Gênios e loucos | Rafael Rodrigues | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Marco Lisboa na Globonews
Mais Recentes
>>> Psicanálise da maternidade: uma crítica a Freud a partir da mulher e de Nancy Chodorow pela Rosa dos Tempos (1999)
>>> O Preço de Uma Vida de Cristiane Krumenauer pela Novo Século (2018)
>>> Revista de História USP Nº 60 1964 de Diversos Autores pela Ffcl/USP (1964)
>>> Kerata O Colecionador de Cérebros de Juliana R. S. Duarte pela Novo Século (2017)
>>> Revista de História USP Nº 50 1962 de Diversos Autores pela Ffcl/USP (1962)
>>> Crepúsculo - Livro de Anotações da Diretora de Catherine Hardwicke pela Intrínseca Ltda (2019)
>>> Os Sertões de Euclides da Cunha pela Nova Cultural (2002)
>>> O Segredo e outras Histórias de Descoberta de Lygia Fagundes Tellles pela Companhia das Letras (2012)
>>> Uma Família Feliz de David Safier pela Planeta (2013)
>>> O Enigma da Pirâmide de Alan Arnold pela Circulo do Livro (1985)
>>> Adrienne Mesurat (prefáco Inédito) de Julien Green/ (Nota): Josué Montello pela Nova Fronteira (1983)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes) de Jonathan Swift/ Trad.: Octavio Mendes Cajado pela Globo/ RJ. (1987)
>>> O Mochileiro das Galáxias - Volume 5 - Praticamente Inofensiva de Douglas Adams pela Arqueiro (2010)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes)/ Encadernado de Jonathan Swift/ Prefácio: Almir Andrade pela W. M. Jackson (1970)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes)/ Encadernado de Jonathan Swift/ Prefácio: Almir Andrade pela W. M. Jackson (1970)
>>> Amigos de Todo Mundo: Romance de um Jardim Zoológico de Felix Salten/ Ilustrações: Philipp Arlen pela Edições Melhoramentos (1952)
>>> Lembranças Obscuras de um Judeu Polonês Nascido na França de Pierre Goldman pela Francisco Alves (1984)
>>> El Hombre de Annie Besant pela Glem (1957)
>>> Lo Spiritismo Nella Umanita de Casimiro Bonfiglioli pela Bologna (1888)
>>> Santo Tomas de Aquino de P.J. Weber pela Poblet (1949)
>>> Rumo a Consciência Cómica de Pagina de ouro de Ramasar pela Curitiba (1969)
>>> Reencarnação de J.H. Brennan pela O Hemus
>>> Rezando com o Evangelho de Pe. Lucas Caravina pela Paulus (1997)
>>> Resolução para o novo milênio de Jennifer Fox pela Ediouro (1999)
>>> Los Maestros sus Retratos Meditaciones y Graficos de David Anrias pela Horus (1973)
>>> La Doctrina Cosmica de Dion Fortune pela Luis Cárcamo (1981)
>>> Remotos Cânticos de Belém de Wallace Leal V. Rodrigues pela O Clarim (1986)
>>> Reencarnação e Imortalidade de Alexandra David Neel pela Ibrasa (1989)
>>> Raios de Luz Espiritual de Francisco Valdomiro Lorenz pela Pensamento
>>> Does God Exist? de A.E. Taylor pela The Macmillan Company (1947)
>>> Administração Básica de Adelphino Teixeira da Silva pela Atlas (2011)
>>> Como Resolver Conflitos no Trabalho de Jerry Wisinski pela Campus (1994)
>>> Administração de Investimentos de Peter L. Bernstein pela Bookman (2000)
>>> Sistemas Organização e Métodos de Tadeu Cruz pela Atlas (1998)
>>> Os 100 melhores livros de negócios de todos os Tempos de Todd Sattersten Jack Covert pela Campus (2010)
>>> Propaganda de Plínio Cabral pela Atlas (1980)
>>> Empresa Como Organizar e Dirigir de Antônio Carlos Ferreira pela Ouro
>>> Marketing Cultural ao Vivo de Vários pela Francisco Alves (1992)
>>> A Dose Certa de John C. Bogle pela Campus (2009)
>>> Já tenho idade para saber de Michael W. Smith pela BomPastor
>>> Sobreviver não é o Bastante de Seth Godin pela Campus (2002)
>>> Jesus, o maior psicólogo que já existiu de Mark W. Baker pela Sextante
>>> Aspectos Legais da Documentação em Meios Micrográficos Magnéticos e Ópticos de Ademar Stringher pela Cenadem (1996)
>>> Go Pro de Eric Worre pela Rumo (2019)
>>> Avaliação da aprendizagem - Componente do ato pedagógico de Cipriano Carlos Luckesi pela Cortez (2011)
>>> Pílulas do Bem-Estar de Daniel Martins de Barros pela Sextante (2019)
>>> Trilha de Diversos pela EuBlack
>>> Apostila de Vestibular Semi FGV 2 de Não Informado pela Cpv (2003)
>>> Documentos Maranhenses Pantheon Maranhense 2 Volumes de Antônio Henrique Leal pela Alhambra (1987)
>>> Economia de João Paulo de Almeida magalhães pela Não sei (2019)
COLUNAS >>> Especial Gênio

