Olímpica | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
28338 visitas/dia
737 mil/mês
Mais Recentes
>>> Documentário "O Corpo em Terapia' estreia em São Paulo no Cinema Reserva Cultural
>>> EXPOSIÇÃO DOS FINALISTAS E ANÚNCIO DOS VENCEDORES DO 5º PRÊMIO DE ARQUITETURA INSTITUTO TOMIE OHTAK
>>> HOSPITAL CRUZ VERDE REALIZA LEILÃO DE ARTES BENEFICENTE EM SÃO PAULO
>>> Ópera rock curitibana concorre ao Troféu HQMIX, um dos mais importantes prêmios do cartoon nacional
>>> Jornada do Patrimônio: Shopping Pátio Higienópolis abre o casarão "Nhonhô Magalhães" para visitação
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Não quero ser Capitu
>>> Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin
>>> Pra que mentir? Vadico, Noel e o samba
>>> De quantos modos um menino queima?
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> O Brasil que eu quero
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Não sei se você já deitou em estrelas.
>>> UM OLHAR SOBRE A FILOSOFIA (PARTE I)
>>> Globo News: entrevista candidatos
>>> Corpo e alma
>>> Cada poesia a seu tempo
>>> De Repente 30! Qual o Tabu Atual de Ter Essa Idade
>>> Uma jornada Musical
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES V
>>> A passos de peregrinos lll - Epílogo
>>> Jeferson De, Spike Lee e o novo Cinema Negro
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Quente e aromática tradição
>>> A esperança segundo a ficção
>>> Drummond: o mundo como provocação
>>> Michael Jackson, destinado ao eterno
>>> Quem destruiu Anita Malfatti?
>>> Influências da década de 1980
>>> Entrevista com Luis Salvatore
>>> TV pública ou estatal?
>>> Não quero ser Capitu
>>> Arrington pós-TechCrunch
Mais Recentes
>>> Pedro Médio e Rita Doce de Telma Guimarães de Castro Andrade pela Atual (1997)
>>> Pedro Médio e Rita Doce de Telma Guimarães de Castro Andrade pela Atual (1997)
>>> Pedro Médio e Rita Doce de Telma Guimarães de Castro Andrade pela Atual (1999)
>>> Pedro Médio e Rita Doce de Telma Guimarães de Castro Andrade pela Atual (1994)
>>> Pedro Médio e Rita Doce de Telma Guimarães de Castro Andrade pela Atual (1998)
>>> O Impeachment De Fernando Collor - Sociologia De Uma Crise de Brasilio Sallum Jr. pela 34 (2015)
>>> Pedro Médio e Rita Doce de Telma Guimarães de Castro Andrade pela Atual (1997)
>>> Billy And The Queen de Stephen Rabley pela Longman (1996)
>>> Macapacarana de Giselda Laporta Nicolélis pela Atual (1999)
>>> Macapacarana de Giselda Laporta Nicolélis pela Atual (1993)
>>> Macapacarana de Giselda Laporta Nicolélis pela Atual (1996)
>>> Macapacarana de Giselda Laporta Nicolélis pela Atual (1991)
>>> A Máquina de Fazer Espanhóis de Valter Hugo Mãe pela Biblioteca Azul (2016)
>>> A Maçã no Escuro de Clarice Lispector pela Rocco (1998)
>>> A Civilização do Espetáculo de Mario Vargas Llosa pela Objetiva (2013)
>>> A fada Enfadada de Marco Túlio Costa pela Ftd. (1991)
>>> A fada Enfadada de Marco Túlio Costa pela Ftd. (1990)
>>> A fada Enfadada de Marco Túlio Costa pela Ftd. (1990)
>>> A fada Enfadada de Marco Túlio Costa pela Ftd. (1988)
>>> Eu, Robô de Isaac Asimov pela Aleph (2014)
>>> Cem Anos de Solidão de Gabriel García Márquez pela Record (2014)
>>> Los Álamos de Martin Cruz Smith pela Record
>>> Los Álamos de Martin Cruz Smith pela Record
>>> Los Álamos de Martin Cruz Smith pela Record
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1986)
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1986)
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1985)
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1986)
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1985)
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1986)
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1985)
>>> Caminhos de Saida do Estado de Menoridade de Alfonso M. Iacono pela Lacerda (2001)
>>> Para uma Vida Melhor de Joseph Murphy pela Record
>>> Para uma Vida Melhor de Joseph Murphy pela Record
>>> Para uma Vida Melhor de Joseph Murphy pela Record
>>> Para uma Vida Melhor de Joseph Murphy pela Record
>>> As ideias de Marcuse de Alasdair MacIntyre pela Cultrix (1973)
>>> Fórmula para o Caos de Luiz Alberto Moniz Bandeira pela Civilização Brasileira (2008)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Ática/ SP. (1989)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Ática/ SP. (1989)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1989)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1987)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1988)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1989)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1990)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1992)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1990)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1985)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1985)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1992)
COLUNAS >>> Especial Olimpíadas e China

