É possível conquistar alguém pela escrita? | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
68983 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Chamada Vale recebe cadastro de cerca de 3 mil projetos
>>> Lançamento do Mini Doc Tempo dell'Anima
>>> Cinema in Concert com João Carlos Martins une o cinema à música sinfônica em espetáculo audiovisual
>>> Editora Unesp lança 20 livros para download gratuito
>>> Bruno Zolotar ensina como fortalecer a marca e ampliar vendas no mundo editorial
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
Colunistas
Últimos Posts
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A soberba de Beauvoir
>>> Somos todos consumidores
>>> Genealogia da Moral, de Nietzsche
>>> Virtual cai na real
>>> Literatura universal do Sul
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> André Bazin e a crítica como militância
>>> Em Cena: Um Casal Admirável
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> O elogio da narrativa
Mais Recentes
>>> Nintendo world--189--mario party 10 de Conrad pela Conrad
>>> Reinações de Narizinho de Monteiro Lobato pela Círculo do Livro
>>> Dicionario enciclopedico conhecer--15 volumes. de Abril pela Abril
>>> Nintendo world--9--star wars-episodio i--racer--voce e o jedi na maior aventura do ano de Conrad pela Conrad
>>> Nintendo world--33--zelda em dobro! de Conrad pela Conrad
>>> Nintendo world--44--dragon ball z de Conrad pela Conrad
>>> Nintendo world--51--mega man zero de Conrad pela Conrad
>>> Nintendo world--30--sou eu,mario! de Conrad pela Conrad
>>> Cuerpo Presente y Otros Cuentos de Augusto Roa Bastos pela Centro Editor da América Latina S. A. (1971)
>>> Nintendo world--187--captain toad treasure tracker de Conrad pela Conrad
>>> Amanhã é dia Santo de Angela Fileno da Silva pela Alameda (2014)
>>> #Falsiane de Lucy Sykes; Jo Piazza pela Agir (2015)
>>> 10 Lições de Sucesso de Fernando Martins de Carvalho; José Roberto Orquiza pela Posigraf (1998)
>>> 10 Passos Para Aprovação em Concursos de Alexandre Garcia pela Leya (2014)
>>> 100 Anos de Propaganda de Victor Civita (Editor) pela Abril Cultural (1980)
>>> 100 Anos do Automóvel de Domingo Alzugaray (Editor) pela Três (1986)
>>> 100 Magias Para Conhecer Melhor os Meninos de Disney; André João Rypl (trad) pela Edelbra (2003)
>>> 100 Melhores Ideias de Embalagem nos Últimos 25 Anos de Dil; Food & Drug Packaging pela Dil; Food & Drug Packaging (1986)
>>> 100 Páginas Para Colorir - Carros 3 de Diversos pela Bicho Esperto (2016)
>>> 100 Páginas Para Colorir - Dinossauros de Diversos pela Bicho Esperto (2016)
>>> 100 Vezes Ique no Estadão de Aluízio Maranhão (Apresentação) pela Oesp (1997)
>>> 100 Viagens Que Toda Mulher Precisa Fazer (pocket) de Stephanie Elizondo Griest pela Novo Conceito (2011)
>>> 1000 Tiras em Quadrinhos - Turma do Xaxado de Antonio Cedraz pela Martin Claret (2012)
>>> 1001 Lugares do Brasil Para Conhecer Antes de Morrer de Diversos; Gabriela Erbetta (Editora) pela Abril Cultural (2009)
>>> 1001 Razões Para Gostar do Brasil de Marcelo Camacho pela Sextante (2003)
>>> 101 Great Tramps in New Zealand de Mark Pickering; Rodney Smith pela Reed (1998)
>>> 101 Lugares Para Fazer Amor Antes de Morrer - Edição Especial de Marsha Normandy; Joseph St. James pela Best Seller (2012)
>>> 101 Maneiras de Conversar Com Deus - Capa Dura de Dandi Daley Mackall pela Pensamento Cultrix (2004)
>>> 101 Razões Por Que Seu Homem Veio do Céu .... e Por Que Ele Veio do Inferno de Kristina Downing-Orr pela Pensamento Cultrix (2005)
>>> 12 Segredos Simples Da Felicidade No Trabalho de Glenn Van Ekeren pela Pensamento Cultrix (2002)
>>> 12 Segredos Simples Da Felicidade Num Mundo Caótico de Glenn Van Ekeren pela Pensamento Cultrix (2003)
>>> 122 Dúvidas e as Escolhas Certas Que Mudarão Sua Vida de Hilly James pela Agir (2013)
>>> 16 Livretos de Literatura de Cordel de Diversos pela Do Autor
>>> 1940 - do Abismo À Esperança de Max Gallo pela Objetiva (2013)
>>> 1941 - o Mundo em Chamas de Max Gallo pela Objetiva (2015)
>>> 20.000 Léguas Submarinas de Júlio Verne pela Pé da Letra (2018)
>>> 200 Mil Quilômetros de Aventura de Gilberto Bezerra de Farias pela Espaço e Tempo (1987)
>>> 21 Contos Inéditos de Carlos Lacerda de Carlos Lacerda pela UnB (2003)
>>> 21 Dias - Perca Peso e Melhore seu Metabolismo em 3 Semanas de Sara Gottfried pela Paralela (2016)
>>> 24 Letras por Segundo de Rodrigo Rosp (org.) pela Não (2011)
>>> 3 Days in Cologne de Bayer pela BKB Verlag (2012)
>>> 3 Homens e Nenhum Segredo de Renzo Mora pela Leitura Médica (2011)
>>> 3 X Tri de Vitor Loureiro Sion pela Onze Cultural (2012)
>>> 336 Horas de Noemi Faffe (Org.) pela Casa da Palavra (2013)
>>> 365 - Caça Palavras de Diversos pela Pé da Letra (2019)
>>> 365 - Palavras Cruzadas (Grande) de Diversos pela Pé da Letra (2020)
>>> 365 Caça Palavras - Amarelo de Diversos pela Pé da Letra (2020)
>>> 365 Caça Palavras - Bíblico de Diversos pela Pé da Letra (2020)
>>> 365 Caça Palavras - Inglês de Diversos pela Pé da Letra (2020)
>>> 365 Passatempos - Bichinhos de Diversos pela Diversos (2019)
COLUNAS

