Sobre o Acordo Ortográfico | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
56745 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Exposição Alma
>>> Festival internacional de fotografia premia fotos vencedoras da edição de 2022
>>> Livro que destaca a importância da diversidade feminina em Conselhos de empresas já está disponível
>>> Cacá Machado se apresenta no Sesc Vila Mariana
>>> Cine Rural: Fazenda histórica do Interior sedia sessões de cinema de graça em igreja do século 19
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Música do acaso
>>> Duas cartas
>>> O Suplício do Papai Noel, por Claude Lévi-Strauss
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Depeche Mode 2001
>>> O melhor joio do trigal
>>> A morte de Sardanapalo de Delacroix
>>> O Quarteto Fantástico
>>> BDRs, um guia
>>> O melhor de Dalton Trevisan
Mais Recentes
>>> Livro - A Viagem de Théo: Romance das Religiões de Catherine Clément; Eduardo Brandão pela Companhia das Letras (2002)
>>> Livro - O Milagre de Lázaro de Morris West pela Record (1990)
>>> A arte da narrativa bíblica de Robert Alter pela Companhia das Letras (2007)
>>> Livro - A Cadeira do Dentista e Outras Crônicas - Volume 15 para Gostar de Ler de Carlos Eduardo Novaes pela Ática (2002)
>>> Livro - Jogo Arriscado: Uma Passagem Pela Assistência Social de Torres, André Luiz Falavho pela Toró na Cuca (2012)
>>> Livro - O Física: Epopéia de um Médico Medieval de Noah Gordon pela Rocco (1988)
>>> Aforismos para a sabedoria de vida de Arthur Schopenhauer pela Martins Fontes (2002)
>>> O amor fecunda o universo: Ecologia e espiritualidade de Marcelo Barros e outros pela Agir (2022)
>>> Livro - A Inspiração Espiritual na Criação Artística de Cristina da Costa Pereira pela Celd (2002)
>>> Livro - A Química de Stephenie Meyer pela Intrínseca (2016)
>>> Livro - Perdas e Ganhos - Mulheres na Literatura 8 de Lya Luft pela Folha de São Paulo
>>> Little fires everywhere - a novel de Celeste Ng pela Penguin Books (2019)
>>> A vida secreta dos apóstolos e apóstolas à luz dos atos apócrifos de Jacir de Freitas Faria pela Vozes (2022)
>>> Livro - A Escolha da Dra. Cole de Noah Gordon pela Rocco (1996)
>>> Livro - Princípios de Economia Política Volume 2 - Os Economistas de Stuart Mill pela Abril Cultural (1983)
>>> Livro - Um Dia: Vinte Anos. Duas Pessoas. de David Nicholls pela Intrínseca (2012)
>>> Livro - Administração para Empreendedores de Antonio Cesar Amaru Maximiano pela Pearson (2011)
>>> Amar, Verbo Intransitivo de Mário de Andrade pela Itatiaia (1987)
>>> Obreiros da Vida Eterna de Francisco Cândido Xavier / André Luiz pela Feb (1996)
>>> Mulheres Inteligentes, Escolhas Insensatas de Connell Cowan / Melvyn Kind pela Rocco (1991)
>>> Organização, Sistemas e Métodos de Walter Lerner pela Atlas (1977)
>>> Estatística Básica para Ciências Humanas de Bernardete A. Gatti / Nagib Lima Feres pela Alfa-omega (1975)
>>> A Vida Tende a Dar Certo de Anna Sharp pela Rocco (1996)
>>> Rindo e Refletindo Com Chico Xavier de Richard Simonetti pela Ceac (2006)
>>> Tonico de José Rezende Filho / Assis Brasil pela Ática (1989)
COLUNAS >>> Especial Reforma Ortográfica

Sexta-feira, 24/10/2008
Sobre o Acordo Ortográfico
Ricardo de Mattos

+ de 6200 Acessos
+ 1 Comentário(s)

No dia 29 de setembro entrou em vigor o decreto que promulgou o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. O objetivo é a unificação da ortografia portuguesa e, por conseguinte, das regras a serem ensinadas nos países lusófonos. O Acordo foi firmado em 1990 e somente agora os países envolvidos resolveram os detalhes e ratificaram-no. A demora é justificada por questões políticas e acadêmica, representada esta pela tarefa assumida em conjunto de elaborar um vocabulário ortográfico comum.

O Acordo determina que o glossário compartilhado seja o mais completo possível e normalizado ao máximo no referente às terminologias científicas e técnicas. Não deve ter sido fácil, ou ao menos agradável, a realização do trabalho. Um mesmo vocábulo deverá ser reconhecível em cada um dos países de língua portuguesa. Assim, termos como "objeto", "tratado", "extradição" terão a mesma grafia no Brasil, em Portugal, Moçambique, Cabo Verde etc. O efeito no Brasil será pequeno, mas os outros, Portugal em primeiro lugar, terão seus transtornos. O reconhecimento de algumas palavras dependerá do contexto. Duas pessoas num escritório apertam as mãos celebrando um pato; no almoço, pato diverso é servido assado com arroz mole e coentro.