Terça-feira, 26/8/2008
Olímpica
Ricardo de Mattos

+ de 2200 Acessos

O senso de adequação das proprietárias da escola onde cursei grande parte do meu ensino primário ― hoje dito "fundamental" ― revelou-se na escolha da cor dos uniformes para as atividades. Para a maior parte da semana, quando ficávamos em sala de aula, o uniforme era composto por calça azul-marinho e camisa azul-turquesa. Para os dias de Educação Física, em que rolávamos no pó, brigávamos e suávamos com o calor de maçarico típico de Taubaté, vestíamos branco. Minha mãe agradecia.

As aulas semanais não disciplinavam, não despertavam o interesse do aluno e muito menos informavam sobre a importância da atividade física. Sem qualquer preparo ou alongamento, os professores determinavam que nós disparássemos em corridas sem sentido e fizéssemos todos um mesmo número de exercícios, independente de nossa compleição física. Depois simplesmente jogavam uma bola no meio da quadra e viravam as costas para a carnificina. Quando o número de meninos era ímpar eu conseguia sempre me desvencilhar.

― O Ricardo não sabe jogar bo-laaaa!!!
― E daí? Quem tem que saber é você, para ter o que fazer quando for preso e tiver que tomar banho de Sol.

Ao menos o afeto entre os companheiros se desenvolvia. Na outra escola que freqüentei, os professores levavam-nos para um campo distante alguns quarteirões e nos esqueciam. Quem quisesse jogar futebol, que jogasse. Quem quisesse invadir casas vizinhas, saqueá-las e agredir os moradores, que ficasse à vontade. Eventuais homicídios deveriam ser cometidos após o horário regulamentar, para não complicar o instrutor nem a instituição. Outra condição: o exato número que saiu deveria voltar, nem a mais, nem a menos. Escola cara, uma das melhores da cidade na época. Escola que recentemente deu um exemplo ecológico ao cortar um centenário pé de alixia para terminar de construir a quadra coberta

No colegial, as aulas de Educação Física foram tão úteis como as de Informática e de História da Arte. Eu soube dar valor e continuidade ao que aprendi com a professora Ondina, mas foi fácil espalhar entre os colegas a notícia do roubo da Santa Ceia, de Leonardo Da Vinci. Da mesma forma, quem se engajou com alguma prática esportiva, o fez por espontânea iniciativa, nada devendo ― acredito eu ― ao incentivo escolar e colegial.

No primeiro ano da faculdade, foi imposta a freqüência à aula de ginástica, sob pena de reprovação por falta. Entretanto, bastava comparecer e o professor anotava a presença. No começo ele tentou explicar a importância da atividade física para pessoas destinadas à vida sedentária e à morte prematura, mas as que passaram pelas etapas acima descritas não deram maior confiança. Fracassada a tentativa de nos exercitar, determinou: "Dez voltas naquele campo e sumam". Encerrado o primeiro ano, o alívio: nunca mais tanta perda compulsória de tempo.

O saldo não foi dos piores. Inativo não fiquei, pois sempre gostei muito de andar de bicicleta e de caminhar. Meu exercício físico era muito maior à tarde, andando de bicicleta com os amigos do que nas famigeradas aulas. Sozinho, caminhava pelo bairro e redondezas com minha bóxer, a Gabi. Quando aos 28 anos eu me percebi sem muito fôlego para subir dois lances de escadas do prédio ― entre o térreo e o escritório ― decidi freqüentar a academia do clube e escolhi a esteira e a bicicleta. As atividades que realizo durante a noite não me permitem continuar, mas um final de semana ou outro ainda perambulo com a Carmela à guia ― minha outra cadela, a Bahiana, não suporta sair de casa. Por alguns meses, creio que em 1987, fiz aulas de equitação. Uma vez na vida eu caí do cavalo, e mesmo assim porque eu não estava acostumado com o pelego utilizado no Rio Grande do Sul.