Terça-feira, 10/2/2009
Gênios e loucos
Rafael Rodrigues

+ de 7300 Acessos
+ 7 Comentário(s)

Era muito mais fácil, há uns 150 ou 200 anos, conhecer e conviver com um gênio. Naquela época era possível, inclusive, ser um gênio. Talvez porque as desgraças da vida não estavam tão longe das pessoas como estão hoje ― todos digam "amém", agora, por favor (longe das pessoas que podem ser gênios, claro; das outras, não, infelizmente). Afinal, quem mais tem um parente tuberculoso? Aliás, quem é que tem tuberculose, hoje? Tudo bem que o nosso governo tem se esforçado ao máximo para manter a possibilidade de termos doenças ridículas e que poderiam ser banidas para sempre da nossa sociedade, como tuberculose, febre amarela e dengue, mas é raro alguém ter tuberculose, hoje. Talvez ela tenha acabado, literalmente, com os gênios, e é possível que tenha dado origem a alguns também. Muitos morreram devido a ela e talvez, quem sabe, justamente por causa dela, muitos gênios tenham surgido. Era batata: o jovem poeta, de repente, sabia que iria morrer em breve. Dali até o dia de sua morte sua mente iria trabalhar de maneira incessante e seus poemas sairiam cada vez melhores.

Mas, claro, graças a Deus nos livramos da tuberculose. E é óbvio que ela não está diretamente ligada aos gênios. O parágrafo acima é só uma associação bem exagerada entre a terrível doença e a genialidade. Agora, se alguém me levar a sério, começar a fazer um estudo sobre o assunto e descobrir que essa pseudoteoria realmente tem fundamento, vou querer minha parte no negócio. Uma descoberta dessas com certeza viraria livro e, muito possivelmente, me chamariam de gênio. Ora, não seria mesmo uma teoria genial?

Outra associação que podemos fazer é entre a loucura e a genialidade. Alguém tem alguma dúvida de que Nietzsche foi um gênio? (Aliás, continua sendo, porque gênios são imortais...) Mas Nit ― o apelido vale apenas para os íntimos ― morreu num sanatório e sua derradeira obra, Ecce Homo, apesar de genial e bastante engraçada ― ah, a sisudez dos que não conseguem ver humor na filosofia! ― é um festival de fanfarronices e delírios do genial filósofo alemão. Outro gênio que hoje é associado à loucura é Napoleão Bonaparte. Um dos maiores personagens da História, é bom esclarecer que Napoleão não chegou a ficar louco ― ao menos não há registro histórico disso. O que consta é que sua derrota em Waterloo fez com que muitas pessoas ficassem loucas e saíssem pelas ruas dizendo ser Napoleão. Por isso as centenas de piadas de manicômio utilizando sua persona.

Além de poder ser provocada por uma enfermidade e poder desencadear outra, a genialidade pode ser, em si, uma patologia. Ou seja: a genialidade pode ser uma doença que se manifesta através de comportamentos paranóicos, obsessivos e esquizofrênicos. Quem assistiu a Uma mente brilhante tem uma boa ideia de como a genialidade pode ser prejudicial a uma pessoa. O filme conta a história de John Forbes Nash, matemático que em 1994 foi agraciado com o Prêmio Nobel de Economia. No filme, vemos um homem à beira de um colapso nervoso, como se a qualquer momento sua mente fosse entrar em curto-circuito. É como se o cérebro não suportasse a quantidade de conhecimento que ele tem; ou como se sua capacidade de processamento de informações fosse tão grande e acontecesse de maneira tão veloz, que as atividades cerebrais lhe causassem um dano irreparável. Então, ser um gênio pode ser ― e a História provou que muitas vezes é ― um fardo, quase uma maldição. Não são poucos os casos de "gênios atormentados" ou "incompreendidos", vocês sabem.

