Hitch 22 | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
104 mil/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Camila Venturelli e Dani Lima falam sobre os nossos gestos na pandemia
>>> 36Linhas lança Metropolis segunda graphic novel da Coleção Graphic Films
>>> Acervo digital documenta a história da Cantina da Lua - símbolo de resistência cultural
>>> Maíra Lour apresenta leitura dramática audiovisual “Insensatez'
>>> Exposição do MAB FAAP conta com novas obras
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mandic, por Pedro e Cora
>>> A Separação de Bill e Melinda Gates
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> FLIP 2006 IV
>>> Como você vê a internet?
>>> Inimigos da política
>>> God save the newspapers!
>>> O homem visto do alto
>>> O homem visto do alto
>>> A quinta temporada de Lost
>>> Os primeiros volumes da Penguin Companhia
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Princípio ativo
Mais Recentes
>>> Quatro-olhos e um Sorriso Metálico de Thomas Brezina pela Ática (2006)
>>> O Destino de Perseu - Série Aventuras Mitológicas de Luiz Galdino pela Ftd (1999)
>>> A Perseguição de Sidney Sheldon pela Record (1994)
>>> Muito Barulho por Nada - Série Reencontro de William Shakespeare Adap Leonardo Chianca pela Scipione (2006)
>>> The Picture of Dorian Gray - Level 4 de Oscar Wilde pela Penguin (2008)
>>> The Diary of a Young Girl - Level 4 de Anne Frank pela Penguin (2008)
>>> O Mundo de Crestomanci Vida Encantada de Diana Wynnejones pela Geração (2001)
>>> Três Mistérios: Série Clássicos Juvenis Três por Três de Lelis; Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual Didáticos (2009)
>>> Crepúsculo de Stephenie Meyer; Ryta Vinagre pela Intrinseca (2008)
>>> Cinquenta Tons de Cinza de E L James; Adalgisa Campos da Silva pela Intrinseca (2012)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas - Texto Integral de Machado de Assis pela Ftd (2010)
>>> Healing Grief de James Van Praagh pela New American Library (2000)
>>> Enquanto o Papa Silenciava de Alexander Ramati pela Clube do Livro (1985)
>>> Onde Andara Dulce Veiga? de Caio Fernando Abreu pela Cia das Letras (1990)
>>> Arte e Manhas da Seducão de Marion V Penteado pela Saraiva (1993)
>>> Vastas Emoções e Pensamentos Imperfeitos de Rubem Fonseca pela Cia das Letras (1988)
>>> A Revolução do Silêncio de Mario Benevides pela Design (2007)
>>> Persian Painting de Sheila R. Canby pela British Museum Press (2008)
>>> Edmund Dulac de Colin White pela Cassel & Collier Macmillian Publishers (1976)
>>> Dominando a Técnica do Esboço - Curso completo em 40 lições de Judy Martin pela Martin Fontes (2014)
>>> The Mysterious Affair At Styles (Poirot's First Case) c/CD de Agatha Christie pela Collins (2012)
>>> Marvellous to Behold: Miracles in Illuminated Manuscripts de Deirdre Jackson pela The British Library (2007)
>>> Muder in Mesopotamia (em inglês) de Agatha Christie pela Harper Collins (2016)
>>> The Fine Art of Chinese Brush Painting de Walter Chen pela Sterling Publishing (2006)
>>> Comunicação em Prosa Moderna de Othon Moacyr Garcia pela fundação Getúlio Vargas (1988)
COLUNAS

Quarta-feira, 6/4/2011
Hitch 22
Guilherme Pontes Coelho

+ de 3000 Acessos

"Na medida em que [o homem de cultura] defende e alimenta valores morais, ninguém pode acusá-lo de ser escravo das paixões partidárias. Porém, ao mesmo tempo, na medida em que adquire consciência bem clara de que estes valores não podem ser desconsiderados por nenhuma república, sua obra de artista e de poeta, de filósofo e de crítico, torna-se eficaz na sociedade da qual é cidadão" (grifo meu, adiante você verá por quê).

Isto é Norberto Bobbio, em Os Intelectuais e o Poder, uma coletânea de artigos publicados ao longo de quarenta anos de atividade reflexiva (Unesp, 1996, 187 págs., tradução de Marco Aurélio Nogueira). Eu me recordo pouco deste livro, que foi tão querido há quase uma década e que só recentemente voltou a ocupar um lugar em minhas estantes.

Todos os debates mentais que travei comigo mesmo a cada artigo lido esbarravam, quando exteriorizados, no ímpeto juvenil (atraente, mas ignorante) de meus colegas e no pouco charme dos intelectuais de carne e osso, os que eu conhecia ao menos de ouvir falar, de artigos em jornais (impressos) e de seminários e afins em ambiente acadêmico. Eram muito mais interessantes as reflexões de Bobbio, Croce e Benda sobre a atividade intelectual, e a categoria, não classe, dos intelectuais, do que a atividade em si dos intelectuais, digamos, à minha volta.

Sinceramente, ainda procuro pelo intelectual. Pundits partidários, polemistas de controvérsias descartáveis, revoltados a favor e parasitas do eu falei estão aí nas revistas semanais e nos telejornais mais próximos de você. Mas intelectual, aquele não-restrito à academia, aquele comprometido com a razão e com a cultura no tempo presente, aquele a quem poderíamos chamar de "público" (pense em Susan Sontag), eu não o vejo. Vou chamar este intelectual de republicano.

