Minha cartomante não curte o Facebook | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
74271 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Inspirado nas Living Dolls, espetáculo de Dan Nakagawa tem Helena Ignez como atriz convidada
>>> As Caracutás apresentam temporada online de Tecendo Diálogos com bate-papo e oficina
>>> Obra de referência em nutrição de plantas ganha segunda edição revista e ampliada
>>> FAAP promove bate-papo com as atrizes Djin Sganzerla, Zezita Matos e com o diretor Allan Deberton
>>> Elísio Lopes Jr comanda oficina gratuita de dramaturgia nesta sexta-feira (27)
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
Colunistas
Últimos Posts
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Show him what he is like
>>> Machado polímata
>>> In the Line of Fire
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> A polêmica dos quadrinhos
>>> Ad Usum Juventutis
>>> Schopenhauer sobre o ofício de escritor
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Últimos Dias, de Gus Van Sant
>>> Poesia sem ancoradouro: Ana Martins Marques
Mais Recentes
>>> Passagens – Crises Previsíveis da Vida Adulta de Gail Sheehy pela Francisco Alves (1980)
>>> A Chave da Longevidade de Dr. Hugues Destrem pela Europa-América (1979)
>>> A Força da Saúde de Victor Hugo Belardinelli pela Movimento (2013)
>>> O Envelhecimento de Luiz Eugênio Garcez Leme pela Contexto (1997)
>>> Velhice - Culpada ou Inocente? de Carlos Eduardo Accioly Durgante pela Doravante (2008)
>>> Envelhecimento Bem-Sucedido de Newton Luiz Terra e Beatriz Dornelles (Orgs.) pela Edipucrs (2003)
>>> Naturalmente Mais Jovem de Roxy Dillon pela Sextante (2016)
>>> Direito Administrativo Descomplicado de Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo pela Método (2019)
>>> Tópicos de Matemática Aplicada de Luiz Roberto Dias de Macedo, Nelson Pereira Castanheira e Alex Rocha pela Intersaberes (2018)
>>> Gestão de Custos de Carlos Ubiratan da Costa Schier pela Ibpex (2011)
>>> Ética Empresarial na Prática de Mario Sergio Cunha Alencastro pela Intersaberes (2016)
>>> Gestão Socioambiental no Brasil de Rodrigo Berté pela Intersaberes Dialógica (2013)
>>> Ferramentas Para a Moderna Gestão Empresarial - Teoria, Implementação e Prática de Maria Inês Caserta Scatena pela Intersaberes Dialógica (2012)
>>> O rio do tempo de Hernani Donato pela Círculo do livro (1976)
>>> O menino de areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1986)
>>> Breton/ Trotski - Por uma arte revolucionária independente de Valentim Facioli pela Paz e Terra (1985)
>>> Dize-me com quem andas de Mary McCarthy pela Civilização Brasileira (1967)
>>> Uma vida encantada de Mary McCarthy pela Civilização Brasileira (1967)
>>> Quem vai fazer a chuva parar? de Robert Stone pela Companhia das letras (1988)
>>> Meus amigos de Emmanuel Bove pela Companhia das letras (1987)
>>> Rastro do fogo que se afasta de Luis Goytisolo pela Companhia das letras (1988)
>>> Vista do amanhecer no Trópico de G. Cabrera Infante pela Companhia das letras (1988)
>>> Tebas do meu coração de Nélida Piñon pela José Olympio (1974)
>>> A república dos sonhos de Nélida Piñon pela Francisco Alves (1984)
>>> O caso Morel de Ruben Fonseca pela Artenova (1973)
>>> E do meio do mundo prostituto só amores guardei do meu charuto/História de amor (Box) de Ruben Fonseca pela Companhia das letras (1997)
>>> A marcha Húngara de Henri Coulonges pela Difel (1994)
>>> A mais que branca de José Geraldo Vieira pela Melhoramentos (1975)
>>> Sobras completas de Nelson Motta pela Nova fronteira (1984)
>>> O Amor é a Melhor Estratégia de Tim Sanders pela Sextante (2003)
>>> Seria trágico... se não fosse cômico: Humor e Psicanálise de Abrão Slavutzky; Daniel Kupermann pela Civilização Brasileira (2005)
>>> Dez Coisas que Eu Amo em Você - Trilogia Bevelstoke Livro 3 de Julia Quinn pela Arqueiro (2020)
>>> S.O.S. Dinâmica de Grupo de Albigenor & Rose Militão pela QualityMark (2001)
>>> Constelação Familiar de Divaldo Franco pela Livraria Espírita Alvorada (2009)
>>> Outlander: A Viajante do Tempo - Livro 1 de Diana Gabaldon pela Saída de Emergência (2014)
>>> Investimentos Inteligentes (Para Conquistar e Multiplicar o Seu Primeiro Milhão) de Gustavo Cerbasi pela Thomas Nelson Brasil (2008)
>>> El Cuaderno de Maya de Isabel Allende pela Sudamericana (2011)
>>> A Cama na Varanda: Arejando Nossas Idéias a Respeito de Amor e Sexo de Regina Navarro Lins pela Rocco (2000)
>>> A Vida é Bela no Trabalho de Dominique Glocheux pela Sextante
>>> Eugène Delacroix 1798-1863: O Príncipe do Romantismo de Gilles Néret pela Taschen (2001)
>>> Agora Aqui Ninguém Precisa de Si de Arnaldo Antunes pela Companhia das Letras (2015)
>>> Nu de Botas de Antonio Prata pela Companhia das Letras (2013)
>>> Trilogia Suja de Havana de Pedro Juan Gutiérrez pela Companhia das Letras (1999)
>>> As Religiões no Rio de João do Rio pela Jose Olympio (2015)
>>> A Teoria da Causa Madura no Processo do Trabalho de Ben-hur Silveira Claus pela Ltr (2019)
>>> Pimentas de Raul Lody pela Nacional (2018)
>>> Zen a a Arte de Manutenção de Motocicletas de Robert M. Pirsig pela Paz e Terra (1984)
>>> Monobloco - uma Biografia de Leo Morel pela Azougue (2015)
>>> Lei Antiterror Anotada - Lei 13. 260 de Acácio Miranda Silva Filho, Alex Wilson Ferreira pela Foco (2018)
>>> Marketing de Nichos de Alexandre Luzzi las Casas pela Atlas (2015)
COLUNAS