Tenho algum esporte preferido? Não... O fato de eu nascer torcedor do maior time de futebol brasileiro deixou-me acomodado. Leio o jornal apenas para confirmar mais uma vitória do Palmeiras ou entender a tática adotada e velada por uma aparente derrota. Creio até que, em vez de se manter uma "Seleção Brasileira", deveria-se logo mandar este grande time representar o país nas Copas. Em relação às demais categorias, assisto algo aqui ou ali, mas sem envolvimento. Sempre assim durante as Copas e as Olimpíadas. Para mim, são festas quadrianuais, intercaladas de forma que a cada dois anos uma delas exija a atenção do público. Nas Copas, assisto aos jogos do Brasil, enquanto ele permanece na disputa. Nas Olimpíadas, contento-me com a suma jornalística.

Em relação a esta Olimpíada, meu interesse pelo assunto esgotou-se há meses, tal o bombardeio de informações. Até o ano passado eu vinha acompanhando o que se pode chamar de "reapresentação" da China ao Ocidente e recolhendo calmamente dados sobre a história, a cultura e as religiões predominantes no país. Descobri os importantíssimos textos de Lao-Tsu ― Tao Te Ching ― e de Confúcio ― Os Analectos ―, bem como encontrei uma edição excelente d'A Arte da Guerra, desprovida de qualquer ranço de auto-ajuda. Falta ainda o I Ching e algo consistente como China ― Uma nova história, de John Fairbank e Merle Goldman. Assisti com prazer O clã das adagas voadoras, A maldição da flor dourada, O tigre e o dragão e Lanternas Vermelhas. Reprovo a tomada do Tibet, a invasão do mercado por produtos cujos preços baixos tenham bases condenáveis, bem como reprovo a gastronomia em que um dos componentes é a carne canina. Alinho-me, portanto, à média das pessoas.

"Você não come carne bovina e suína? Porco e boi sofrem muito mais durante o abate"! Concordo. Tanto concordo que hoje sou cerca de 90% vegetariano. De qualquer forma, não consigo imaginar na panela uma criatura igual a que tenho em casa, que em momentos de faniquito segura-me pela roupa e me guia até o lugar onde ela acha que eu deva ficar, ou onde haja algo que lhe interessa, como uma banana ou uma garrafa plástica pronta para ser mordida. Da mesma forma, se comprei alguns animais de plástico para o meu afilhado, impressionado pelo "realismo" deles, logo parei: o moleque os levava na escola para acertar colegas na cabeça. Até agora só não encontrei "senão" para a beleza das mulheres orientais em geral, chinesas e japonesas em especial.


Ricardo de Mattos
Taubaté, 26/8/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Precisamos falar sobre Kevin de Renato Alessandro dos Santos
02. Os Doze Trabalhos de Mónika. 9. Um Cacho de Banana de Heloisa Pait
03. Os Doze Trabalhos de Mónika. 8.Heroes of the World de Heloisa Pait
04. Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto de Jardel Dias Cavalcanti
05. Notas confessionais de um angustiado (V) de Cassionei Niches Petry


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2008
01. O Presidente Negro, de Monteiro Lobato - 29/7/2008
02. Sobre o Acordo Ortográfico - 24/10/2008
03. Sobre o Caminho e o Fim - 20/3/2008
04. Sob Custódia, de Anita Desai - 15/12/2008
05. Olímpica - 26/8/2008


Mais Especial Olimpíadas e China
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SONHOS LÚCIDOS
FLORINDA DONNER
NOVA ERA
(2009)
R$ 30,00



DICTIONARY OF FINANCE AND INVESTMENT TERMS
JOHN DOWNES AND JORDAN ELLIOT GOODMAN
BARRON'S
(1995)
R$ 29,00



O EXECUTIVO SEM CULPA
JOÃO ERMIDA
LUA DE PAPEL
(2010)
R$ 13,16



BORNÉU - COLEÇÃO AS REGIÕES SELVAGENS DO MUNDO
TIME LIFE LIVROS
TIME LIFE
R$ 8,08



BUCARESTE - CONTOS E CRÔNICAS
ALEXANDRU SOLOMON
LETRAVIVA
(2010)
R$ 17,00



CURSO DE MATEMÁTICA - VOLUME ÚNICO
EDWALDO BIANCHINI / HERVAL PACCOLA
MODERNA
(2003)
R$ 12,00



OS PÁSSAROS
FRANK BAKER
DARKSIDE
(2016)
R$ 30,00



VERDI - GRANDES COMPOSITORES DA MÚSICA CLÁSSICA VOL 17 COM CD
ABRIL COLEÇÕES
ABRIL COLEÇÕES
R$ 14,90



NAMORO, CASAMENTO E MATERNIDADE
MASAHARU TANIGUCHI
SEICHO NO IE
(2003)
R$ 15,00



O DEUS DAS PEQUENAS COISAS
ARUNDHATI ROY
ASA
(1999)
R$ 11,90





busca | avançada
28338 visitas/dia
737 mil/mês