Sobre o Acordo Ortográfico | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
36499 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Reforma Ortográfica

Sexta-feira, 24/10/2008
Sobre o Acordo Ortográfico
Ricardo de Mattos

+ de 4800 Acessos
+ 1 Comentário(s)

No dia 29 de setembro entrou em vigor o decreto que promulgou o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. O objetivo é a unificação da ortografia portuguesa e, por conseguinte, das regras a serem ensinadas nos países lusófonos. O Acordo foi firmado em 1990 e somente agora os países envolvidos resolveram os detalhes e ratificaram-no. A demora é justificada por questões políticas e acadêmica, representada esta pela tarefa assumida em conjunto de elaborar um vocabulário ortográfico comum.

O Acordo determina que o glossário compartilhado seja o mais completo possível e normalizado ao máximo no referente às terminologias científicas e técnicas. Não deve ter sido fácil, ou ao menos agradável, a realização do trabalho. Um mesmo vocábulo deverá ser reconhecível em cada um dos países de língua portuguesa. Assim, termos como "objeto", "tratado", "extradição" terão a mesma grafia no Brasil, em Portugal, Moçambique, Cabo Verde etc. O efeito no Brasil será pequeno, mas os outros, Portugal em primeiro lugar, terão seus transtornos. O reconhecimento de algumas palavras dependerá do contexto. Duas pessoas num escritório apertam as mãos celebrando um pato; no almoço, pato diverso é servido assado com arroz mole e coentro.

Quem acompanha a literatura africana em língua portuguesa poderá ser mais exato, mas a mim me parece existirem dois pólos ortográficos: Brasil de um lado e Portugal com os demais países do outro. Cada um, todavia, com suas peculiaridades regionais. Daí a impressão que a língua adaptada no Brasil sobrepôs-se à língua "original". Uso aspas porque o português não é uma língua original, aborígine, por assim dizer. O Latim não foi substituído em Portugal, o uso local é que prevaleceu e adquiriu autonomia, de modo que ao correr dos séculos ficamos com dois idiomas. No Brasil, adotou-se oficialmente a língua portuguesa, mas não poucos viajantes, livros e artigos detêm-se acerca das diferenças. Falamos na verdade um idioma baseado no português e alvo das sempre mencionadas influências negra e índia. Certo dia, esperando um ônibus em Curitiba, não me surpreendi quando uma menina contava ao pai que determinado evento de sua escola seria apresentado "em inglês e em brasileiro". A língua portuguesa é nossa roupa de cerimônia, aquela com a qual queremos ser reconhecidos e que nos tolhe um pouco a fala. O "brasileiro" é o trajo doméstico, puído, sobre o qual o cachorro dorme quando não o vestimos, mas que nos facilita os movimentos, isto é, a comunicação.

A notícia do Acordo foi estridente, transmitindo a sensação de que uma nova língua passaria a ser falada e escrita. Sua utilidade prática, na verdade, é política e educacional. Política, para que sejam eliminadas as adaptações e versões dos tratados internacionais. Um texto em inglês pode ser lido da mesma forma na Inglaterra e no Canadá, o mesmo podendo dizer-se para um texto em espanhol e países como a Espanha e o Chile. Contudo, o texto publicado no Brasil pode ter redação diversa do publicado em Portugal, Moçambique e Angola. Pode ser pouco em termos gerais, mas para culturas apegadas mais aos termos que ao sentido, a unificação afasta questionamentos desnecessários. Também as editoras não precisarão mais colocar em cada obra portuguesa publicada aqui uma nota alertando a manutenção da grafia original. Ocioso, de qualquer forma, demorar sobre a distância entre o oficial e o coloquial.

A utilidade educacional revela-se no ensino unificado de uma ortografia mais simples em todos os países signatários. Da perspectiva brasileira, o impacto ainda será pequeno. Um brasileiro talvez não tenha grande intenção de estudar em Cabo Verde, mas a recíproca pode ser mais ansiada que o imaginado. As regras gramaticais continuam as mesmas, devendo o aluno seguir aprendendo a diferença entre uma oração subordinada substantiva predicativa e uma subordinada adverbial concessiva. Quanto à colocação pronominal, continua sendo correto "vê-lo" e não "ver ele"; "encontrá-la" e não "encontrar ela". Todos "encontram ela", mas "encontram-na" por escrito.

