A vida dos outros | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
83516 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> “A Pequena Keruaka”: obra infantojuvenil mostra jornada para salvar os rios e florestas do Brasil
>>> Festival de Patinação de Rio do Sul abre inscrições
>>> Festival Halleluya em São Paulo realizará ação solidária para auxiliar as famílias no RS
>>> Povo Fulni-ô Encontra Ponto BR
>>> QUEÑUAL
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
Últimos Posts
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ana Luiza e Luis Felipe Gama: bela parceria
>>> Apresentação
>>> Crônica, um gênero brasileiro
>>> Os melhores votos, de uma cética
>>> O que é a memética?
>>> Lobo branco em selva de pedra: Eduardo Semerjian
>>> As garotas do Carlão
>>> A novíssima arena de experimentação literária
>>> A novíssima arena de experimentação literária
>>> A novíssima arena de experimentação literária
Mais Recentes
>>> O Poder Criativo da Mulher de Edino Melo pela Arca (2013)
>>> O Problema Dos Três Corpos de Cixin Liu pela Suma De Letras (2016)
>>> O Rei Dos Dividendos: A Saga Do Filho De Imigrantes Pobres Que Se Tornou O Maior Investidor Pessoa Física Da Bolsa De Valores Brasileira de Luiz Barsi Filho pela Sextante (2022)
>>> Capitaes De Areia (edicao De Bolso) de Jorge Amado pela Companhia De Bolso (2009)
>>> Manual De Persuasao Do Fbi de Jack Shafer pela Universo Dos Livros (2015)
>>> Dicionário Enciclopédico de Administração de Cary L. Cooper e Chris Argyris pela Atlas (2003)
>>> O Diario De Um Banana 1: Um Romance Em Quadrinhos (capa dura) de Jeff Kinney pela V&r (2008)
>>> A Revolucao Da Glicose. Equilibre Os Niveis De Acucar No Sangue E Mude Sua Vida de Jessie Inchauspe pela Objetiva (2022)
>>> Guia Completo de Reflexologia de Ann Gillanders pela Pensamento (2024)
>>> Autocura Pelos Florais de Bach de Pier Campadello pela Madras (2002)
>>> Ntc's Dictionary Of American English Phrases de Richard A. Spears pela Ntc (1995)
>>> Romance da Pedra do Reino de Ariano Suassuna pela Círculo do Livro (1987)
>>> Fogo Frio: Poemas De Tras Da Geladeira de Yasmin Gomlevsky pela Cassara (2013)
>>> Novíssima Gramática Da Língua Portuguesa de Domingos Paschoal pela Companhia Nacional (2008)
>>> Riqueza das Nações - 2 Volumes de Adam Smith pela Fundação Calouste Gulbenkian (1987)
>>> A Mao Esquerda Da Escuridao de Ursula K. Le Guin pela Aleph (2019)
>>> O Corpo Dela E Outras Farras de Carmen Maria Machado pela Planeta (2018)
>>> Teoria Geral Do Processo Civil de Milton Paulo De Carvalho pela Campus (2010)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Seguinte
>>> Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa - Formato Grande de Antonio Houaiss pela Objetiva (2001)
>>> A Imagem do Som de Gilberto Gil de Gilberto Gil pela Francisco Alves (2000)
>>> Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa - Não Acompanha CD de Antonio Houaiss pela Objetiva / Houaiss (2009)
>>> Os Lohip-hopbatos Em A Guerra Da Rua Dos Siamipês de Flavio De Souza pela Companhia Das Letrinhas (2013)
>>> Arquitetura E Planejamento Na Gestão Da Saúde de Richard M. J. Bohmer pela Bookman (2012)
>>> O Eufemismo e o Disfemismo no Portugues Moderno de Heinz Kroll pela Biblioteca Breve (1984)
COLUNAS

Quarta-feira, 18/2/2009
A vida dos outros
Guilherme Pontes Coelho
+ de 3700 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Ler biografias é um hábito recente (meu). Via biografias sempre ou como discursos idólatras redigidos por um fã do biografado ou como extensas diatribes de rivais, invejosos, afins. Era uma visão muito simplista da coisa, confesso a você. Um perfil, um resumo biográfico ou mesmo uma cronologia da vida de um autor, por exemplo, eram o máximo a que prestava atenção. Ultrapassasse três páginas, já não me interessava mais. Só a obra me interessava. Mas a coisa mudou um bocado.

A primeira biografia que li foi O anjo pornográfico ― A vida de Nelson Rodrigues, escrita pelo Ruy Castro. Isso foi há pouco mais de dois anos. Hoje, vejo que comecei bem nessa área e me pergunto por que não havia me interessado por biografias antes. Agora, o meu critério maluco em escolher uma biografia pra ler não é com base na personalidade biografada, mas no biógrafo. (É um critério que recomendo veementemente a você.) Quanto mais historiador ele for, melhor. É uma maneira de combater uma rusga antiga, antiquíssima, que tenho com livros de história: é tudo muito abstrato.

Digo, em livros de história é muito comum ter frases do tipo "assim a classe artística sentiu o perigo que...", "era proibido à sociedade da época pensar que...", "o clero viu ali uma oportunidade de ouro para..." ― classe, sociedade, clero, esse coletivos usados deliberadamente me deixam transtornado. Livros como Rumo à Estação Finlândia fazem muito mais sentido em estudos históricos. A História é feita de gente, e eu quero ver gente, seres humanos em livros de História, não conceitos. Sempre que leio qualquer coisa relativa à I Guerra Mundial fico meio aborrecido porque os autores parecem não se interessar pelo ser humano, pelo indivíduo Gavrilo Princip, o assassino do Arquiduque Franz Ferdinand da Áustria, que, sozinho, foi lá e matou o arquiduque e sua esposa. Assim começou a I Guerra.

