'Eu quero você como eu quero' | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
54626 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Someone On Your Side
>>> No cotidiano de alguém
>>> A batalha perdida do pastor
>>> Um governo que nasceu morto
>>> Wikia Search
>>> A difícil arte de viver em sociedade
>>> Ações culturais
>>> A história do amor
>>> Além do Mais
>>> Derrotado
Mais Recentes
>>> O filósofo e sua história de Michael B. Wringley (org.) pela Fapesp (2003)
>>> Cadernos de Tradução de Núcleo de Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999)
>>> Afro Ásia 41 de Centro de Estudos Afro Orientais pela Universiadade Federal da Bahia (2011)
>>> A democracia ameaçada: o MST, o teológico político e a liberdade de Denis Lerrer Rosenfield pela Top books (2006)
>>> Onde existe amor, Deus aí está de Tolstói pela Versus (2001)
>>> Unidos pelo casamento de Rinaldo Seixas pela Mundo Cristão (2014)
>>> Sempre, às vezes, nunca de Fábio Arruda pela Arx (2003)
>>> Educação Geográfica em movimento de Larissa Corrêa Firmino (org.) pela Fapesc (2010)
>>> Sobre moeda, método e Keynes de Victoria Chick pela Unicamp (2010)
>>> Política & Sociedade - Revista de Sociologia Política Nº 04 de Ufsc pela Cidade Futura (2004)
>>> Política & Sociedade - Revista de Sociologia Política Nº 04 de Ufsc pela Cidade Futura (2004)
>>> A Trama da Privatização - a Reestruturação Neoliberal do Estado de Waldir J. Rampinelli pela Insular (2001)
>>> A Trama da Privatização - a Reestruturação Neoliberal do Estado de Waldir J. Rampinelli pela Insular (2001)
>>> Política & Sociedade - Revista de Sociologia Política Nº 12 de Ufsc pela Cidade Futura (2008)
>>> O Bom Ladrão de Hannah Tinti pela Rocco (2011)
>>> Política & Sociedade - Revista de Sociologia Política Nº 03 de Ufsc pela Cidade Futura (2003)
>>> Um Grapiúna Em Frankfurt de Cyro de Mattos pela Dobra (2019)
>>> Biblioteca Universitária da Ufsc: Memória Oral e Documental de Ieda Maria de Souza / Joseane Chagas e Outros pela Ufsc (2002)
>>> Grávida Com Estilo: um Manual Como Se Vestir - de Christiana Francini pela Alegro (2004)
>>> Arte Contemporânea Em Santa Catarina de João Evangelista de Andrade Fo - Organizador pela Museu de Arte de Santa Catarin (2001)
>>> O Peru Indutivista Temas de Filosofia de Marconi Oliveira da Silva pela Ufpe (2014)
>>> Terceiro Setor: um Estudo Comparado Entre Brasil e Eua de Simone de Castro Tavares Coelho pela Senac (2002)
>>> Celso Ramos - um Perfil Político de Carlos Alberto S. Lenzi pela Terceiro Milênio (1997)
>>> Celso Ramos - um Perfil Político de Carlos Alberto S. Lenzi pela Terceiro Milênio (1997)
>>> Celso Ramos - um Perfil Político de Carlos Alberto S. Lenzi pela Terceiro Milênio (1997)
>>> Dores Ocultas de Juliana Bueno pela Outras Linhas (2012)
>>> Silêncios de Paz e Guerra de Conrrado Balduccini pela Autor (2013)
>>> A Prática da Conversão Pastoral de Heije Faber e Ebel Van Der Schoot pela Sinodal (1973)
>>> Aprendendo a terapia cognitivo-comportamental - um guia ilustrado de Jesse H, Wright, Monica R. Basco, Michael E. Thase pela Artmed (2008)
>>> Crítica da Razão Existencial de João Arthur Fortunato pela Autor (1998)
>>> Liderança e Dinâmica de Grupo de George M. Beal e Outros pela Zahar (1972)
>>> Instituições do Processo Civil - Volumes I -ll - Ill de Francesco Carnelutti pela Classic Book (2000)
>>> Perícia Judicial para Fisioterapeutas de José Ronaldo Veronesi Junior pela Andreoli (2013)
>>> A Cruz e o Punhal de David Wilkerson/ John e Elizabeth Sherrill pela Betânia (1983)
>>> Só para Mulheres de Sonia Hirsch pela Correcotia (2000)
>>> Papai é Pop de Marcos Piangers pela Belas Letras (2015)
>>> Catecismo da Igreja Católica Edição Típica Vaticana de Edições Loyola Jesuítas pela Edições Loyola Jesuítas (2000)
>>> Catecismo da Igreja Católica Edição Revisada de Acordo Com o Texto... de Loyola pela Loyola (1999)
>>> Cem Anos de Solidão de Gabriel Gárcia Marquez pela : Record
>>> Biologia do Desenvolvimento de Scott F. Gilbert pela Sociedade Brasileira de Genéti (1994)
>>> Energia, Ambiente & Mídia - Qual é a Questão de Vânia Mattozo pela Ufsc (2005)
>>> Montando Estórias de Milton Neves pela Ibrasa (1996)
>>> Terra á Vista... e ao Longe de Maria Ignez Silveira Paulilo pela Daufsc (1998)
>>> Conhecendo Sua Coluna - Informações Científicas para o Leigo de Dr. Fernando Schmidt e Dr. Ernani Abreu (org.) pela Conceito (2004)
>>> Modernidade Com Ética de Cristovam Buarque pela Revan (1998)
>>> Metodologia do Ensino de Artes - Filosofia da Arte de Engelmann Ademir Antonio pela Ibpex (2010)
>>> Vocabulário do Charadista - Volume 1 de Sylvio Alves pela Livraria Acadêmica
>>> Dissolução do Casamento de Valdemar P. da Luz pela Conceito (2007)
>>> Filosofia da Arte de Engelmann Ademir Antonio pela Ibpex (2008)
>>> Guia Gladiadores 01 de Claudio Blanc (Editorial) pela On Line
COLUNAS