E aqui poderíamos entrar numa discussão interminável: o indivíduo tornou-se um gênio por ser um atormentado ou passou a ser um atormentado depois de descobrir-se ― e, claro, descobrirem-lhe ― gênio? Mas tentar responder a essa pergunta é como tentar responder àquela outra bem famosa: "quem veio primeiro: o ovo ou a galinha?". Não entremos neste beco sem saída, portanto. Melhor partirmos para um outro, mas com várias saídas: o que é um gênio, afinal?

Existem várias definições, e eis a minha: gênio é todo aquele que os outros "colegas de trabalho" posteriores a ele querem imitar ou almejam sê-lo. É todo aquele detentor de uma obra fundamental para a humanidade ou, no mínimo, para determinada área do conhecimento ou da atividade humana. Por exemplo: Dostoiévski. Não fosse ele, Nit não existiria. Toda a paranóia de Nit vem de Crime e castigo. A teoria do super-homem é quase um plágio de uma passagem do romance de Dosto. Arrisco até dizer que, sem Dostoiévski, não haveria Nietzsche. Porque ele não apenas teorizou o super-homem, que é o próprio Raskólnikov: o filósofo alemão viveu como um super-homem.

(Bom, essa teoria é minha, não precisa ninguém concordar com ela.)

Encontrar ou conhecer um gênio, hoje, é mais difícil que ganhar na Mega-Sena. Tudo bem que Pelé ainda está vivo e Bill Gates também, mas a genialidade deles não pode ser comparada com a de Da Vinci, por exemplo. Ou com a de Newton. Talvez o grau de genialidade dos gênios esteja mesmo diminuindo. É pouco provável ― para não dizer impossível ― que surja um novo Einstein, por exemplo, ou um novo Machado, ou um novo Nelson Rodrigues. Mas não se deve almejar menos que chegar ao patamar de um gênio. Como diz J.M. Coetzee em Diário de um ano ruim: "o padrão ao qual todo romancista sério deve aspirar, mesmo sem a menor chance de chegar lá" é "o padrão do mestre Tolstói de um lado e do mestre Dostoiévski do outro". Substitua "romancista" por sua profissão e "Tolstói" e "Dostoiévski" pelos mestres dela e tenha isso como um mantra. Você não se tornará um gênio ― nem chegará perto disso ―, mas certamente vai lhe colocar na estrada rumo ao sucesso.

Nota do Editor
Leia também "Artistas não são pirados" e "Não me venham com escritores (gênios, então...)".


Rafael Rodrigues
Feira de Santana, 10/2/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Raio-X do imperialismo de Celso A. Uequed Pitol
02. Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá? de Renato Alessandro dos Santos
03. Em defesa da arte urbana nos muros de Fabio Gomes
04. Preparar Para o Impacto de Marilia Mota Silva
05. Simone Weil no palco: pergunta em forma de vida de Heloisa Pait


Mais Rafael Rodrigues
Mais Acessadas de Rafael Rodrigues em 2009
01. Meus melhores livros de 2008 - 6/1/2009
02. Sociedade dos Poetas Mortos - 10/11/2009
03. Indignação, de Philip Roth - 27/10/2009
04. No line on the horizon, do U2 - 24/2/2009
05. Gênios e loucos - 10/2/2009