Temos muitos e bons jornalistas que, sendo generoso, até poderiam ser republicanos, não fossem tão partidários. (Vejo, ainda bem, muitos proto-intelectuais na internet.) Partidários não desta ou daquela bandeira, mas de qualquer bandeira que represente uma instituição e não, como seria republicano, ideias e valores.

Pensando nisso, e sentindo falta deste intelectual republicano, é que me dispus a ler Hitch-22, as memórias de Christopher Hitchens publicadas recentemente (Nova Fronteira, 2010, 591 págs., tradução de Alexandre Martins).

Hitchens sempre foi nome popular orbitando ao meu redor. A gente o acompanha na Vanity Fair e noutras publicações e a gente sabe das constantes, hm, polêmicas que o envolvem. É um nome que não costuma provocar reações uniformes. Não é um articulista com quem se concorde ou de quem se discorde com um certo padrão de freqüência (e nunca unânime, como convém a qualquer pessoa minimamente inteligente). Acho que ele ficaria feliz em ler o período anterior, porque eu só me dei conta da obviedade do papel do contestador ao ponderar se leria ou não suas memórias. Essa constatação óbvia faz dele um intelectual republicano, ainda por cima globalizado. (Gostaria de saber o que Bobbio acharia disso, intelectual republicano globalizado.)

Para um homem como Hitchens, apaixonado por livros, é importante dizer que ler Hitch 22, mesmo o traduzido, foi um prazer digno de qualquer viciado em leitura. Um livro digressivo, humorado, afiado, rico. Se Hitchens consegue ser tão sedutor escrevendo praticamente sobre qualquer coisa, escrevendo sobre si é um deleite inigualável, que por vezes me fez reduzir o ritmo de leitura para retardar a chegada da última página.

Em quase 600 páginas, Hitchens narra sua educação intelectual. Do esquerdismo britânico da juventude ao republicanismo norte-americano de agora. Esta transição, se você tiver pouca familiaridade com ele, é sempre lembrada ao criticá-lo. Assim como suas posições sobre a guerra no Afeganistão e suas palavras um pouco espinhosas sobre figuras ilustres, tais como Madre Teresa. Arengas à parte, ler o que motiva Hitchens a viver e a ter tomado certas posições políticas no decorrer da vida foi muito esclarecedor. Sobretudo para mim, tão acostumado a caminhar na via esquerda do passeio político.

Para além de espectros políticos, o que se lê na vida de Hitchens é um homem comprometido com a razão, com a liberdade e com a ironia. Esta última particularmente importante para um homem que não crê em deus (ele só escreve em minúsculas), porque revela o quão instigante é a vida de quem se entrega ao enriquecimento da cultura como uma missão exclusivamente terrena. Esta tem sido sua missão aqui, cada vez mais próxima do fim, pois tem enfrentado um câncer inconveniente.

"A defesa da ciência e da razão é o grande imperativo da nossa época, e me sinto enormemente honrado de ser reunido, na opinião pública, a grandes professores e acadêmicos como Richard Dawkins, Daniel Dennet e Sam Harris. Ser um descrente não é simplesmente ter a 'mente aberta'. É, em vez disso, uma admissão decisiva de incerteza dialeticamente relacionada ao repúdio do princípio totalitário, tanto na mente quanto na política".

(Dia 13 de abril será aniversário de Christopher Hitchens, um intelectual republicano.)

Leia também
"O do contra", "Deus não é Grande, de Christopher Hitchens" e "FLIP 2006 III".

Para ir além


Guilherme Pontes Coelho
Águas Claras/Brasília, 6/4/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo de Jardel Dias Cavalcanti
02. Como uma Resenha de 'Como um Romance' de Duanne Ribeiro
03. Ivanhoé de Gian Danton
04. Networking para crianças? de Raquel Oguri Ribeiro
05. O cinema visita a funilaria de Vicente Escudero


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2011
01. A sordidez de Alessandro Garcia - 9/2/2011
02. Churchill, de Paul Johnson - 2/2/2011
03. Cisne Negro - 16/2/2011
04. Pequenos combustíveis para leitores e escritores. - 7/9/2011
05. Derrotado - 2/3/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Inquérito e a Ação Penal
Oswaldo Lim Rodrigue
La Cava (niterói)
(1980)



Magistratura do Trabalho: Sentenças de Concursos Resolvidas
Otavio Calvet (2ª Edição)
Elsevier
(2005)



Ingenium - um Curso Rápido e Eficaz Sobre Criatividade
Tina Seelig
Virgiliae
(2012)



Salvem os Monstros
Fernando Paiva
7 Letras
(2010)



Agropecuária Orgânica Em Dose Homeopáticas e Romantizadas
Santiago Dorremim
Do Ré Mi
(2007)



Desenho Geométrico Métodos e Exercícios Volume 2
Rubens
Loyola
(1980)



O Outro Lado da Memória
Beatriz Cortes
Novo Século
(2015)



Soldados de Papel - Cine-romance
Raul Paulo da Rocha e Miklós Palluch
Do Autor
(2003)



Na Alcova: Três Histórias Licenciosas
Guilleragues, Crébillon e Denon
Companhia das Letras
(2001)



Concise Oxford American Dictionary
Oxford
Oxford
(2006)





busca | avançada
104 mil/dia
2,5 milhões/mês