Essa minha visão individualista de ver a História tem lá seus furos, digamos, metodológicos. Quando os historiadores usam coletivos e/ou conceitos, muita coisa é resumida numa frase, muito tempo é comprimido e, conceitualmente, a coisa pode até ficar mais lógica dada a codificação linguística, a valoração intelectual e outras falácias. O problema é que eu gosto de histórias, sobretudo de histórias da História, então biografias são um ótimo remédio. Sobretudo aquelas cujos biógrafos vão além das diatribes e das bajulações.

É o caso do já citado Ruy Castro, o óbvio que dispensa comentários, idem Fernando Morais. No caso de Castro, as biografias que escreveu de Nelson Rodrigues e Garrincha (ainda não li a da Carmen Miranda) não se resumem aos personagens título. São, também, a História do teatro brasileiro e da era romântica do nosso futebol. Sem contar com o estilo magnífico do Ruy.

Depois da minha primeira experiência com Ruy, prossegui lendo biografias sempre interessado mais no biógrafo. Daí acabei lendo vidas que nunca imaginei ler. Pior, acabei sentindo até admiração por algumas às quais dedicava pensamentos negativos. Exemplo: Che Guevara. Não gostava dele e, quando via alguém vestido com aquela foto que o Korda tirou dele, eu tentava fingir que minha pena era compaixão. Mas li a biografia escrita pelo Jon Lee Anderson (muito melhor que a escrita pelo Jorge Castañeda). Além de biografia, é um livro que fala de toda a América Latina sob a influência norte-americana, da ascensão do comunismo e suas divergências intrapolíticas (comunismo russo e comunismo chinês), da economia polarizada em blocos etc. etc. Até comprei uma camisa com o Che estampado nela, veja você.

Desde então, entre uma literatura e outra, devoro uma biografia. Algumas me surpreenderam muito. A do Ulysses Guimarães escrita pelo Luiz Gutemberg, por exemplo. Estilo claro, corrido, uma história de verdade, cheia de intriga, mistério, suspense etc. e tal ― mas pouco sexo. Mesmo assim é um ótimo livro.

De repente, me peguei lendo Maysa ― Só numa multidão de amores, do Lira Neto. Achei fantástica essa biografia. Fiz uma breve pesquisa antes, sobre qual biografia dela comprar e, pelo menos dessa vez, todas as críticas que li estavam certas em dizer que esta é a melhor já escrita sobre a cantora. O autor, Lira Neto, já é um dos meus prediletos. Ele pode escrever a biografia de quem for ― eu a lerei, e recomendo o mesmo a você. Dele também é Inimigo do Rei, a bio do José de Alencar. Um espetáculo de livro. (Já estou ansioso pra ler a próxima dele, do Padre Cícero.) Além do mais, a Maysa era fascinante. Na minha opinião, ela foi um modelo de ética artística. Até então só a ouvira cantando a batida "Ne me quitte pas"; hoje reconheço a importância dela na nossa música, tenho uns CDs dela e a acho uma ótima cantora. Infelizmente, a série de tevê não me atraiu. Não foi feita para os telespectadores da nossa geração (tenho 28), mas pra quem a viu, quem foi contemporâneo dela. Daí o jeitão novelesco e adramalhado à mexicana de fazer a coisa, acredito eu.

Minhas mais recentes apaixonites biográficas são Johann Sebastian Bach (3 vols.), de Philipp Spitta (por "indicação" de Otto Maria Carpeaux); The Life of Samuel Johnson, de James Boswell; e James Boswell: The Earlier Years 1740-1769, de Frederick A. Pottle. São jóias culturais.


Guilherme Pontes Coelho
Brasília, 18/2/2009

Quem leu este, também leu esse(s):
01. A marca do fútil de Daniel Bushatsky
02. Fahrenheit 451, Oralidade e Memória de Mariana Portela
03. Amantes, tranquila inconsciência de Vicente Escudero


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2009
01. Exógeno & Endógeno - 4/11/2009
02. A morte de Michael Jackson, um depoimento - 5/8/2009
03. Entre a simulação e a brincadeira - 11/3/2009
04. Meu assassino - 10/6/2009
05. Sobre escrever a História - 17/6/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
20/2/2009
00h06min
Guilherme, eu também adoro biografias. Duas dicas: 1) "Maria Callas: a mulher por trás do mito", por Ariana Stassinopoulos Hutchinson. Cia das Letras ("um arraso"!); 2) "Rainha Vitória", por Lytton Strachey. Record (IMPERDÍVEL!) abraços do Sílvio. Campinas, é verão de 2009.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Marketing Politico E Persuasao Eleitoral
Rubens Figueiredo
Adenquer-Stilftung
(2004)



Strategic Brand Management: Building,
Kevin Lane Keller
Prentice Hall
(1997)



Livro Esoterismo Feng Shui Step By Step
T. Raphael Simons
Three River Press
(1996)



Livro Biografias Dante Alighieri o Poeta Filosofo Volume 3
Carlos E. Zampognaro
Escala
(2011)



Aspects of Language in Self-help Counselling
José Luiz Meurer
Ufsc
(1998)



Logosofia - Ciência E Método
Carlos Bernardo González Pecotche
Logosófica
(1995)



Livro Informática Design de Personagens para Games Next-Gen Volume 1 sem CD
Alessandro Lima
C Moderna
(2011)



Croquis de Paris um Guia às Avessas
Cláudio Serra
Ímã
(2018)



A Estória do Jacaré Zezé e a Tartaruga Calunga
Maria Daguia
Giostrinho
(2012)



O Processo 464
Franz Kafka
L&Pm Pocket
(2012)





busca | avançada
83516 visitas/dia
2,4 milhões/mês