Em se tratando da pátria do Jeca Tatu e outras distinguidas figuras, a unificação poderá ser usada em desfavor dos candidatos a cargos públicos que estejam prestando concurso. A partir de agora, os testes de múltipla escolha causarão arrepios até aos espíritos de Antonio Houaiss e Napoleão Mendes de Almeida. Concursos que antes não exigiam, passarão a cobrar provas redacionais para conferir se o candidato está atualizado. Um teste de múltipla escolha pode ser resolvido pela sorte, mas a mão cansada do concorrente denuncia-o com maior eficácia.

O decreto presidencial traz o remédio contra estas e outras armadilhas, bem como o alívio de revisores, autores, editores e outros profissionais envolvidos. Um dos artigos estabelece um período de transição para implementação das novas regras. De primeiro de janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2012, coexistirão a velha ortografia e a nova. Agora eles sabem o que é estudar um Código Civil por cinco anos, sair da faculdade e logo depois estudar tudo de novo, por conta da revogação, sem mencionar os demais ramos do Direito. Só acredito que por uma questão de documentação histórica, os textos publicados em sites deverão ser mantidos como no início.

Outro Texto Recente do Mesmo Autor

http://www.palavraespirita.com.br/pe_conteudo.php?id_edicao=122&texto=2


Ricardo de Mattos
Taubaté, 24/10/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Bruta manutenção urbana de Elisa Andrade Buzzo
02. Revolusséries de Luís Fernando Amâncio
03. A Coreia do Norte contra o sarcasmo de Celso A. Uequed Pitol
04. Afinidade, maestria e demanda de Fabio Gomes
05. Radiohead e sua piscina em forma de lua de Luís Fernando Amâncio


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2008
01. O Presidente Negro, de Monteiro Lobato - 29/7/2008
02. Sobre o Acordo Ortográfico - 24/10/2008
03. Sobre o Caminho e o Fim - 20/3/2008
04. Sob Custódia, de Anita Desai - 15/12/2008
05. Olímpica - 26/8/2008


Mais Especial Reforma Ortográfica
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
24/10/2008
15h00min
O grande problema da bendita reforma é que ela é imposta de fora para dentro, contrariando o fluxo normal da evolução de qualquer língua. É uma pena, pois só se conseguirá mais gente batendo cabeça em sua própria língua. Lamentável! A verdade é que essa reforma só veio para atender aos interesses econômicos das grandes editoras, sedentas em aquecer seu mercado custe o que custar.
[Leia outros Comentários de Fernando Lima]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




BIG BAG MISTAKE
PEARSON EDUCATION
PEARSON EDUCATION ESL
(2008)
R$ 8,00



GONZO! 30 ANOS DE REPORTAGENS
ARTHUR VERÍSSIMO
REALEJO
(2014)
R$ 39,90



7 HISTÓRIAS DO MUNDO MÁGICO
REGINA DRUMMOND
DEVIR
(2007)
R$ 14,00



TAPA DE HUMOR NÃO DOI
O GRELO FALANTE
OBJETIVA
(1999)
R$ 10,00



ESCADA DOS ANOS, A
ANNE TYLER
RECORD
(2008)
R$ 8,64



ANDRÉ MAULRAUX
LOURENÇO DANTAS MOTA
BRASILIENSE (SP)
(1982)
R$ 19,28



LOVE HINA VOL 20
KEN AKAMATSU
JBC
(1999)
R$ 5,60



O VALOR CLÍNICO DO DEDO EM BAIONETA
MARIA CRISTINA PITTA SALUM FONTANA
EDUC
(1996)
R$ 11,82



INTRODUÇÃO AO DIREITO ADMINISTRATIVO
LUIZ A. I. FLORIDO, PAULO PIRES E FRANCISCO S
FORENSE (RJ)
(1987)
R$ 20,82



E A LUA SUMIU
MILTON CÉLIO DE OLIVEIRA FILHO
BRINQUE-BOOK
R$ 38,16





busca | avançada
36499 visitas/dia
1,2 milhão/mês