a cada pizza preparada no forno onde queima a ética da política.

Daí a função do eleitor: pedir a conta da redonda na urna. Num domingo tranqüilo, o eleitor votou usando a segura urna eletrônica, ainda que tenha enganado algum miliciano com uma foto falsa do voto no candidato "Machado de Assis" ou "Guimarães Rosa". A extensão da ficção, neste caso, era livre como o direito de votar.

A única história que não devia sair na foto era a da venda do voto. Se o candidato prometeu trocar alguma coisa pelo seu voto, não duvide que ele figurará, em breve, na famigerada lista suja, divulgada pela Associação dos Magistrados do Brasil, ou até mesmo tentará dar o pulo do gato para um cargo estadual ou federal na próxima eleição, deixando você na mão quando tiver de recorrer ao poder público atrás de melhorias para seu bairro.

E é com o alpinismo político, insidioso, que o eleitor deve estar atento.

Um dos fatores que mais pesam na escolha do candidato, pelo eleitor, nas eleições municipais, é o seu vínculo com a região onde é mais conhecido ou onde atua de forma consistente. Se o vereador ou prefeito abandona o cargo no meio do mandato para concorrer em outra eleição, deixando um substituto desconhecido em seu lugar, a confiança depositada pelo eleitor em seus projetos se esvai. Como acreditar em novos projetos de alguém que sequer cumpriu promessas menores? Se a educação primária de um município não é melhorada, o que dizer das promessas de mudanças em todo o sistema educacional de um Estado?

Analisando os critérios desta escolha, seria possível afirmar que o localismo adotado na justificação do voto ensejaria uma predisposição natural do eleitorado a aceitar o sistema de voto distrital?

Mas o que é o sistema de voto distrital?

Atualmente, o Brasil adota dois sistemas de voto nas eleições: o majoritário e o proporcional. Através do majoritário, é eleito o candidato que obtiver maior número de votos válidos para o cargo em disputa. Este sistema é usado na eleição para Presidente da República, senadores, governadores e prefeitos. Para a eleição de senadores, há apenas um turno; entretanto, tratando-se das outras três chefias do Executivo, se o candidato obtiver a maioria absoluta dos votos válidos, será eleito no primeiro turno; não alcançada a maioria absoluta, haverá segundo turno. Nos municípios com menos de duzentos mil habitantes há, obrigatoriamente, apenas um turno na eleição para prefeito.

Já no sistema proporcional, adotado nas eleições dos legislativos federal, estadual e municipal, inicialmente, descobre-se qual o número de votos válidos na eleição do respectivo cargo; depois, divide-se este total pelo número de cadeiras existentes na casa legislativa respectiva (Câmara dos Deputados, Assembléia ou Câmara Legislativa, Câmara de Vereadores). O resultado desta divisão é chamado de "quociente eleitoral" e indica quantos votos são necessários para angariar uma cadeira. Finalmente, divide-se o número de votos do partido pelo quociente eleitoral. Desta divisão resulta o número de cadeiras a que o partido terá direito na casa respectiva. A partir daí, as cadeiras conquistadas por cada partido são ocupadas pelos candidatos com mais votos.

O sistema distrital, defendido pela maioria dos analistas políticos, diminui o poder da legenda pois vincula o candidato ao local em que foi eleito e ao voto de seus eleitores. Se no sistema proporcional um só candidato, eleito por determinado partido, é capaz de trazer para a casa legislativa outros candidatos que não tiveram votação expressiva (como ocorreu no caso do falecido deputado federal Enéas Carneiro e seu partido, o PRONA), no sistema distrital a vitória arrasadora legitima apenas a eleição do próprio candidato. Numa eleição para vereador através do sistema distrital, a cidade é dividida em diversos distritos de acordo com vários critérios, dentre eles o número de habitantes, e em cada um deles é realizada uma eleição para vereador pelo sistema majoritário. Vale ressaltar que nos países onde o sistema distrital é adotado, a relação entre eleitores e parlamentares é tão forte que o vencedor na eleição acaba mantendo um escritório no distrito que o elegeu durante todo o mandato, para atender as demandas da população. Já não passou da hora de adotarmos este sistema? Afinal, como lembrou o ex-presidente do TSE, Carlos Velloso, apenas Brasil e Finlândia ainda adotam o sistema proporcional com listas abertas.

