Assim é... | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
56427 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 9/7/2010
Assim é...
Marta Barcellos

+ de 2600 Acessos
+ 2 Comentário(s)


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

"A coluna do Verissimo de hoje está muito estranha. Acho que não é dele." Era uma piada ― o texto estava publicado no jornal. Mas se tivesse sido enviado por e-mail, ou mesmo se fosse um link na Wikipédia, aquilo faria sentido demais até para quem acabou de acordar.

Ri da piada dele, talvez um riso nervoso, dei uma olhada na crônica (estava mesmo ranzinza) e terminei o meu café da manhã. Depois fiquei pensando nas voltas que o mundo dá, e que às vezes o colocam no mesmo lugar. Se o papel era tão sólido e estabilizador, nos proporcionava certezas e delimitava a fronteira entre a ignorância e o cientificamente comprovado, a internet nos dá a possibilidade de acreditar no que quisermos.

Será que o homem pisou mesmo na lua? Será que a Terra é mesmo redonda? Assim como alguns de nossos antepassados sem acesso à sabedoria editada por homens com identidades carimbadas por cartões de ponto, que trabalhavam em prédios com fachadas imponentes e letreiros respeitados, poderemos duvidar de quase tudo no futuro. Acreditar no que quisermos, ou no que convier às nossas convicções prévias. Eu decido se o texto é mesmo do Arnaldo Jabor, e não me importa que ele próprio negue a autoria. Se ele negar em seu Twitter, decidirei desconfiar da sua autenticidade. Se negar em sua coluna de jornal, nem saberei, porque não leio mais em papel, representante da segurança inabalável e ilusória do passado.

De início, esse mundo paralelo e nebuloso da internet me incomodava. Era preciso denunciar, desmascarar a corrente inventada sobre a criança perdida, a calúnia política, os perfis falsos nas redes sociais, isso era o que eu pensava, imbuída da nostalgia dualista do mundo com mocinhos e bandidos do passado. O que não era verdadeiro, era falso. Se não fosse falso, seria verdadeiro. Você se lembra?

Foi quando percebi que muitos dos supostos ingênuos não se importavam tanto assim. Acreditavam quando queriam, no que queriam, e isso lhes dava um filtro interessante em relação ao mundo exterior. Se já tinham preferências, como simpatia por um candidato e ojeriza por outro, podiam encontrar na internet exatamente o mundo que cogitavam. Rapidamente confraternizariam com seus pares, e compartilhariam terríveis denúncias sobre o político que já pressentiam detestável. Se quero odiar um candidato ou exercitar minha generosidade fácil endossando uma corrente para salvar o mundo, por que ir atrás de uma suposta verdade sobre os fatos?

A tal verdade, como todos sabem, era terrivelmente manipulada pelas mídias antigas e todas-poderosas. Mesmo os livros, desde sempre, serviam para propagar ou reforçar os valores de uma elite sempre interessada. Agora, as manipulações são segmentadas, ganham ares de peraltice e parecem menos inofensivas. Se algo não for real, pelo menos é divertido. Se ninguém sair seriamente machucado ― ou se atirar da janela por causa de uma campanha de difamação ―, tem-se a sensação de estar conectado ao mundo real (o antigo "bem informado") e ter opinião própria.

Mas é preciso leveza para renunciar ao conforto das grandes mídias e escolher as próprias verdades no fragmentado mundo virtual. Nada de se levar tão a sério. Ou mesmo nada de levar o mundo tão a sério. É preciso curtir ― gíria do passado ironicamente resgatada pelo Facebook. A tarefa, entretanto, é facilitada pela velocidade que impera em nossas vidas, devidamente assegurada pelas novas tecnologias.

Em segundos, precisamos descartar assuntos e pessoas, eleger interesses, escolher quem editará o conteúdo que acessaremos. E nada será para sempre, porque podemos reconfigurar tudo a qualquer momento. As eventuais dúvidas sobre a autoria de um texto, um perfil, o fundamento de um boato que bombou naquele dia, a foto que pode ter sido ou não alterada, tudo formará um caldo ralo, que passará sem problemas pelo filtro da nossa consciência de poros cada vez mais esgarçados. E nada ficará.

O entorpecimento nos deixou parecidos com o camponês alheio, que acreditava nas lendas e duvidava da ciência (com certa razão, diga-se de passagem). Ao contrário deles, porém, não tememos os deuses, nem a fúria da natureza, apenas estamos voltados demais para nós mesmos, não temos mais essa curiosidade toda em relação ao mundo real. O excesso de informação nos exauriu. Queremos apenas nos divertir.