Sexta-feira, 27/3/2015
'Eu quero você como eu quero'
Ana Elisa Ribeiro

+ de 2600 Acessos

Na casa onde eu cresci, fotografia era algo importante. Tudo o que a fotografia podia representar era importante. O registro dos momentos, a revelação, a formação do álbum, a organização das fotos nas páginas, a datação, a descrição do evento e, depois, o momento mágico de mostrar as fotos aos amigos, parentes e namorados. As fotos não nos chegavam avulsas, presenteadas por conhecidos. Elas eram tiradas pela minha mãe, que tinha uma câmera Olympus da qual se orgulhava.

Ter uma câmera e tirar as melhores fotos possíveis era um cuidado com o tempo: com o presente, o passado e o futuro. Não era banal. Não era apenas "bater foto". Era agir sobre a memória e o memorável. Cresci com essa noção de registro fotográfico - tenho câmera - inclusive filmadora - desde nova e é comum que eu seja a única pessoa que tem fotos do pessoal da escola, da turma da rua, etc. Hoje em dia, embora isso seja banal, as fotos são virtuais... não sei se sobreviverão ao tempo e aos softwares, ao ponto de se tornarem registros duradouros. E não que eu não torça. Eu apenas não sei.

Nos meus tempos de menina, o que nem vai tão longe, era necessário saber sobre filmes e o processo da fotografia. A palavra "revelação" diz muito sobre a espera para conhecer a foto, que não aparecia de antemão no visor. O clique do fotógrafo era único, um tiro planejado (ou não). O olhar do fotógrafo precisava ser previdente. A revelação demoraria e, depois dela, a foto seria conhecida. Não era possível selecionar previamente. A edição do álbum vinha depois, com a escolha dos registros mais bonitos, com menos olhos fechados e mais poses apresentáveis. Era o projeto da foto, a espera, a alegria ou a decepção. A cópia de presente, a colagem no álbum. Vamos ver? Um evento.

Foi assim, em grande medida, que conheci e compreendi a fotografia. De toda forma, ainda que a maioria delas fosse posada, montada e até falsa, sempre preferi a foto espontânea; o riso, a conversa, o movimento daqueles que não percebiam bem o clique, que não se viravam, obrigatoriamente, ao fotógrafo, e não se rendiam a uma alegria forçada. Mas a foto espontânea é rara, difícil, aleatória. Constrangemo-nos um pouco quando vemos a câmera. Sorrimos diferente e murchamos a barriga. Conseguir fotos espontâneas é uma arte. Que eu admiro.

Que noção temos da fotografia? Certamente, o registro e a memória estão entre os elementos que mais comumente nos interessam, mas estão, também, as ideias de compor um quadro com as melhores roupas, as melhores poses, o melhor ângulo (não é assim que dizemos?) e as cores que não temos, naturalmente. O fotógrafo trabalha com a luz, com o enquadramento, mas também com a poesia e a construção da imagem. A imagem não esta lá. Ela é montada, produzida, composta. A escolha de um modo de fotografar ajuda a construir um registro. E como nos conhecerão no futuro? Ou que representação queremos de nós?

Há alguns anos, resolvi pagar a um estúdio para que fizesse um ensaio fotográfico de minha relação com meu filho. Fiz questão de frisar que gostaria de registrar o ar que nos une no dia a dia. Não queria meu filho com as melhores roupas - as que ele quase não usa - e nem com o cabelo - que ele deixava crescer - escovado. Não queria aquele tênis novo que ele detestou. Eu queria compor um álbum do meu filho meio louro, descabelado e risonho com que lido todos os dias, pelos corredores de casa, de bermuda colorida e chinelo. Da mesma forma, eu buscava um registro dos beijos que realmente nos damos, dos abraços que trocamos e das brincadeiras que fazemos quando estamos juntos. Não na foto, mas na vida.