Mais Especial Gênio
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
10/2/2009
14h01min
Caro Rafael, meu nome é Andrea Mathias Losacco, sou enfermeira e trabalho na Divisão de Tuberculose do Estado de São Paulo e gostaria de lhe informar que, só no Estado de São Paulo, são notificados anualmente cerca de 21 mil casos novos de tuberculose, e que o Brasil apresenta cerca de 100 mil casos novos por ano, números que mostram que a tuberculose está bem longe de ter sido erradicada.
[Leia outros Comentários de Andrea Mathias Losac]
10/2/2009
20h04min
Rafael, o matemático John Forbes Nash sofria de esquizofrenia. Doença que pode acometer qualquer pessoa, jovem ou velha, preto ou brano, pobre ou rico e genial ou não.
[Leia outros Comentários de El torero]
11/2/2009
00h40min
Olá, Rafael. Acho que a necessidade de encontrar um gênio em tempos difíceis, como o nosso, é tão grande, que acabamos por criar um estereótipo baseando-nos em pessoas que foram "destaque" em épocas passadas. Muitos escritores eram (?) chegados à boemia e a noitadas com profissionais do sexo - para ser politicamente correta - e, por isso, estariam mais próximos de contrair doenças como tuberculose e sífilis. Quem sabe daqui a 150 ou 200 anos a gente não consegue reconhecer gênios do século XXI?
[Leia outros Comentários de Amábile Grillo]
11/2/2009
18h05min
Rafael, não existe nem jamais existirá outro Machado, Nelson Rodrigues (?) ou quem quer que seja. Seu texto não é genial, sequer ousado, um amontoado desconexo de preconceitos e figuras juvenis desenvolvidas por um senso mal-formado. Por favor, dê uma lida no texto do Jardel e seja mais prudente ao postar "textos" desta qualidade. Espero mais em qualidade e menos em presunção e preguiça.
[Leia outros Comentários de Carlos E F Oliveira]
12/2/2009
08h10min
Para quem não entendeu o texto do Rafael ou "esqueceu" de ler a linha: "O parágrafo acima é só uma associação bem exagerada entre a terrível doença e a genialidade". Uma pena, Rafael, que nem todo mundo saiba interpretar um texto com fina ironia como seu...
[Leia outros Comentários de Amábile Grillo]
18/2/2009
07h34min
Eu penso que os gênios nunca existiram... De fato houve muitos intelectuais que se destacaram em diferentes épocas e lugares. Mas a genialidade também é um mito moderno, um mito criado pelos "pares". O lance da tuberculose, por exemplo (risos). No Brasil foi embuste! Castro Alves e Álvares de Azevedo (os geniozinhos do nosso Ultraromantismo) não morreram disso, ainda que um catatal de textos afirme que sim.
[Leia outros Comentários de sandra mara ]
19/2/2009
14h50min
A genialidade decorreria de um excesso de neurônios em certas áreas dos cérebros de alguns indivíduos? Provavelmente! Estimulados por circunstâncias ou ocasiões propícias, os tais neurônios, em determinados indivíduos, providencialmente desencadeariam resultados inesperados, surpreendentes, incompreensíveis, em tudo desproporcionais à normalidade de cada época... Talvez, por isso, da genialidade decorram obras individuais, únicas, motivos de admiração, respeito, discussão e crítica, no seu tempo. Aliás, elas extrapolam seu espaço e seu tempo, imortalizando-se pelo seu ineditismo... Imitar um gênio é compreensível. Formar escola a partir se sua obra, também. Difícil, mesmo, é conviver com um deles, pois sua carga de informações e percepções está longe de ser compreensível para a maioria de nós...
[Leia outros Comentários de Beth Castro]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AJUDA-TE PELA NOVA AUTO-HIPNOSE
PAUL ADAMS
IBRASA
(1978)
R$ 20,00



ADULTOS SEM FILTRO E OUTRAS CRONICAS
THALITA REBOUCAS
ROCCO
(2012)
R$ 21,87



POR QUE OS HOMENS MENTEM E AS MULHERES CHORAM?
ALLAN E BARBARA PEASE
SEXTANTE
(2003)
R$ 6,00



JUAZEIRO DO PADRE CÍCERO
M. B. LOURENÇO FILHO

R$ 44,00



VAMPIROS EM DALLAS
CHARLAINE HARRIS
ARX
(2010)
R$ 10,00



A MÁSCARA DA MORTE VERMELHA
EDGAR ALLAN POE
MELHORAMENTOS
(2013)
R$ 8,00



O JOVEM FUTEBOLISTA
GARY LINEKER
CIVILIZAÇÃO
(1994)
R$ 11,70



DEVOCIONÁRIO NOSSA SENHORA DA PAZ
MARIA DAS NEVES
SANTA MARIA
(1999)
R$ 3,00



PASSADO E FUTURO DA ERA DA INFORMAÇÃO
RICARDO RANGEL
NOVA FRONTEIRA
(1999)
R$ 7,60



PARADOXO GLOBAL
JOHN NAISBITT
CAMPUS
(1998)
R$ 7,00





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês