A Bienal do Livro ― diário de bordo | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
45848 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 6/9/2010
A Bienal do Livro ― diário de bordo
Gian Danton

+ de 6100 Acessos
+ 2 Comentário(s)


Ilustra: o urso azul

Pela primeira vez conheci a Bienal do Livro de São Paulo. Como moro em Macapá, que fica a horas de viagem de avião ― ou dias, de ônibus (para quem for corajoso) ―, nunca havia tido a oportunidade de visitar o evento. Mas este ano tinha uma razão importante para comparecer: o lançamento do álbum MSP 50 (Panini, 2009, 200 págs.), em homenagem aos 50 anos de carreira de Mauricio de Sousa, do qual fui um dos autores, com uma história do Astronauta desenhada pelo cearense JJ Marreiro.

A viagem foi um horror. Na escala em Belém, entrou um garoto que sentou na cadeira do corredor. No meio, uma mulher que desmaiou tão logo o avião levantou voo. E eu na janela. Lá pelas tantas, o garoto desprendeu a bandeja de refeições, colocou os pés para cima e começou a brincar: a bandeja caía, ele a chutava, ela caía de novo e ele voltava a chutar. E foi assim a viagem toda. A mãe, sentada do outro lado do corredor, em nenhum momento sequer fez menção de pedir para ele parar. Só olhava, como se não fosse com ela. Quando o barulho se tornava insuportável, a mulher sentada entre nós fechava a bandeja e o garoto começava ou a bater no encosto da poltrona, ou a correr pelos corredores, mesmo nos momentos de turbulência. Enquanto isso, eu tentava ou dormir ou ler, e não conseguia nem uma coisa nem outra. Passei a noite e o início da manhã em claro.

Cheguei a São Paulo no dia 13 de agosto, sexta-feira, o primeiro da Bienal aberto ao público. Um dia morno, com pouca gente, muitos estandes fechados. Tivemos a oportunidade de conversar com Franco de Rosa, que produz várias revistas para a editora Escala e é dono da editora Kalaco, que está lançando o álbum de luxo com as primeiras pranchas de Flash Gordon. Além disso, encontramos com Sidney Gusman, coordenador editorial da Mauricio de Sousa Produções, que nos levou até Mauricio de Sousa, que autografava no estande de uma editora de livros.

Apesar do pouco movimento, a fila era imensa e houve muita reclamação quando ele parou para falar conosco e autografar nossos exemplares do MSP 50. Aliás, se houve uma estrela nessa Bienal, foi Mauricio de Sousa. Por onde ele andava, uma multidão o seguia. Só o padre Marcelo Rossi conseguiu atrair tanta gente. Nem mesmo políticos conseguiam competir com sua popularidade. José Serra, ao visitar a Bienal, era seguido por uns poucos assessores e muitos jornalistas. Povo mesmo, quase ninguém.

Sidney Gusman mostrou os corredores e profetizou: "amanhã vocês não vão conseguir nem mesmo andar aqui". De fato, no sábado o público do evento foi recorde: 80 mil pessoas. Em alguns estandes era impossível entrar. Também havia muitas atrações. Mesmo indo nos três dias, não conseguimos ver tudo. Havia uma exposição adornada com livros imensos, com filas igualmente imensas que em nenhum momento nos dispusemos a enfrentar. A quantidade de editoras e livrarias era um paraíso para um bom leitor e ao mesmo tempo um desespero para quem queria sair de lá ou encontrar algo. Só no segundo dia começaram a distribuir um mapa do local. Até então, era muito comum nos perdermos no meio das dezenas de estandes num espaço que, para piorar, era quadrado.

Dois fenômenos chamavam atenção: muitas editoras de livros populares, a preços de R$ 5,00 ou R$ 10,00, e muitas editoras espíritas. Havia, creio, duas editoras evangélicas (uma delas a Luz e Vida, do famoso Smilinguido, que sempre chama a atenção das crianças), uma editora católica... e quatro estandes apenas de editoras espíritas, alguns deles lotados. O romance Nosso Lar, de Chico Xavier, que se transformou em filme, fazia sucesso não só nas páginas impressas, mas na grife que incluía chaveiros e camisetas. Pesquisas demonstram que os espíritas têm, em média, um nível de estudo mais alto, o que explica o sucesso dos livros espíritas.

Outra atração muito falada foram os livros virtuais. Conheci um, o Gato Sabido, no estande do Submarino. Embora interessante, pareceu limitado, uma espécie de MP4 grande, com poucos recursos, além da ausência de cores. Apesar das limitações, há uma grande empolgação pela possibilidade de reunir em um objeto pequeno e leve até mil livros. Os estudantes de direito, que são obrigados a andar para cima e para baixo com imensos vade mecum, por exemplo, são possíveis compradores da novidade.