Pedi à fotógrafa que não me produzisse. É claro que reconheço a beleza do artifício em uma mulher, a cor, a valorização do olho, da boca, do cabelo, do ângulo. Mas eu não queria "aparecer na foto" como eu não sou, para mostrar aos outros quão bonita eu poderia ficar. Esse talvez seja um fetiche de grande parte de nós, que queremos nos parecer com "modelos". Pode ser útil, mas não era minha intenção. Eu queria um registro do meu cabelo cheio de fios brancos, da marca de expressão quando eu sorrio e dos olhos amendoados naturais. Queria meu jeans, meu All Star e meu relógio mais querido - não aquele que uso em casamentos, mas aquele de que mais gosto no dia a dia. E foi o que aconteceu. Eu e meu filho corremos, brincamos, dançamos, nos deitamos na grama, nos abraçamos e conversamos muito. Nós e a fotógrafa.

Minha preocupação era a seguinte (por mais que ela seja impossível): quando envelhecermos todos ou mesmo quando nos formos deste mundo, há de haver um registro do que realmente fomos, para que as pessoas queridas - como meu filho e meus netos - possam dizer: "eu me lembro dela deste jeitinho assim. Vejam como éramos mesmo lindos!".

Daí, depois de tanta relação com a fotografia, foi um pulo começar a pensar em aprender. Nossa relação com as imagens, mormente com as fotos, mudou tanto! Todos temos câmeras, programas de publicação, editores, quem não pode? Quem não se sente um pouco fotógrafo de vez em quando? E para que as pessoas se fotografam? Que funções as fotografias têm, nas redes sociais, por exemplo? A denúncia, a exposição, a memória, o desafio, o registro, a ostentação. Está tudo lá, só que para todos.

Enfim, fiz um curso de fotografia e investi em uma câmera melhor. Da mesma forma que demorei anos para me assumir "escritora", vou levar séculos para me chamar de "fotógrafa", em respeito aos profissionais que dominam essa arte/ciência. Mas arrisco uns cliques. E eles vão sendo elogiados, e demandados, e curtidos. E as pessoas começam a dizer que há algo de meu ali, reconhecível, inclusive. "Que imagem!", "Que sensibilidade", "Que instante!". E voltei, então, a pensar nos meus motivos.

O meu gosto, concluo, é pela espontaneidade. Não sei se é ético, mas eu gosto de zanzar pela festa sem que me notem (embora isso seja difícil com uma câmera maior) para flagrar os momentos de encontro, de papo, de riso. Eu procuro a imagem quando os atores se distraem de mim. Isso pode? Sabe lá. Nunca reclamaram. Vez em quando, dirijo as pessoas para que fiquem brincalhonas. Não parem, não olhem. Eu sou, enfim, uma cronista com uma câmera nas mãos. Sem poses, sem enquadramentos simétricos e sem sorrisos "diz xis". É mais ou menos como largar o teclado do computador e as palavras por um instante para brincar com a luz. É como aprender a escrever de novo.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 27/3/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O silêncio e a palavra de Lucas Rodrigues Pires


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2015
01. Para que serve a poesia? - 26/6/2015
02. A pomba gíria - 1/5/2015
03. Como ser um Medina - 16/1/2015
04. Momento ideal & conciliação - 25/9/2015
05. Leitura, curadoria e imbecilização - 11/9/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PASSAGEM PARA RAVENA
JOSE RICARDO MOREIRA
FORMATO
(2004)
R$ 12,00



INFORMÁTICA CESPE UNB
MANUEL MARTINS FILHO
CESPE
(2009)
R$ 23,00



POESIA & UTOPIA
MOISÉS, CARLOS FELIPE
ESCRITURAS
R$ 9,90



CASAS MINIMALISTAS (EDIÇÃO TRILÍNGUE: PORTUGUÊS, ESPANHOL E ITALIANO)
SIMONE SCHLEIFER
EVERGREEN
(2006)
R$ 130,00



FLASH 8 - GUIA AUTORIZADO MACROMEDIA
JAMES ENGLISH
CAMPUS
(2006)
R$ 18,00



CRIMES DE SONEGAÇÃO FISCAL
CLÁUDIO COSTA
REVAN
(2003)
R$ 18,00



SEU PASSAPORTE PARA O SUCESSO
F. ARTHUR CLARK
RECORD
(1984)
R$ 19,90
+ frete grátis



POR QUÊ ADOECEMOS - PRINCÍPIOS PARA A MEDICINA DA ALMA
VÁRIOS AUTORES
AME
(2012)
R$ 50,00



BRASIL ANO 2000 O FUTURO SEM FANTASIA
JOSÉ ITAMAR DE FREITAS
ED. MONTERREY
(1969)
R$ 4,90



TANTOS ANOS
RACHEL DE QUEIROZ / MARIA LUÍZA DE QUEIROZ
INTRÍNSECA
(1998)
R$ 10,00





busca | avançada
54626 visitas/dia
1,3 milhão/mês