Deixa eu te manipular... | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
42810 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 17/1/2002
Deixa eu te manipular...
Adriana Baggio

+ de 3700 Acessos

A propaganda manipula? Para muitas pessoas, a resposta é um veemente "sim!", seguido de um rosário de malefícios causados por ela, como o consumismo exacerbado, o materialismo, a perda da autenticidade nas relações pessoais. E tudo por culpa da propaganda, como se os consumidores fossem marionetes na mão de um bando de malvados que hipnotizam as massas e levam-nas a fazer e comprar o que não querem.

Das definições do verbo "manipular" que encontrei no Aurélio instalado no meu computador, algumas são mais aplicáveis à propaganda:

- Engendrar, forjar, maquinar.
- Fazer funcionar; pôr em movimento; acionar.
- Controlar; dominar.

A que mais se aplica à tese que vou defender aqui é a número 3. A propaganda manipula sim. Como vários outros tipos de discurso, o da propaganda tem por objetivo levar o receptor da mensagem a fazer.

Antes de continuar, gostaria de estabelecer uma diferença entre o termo "propaganda" e o termo "publicidade". É uma distinção teórica e não-oficial, que utilizo para melhor delimitar o campo do assunto a ser tratado. Neste contexto, publicidade é a forma de divulgação não remunerada de empresas, produtos, serviços, idéias. Por exemplo, uma matéria jornalística sobre a doação que uma empresa faz a uma entidade filantrópica é publicidade, porque (teoricamente) a empresa não pagou para que seu nome aparecesse no jornal. Já a propaganda refere-se à divulgação remunerada, como o espaço pago pelo anunciante para veicular um comercial na televisão.

Pois bem, existe uma discussão sobre qual o nível de manipulação que a propaganda emprega para convencer as pessoas a consumir determinado produto ou idéia. Em primeiro lugar, a propaganda não faz a gente querer alguma coisa do nada. Sempre existe um desejo latente, uma necessidade a ser satisfeita, e que muitas vezes o consumidor acredita que pode ser suprida através do consumo de algum produto. A propaganda apela para essas necessidades, que todos nós temos. Pela Teoria de Maslow, muito estudada quando se fala em psicologia e comportamento do consumidor, o ser humano tem suas necessidades elencadas em uma pirâmide. Na base da pirâmide estão necessidades básicas, como alimentação, segurança, aquecimento, abrigo, sexo. Depois vêm as necessidades afetivas, como o amor, o afeto familiar. Em seguida, as necessidades intelectuais, como conhecimento, instrução; e por último, as necessidades espirituais, como o auto-conhecimento e religiosidade. Para dar um exemplo bem simplista e didático, produtos como roupas poderiam fazer parte das necessidades mais básicas. Perfumes, ligados à sedução, poderiam atender as necessidades secundárias. Um curso de línguas poderia se enquadrar na terceira camada. No topo da pirâmide poderiam estar as sessões de terapia.

Segundo a Teoria de Maslow, enquanto as necessidades básicas não estão satisfeitas, as seguintes não são sentidas. Arriscando mais uma vez um exemplo bem rasteiro, se uma pessoa passa fome, ou seja, não tem uma necessidade básica atendida, dificilmente vai sentir falta de um curso superior. Com base nessa fundamentação, a propaganda oferece aos consumidores produtos que podem atender suas necessidades. Como muitas vezes elas não são racionais, a linguagem da propaganda também não é. É por isso que utilizam-se recursos estilísticos, figuras de linguagem, jogos de palavras - os mesmos recursos usados há séculos na literatura e no teatro - para fazer com que o produto anunciado ganhe a concorrência na mente do consumidor. Para vencer essa concorrência, a propaganda busca mostrar, de uma maneira emocional, como o produto poderá suprir as necessidades já existentes. Mais um exemplo: dificilmente alguém tem necessidade de cerveja. O que temos é desejo de amizade, da convivência em grupo, com pessoas queridas, que gostem de nós, que nos aprovem e que achem graça de nossas piadas. Por saber disso, a propaganda de cerveja apela para imagens com muita gente se divertindo, homens bem-sucedidos, mulherada, roda de amigos, etc.

