O ano do Nobel a Vargas Llosa e do livro digital | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
36819 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2010

Sexta-feira, 31/12/2010
O ano do Nobel a Vargas Llosa e do livro digital
Marcelo Spalding

+ de 3400 Acessos

Dois mil e dez chega ao fim com uma farta lista de acontecimentos, da eleição de Dilma ao resgate dos mineiros no Chile, da ocupação dos morros no Rio ao título mundial da Espanha, mas no mundo da cultura e da tecnologia poderíamos dizer que o maior acontecimento é o surgimento do iPad, o novo aparelho da Apple lançado em janeiro de 2010 e que em pouco tempo tornou-se sinônimo de tablet, bagunçou o mercado de desktops e notebooks e reinventou o que temos chamado de livro digital.

Já havia leitores de livros digitais, aparelhos que tentavam em tudo ser igual ao livro, agregando uma ou outra vantagem aqui e ali. Mas o tablet vai além, aliando o formato e a portabilidade do impresso às inúmeras ferramentas da Era Digital, como a interatividade, a multimídia, a conectividade. Alice no País das Maravilhas para iPad já é um clássico pela animação cinética, ainda que um clássico ultrapassado tamanha a gama de possibilidades abertas pelo novo equipamento do Midas Jobs. Finalmente, o tempo dos livros em PDF chamados de e-book pode estar com os dias contados.

Na contramão, outro acontecimento de 2010 foi o Prêmio Nobel de Literatura para Mario Vargas Llosa, romancista peruano, o quinto (de 107!) para um latino-americano. Vargas Llosa estreou na literatura em 1959, com Os chefes, mas foi a partir de 1963, com o premiado Batismo de Fogo, que se tornou mundialmente conhecido. Ao lado de Gabriel García Márquez, tornou-se ícone do chamado realismo mágico no boom do romance latino-americano da metade do século XX, revelando um pedaço do mundo até então exótico e desconhecido aos eurocêntricos intelectuais de então.

Podemos citar, entre suas obras mais conhecidas, Pantaleão e as visitadoras (1973), Tia Júlia e o escrevinhador (1977), A Guerra do Fim do Mundo (sobre a Guerra de Canudos, 1981), Cartas a um jovem escritor (1997) e Travessuras da menina má (2006). No belo Cartas a um jovem escritor (Elsevier, 2006, 182 págs.), Vargas Llosa fala do texto, da concepção de romance como arquitetura, esquema narrativo, chegando a afirmar que nenhum romancista obteve sucesso fulminante, todos foram frutos de anos de disciplina e perseverança.

Disciplina e perseverança são a marca de Travessuras da menina má (Alfaguara, 2006, 304 págs.), recente romance de formação do peruano. A obra traz um narrador em primeira pessoa, Ricardo Somocurcio, intérprete e tradutor apresentado em diferentes fases de sua vida, nos mais variados cantos do mundo, sempre apaixonado pela tal menina má. No primeiro capítulo, Ricardo é um pré-adolescente de Lima, Peru, encantado por uma menina que se diz chilena e, ao final, revela-se uma pobre peruana querendo se passar por chilena. Seu sonho desde pequeno é viver em Paris, e já no segundo capítulo Ricardo está em Paris tentando a vida como intérprete e tradutor, quando casualmente encontrará novamente seu primeiro amor. Entre encontros e desencontros, passam por Londres, Tóquio, Madrid e Paris novamente.

A volta ao mundo que o romance promete (e cumpre), associada à sensação de perda da identidade do protagonista ― "durante as semanas que permaneci no Peru fui abatido por uma sensação opressiva e me senti órfão no meu próprio país" ― estão em absoluta sintonia com os temas preferidos dos acadêmicos contemporâneos, e é sintomático que depois desse romance o peruano tenha sido lembrado por uma academia que há mais de vinte anos premiara seu contemporâneo García Márquez.

Não que Travessuras da menina má seja um grande romance. A bagagem histórica e cultural do narrador e a visão panorâmica do nosso breve século XX permitem comentários e reflexões precisos sobre a política peruana ou a sociedade europeia, com claros reflexos no mundo todo, como nesta bela síntese sobre o surgimento dos hippies: "Na segunda metade dos anos 60, Londres substituiu Paris como a cidade das modas que, partindo da Europa, se espalhavam pelo mundo. A música substituiu os livros e as ideias como centro de atração para os jovens, principalmente a partir dos Beatles, mas também de Cliff Richard, Shadows, Rolling Stones com Mick Jagger e outras bandas e cantores ingleses, e dos hippies e a revolução psicodélica dos flower children. Assim como antes iam fazer a revolução em Paris, muitos latino-americanos emigraram para Londres e se alistaram nas hostes da cannabis, da música pop e da vida promíscua. Carnaby Street substituiu Saint Germain como umbigo do mundo. Em Londres nasceram a minissaia, os cabelos compridos e as roupas extravagantes que consagraram as músicas "Hair" e "Jesus Christ Superstar", a popularização das drogas, a começar pela maconha indo até o ácido lisérgico, a fascinação pelo espiritualismo hindu, o budismo, a prática do amor livre, a saída do armário dos homossexuais e as campanhas de orgulho gay, assim como uma rejeição em bloco do establishment burguês, não em nome da revolução socialista, à qual os hippies eram indiferentes, mas sim de um pacifismo hedonista e anárquico, matizado pelo amor à natureza e aos animais por uma renegação da moral tradicional".