Quem acompanha a literatura africana em língua portuguesa poderá ser mais exato, mas a mim me parece existirem dois pólos ortográficos: Brasil de um lado e Portugal com os demais países do outro. Cada um, todavia, com suas peculiaridades regionais. Daí a impressão que a língua adaptada no Brasil sobrepôs-se à língua "original". Uso aspas porque o português não é uma língua original, aborígine, por assim dizer. O Latim não foi substituído em Portugal, o uso local é que prevaleceu e adquiriu autonomia, de modo que ao correr dos séculos ficamos com dois idiomas. No Brasil, adotou-se oficialmente a língua portuguesa, mas não poucos viajantes, livros e artigos detêm-se acerca das diferenças. Falamos na verdade um idioma baseado no português e alvo das sempre mencionadas influências negra e índia. Certo dia, esperando um ônibus em Curitiba, não me surpreendi quando uma menina contava ao pai que determinado evento de sua escola seria apresentado "em inglês e em brasileiro". A língua portuguesa é nossa roupa de cerimônia, aquela com a qual queremos ser reconhecidos e que nos tolhe um pouco a fala. O "brasileiro" é o trajo doméstico, puído, sobre o qual o cachorro dorme quando não o vestimos, mas que nos facilita os movimentos, isto é, a comunicação.

A notícia do Acordo foi estridente, transmitindo a sensação de que uma nova língua passaria a ser falada e escrita. Sua utilidade prática, na verdade, é política e educacional. Política, para que sejam eliminadas as adaptações e versões dos tratados internacionais. Um texto em inglês pode ser lido da mesma forma na Inglaterra e no Canadá, o mesmo podendo dizer-se para um texto em espanhol e países como a Espanha e o Chile. Contudo, o texto publicado no Brasil pode ter redação diversa do publicado em Portugal, Moçambique e Angola. Pode ser pouco em termos gerais, mas para culturas apegadas mais aos termos que ao sentido, a unificação afasta questionamentos desnecessários. Também as editoras não precisarão mais colocar em cada obra portuguesa publicada aqui uma nota alertando a manutenção da grafia original. Ocioso, de qualquer forma, demorar sobre a distância entre o oficial e o coloquial.

A utilidade educacional revela-se no ensino unificado de uma ortografia mais simples em todos os países signatários. Da perspectiva brasileira, o impacto ainda será pequeno. Um brasileiro talvez não tenha grande intenção de estudar em Cabo Verde, mas a recíproca pode ser mais ansiada que o imaginado. As regras gramaticais continuam as mesmas, devendo o aluno seguir aprendendo a diferença entre uma oração subordinada substantiva predicativa e uma subordinada adverbial concessiva. Quanto à colocação pronominal, continua sendo correto "vê-lo" e não "ver ele"; "encontrá-la" e não "encontrar ela". Todos "encontram ela", mas "encontram-na" por escrito.

Em se tratando da pátria do Jeca Tatu e outras distinguidas figuras, a unificação poderá ser usada em desfavor dos candidatos a cargos públicos que estejam prestando concurso. A partir de agora, os testes de múltipla escolha causarão arrepios até aos espíritos de Antonio Houaiss e Napoleão Mendes de Almeida. Concursos que antes não exigiam, passarão a cobrar provas redacionais para conferir se o candidato está atualizado. Um teste de múltipla escolha pode ser resolvido pela sorte, mas a mão cansada do concorrente denuncia-o com maior eficácia.

O decreto presidencial traz o remédio contra estas e outras armadilhas, bem como o alívio de revisores, autores, editores e outros profissionais envolvidos. Um dos artigos estabelece um período de transição para implementação das novas regras. De primeiro de janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2012, coexistirão a velha ortografia e a nova. Agora eles sabem o que é estudar um Código Civil por cinco anos, sair da faculdade e logo depois estudar tudo de novo, por conta da revogação, sem mencionar os demais ramos do Direito. Só acredito que por uma questão de documentação histórica, os textos publicados em sites deverão ser mantidos como no início.

Outro Texto Recente do Mesmo Autor

http://www.palavraespirita.com.br/pe_conteudo.php?id_edicao=122&texto=2


Ricardo de Mattos
Taubaté, 24/10/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A situação atual da poesia e seu possível futuro de Luis Dolhnikoff
02. Filmes de guerra, de outro jeito de Ana Elisa Ribeiro
03. Ao pai do meu amigo de Julio Daio Borges
04. Domingão, domingueira de Ana Elisa Ribeiro
05. O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2008
01. O Presidente Negro, de Monteiro Lobato - 29/7/2008
02. Sobre o Acordo Ortográfico - 24/10/2008
03. Sobre o Caminho e o Fim - 20/3/2008
04. Sob Custódia, de Anita Desai - 15/12/2008
05. Olímpica - 26/8/2008


Mais Especial Reforma Ortográfica
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
24/10/2008
15h00min
O grande problema da bendita reforma é que ela é imposta de fora para dentro, contrariando o fluxo normal da evolução de qualquer língua. É uma pena, pois só se conseguirá mais gente batendo cabeça em sua própria língua. Lamentável! A verdade é que essa reforma só veio para atender aos interesses econômicos das grandes editoras, sedentas em aquecer seu mercado custe o que custar.
[Leia outros Comentários de Fernando Lima]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Mentes e Manias - TOC Transtorno Obsessivo-Compulsivo
Ana Beatriz Barbosa Silva
fontanar
(2011)



Cura Pelas Mãos - Os Amplificadores Portáteis de Energia
Jack F. Chandu
hemus
(1983)



Os Invejosos
Francesco Alberoni
rocco
(1996)



Paciente Particular
P. D. James
cia das letras
(2009)



Ortodoxia
G. K. Chesterton
Principis
(2019)



Como a Natureza Mudou a Historia
Erik Durschmied
Ediouro
(2004)



Macapacarana
Giselda Laporta Nicolelis
Atual
(2009)



Centelhas de Sabedoria
Gilberto Campista Guarino
Feb
(1976)



Um Ônibus do Tamanho do Mundo
J. M. Simmel
Nova Fronteira
(1982)



Grande Hotel
Vicki Baum
Abril Cultural
(1980)





busca | avançada
56745 visitas/dia
1,6 milhão/mês