Olímpica | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
60133 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Olimpíadas e China

Terça-feira, 26/8/2008
Olímpica
Ricardo de Mattos

+ de 2400 Acessos

O senso de adequação das proprietárias da escola onde cursei grande parte do meu ensino primário ― hoje dito "fundamental" ― revelou-se na escolha da cor dos uniformes para as atividades. Para a maior parte da semana, quando ficávamos em sala de aula, o uniforme era composto por calça azul-marinho e camisa azul-turquesa. Para os dias de Educação Física, em que rolávamos no pó, brigávamos e suávamos com o calor de maçarico típico de Taubaté, vestíamos branco. Minha mãe agradecia.

As aulas semanais não disciplinavam, não despertavam o interesse do aluno e muito menos informavam sobre a importância da atividade física. Sem qualquer preparo ou alongamento, os professores determinavam que nós disparássemos em corridas sem sentido e fizéssemos todos um mesmo número de exercícios, independente de nossa compleição física. Depois simplesmente jogavam uma bola no meio da quadra e viravam as costas para a carnificina. Quando o número de meninos era ímpar eu conseguia sempre me desvencilhar.

― O Ricardo não sabe jogar bo-laaaa!!!
― E daí? Quem tem que saber é você, para ter o que fazer quando for preso e tiver que tomar banho de Sol.

Ao menos o afeto entre os companheiros se desenvolvia. Na outra escola que freqüentei, os professores levavam-nos para um campo distante alguns quarteirões e nos esqueciam. Quem quisesse jogar futebol, que jogasse. Quem quisesse invadir casas vizinhas, saqueá-las e agredir os moradores, que ficasse à vontade. Eventuais homicídios deveriam ser cometidos após o horário regulamentar, para não complicar o instrutor nem a instituição. Outra condição: o exato número que saiu deveria voltar, nem a mais, nem a menos. Escola cara, uma das melhores da cidade na época. Escola que recentemente deu um exemplo ecológico ao cortar um centenário pé de alixia para terminar de construir a quadra coberta

No colegial, as aulas de Educação Física foram tão úteis como as de Informática e de História da Arte. Eu soube dar valor e continuidade ao que aprendi com a professora Ondina, mas foi fácil espalhar entre os colegas a notícia do roubo da Santa Ceia, de Leonardo Da Vinci. Da mesma forma, quem se engajou com alguma prática esportiva, o fez por espontânea iniciativa, nada devendo ― acredito eu ― ao incentivo escolar e colegial.

No primeiro ano da faculdade, foi imposta a freqüência à aula de ginástica, sob pena de reprovação por falta. Entretanto, bastava comparecer e o professor anotava a presença. No começo ele tentou explicar a importância da atividade física para pessoas destinadas à vida sedentária e à morte prematura, mas as que passaram pelas etapas acima descritas não deram maior confiança. Fracassada a tentativa de nos exercitar, determinou: "Dez voltas naquele campo e sumam". Encerrado o primeiro ano, o alívio: nunca mais tanta perda compulsória de tempo.

O saldo não foi dos piores. Inativo não fiquei, pois sempre gostei muito de andar de bicicleta e de caminhar. Meu exercício físico era muito maior à tarde, andando de bicicleta com os amigos do que nas famigeradas aulas. Sozinho, caminhava pelo bairro e redondezas com minha bóxer, a Gabi. Quando aos 28 anos eu me percebi sem muito fôlego para subir dois lances de escadas do prédio ― entre o térreo e o escritório ― decidi freqüentar a academia do clube e escolhi a esteira e a bicicleta. As atividades que realizo durante a noite não me permitem continuar, mas um final de semana ou outro ainda perambulo com a Carmela à guia ― minha outra cadela, a Bahiana, não suporta sair de casa. Por alguns meses, creio que em 1987, fiz aulas de equitação. Uma vez na vida eu caí do cavalo, e mesmo assim porque eu não estava acostumado com o pelego utilizado no Rio Grande do Sul.

Tenho algum esporte preferido? Não... O fato de eu nascer torcedor do maior time de futebol brasileiro deixou-me acomodado. Leio o jornal apenas para confirmar mais uma vitória do Palmeiras ou entender a tática adotada e velada por uma aparente derrota. Creio até que, em vez de se manter uma "Seleção Brasileira", deveria-se logo mandar este grande time representar o país nas Copas. Em relação às demais categorias, assisto algo aqui ou ali, mas sem envolvimento. Sempre assim durante as Copas e as Olimpíadas. Para mim, são festas quadrianuais, intercaladas de forma que a cada dois anos uma delas exija a atenção do público. Nas Copas, assisto aos jogos do Brasil, enquanto ele permanece na disputa. Nas Olimpíadas, contento-me com a suma jornalística.