Nessas alturas de 3 mil ou 4 mil caracteres, devo parecer pessimista ou saudosista, quando o meu sentimento em relação à revolução da internet é de absoluta excitação. Que faço, agora? Reescrevo tudo? Bobagem, a minha ranzinzice é também uma das camadas da minha verdade, e posso parar nela, em vez de tentar arrancá-la, para achar outra e outra, e nunca de fato chegar à essência que mal consigo sentir ― quanto mais transmitir. Melhor parar por aqui.

É quando, então, em meu esforço permanente para entender a contemporaneidade, me ocorre uma ideia. Se este texto é pessimista demais para a escritora que pretendo ser, poderia assiná-lo como se fosse Arnaldo Jabor. Não como Luis Fernando Verissimo, pois teria que inserir alguma pitadas de autoironia para talvez funcionar. Então é assim que funciona, descubro agora. Por isso alguém gasta tanta energia em um perfil falso e quase perfeito no Facebook. No admirável mundo novo, podemos não só acreditar no que quisermos como ser quem quisermos.

E durma-se com isso (e pensar que tudo começou no café da manhã).

Nota do Editor
Marta Barcellos mantém o blog Espuminha.


Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 9/7/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Alice in Chains, por David De Sola de Luís Fernando Amâncio
02. Para entender os protestos e o momento histórico de Julio Daio Borges
03. Recortes da paisagem: a fotografia de Rei Santos de Jardel Dias Cavalcanti
04. Ideologias em forma de spam de Diogo Salles


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2010
01. Palmada dói - 6/8/2010
02. Com ventilador, mas sem educação - 12/3/2010
03. A suprema nostalgia - 15/10/2010
04. Pelas mãos habilidosas dos grandes escritores - 17/9/2010
05. O futuro do ritual do cinema - 9/4/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
9/7/2010
10h44min
Quando há muitas indagações significa que as informações foram mal dirigidas, mal feitas, ou alguma coisa está errada. Penso que o problema é o sistema capitalista em que quem tem privilégios nas informações é quem mantém o bom capital empregado. Quem não tem capital faz a informação a machado. E as perguntas continuam a desafiar determinados veiculos da mídia como a televisão os jornais ou coisa que o falha.
[Leia outros Comentários de manoel messias perei]
9/7/2010
12h47min
Interessante o texto. Reflete o mundo atual, cheio de virtudes escritas e mentiras bem elaboradas. Como um dos assuntos: O homem na Lua? Bem, alguem não acredita, do qual sou fã. E tem os seus direitos. Ler A fraude do século é ótimo exemplo dos dizeres. Mentiras e mais mentiras. Se ainda hoje caem os aviões, imaginar um homem indo e vindo de quatrocentos mil quilômetros é mesmo para os que acreditam em tudo. Até que escrevam bem. Afinal, sempre se tem quem acredite. Parabéns pela crônica. Excelente.
[Leia outros Comentários de Cilas Medi]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CONTOS MINEIROS
VÁRIOS AUTORES
ATICA
(1984)
R$ 6,90



MANUAL DE DIREITO PENAL 1
JULIO FABBRINI MIRABETE
ATLAS
(1992)
R$ 39,00



ALMANAQUE DE PUNS, MELECAS E COISAS NOJENTAS
FÁTIMA MESQUITA
PANDA BOOKS
(2003)
R$ 6,90



MANUAL DE CONSTITUIÇÃO E LEGALIZAÇÃO DE EMPRESAS
PERI J. MISSEL (6ª EDIÇÃO)
SAGRA
(1989)
R$ 25,00



ENGLISH
COLLIER-MACMILLAN
THE MACMILLAN COMPANY
(1974)
R$ 9,00



NOVA NARRATIVA ARGENTINA: CONTOS
MAY LORENZO ALCALÁ (ORG.)
ILUMINURAS
(1990)
R$ 26,82



AS VIDAS ALHEIAS
JOSÉ OVEJERO
BARCAROLLA
(2007)
R$ 6,99



CORRESPONDÊNCIA MODERNO MANUAL DE LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO
RUI BARBOSA DE SOUZA
RÍGEL
R$ 20,00



FILME - UM RETRATO DE HOLLYWOOD
LILIAN ROSS
COMPANHIA DAS LETRAS
(2005)
R$ 56,94



EVANGELIZAÇÃO NO PRESENTE E NO FUTURO DA AMÉRICA LATINA
EDIÇAO PAULINAS
PAULINAS
(1979)
R$ 6,90





busca | avançada
56427 visitas/dia
1,8 milhão/mês