Sexta-feira, 16/9/2011
Minha cartomante não curte o Facebook
Ana Elisa Ribeiro

+ de 4000 Acessos

Há tempos ando encafifada com o papo da cartomante. Ela foi enfática em dizer que minha alma gêmea não virá pela internet. Meu Deus, mas eu nem disse nada. Como ela foi saber que fico grudada no computador o dia inteiro? Chute digital. Acertou na mosca. Vivo pendurada no PC e no netbook, com meus modems e minhas conexões wireless roubadas, gatos eletrônicos e desesperos conectivos. E ela disse, com todas as letras: "E nem adianta ficar saindo muito para a balada não, ó. E nem é coisa de internet".

Cismei geral. Será que ela tem preconceito contra relacionamentos virtuais? Será que a cartomante viveu um dissabor eletrônico? Será que ela ouviu mesmo a tal cigana que dá vidência a ela? Será que a cigana, lá do além onde ela mora, já sacou que as redes sociais e a internet, de forma geral, andaram desarranjando aquele velho jeito de juntar gente? Será que os cupidos já andam com tablets? Bom, só sei que fiquei pensando que minhas chances de encontrar a tampa da minha panela são mesmo maiores na web. Ou não? Não sei se a tampa certa, mas sei que há tampas soltas (e nem tão soltas) à pampa pela rede.

Vai ver a cartomante é analfabeta digital. Será? Não creio. Soube que ela tem curso superior e saca muito de computadores. Mas por que será que ela me disse isso? Eu podia bem ser uma avessa às parolas virtuais. Ah, mas estava lá, escrito, dentro da bola de cristal dela: essa moça é veterana nessa coisa aí de conhecer gentes digitais. Já contei sobre isso aqui antes.

Não é de hoje que junto amigos e namorados nas mesas de chats e comunidades. Tudo bem que foi tudo por água abaixo, mas não me lembro de garantir nada melhor quando só conhecia gente no mundo real. Daí fiquei lembrando dos meus amigos menos líquidos do que eu. Ó, vejam como foi com o RR (evitarei explicitar os nomes desses felizardos): estava entediado em Belo Horizonte, chateado numa sexta-feira, sem grandes perspectivas para o final de semana e resolveu ir para a rodoviária. Lá escolheria um destino de ônibus. Pronto. Cidades do interior. Minas tem zilhões delas, talvez seja o estado brasileiro que mais as tem. Não falta cidadezinha onde descansar, onde conhecer igreja-praça-baladinha. E lá foi ele. Chegou num guichê e comprou passagem, talvez para Ouro Preto ou Divinópolis, não me lembro mais. Tinha ouvido falar de qualquer festa ali ou acolá. E foi. De mochila nas costas e uma solidãozinha insolente na cabeça.

RR subiu no ônibus, pôs a mochila no compartimento acima da cabeça e se arranjou (grande como é) no banco de número par ou ímpar, não me lembro. Não sei se foi corredor ou janela. Só sei que se sentou ao lado dele, de repente, uma moça linda e disposta a conversar. Nem sei se bem disposta assim. Sentou-se ali e pronto. E ele, simpático como é, tratou de fazer qualquer pergunta, que rendeu um papo, que rendeu um término do namoro dela, que rendeu um namoro com ele, que viajou com ela para a Europa e isso deu em casamento. Isso. Vamos resumir assim, meio à maneira de Drummond.