Em relação a esta Olimpíada, meu interesse pelo assunto esgotou-se há meses, tal o bombardeio de informações. Até o ano passado eu vinha acompanhando o que se pode chamar de "reapresentação" da China ao Ocidente e recolhendo calmamente dados sobre a história, a cultura e as religiões predominantes no país. Descobri os importantíssimos textos de Lao-Tsu ― Tao Te Ching ― e de Confúcio ― Os Analectos ―, bem como encontrei uma edição excelente d'A Arte da Guerra, desprovida de qualquer ranço de auto-ajuda. Falta ainda o I Ching e algo consistente como China ― Uma nova história, de John Fairbank e Merle Goldman. Assisti com prazer O clã das adagas voadoras, A maldição da flor dourada, O tigre e o dragão e Lanternas Vermelhas. Reprovo a tomada do Tibet, a invasão do mercado por produtos cujos preços baixos tenham bases condenáveis, bem como reprovo a gastronomia em que um dos componentes é a carne canina. Alinho-me, portanto, à média das pessoas.

"Você não come carne bovina e suína? Porco e boi sofrem muito mais durante o abate"! Concordo. Tanto concordo que hoje sou cerca de 90% vegetariano. De qualquer forma, não consigo imaginar na panela uma criatura igual a que tenho em casa, que em momentos de faniquito segura-me pela roupa e me guia até o lugar onde ela acha que eu deva ficar, ou onde haja algo que lhe interessa, como uma banana ou uma garrafa plástica pronta para ser mordida. Da mesma forma, se comprei alguns animais de plástico para o meu afilhado, impressionado pelo "realismo" deles, logo parei: o moleque os levava na escola para acertar colegas na cabeça. Até agora só não encontrei "senão" para a beleza das mulheres orientais em geral, chinesas e japonesas em especial.


Ricardo de Mattos
Taubaté, 26/8/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Vinicius de Julio Daio Borges
02. Pantanal de Marilia Mota Silva
03. Liberdade de Ricardo de Mattos
04. Lobato e modernistas: uma história mal-contada de Gian Danton
05. É a mãe! de Pilar Fazito


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2008
01. O Presidente Negro, de Monteiro Lobato - 29/7/2008
02. Sobre o Acordo Ortográfico - 24/10/2008
03. Sobre o Caminho e o Fim - 20/3/2008
04. Sob Custódia, de Anita Desai - 15/12/2008
05. Olímpica - 26/8/2008


Mais Especial Olimpíadas e China
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A QUESTÃO DE DEUS
OSCAR BRENIFIER - JACQUES DESPRÉS
AUTÊNTICA
(2013)
R$ 15,00



DICIONÁRIO SECRETO DA MAÇONARIA
SÉRGIO PEREIRA COUTO
UNIVERSO DOS LIVROS
(2006)
R$ 190,00



LEI DE EXECUÇÃO PENAL ANOTADA
RENATO FLÁVIO MARCÃO
SARAIVA
(2001)
R$ 15,00



BRUEGEL OU LATELIER DES SONGES
CLAUDE HENRI ROCQUET
DENOEL
(1987)
R$ 29,28



50 ANOS DE BOSSA NOVA
FRED ROSSI; OSWALDO MENDES
ANOTAÇÕES COM ARTE
(2008)
R$ 35,00



É TUDO TÃO SIMPLES
DANUZA
AGIR
(2011)
R$ 35,90
+ frete grátis



MANUAL BÁSICO DE ESTUDO
L. RON HUBBARD
BRIDGE PUBLICATIONS
(2010)
R$ 130,00



DE CABUL A BAGDAD A GUERRA INFINITA
ANTONIO LOUÇA PEDRO CALDEIRA RODRIGUES
DINOSSAURO
(2003)
R$ 19,90



QUANTIDADE É QUALIDADE
EFAP
FUNDAÇÃO PADRE ANCHIETA
(2011)
R$ 13,90



SETE VIDAS ESOTÉRICAS
OCTAVIO ACEVES
NOVA ERA
(1997)
R$ 10,00





busca | avançada
60133 visitas/dia
1,1 milhão/mês