Sexta-feira, 21/1/2011
É possível conquistar alguém pela escrita?
Ana Elisa Ribeiro

+ de 9700 Acessos
+ 5 Comentário(s)

Foi durante a leitura de um livro de Ricardo Piglia que essa pergunta me intrigou. Era uma leitura de férias, depois de meses paquerando aquele livro em cima da mesa. Comprei o volume numa loja depois de tempos com aquele título na cabeça. Por sua vez, O último leitor havia sido sugestão de alguém ou dica retirada de alguma revista que andei lendo. Uma coisa puxou a outra e lá estava eu, sentada na cama, de costas para o Sol, lendo Piglia. O que ele dizia era que, sim, é possível conquistar alguém por meio da escrita. A letra, a palavra, o discurso... amoroso, ou não. O debate, as ideias, a inteligência. Isso são porções de uma paquera. E o texto de Piglia se baseava numa questão vivida por Kafka, seria ele? Sim, o diálogo dele com o amigo Max Brod. Seria possível conquistar uma mulher tendo a escrita como intermediária? Interface, veículo, canal, que nome isso tenha. A moça era Felice, um grande amor de Kafka, vivido na escrita, pela escrita, sem interrupções.

De outro lado, a lamparina. Quem escreve sob a luz da lamparina hoje? O abajur, o candelabro, o lustre. Cá estou eu sob a luz fria (mais econômica). O escritor sustentável. Este é meu personagem. Kafka queria apenas saber se a vida conjugal poderia, por algum momento, ser conciliada com a vida de escritor. O grande problema são as interrupções. Como é possível escrever uma obra, se se é interrompido a todo instante? Chamados, pedidos, socorros, reclamações, lamentos, lamúrias, carências, "me ajude", "venha ver", "venha ouvir", "olha só", "amor!". Quem escreve algo a par dessa sabotagem? Claro, amorosa, mas sabotagem. Quem entende a concentração de um escritor em ato?

