Veja e Cachoeira: relações perigosas | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
74393 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Em espetáculo de Fernando Lyra Jr. cadeira de rodas não é limite para a imaginação na hora do recrei
>>> São Paulo recebe exposição ‘À Meia Luz Na Pele’ em dois pontos da capital
>>> Santander instala painel eletrônico em prédio para levar arte ao centro de São Paulo
>>> Workbook de Carl Honoré é transformado em lives
>>> Experiência Quase Morte é o tema do Canal Angelini
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A noite antes da floresta
>>> 3 de Julho #digestivo10anos
>>> Apple, Lotus e Microsoft
>>> Projeto Itália ― Parte I
>>> Tout le reste est littérature
>>> Manoel de Barros: poesia para reciclar
>>> Assunto de Mulher
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> O dia que nada prometia
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> The last of mohicans (audio cd included) de Macmillan Education pela The last of mohicans (audio cd included)The last of mohicans (audio cd included) (2014)
>>> The Phantom of the Opera (audio Cd Included) de Stephen Colbourn; Gaston Leroux pela Macmillan Education (2010)
>>> The long tunnel (audio cd included) de John Milne pela Macmillan Education (2011)
>>> A kiss before dying de Ira Levin pela Macmillan Education (2005)
>>> Sherlock holmes: the norwood mystery de Arthur Conan Doyle Sir pela Oxford University Press (2011)
>>> Monólogo da Natureza de Teresinha Cauhi de Oliveira pela Ftd (1992)
>>> The Magic Flower de José Morais pela Atica (2005)
>>> Gramática de Español Paso a Paso de Adrían Fanjul pela Santillana (2008)
>>> Alfabetização e Linguistica de Luiz Carlos Cagliari pela Scipione (1989)
>>> Violencia E Criminalidade Infanto-Juvenil de Guilherme Zanina Schelb pela Do Autor (2007)
>>> Dicionario Gramatical De Latim - Nivel Basico de Janete Melasso Garcia e Outros pela Unb (2021)
>>> Lá Sou Amigo do Rei de Carlos Marques pela Geração Editorial (2012)
>>> América Latina: Uma Perspectiva Histórica de Donald Marquand Dozer pela Globo (1974)
>>> Angelina & Brad de Ian Halperin pela Jardim dos Livros (2012)
>>> Grande Livro Da Casa Saudável de Mariano Bueno pela Roca (1995)
>>> De Olho no Tráfico Humano de Fernando Carraro pela Ftd (2013)
>>> Microsoft SQL Server 2008 de Mike Hotek pela Bookman (2008)
>>> Em Suas Marcas, Apontar... Crescer! de Lynda Madaras pela Vergara & Riba (2009)
>>> Scrum A Arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo de Jeff Sutherland, J.J Sutherland pela Sextante (2014)
>>> Pense Magro: A Dieta Definitiva de Beck de Judith S. Beck; Leda Maria Costa Cruz pela Artmed (2009)
>>> Amigos Em Ação de Isa Mara Lando pela Àtica (2006)
>>> Dez bons conselhos de meu pai de Gustavo Cerbasi pela Fontarnar (2021)
>>> Trabalhando Com Banco de Dados no Visual Basic 6. 0 de Ijauí Francisco da Silva pela Érica (2000)
>>> Segredos da Violencia de Thesaurus pela Segredos da Violencia (2008)
>>> Para Meus Netos Com Amor de Lídia Maria Riba pela Vergara & Riba
COLUNAS

Segunda-feira, 28/5/2012
Veja e Cachoeira: relações perigosas
Gian Danton

+ de 5200 Acessos

Um dos assuntos mais comentados das mídias sociais nas últimas semanas - e ignorado pela maior parte da grande mídia - é a relação entre a revista Veja e o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Investigação da Polícia Federal descobriu mais de 200 ligações entre o diretor da revista em Brasília, Policarpo Júnior e o bicheiro. Além das várias referências a jantares do jornalista com Cachoeira e com o diretor da Delta, Cláudio Abreu (em uma das gravações, Cláudio Abreu diz que achou que o jornalista ia lhe "dar um beijo").

A revista se defende argumentando que na prática jornalística até mesmo um criminoso pode ser uma fonte de informações.

De fato, um repórter pode entrevistar um bandido. Se houvesse qualquer impedimento nesse sentido, simplesmente não existiria o jornalismo policial. São inúmeros os casos em que o jornalista consegue a informação antes mesmo da polícia. A própria Veja tem um exemplo interessante: foi na entrevista com uma repórter da revista que o Maníaco do Parque admitiu seus crimes. Ou seja: não há nada de errado em usar um criminoso como fonte de informação. O que a imprensa não pode fazer é trabalhar em favor do criminoso-fonte. Da mesma forma, não pode haver intimidade entre ambos. E vários indícios indicam que foi o que ocorreu no caso Veja-Cachoeira.

Para começar, o número de ligações trocadas entre Policarpo Júnior, diretor da Veja em Brasília: são duzentas ligações, que revelam um nível de intimidade incomum nesse tipo de relação, em especial em vista do fato de que Policarpo sabia que Cachoeira era contraventor.

O mesmo Policarpo em 2005 foi responsável por livrar Cachoeira da prisão. Na época, a Veja publicou uma reportagem denunciando que o deputado André Luiz havia pedido 4 milhões para não incluir o nome do bicheiro na CPI da Loterj. Policarpo chegou a servir de testemunha do bicheiro e afirmou ter a gravação da conversa. O resultado foi a desmoralização da CPI e a liberdade do bicheiro.