Noutro cenário, minha amiga CL, grandona e bonita, cansadíssima de um namoro a distância desses eternos, cheios de vai-não-vai, resolveu abrir os olhos. Basta isso, às vezes, abrir os olhos. E ela, gerente de uma editora, foi incumbida de entrevistar vários candidatos ao cargo de designer. Anuncia, marca, recebe, entrevista, num mood meio entediado, blues, jazz, improviso bemol. Tá. Até que um dia entrou lá um moço alto (mais que ela, milagre nestas Minas Gerais), louro, de doces olhos azuis, brinquinho de um lado, sorriso do outro. Pronto, falei. Vi tudo. E ainda (eu, colega de trabalho dela) zoei: "Já até sei de quem é a vaga". Ela disse um "deixa disso" cheio de malícia e ainda defendeu que "o cara é bom, tem bom currículo". Tá. E aqueles olhos azuis? Entraram na avaliação?

Sim, o cara era bom, talentoso e, de quebra, solteiro e bonitão. Amizade fácil, almoços infinitos no mesmo lugar. Ali e aqui, acolá também. Eles começaram a ficar discretos e então resolveram namorar. O namoro deu em juntamento, que deu em casamento, que deu em uma união bem bonita de se ver. Eles se puxam para cima, entendem? Lembro vagamente de como é isso.

Vendo assim fica mais bacana pensar que os acasos vão se acasalando e fazendo as pessoas entrarem em contato. O amigo do meu amigo que vira meu namorado; o colega do meu primo que me é apresentado (foi a única situação realmente prolífica da minha vida, viu); o inimigo do meu vizinho que me parece bacana; o músico da banda do meu amigo; o irmão da minha chegada. Assim, de verdade, olhos nos olhos desde o primeiro lance de dados. Mas isso não descarta minha cisma com a cartomante analógica. No caso das mídias digitais, a escrita faz o papel da isca, sedução demais que muita gente sabe inscrever nas entrelinhas antes de enviar as fotos. E não é assim? Hoje em dia tem o avatar, que facilita uma visão (em geral, superdistorcida, fique claro) da figura que se vai, talvez, encontrar.

Então tá, dona cartomante, vou passear pela praça, entrevistar uns candidatos à vaga, pegar um avião (acho mais promissor) para qualquer lugar. Mas ó, posso passar meu e-mail e meu Facebook pro candidato ao meu coração? :D


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 16/9/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes de Jardel Dias Cavalcanti
02. Gosta de escrever? Como não leu este livro ainda? de Renato Alessandro dos Santos
03. Joan Brossa, inéditos em tradução de Jardel Dias Cavalcanti
04. Os Doze Trabalhos de Mónika. 10. O Gerador de Luz de Heloisa Pait
05. Da varanda, este mundo de Elisa Andrade Buzzo


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2011
01. É possível conquistar alguém pela escrita? - 21/1/2011
02. Meus livros, meus tablets e eu - 15/4/2011
03. Você viveria sua vida de novo? - 18/2/2011
04. Bibliotecas públicas, escolares e particulares - 20/5/2011
05. Pressione desfazer para viver - 17/6/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




RUMO AO PORTUGUÊS LEGÍTIMO, LÍNGUA E LITERATURA 1750 - 1850, COL. ENSA
AMÉRICO ANTÓNIO LINDEZA DIOGO E OSVALDO MANUEL ...
ANGELUS NOVUS
(1996)
R$ 31,15



PRÉCIS DE MÉDECINE LÉGALE
A. LACASSAGNE
MASSON ET CIE
(1909)
R$ 117,60



HISTÓRIAS INFANTIS, PARA ADULTOS
JORGE LINZMEIER
ANDARILHO
(1998)
R$ 9,33



THE WOODS
HARLAN COBEN
PENGUIN USA
(2008)
R$ 20,00



ESTAÇÃO TERRA - COMUNICAÇÃO NO TEMPO E NO ESPAÇO -
DORA INCONTRI
MODERNA
(1991)
R$ 7,00



OS DOIS BRASIS (VOLUME 335 BRASILIANA) - 4509
JACQUES LAMBERT
COMPANHIA NACIONAL
(1969)
R$ 10,00



O ESTRELA DE PRATA E OUTRAS AVENTURAS DE SHERLOCK.
CONAN DOYLE
EDIOURO
R$ 6,90



CABEÇA DE HOMEM
LEO JAIME
AGIR
(2014)
R$ 12,00



THE FINAL DETAIL
HARLAN COBEN
DELL BOOKS
(2011)
R$ 15,00



ROBINSON CRUSOÉ
DANIEL DEFOE
L&PM
(2010)
R$ 19,90





busca | avançada
74271 visitas/dia
2,0 milhões/mês