A escrita pode ser análoga ao mitológico canto da sereia. Quem não leu as aventuras de Ulisses (Odisseu) que leia. A escrita cria personagens, ficções, protagonistas e antagonistas, inclusive em cartas e e-mails. A escrita cria avatares. Sim, novas identidades sob as quais muitos vivemos. Aquelas aulas sobre o narrador, sobre o eu lírico, indecifráveis... não eram mero delírio de professores loucos por provas bestas. Os avatares são construções do discurso. E eles seduzem não apenas os outros, os leitores, com quem se interage, mas costumam nos seduzir a nós, que os criamos e neles cremos, neles vivemos, inclusive sendo, neles, muito mais do que realmente somos (ou ao menos diferentes). As simpatias, os escrúpulos, o tom e as memórias narradas de um avatar (personagem) são, em grande medida, romances e ficções.

Não raro eu mandava cartas. Coleciono ainda algumas, as que restaram dos diálogos que emendei sem interrupções. Nem todas geraram avatares muito diversos de mim, mas isso não foi incomum. O que podem fazer os e-mails? Unir e desunir. O que podem fazer os diálogos virtuais nos chats? Nos microblogs? Tudo. Contam histórias inteiras, nem sempre verdadeiras. E lá vem o último leitor criar ficções em torno de avatares.

Tenho certeza de que Kafka conquistou Felice por meio de sua escrita. E ela a ele. Quem escreve gosta de respostas. Há então um duelo de textos, uma esgrima intelectual que passa a contar uma história. Não são poucas as pessoas que se apaixonam por narradores. Não me lembro de muitas ocorrências, mas chorei pelo fim da narração de Riobaldo. Não era ele, não era Rosa, não eram eles, mas seu modo de escrever. Era Etienne, de Zola, que me parecia ter uma voz dura de quem me narrava aquelas histórias da mineração.

Eu narrei, várias vezes, de um jeito que não sou eu. Nem sempre me reconheço nas narrativas que conto. Cada um, a seu modo, constrói um personagem que, às vezes, se confunde comigo. E era comum me chamarem pelo título de um dos meus livros, Perversa, inclusive esperando de mim que eu me vestisse como uma lenda. E nem bem era eu.

Frequentemente, eu era conquistada pela inteligência dos outros. Em alguns casos, fui conquistada até o amor mesmo. Não apenas uma admiração de superfície, mas um gosto absurdo pelos textos de outrem. As distorções linguageiras de que o narrador/a pessoa era capaz, um virtuosismo que me empolgava. Não foi raro o texto vir antes das pessoas. E era uma espécie de cartão de visitas ou mesmo de presença diária. Uma imensa honra saber que eu inspirara algo. Maior presente do mundo. Ser personagem, ser musa, ser causa e consequência. Mesmo quando a motivação era ódio e delírio. Fricção, urgência sexual, quando eu li o texto do narrador em público e ele estava na plateia, não exatamente o narrador, mas o escritor. Sedução e provocação. Ao mesmo tempo, imenso incômodo ouvir meu texto em outra voz, nem sempre no ritmo que eu quis dar. Presente, alucinação ou desejo. A escrita continua lá e cá, entre a luz e os lampejos. Não se brinca com quem escreve bem. Não se troca carta ou e-mail com quem arremata prêmios apenas com lances de verbo. É risco, na certa.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 21/1/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um Oscar para Stallone de Luís Fernando Amâncio
02. O ato de criação no texto dos artistas (Parte I) de Jardel Dias Cavalcanti
03. O cão da meia-noite de Gian Danton
04. Meu beijo gay de Paulo Polzonoff Jr
05. Lynch, David de Vicente Escudero