Até agora, está estabelecida a manipulação da propaganda? Sim. Da mesma maneira como manipulam outros tipos de discurso, como o literário e o jornalístico. A intenção do autor, quando escreve, é levar o leitor a ter alguma atitude, como estabelecer juízo, sentir prazer ou sofrer. No entanto, nem por isso a literatura é condenada por manipulação. Com o jornalismo acontece a mesma coisa. Dependendo de como um texto é escrito, a partir das palavras escolhidas pelo jornalista, o leitor será levado para um ou outro lado. Em todos esses casos, inclusive com a propaganda, entra o livre-arbítrio. De acordo com nosso repertório, com nossos sentimentos e com nossas necessidades, vamos aceitar ou não o conteúdo transmitido.

Voltando à definição de manipular, a propaganda quer levar o consumidor a fazer algo, mas não tem o poder de levá-lo a fazer o que não quer. Tanto que, na hora de planejar uma campanha de propaganda, são levados em conta o segmento que o produto vai atender e o nicho a ser atingido. Por isso, um produto pode ser atraente - ter potencial para atender determinadas necessidades - para certo grupo de consumidores e não para outro.

Tanto quanto em outros segmentos, dentro da propaganda existe a atividade realizada com má fé, eticamente condenável. Existe o médico, o advogado, o jornalista, e também o publicitário mau- caráter. Assim como o paciente é mal-tratado por seu médico, explorado por seu advogado, também pode ser prejudicado pela propaganda enganosa ou por práticas como a propaganda subliminar, que, por via das dúvidas quanto aos seus efeitos, é proibida. Mas responsabilizar a propaganda por nossos comportamentos, por nossos desvarios no shopping center, é ingenuidade.

Clique, veja e compre:

Verdades, Mentiras e Propaganda

Verdades, Mentiras e Propaganda - Jon Steel - Editora Negócio

Tudo que você sempre quis saber sobre propaganda e ninguém teve paciência para explicar

Tudo que você sempre quis saber sobre propaganda e ninguém teve paciência para explicar - Julio Ribeiro - Editora Atlas

Comportamento do Consumidor

Comportamento do Consumidor - Eliane Karsaklian - Editora Atlas


Adriana Baggio
Curitiba, 17/1/2002


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2002
01. Todos querem ser cool - 27/6/2002
02. Menos Guerra, Mais Sexo - 31/1/2002
03. Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo! - 20/6/2002
04. Homens, cães e livros - 15/8/2002
05. No banheiro com Danuza - 28/11/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O PIANISTA NO BORDEL
JUAN LUIS CEBRIÁN
OBJETIVA
(2009)
R$ 20,00



OS ECONOMISTAS
LEONARD SIK
ZAHAR
(1976)
R$ 10,00



MRTYUKÃLA: HORA DA MORTE
MARIA HELENA DE BASTOS FREIRE
CCJ
(2004)
R$ 81,85



NEW YORK FLOW SYSTEMS CAN AUTOMATE YOUR CUTTING OPERATIONS
REVISTA GRAPHIC ARTS MONTHLY, Nº 7, VOL 50
TECHNICAL PUBLISHING
(1978)
R$ 31,28



TECNICAS CONSTRUTIVAS DE ARGUMENTACAO E DEBATE
GEORGE L HINDIS E RUPERT L CORTRIGHT
IBRASA
(1968)
R$ 12,00



ARTE-EDUCAÇÃO NO BRASIL - ANA MAE T. B. BARBOSA
ANA MAE T. B. BARBOSA
PERSPECTIVA
(1978)
R$ 18,00



TAMBORES E VIOLINOS - 1ª ED.
MARIA TERESA HELLMEISTER FORNACIARI
WRITERS
(2000)
R$ 5,74



THE FUTUTRE OF BRANDS
RITA CLIFTON - ESTHER MAUGHAN
NEW YORK UNIVERSITY
(2000)
R$ 90,00



ERA UMA VEZ UM PIRATA HOLANDÊS
JOSÉ MAVIAEL MONTEIRO
ÁTICA
(1995)
R$ 6,90



ATOS IMPUROS
HENRY A. GIROUX
ARTMED
(2003)
R$ 63,00





busca | avançada
42810 visitas/dia
1,2 milhão/mês