A história, entretanto, é pueril, calcada num amor incondicional e inverossímil e numa perspectiva estereotipada e machista. Ricardo, o homem, é fiel, romântico, dedicado, apaixonado, capaz de tudo por aquela que foi seu primeiro amor na adolescência, e o encontrará outras tantas vezes ao longo da vida. A menina má, a mulher, é sedutora, manipuladora, interesseira, fria. Má, como resume o título.

Evidentemente, não podemos esquecer a perspectiva de um narrador em primeira pessoa, contando sua versão dos fatos em retrospectiva, como o Bentinho machadiano do século retrasado ou o Humbert de Lolita, do século passado. Ainda assim a previsibilidade das personagens, a desmedida do amor de Ricardito e a singeleza do final do romance comprometem a obra, especialmente se lidas a partir de suas próprias considerações sobre o romance: "A ficção", escreve em Cartas a um Jovem Escritor, "é uma mentira que encobre uma verdade profunda, é a vida que não foi, a que os homens e mulheres de determinada época quiseram levar e não levaram, precisando, por isso, inventá-la".

Talvez por tentar abraçar o mundo e metade do século é que tenha faltado essa verdade profunda aos protagonistas de Travessuas da menina má, ainda mais se comparado aos clássicos de Vargas Llosa, como Pantaleãon e as visitadoras, de 1973, em que a hipocrisia e a crise de valores da sociedade peruana (clérigo, militares, imprensa) são representadas em um curioso batalhão de prostitutas.

De qualquer forma, o Nobel para um romancista que ao longo de sua trajetória não se furtou a representar as mazelas políticas e sociais, um latino-americano em permanente diálogo com os escritores brasileiros deve ser saudado como um acontecimento no ano do iPad.


Marcelo Spalding
Porto Alegre, 31/12/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. De Middangeard à Terra Média de Celso A. Uequed Pitol
02. Imprimam - e repensem - suas fotografias de Ana Elisa Ribeiro
03. Antonia, de Morena Nascimento de Elisa Andrade Buzzo
04. O africano e o taubateano de Ricardo de Mattos
05. A vida muda no ponto de Elisa Andrade Buzzo


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2010
01. A quem interessa uma sociedade alienada? - 2/9/2010
02. O hiperconto e a literatura digital - 8/4/2010
03. Free: o futuro dos preços é ser grátis - 11/11/2010
04. Bastardos Inglórios e O Caso Sonderberg - 27/5/2010
05. O espiritismo e a novela da Globo - 30/9/2010


Mais Especial Melhores de 2010
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




EU ESTAVA LÁ TAMBÉM - UM LIVRO CRIADO POR CHORÃO
CHARLIE BROWN JR
REALEJO LIVROS
R$ 122,57



PEDAGOGIA
A FORMAÇÃO DO JOVEM, UM MODELO INTERACTIVO, COLECÇÃO EM FOCO
ASA
(1990)
R$ 17,70



DIÁRIO DE UMA VIAGEM PELA AMÉRICA LATINA
ANDRÉ MAUROIS
RECORD
(1986)
R$ 12,00



CONCEPÇÕES POLITICAS ESTADO DA QUESTÃO NACIONAL NOS SÉCULOS 19 E 20
LUIS TOLEDO MACHADO
MANDACARU
(2000)
R$ 12,00



PSICOLOGIA DA ADOLESCÊNCIA VOL. 78 ATUALIDADES PEDAGÓGICAS
ARTHUR T. JERSILD
COMPANHIA NACIONAL
(1973)
R$ 14,90



MUITO BARULHO POR NADA
WILLIAM SHAKESPEARE
L&PM POCKET
(2011)
R$ 11,61



PAIS BRILHANTES, PROFESSORES FASCINANTES LUXO
AUGUSTO CURY
SEXTANTE
(2007)
R$ 15,50



O NEGOCIADOR
FREDERICK FORSYTH
RECORD
(1990)
R$ 7,90



EUCLIDES DA CUNHA E O PARÁ
LEANDRO TOCANTINS
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1978)
R$ 20,00



INTRODUÇÃO AO DIREITO AMBIENTAL
TALDEN FARIAS
DEL REY SP
(2009)
R$ 15,00





busca | avançada
36819 visitas/dia
1,4 milhão/mês