Inunda meus olhos | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Crítica à arte contemporânea
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
Mais Recentes
>>> A Loucura de Tristão (La Folie Tristan) de Anônimo Francês do Século XII(Trad.? Autografo): G. D. Leoni pela Rassegna Brasiliana/ SP. (1965)
>>> A Religião viva do Cristo de Cesar D' Almeida Campos pela Livraria Cultura (1951)
>>> Evangelho da Solidão de Eduardo de Oliveira pela Cupolo (1969)
>>> Villa-Rica de Alcibiades Delamare pela Nacional (1935)
>>> Revista do Arquivo Municipal Clxvii (167) de Nicanor Miranda/alceu Maynard Araújo pela Depart. de Cultura (1962)
>>> La Celestina de Fernando de Rojas pela Madrid (1959)
>>> Economia e Sociologia de Adolf Lowe pela Revista Forense (1956)
>>> Movimento Praieiro:imprensa, Ideologia e Poder Politico de Izabel Andrade Marson pela Contemporanea (1980)
>>> Perfil do Mercado Consumidor:de Santo André e da Grande São Paulo de Felicio P. Benatti pela Fund. Santo André (1969)
>>> A Força Invisível de Wayne W. Dyer pela Sextante (2007)
>>> Revista de Educação:AEC, A Atualidade do Começo. Ano. 35 julho / Se... de Olmira Bernadete Dassoler pela Salesianas (2006)
>>> As Tres Prosas: a Pobre, a Rica e a Nova- Rica (conferência...) de Agostinho de Campos pela Livr. Ailaud e Bertrand/ Lisboa (1923)
>>> XXll de Agosto de Nelson de Souza Carneiro pela Nacional (1933)
>>> São Francisco de Sales de Abbe Jacques Leclerq pela Vozes (1957)
>>> Os Dogmas do Espiritismo de Rosalina Calmon dos Santos pela Arte Moderna
>>> La puerta Cerrada de Simón H. pela Esoteria (1981)
>>> Os Galos da Aurora de Hélio Pólvora pela Civilização Brasileira (1958)
>>> O Triumpho das Forças Mentaes de O. S. Marden pela América Latina (1929)
>>> Anuário Militar 1987 de John Pimlott pela Globo (1987)
>>> Cannaviaes de Alberto Deodato pela Rio de Janeiro (1922)
>>> Introdução á Poesia de Augusto dos Anjos de Júlio de Oliveira Martins pela Livraria Brasil (1958)
>>> Um dia depois do outro de Antonio de Almeida Prado pela Clube do Livro (1965)
>>> Um dia depois do outro de Antonio de Almeida Prado pela Clube do Livro (1965)
>>> As Tres Prosas: a Pobre, a Rica e a Nova- Rica (conferência...) de Agostinho de Campos pela Livr. Ailaud e Bertrand/ Lisboa (1923)
>>> Trinta Anos Depois da Volta de Octavio Costa pela Biblioteca do Exército (1976)
>>> 2194 Giorni Di Guerra de Mondadori pela Ediouro (1979)
>>> Encyclopedia of the Vietnam War de Stanley I. Kutler pela Charles Scribners (1996)
>>> O Encontro Marcado de Fernando Sabino pela Record (1988)
>>> Foguetes e Mísseis da III Guerra Mundial de Robert Berman e Bill Gunston pela Livro Técnico S/A (1983)
>>> A Segunda guerra mundial (Vol. 2 Somente esse Volume) de Raymond Cartier pela Primor (1975)
>>> Os Aviões de Enzo Angelucci pela Arnoldo Mondadori (1975)
>>> lua de Mel em Portugal de Marco Antonio pela Pin
>>> A História de Fernão Capelo Gaivota de Richard Bach pela Nórdica (1970)
>>> Epigramário de J. Dias de Moraes pela O Autor
>>> O livro de Ouro da Poesia Religiosa Brasileira de Jamil Almansur Haddad pela Edições de Ouro (1966)
>>> São José do Rio Preto:1852 / 1894 de Agostinho Brandi pela Rio-Pretense (2002)
>>> A Abertura dos Portos do brasil de Pinto de Aguiar pela Progresso (1960)
>>> Hawaii Açucareiro de Apolonio Sales pela IPA (1937)
>>> Desidério Desiderávi de Frei Carmelo Surian O. F. M. pela Vozes (1957)
>>> Pearl Harbor de H.P. Willmott pela Livro Técnico S/A (1981)
>>> O Orfeão na escola nova de Leonila Linhares Beuttenmuller pela Irmãos Pongetti (1937)
>>> Robson Crusoé de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1988)
>>> O Comércio e o Desenvolvimento Economico do Brasil de José Papa Júnior pela Nacional (1983)
>>> No Hospital das Letras de Afranio Coutinho pela Tempo Brasileiro (1963)
>>> Fim de Primavera de Edvard Camilo pela Globo (1921)
>>> Corpos de Elite do Passado de Dominique Venner pela Ulisseia (1972)
>>> Tonico de José Rezende Filho pela Ática (1984)
>>> A brigada portyguara 1a Edição de Almicar Salgado dos Santos pela Nacional (1925)
>>> La France en Gènèral de André Frossard pela 'Plon (1975)
>>> O Comércio e o Desenvolvimento Econômico do Brasil de José Papa Júnior pela São Paulo (1983)
COLUNAS