Em tempos de eleição, para os niilistas, há muita esperança em torno daquilo que já está consumado: mais quatro anos com os mesmos problemas. Mas, ainda que o nosso sistema eleitoral facilite distorções e dificulte a vida do eleitor, obrigando-o a votar sem obrigar o eleito a, no mínimo, ser honesto, vale lembrar as palavras de Abraham Lincoln, nestes tempos de escândalos e crashs financeiros, verdadeiro juízo final que recomeça, diariamente, entre o jornal matutino e o noturno: "Uma cédula eleitoral tem mais força que um tiro de espingarda".

Seriam as balas de festim?


Vicente Escudero
Campinas, 8/10/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um Cântico para Rimbaud, de Lúcia Bettencourt de Jardel Dias Cavalcanti
02. Píramo e Tisbe de Ricardo de Mattos
03. Reflexões de um desempregado de Elisa Andrade Buzzo
04. Como se enfim flutuasse de Elisa Andrade Buzzo
05. Meus álbuns: '00 - '09 ― Pt. 3 de Rafael Fernandes


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero
01. Oversharing: que negócio é esse? - 24/6/2010
02. A mitologia original de Prometheus - 2/8/2012
03. Colocando o preto no branco das câmeras digitais - 12/8/2010
04. Kindle, iPad ou Android? - 14/4/2011
05. Ascensorista para o arranha-céu da literatura - 13/7/2007


Mais Especial Eleições 2008
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/10/2008
11h44min
... e assim prossegue o círculo vicioso das democracias representativas de massa e de mercado, nas quais a liberdade do cidadão está restrita apenas ao momento do voto. Abraços do Sílvio Medeiros. Campinas, é primavera de 2008.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
8/10/2008
19h25min
Devemos continuar a acreditar na força do voto, que tem a força de um tiro, como disse Lincoln, porque temos exemplos maravilhosos de políticos que mostraram verdadeiros milagres de transmutação de caráter, apesar de saírem da prática dos piores tipos de crimes. Certo pastor de igreja evangélica, a qual conhecidamente explora o povo, se afastou de suas atividades sacerdotais, tornou-se político, tentando se eleger como prefeito de uma cidade brasileira de porte. Sem sucesso, anda envolvido com o crime organizado, segundo informam os jornais. Mesmo assim, todo mundo desce o pau no cara. Ara, mas o que querem este bando de gente curta e inflexível! Que, numa só vida, o sujeito saia do colo do capeta e voe para as nuvens de Jesus? Eu, de mim, fico impressionado com a evolução do sujeito. Tenho que admitir que a fé dos pobres fiéis que o ouviam removeu mesmo montanhas.
[Leia outros Comentários de mauro judice]
9/10/2008
17h39min
Pra transformar não basta votar, mas estabelecer no voto um conjunto de valores que vão desde a ética, o respeito, até a arte de sentir as dores do mundo e a ciência de fazer com que as dores do mundo se transformem em felicidade. Votar não deve ser um copo de cerveja, mas ser um copo de responsabilidade, de uma busca capaz de dinamizar a estrutura de viver.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA
LIMA BARRETO
BOM LIVRO
(2010)
R$ 5,00



COMPLEXO DE CINDERELA
COLETTE DOWLING
MELHORAMENTOS
(1981)
R$ 6,90



CUTTING EDGE-INTERMEDIATE
SARAH CUNNINGHAM; PETER MOOR
LONGMAN
(2001)
R$ 39,90



CANIBAIS E CRISTÃOS
NORMAN MAILER
CIVILIZAÇÃO BRASIELIRA
(1967)
R$ 9,80



O MORRO DOS VENTOS UIVANTES
EMILY BRONTË
LUA DE PAPEL
(2009)
R$ 19,80



QUERIA TANTO
LIVIA BRAZIL
BENVIRÁ
(2011)
R$ 8,90



COMPETÊNCIAS CRIATIVAS
ALESSANDRA DRUMMOND MARIA HELENA CUNHA RICHARD (OR
UMA
(2016)
R$ 19,90



UM CHEF PARA AS QUATRO ESTAÇÕES
GORDON RAMSAY
EDIOURO
(2010)
R$ 14,00



SELEÇÕES DE LIVROS (DESCRIÇÃO)
VARIOS AUTORES
VÁRIAS
R$ 5,00



ALMANAQUE DO PELEZINHO Nº4
EDITORA ABRIL
ABRIL
(1983)
R$ 55,00





busca | avançada
60272 visitas/dia
2,0 milhões/mês