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2011
01. É possível conquistar alguém pela escrita? - 21/1/2011
02. Meus livros, meus tablets e eu - 15/4/2011
03. Você viveria sua vida de novo? - 18/2/2011
04. Bibliotecas públicas, escolares e particulares - 20/5/2011
05. Pressione desfazer para viver - 17/6/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/1/2011
22h23min
A literatura revela o interior de quem escreve, e a forma como estabelece um texto é, na verdade, a forma de grafar a sedução através das palavras.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
24/1/2011
10h55min
O escritor chama de avatar, "outro ser", personalidades flutuantes, ou qualquer nome que diga que o escrito não é dele, mas de "alguém". Será sempre assim, o ato de escrever!? Inspirar-se em quem, afinal? Neles, os "fantasmas" que rondam e querem aparecer? Um grande "dom" ou simplesmente um "ator" de personagens, transcritos da mente ensandecida e colocada em letras para entendimento geral? Mas se nem o "autor" sabe, como pode dizer o que é? Escritor, cuidado. Não se fie em personagens. Todos eles são estranhos. Parabéns, Ana Elisa. Agora é tarde, você já foi conquistada. Quando puder, nos diga todos os segredos. Deles. Abraços!
[Leia outros Comentários de Cilas Medi]
25/1/2011
15h40min
Acho que conciliar casamento e escrita não é problema! Machado de Assis, Drummond, Victor Hugo, Dostoiévski... Todos eles foram casados e ótimos escritores! Inclusive, suas mulheres eram um ponto de ajuda e apoio para que eles pudessem escrever - principalmente para Dostoiévski. Sobre criar avatares, isso se dá. Mas nem sempre! Às vezes é só nossa Síndrome de Zuckerman trabalhando.
[Leia outros Comentários de Melquisedec Ferreira]
21/12/2011
16h30min
Bom artigo, este, pra refletir sobre esta questão de seduzir via palavra. Acredito piamente que é possível seduzir só com palavras e textos sim. Há um grude erótico (inconsciente, acredito eu, na maior parte do tempo) no que os grandes escritores escrevem. O curioso é que, na vida real, esses tipos verbalmente sedutores podem não sê-los fisicamente, podem até mesmo ser caladões, taciturnos e nada atraentes. Isso me faz pensar no que disse Proust, que a ficção é produto de um Eu que nada tem a ver com o Eu social. Seduzimos com a arte e podemos ser fiascos como sedutores na realidade. De qualquer modo, é bom que seja assim, pra que o complexo de onipotência dos criadores literários - cuja vaidade não pode ser subestimada - seja freado e uma sobriedade e uma humildade necessárias se instalem em seus egos.
[Leia outros Comentários de francisco lopes]
29/1/2012
19h45min
O texto remete-me (estamos em uma teia) à obra "A louca da casa", da jornalista e escritora espanhola Rosa Montero. Belíssima crônica sobre o trabalho da imaginação, da ficcão, da arte narrativa.
[Leia outros Comentários de Rose]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DIVULGAÇÃO JORNALÍSTICA & RELAÇÃO PÚBLICAS
DOROTY LAW NOLTE
CULTURA
(1995)
R$ 15,00



SER ESCRAVO NO BRASIL
KÁTIA DE QUEIRÓS MATTOSO
BRASILIENSE
(2001)
R$ 50,00



IRECÊ
O. BALLARIN
NOBEL
(1997)
R$ 5,56



DIVINA COMÉDIA- COLEÇÃO REENCONTRO LITERATURA
CECILIA CASAS - ADAPTAÇÃO
SCIPIONE
(2008)
R$ 29,00
+ frete grátis



CONCESSOES, PERMISSOES E PRIVATIZACOES DE SERVICOS PUBLICOS
TOSHIO MUKAI (2ª EDIÇÃO)
SARAIVA
(1997)
R$ 9,00



O VETERANO
FREDERICK FORSYTH
RECORD
(2002)
R$ 8,90



EÇA DE QUEIROZ
CLOVIS RAMALHETE
LIVRARIA MARTINS
(1960)
R$ 13,00



INFLAÇÃO - QUE É INFLAÇÃO - INFLAÇÃO E ALTA DOS PREÇOS
EDWIN WALTER KEMMERER
IRMÃOS DI GIORGIO & CIA
(1945)
R$ 14,48



OS DIAS FELIZES
LUÍS T. RODRIGUES
CAMINHO
(1989)
R$ 11,33



SEGREDOS PARA O SUCESSO E A FELICIDADE
OG MANDINO
RECORD
(1997)
R$ 21,00





busca | avançada
68983 visitas/dia
2,1 milhões/mês