Ao que tudo indica, Cachoeira usava a revista como forma de derrubar aqueles que não se encaixavam no seu esquema de corrupção ou de ameaçar os que não cumpriam sua parte em acordos, como parece ser o caso do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz. As escutas revelam que o governador fez alguma promessa a Cachoeira no período eleitoral. Uma vez que a mesma não havia sido cumprida, o grupo resolveu bater no governador, usando a Veja. A ideia era derrubar Agnelo e colocar em seu lugar o vice, mais simpático ao grupo.

A forma como a Veja tratou durante os últimos anos o senador Demóstenes Torres, mão política de Cachoeira, é exemplar. A revista nunca poupou elogios ao senador e chegou a chamá-lo de Mosqueteiro da ética. Mais: quando Cachoeira decidiu que precisava se colocar Demóstenes no Supremo Tribunal Federal como forma de se blindar contra possíveis ações jurídicas, a revista contribuiu com uma entrevista nas páginas amarelas intitulada "Só nos resta o Supremo" em que lançava a candidatura do senador à mais alta corte do país.

Com o silêncio da grande imprensa (apenas a Record e a revista Carta Capital publicaram matérias sobre o assunto), uma das poucas formas de se conseguir informações sobre o assunto foi a internet. O resultado disso foi um movimento pela ética no jornalismo que tomou o Twitter e colocou o escândalo Veja-Cachoeira no trending topics diversas vezes.

Veja contra-atacou argumentando que o manifesto era ilegítimo e que havia sido forjado por robôs programados para retuitar as tags. Chegou a fazer um infográfico mostrando como o perfil @lucy_in_sky era na verdade um robô programado pelo Governo Federal para atingir a revista. Os editores não se deram nem ao trabalho de entrar no perfil ou de tentar contato com a pessoa por trás da conta. Publicada a matéria, foi imediatamente desmentida. O perfil @lucy_in_sky era de uma senhora aposentada de 59 anos que adora ir ao cinema, fazer caminhadas na praia e que não suporta injustiça contra os mais fracos.

Há algo incontestável sobre o jornalismo: ele é baseado em fatos. Se não existe fato, não existe notícia. O jornalista pode escolher os fatos que achar mais interessantes, ou simplesmente dar mais destaque para eles, ou ignorar os que acha que não são interessantes. Mas nunca pode inventar ou forjar um fato. Foi o que a Veja fez ao "provar" que o perfil @lucy_in_sky era um robô: inventou um fato.

Não é a primeira vez que a Veja envereda na ficção. Em maio de 2010 a revista publicou uma declaração do antropólogo Eduardo Viveiros de Castro na matéria "A farra da antropologia oportunista". O cientista veio a público denunciar que não havia sido entrevistado pela revista e, portanto, a citação era falsa. A revista respondeu que a citação havia sido retirada de um dos livros do antropólogo (embora o texto da reportagem desse a entender que o mesmo havia sido entrevistado). Eduardo continuou sem entender: "não pronunciei em qualquer ocasião, ou publiquei em qualquer veículo, reflexão tão grotesca, no conteúdo como na forma". Ou seja: a revista simplesmente inventou uma declaração e colocou-a a boca de uma autoridade no assunto como forma de referendar seu ponto de vista.

Apesar da amplitude do escândalo Veja-Cachoeira, a grande mídia se lançou numa campanha para desquallificar a CPMI que investiga o caso e repudia veementemente qualquer possibilidade do editor da Veja ser ouvido.

É triste ver a que ponto chegou o jornalismo brasileiro, mas espera-se que o episódio torne o leitor mais crítico a respeito do papel desse mesmo jornalismo. Talvez o resultado seja uma imprensa melhor.


Gian Danton
Goiânia, 28/5/2012


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2012
01. Por que os livros paradidáticos hoje são assim? - 13/2/2012
02. O desenvolvimento dos meios de comunicação - 27/8/2012
03. Contos fantásticos no labirinto de Borges - 26/3/2012
04. Um conto de duas cidades - 7/5/2012
05. Contos de imaginação e mistério - 2/7/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Negocio do Brasil (edição Ilustrada Com Imagens da Época)
Evaldo Cabral de Mello
Capivara
(2015)



Vito Grandam
Ziraldo
Melhoramentos
(1995)



Legislacion Penal Especial: Apendice Al Tratado de los Delitos
Antonio Camaño Rosa e Mario Camanõ Iriondo
Amálio Fernandez
(1969)



Informacion y Comunicacion
Eulalio Ferrer
Fondo de Cultura
(2001)



Curso de Direito Internacional
Haroldo T. Valladão e Outros
Fgv (rj)
(1977)



Luftreinhaltung Als Faktor Der Stadt- Und Regionalplanung
Franz Joseph Dreyhaupt (capa Dura)
Carl Heymanns
(1971)



Concersations Avec Michel Butor et Péter Esterhàzy
Revue Jules Verne, Nº 18 de 2004
Centre National Du Livre
(2004)



O Poder do Telefone
Doc Morey
Amadio
(2003)



Memoirs of An Anti-semite
Gregor Von Rezzori
Vintage International
(1991)



Oab Nacional - Direitos Difusos e Coletivos
Luiz Antonio de Souza; Victor Frederico Kumpel
Saraiva
(2012)





busca | avançada
74393 visitas/dia
2,5 milhões/mês