Quinta-feira, 1/1/2009
Inunda meus olhos
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2700 Acessos


foto: Sissy Eiko

Elas, as luzes, vêm com a euforia das compras e num espetáculo de beleza recebe, democrática, todos os transeuntes, empetecados ou não, endinheirados ou não. Oferecem-se aos olhos guirlandas dando claridade aos prédios e postes, noite iluminada essa que inunda meus olhos, sem pedir licença, e me leva a contemplá-la como um rastro de Via Láctea. Tenho sede de luzes e é no final de ano que me abasteço delas, sem saber ao certo com qual serventia.

Há algumas semanas a decoração de Natal fora instalada nas principais ruas comerciais. A grande avenida teve suas árvores decoradas com luzes até onde a vista se perde. O pinheiro de adornos mais reluzentes foi montado na entrada da prefeitura. Aguardava com ansiedade acenderem-se no momento em que a escuridão dá seus primeiros sinais e, da minha janela redonda, das coisas que existem e que não existem, era embebida um halo verde e branco.

Em outra avenida há uma onda branca e volumosa acima de nós, combinada com uma chuva vermelha de luzes. Elas acendem e se apagam, dançantes. Outra árvore, solitária, imita neve caindo. Na praça a nudez dos galhos se reveste com folhas artificiais iluminadas e bolas vermelhas que mais parecem maçãs. E onde dormem os passarinhos nesta profusão luzidia? Não durmo eu nesta cidade iluminada, que me mantém acordada, pensamento aceso.

Fantasio outras ruas extemporâneas, com olhos biônicos de câmera de vigilância. Quero adornar os lugares já visitados, numa inútil tentativa de rever as possibilidades do que já foi descarrilado. Monitoro vidas paralelas a essa, porque o tempo nesta janela é o do pensamento, corre na velocidade das nuvens e nunca se reconfigura como da primeira vez.

Por que a prefeitura e os comerciantes se encarregam destas luzes todo final de ano? E o que leva alguém a decorar seu quadrado de sobrevida à maneira de estrela guia? Enfeites de luz chamam a atenção em meio às outras sacadas. Pois ali não apenas mora, antes vive alguém com suas aspirações e problemas, que compartilha com quem passa seu pedaço diminuto de mundo.

São 19h30, ainda é dia, um apartamento está com as cortinas fechadas e uma estrela pisca, pisca. Impossível fazer um programa diferente com os amigos, estão todos em busca de mais luzes. A fotógrafa sai à procura de cliques inéditos da decoração de Natal da Avenida Paulista. A casa branca do Bank Boston perdeu seus dias de glória com o Itaú Personnalité. Ainda assim, 0h e o trânsito da Avenida beira ao insuportável. Tudo bem, a grande caixa de presentes psicodélica em que foi transformado o prédio do Banco do Brasil já vale a visita. Enquanto isso, longe do novo centro, o Terminal Sacomã do Expresso Tiradentes bruxuleia.