No domingo à tarde foi o lançamento oficial do MSP 50. A coordenação do evento reservou o horário de 16 às 17 horas para o encontro de Mauricio com os autores. Mas colocaram esse encontro numa sala de vidro, no exato local em que o criador da Turma da Mônica iria autografar a partir das 17 horas. Sua presença fez com que um verdadeiro mar de gente se aglomerasse do lado de fora. Muitos se escoravam no vidro e, com o risco de um acidente, foi necessário colocar seguranças do lado de fora, para afastar as pessoas.

Duas imagens marcaram a Bienal para mim: ver um autor de quadrinhos nacionais tratado como verdadeiro popstar e ver milhares de pessoas comprando e lendo literatura. Crianças sentavam no chão, deliciando-se com livros como se fossem brinquedos, uma visão reconfortante num país que ainda sofre com o analfabetismo funcional e baixíssimos níveis de leitura.

E, inevitavelmente, acabei me lembrando do garoto que passou a viagem infernizando os passageiros, chutando a bandeja. Meus filhos estão acostumados a viajar desde muito pequenos e ambos têm um ritual: mal entram no avião, cada um pega um livro ou gibi e passam a viagem inteira entretidos com palavras e desenhos. Como dizia Monteiro lobato, a diferença entre um bruto e um civilizado é apenas de educação. E educação passa pelos livros. Sejam eles físicos ou virtuais. Daí a importância de eventos como a Bienal do Livro.

Para ir além






Gian Danton
Macapá, 6/9/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Era uma vez um inverno de Elisa Andrade Buzzo
02. A que ponto chegamos, EUA! de Celso A. Uequed Pitol
03. Brasil em Cannes de Guilherme Carvalhal
04. Você é África, Você é Linda: abaixo o preconceito! de Fabio Gomes
05. Mais uma crise no jornalismo brasileiro de Julio Daio Borges


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2010
01. Os dilemas da globalização - 8/11/2010
02. Glauco: culpado ou inocente? - 29/3/2010
03. 2009: intolerância e arte - 4/1/2010
04. Maria Erótica e o clamor do sexo - 25/10/2010
05. As fronteiras da ficção científica - 3/5/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
10/9/2010
11h48min
As imagens que marcaram: autor de quadrinhos tratado como popstar e milhares de pessoas consumindo literatura, concordo, são imagens de Bienal. Mas note, o nome já diz: Bienal, movimento a cada dois anos. A educação que transforma o bruto tem que ser diária, cotidiana. A Bienal, sem desmerecê-la, é elitizada, para poucos. Precisamos que saraus, feiras de livros, movimentos literários periféricos sejam incentivados, precisamos que a literatura não tenha apenas palco para estrelas, estas ficam longe da terra. Há que se trabalhar na comunidade em que se vive, juntando a família e amigos para ler uns aos outros, tal qual fazemos para jogos de futebol e último capítulo de novela. Isto, sim, seria impressionante. A Bienal é maravilhosa, mas também, com as verbas e incentivo que tem, não poderia ser diferente. É um evento livreiro que marca a vida, precisamos de movimento literário que componha a vida.
[Leia outros Comentários de Eliana de Freitas]
10/9/2010
16h02min
Quando há filhos que comportam-se, que leem, estes com certeza tiveram o privilégio de um processo educacional, que é cada vez mais raro. Continuar a educar os nossos filhos pra terem uma leitura de mundo que privilegie o respeito ao próximo é ótimo, e, quando é alguém que lê, é excelente. Desperta a curiosidade e refina a intelectualidade.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ESTANDARTES DAS TRIBOS DE ISRAEL
PLÍNIO MARTINS FILHO
ATILIÊ EDITORIAL
(2001)
R$ 15,42



DICIONÁRIO DOS LIVROS SENSÍVEIS
JULIETA MONGINHO
CAMPO DAS LETRAS
(2000)
R$ 48,00



SER E TEMPO - 10ª EDIÇÃO - VOLUME ÚNICO - COLEÇÃO PENSAMENTO HUMANO
MARTIN HEIDEGGER
VOZES
(2015)
R$ 107,95



VILA DOS CONFINS
MÁRIO PALMÉRIO
EDIOURO
(1994)
R$ 49,90
+ frete grátis



LIÇÕES DE GEOLOGIA
ANTONIO DE BARROS BARRETO
TYP DO DIÁRIO OFICIAL
(1922)
R$ 34,30



DESCARTES: OBRAS ESCOLHIDAS - 1ª EDIÇÃO
J. GUINSBURG & ROBERTO ROMANO & NEWTON CUNHA (ORG)
PERSPECTIVA
(2010)
R$ 100,80



MESTRES DO MODERNISMO
MARIA ALICE MILLIET
IMESP
(2005)
R$ 40,00



ARQUITETURA
W R DALZELL
MELHORAMENTOS
(1969)
R$ 8,64



DIABETES
DR. THIERRY BRUE
LAROUSSE
(2007)
R$ 16,85



REPRODUÇÃO ASSISTIDA - ATÉ ONDE PODEMOS CHEGAR?
DEBORAH ALVAREZ DE OLIVEIRA
GAIA
(2000)
R$ 8,49





busca | avançada
45848 visitas/dia
1,4 milhão/mês