Me contam da fonte do Ibirapuera, aspergindo germes e luzes. Digo que vou, mas já sei que não é minha praia pegar trânsito, comer pipoca e pagar a taxa do flanelinha para estacionar. Gosto das luzes solitárias e de difícil acesso, esquecidas nas ruas mais afastadas, presas nos prédios de pedra. Tirar os óculos e sentir o mundo ser englobado pelas luzes dilatadas. Ou ainda imaginar aquelas que ainda não vi e só mesmo o tempo, fechando aos poucos as pupilas, poderá revelá-las.

Revistas fazem um guia completo das melhores decorações da cidade. Passo em frente ao Shopping Iguatemi e reconheço o Papai Noel tropical gigante acompanhado de um labrador cor de mel portando óculos de sol. Dica do guia. O relógio d'água do shopping, que pena, foi recoberto por lacinhos vermelhos e uma casca verde com gosto enjoativo de pasta americana. Olhando mais de perto, alguns enfeites revelam uma preocupação ecológica. A original árvore de Natal do Colégio Santa Marcelina na verdade é feita com garrafas e copos de plástico coloridos. E as guirlandas verdes e vermelhas na Rua Vergueiro, timidamente dependuradas nos postes em meio à confusa mistura de fios, também parecem ser feitas de material reciclável.

Todo final de ano elas voltam, insistentes, tentando passar alguma mensagem. E não ficam por muito tempo. Seria curta a revelação? Lights will guide you home and ignite your bones. Fulgor nos olhos, a consciência exata das coisas pisca, pisca... Qual seria o significado destas luzes que aparecem e desaparecem rapidamente, para a qual olhamos absortamente, onde só pode haver uma beleza resplandecente?

E mais, a calma lúcida, em sua insistência sazonal, também me torna mais silenciosa, contemplativa. Então finalmente lembro de mim e das coisas que passam, se atenuam, se diluem no ambiente como se nunca um dia tivessem acontecido. Engano meu. Pois, ainda assim, é como se ficasse um resquício, um calor talvez luminoso, como os enfeites, que irradiam e cujo deslumbramento ninguém mais se lembra da explicação.

Nouvelle vague são essas luzes banhando cada um de nós, nos pintando de mil cores abstratas e irreais, como se fossem enredo ainda inacabado de novela ou filme de aventura. Histórias e lembranças apagadas que, um dia, como as luzes de Natal, voltam multicoloridas e desabam, torrenciais, sobre nossas cabeças.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 1/1/2009


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2009
01. Inútil, o filme e a moda que ninguém vê - 22/1/2009
02. USP: 75 anos de histórias várias - 12/2/2009
03. A Mulher Invisível ou a literatura como salvação - 20/8/2009
04. Polly - 28/5/2009
05. A profundidade aparente do concreto - 30/4/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A LUZ "VERMELHA" NO FIM DO TÚNEL
KÉSIA APARECIDA TEIXEIRA SILVA UND MÔNICA CAPPELLE
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



CATÁLOGO DOS MOLUSCOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA
MAURY PINTO DE OLIVEIRA E OUTROS (2º VOLUME)
EDUFJF (JUIZ DE FORA MG)
(1992)
R$ 19,82



HORA DE COLORIR COM ADESIVOS ZUMBIS
LITTLE PEARL BOOKS
TODOLIVRO
R$ 14,90



STEVE JOBS
WALTER ISAACSON
SIMON & SCHUSTER
(2011)
R$ 15,00



MEU SER E PENSAR
AFONSO RODRIGUES S J
LOYOLA
(1981)
R$ 5,00



DISCURSO SOBRE O MÉTODO
DESCARTES
EXPOSIÃO DO LIVRO
R$ 8,64



HERÓIS E PRÍNCIPES HEBREUS
JOACHIM PRINZ
S. SIGAL
(1954)
R$ 15,00



SELOS DE TODO O MUNDO - MANUAL DO FILATELISTA
NÃO CONSTA
NOVA CULTURAL
(1986)
R$ 12,00



O SUICÍDIO DAS DEMOCRACIAS
CLAUDE JULIEN
ARTENOVA
(1975)
R$ 7,00



DELPHI - ENGLISH EDITION
BASIL PETRAKOS
CLIO
R$ 50,00





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês