Sobre o ensaio de Gao Xingjian | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
58438 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> As maravilhas do mundo que não terminam
>>> Nem Aos Domingos
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> A firma como ela é
>>> Grandes Pianistas do Século XX
>>> PublishNews entrevista Ana Elisa Ribeiro
>>> Manual prático do ódio
>>> Isn’t it a bliss, don’t you approve
>>> Roberto Carlos:Detalhes em PDF
>>> Olhos de raio x
Mais Recentes
>>> A Amiga Genial de Elena Ferrante pela Biblioteca Azul/ Globo (2015)
>>> Steve Jobs : a biografia de Walter Isaacson pela Companhia Das Letras (2011)
>>> A Encantadora de Bebês de Tracy Hogg; Melinda Brau pela Manole (2006)
>>> Cien Años de Soledad de Gabriel Garcia Marques pela Plaza Janés (1999)
>>> O Taro Adivinhatório de Vários pela Pensamento
>>> Os Segredos de Uma Encantado de Bebês de Tracy Hogg; Melinda Brau pela Manole (2002)
>>> A Droga da Obediência de Pedro Bandeira pela Moderna (2009)
>>> O Paraíso na Outra Esquina de Mario Vargas Llosa pela Arx (2003)
>>> A Festa da Insignificância de Milan Kundera pela Companhia das Letras (2014)
>>> História da Menina Perdida de Elena Ferrante pela Biblioteca Azul/ Globo (2017)
>>> A Lenda do Graal (Do Ponto de Vista Psicológico) de Emma Jung e Marie Louise Von Franz pela Cultrix (1991)
>>> Capitães da Areia de Jorge Amado pela Record (1975)
>>> O Verão Sem Homens de Siri Hustvedt pela Companhia das Letras (2013)
>>> Hostória de Quem Foge e de Quem Fica de Elena Ferrante pela Biblioteca Azul/ Globo (2016)
>>> Pontos De Fuga - O Lugar Mais Sombrio - Vol. 2 de Milton Hatoum pela Companhia das Letras (2019)
>>> A Ilha do Dia Anterior de Umberto Eco pela Record (1995)
>>> A Invenção do Sonho de Moema de Castro e Silva Oliveira pela Âncora (2017)
>>> Manuelzão e Miguilim de João Guimarães Rosa pela Nova Fronteira (1984)
>>> Iluminando o retorno-Halachhot Teshuvá [Judaismo ] de Rabino Isaac Dichi pela Nascente (2014)
>>> Serial Killer - Louco ou Cruel? de Ilana Casoy pela Ediouro (2008)
>>> Compaixão de Toni Morrison pela Companhia das Letras (2009)
>>> A Fórmula para a felicidade-[judaismo] de Rabi Friedman pela Friedman Brooklin (2015)
>>> Ponto Ômega de Don DeLillo pela Companhia das Letras (2011)
>>> O que importa é o amor de Marcelo Cezar pelo espirito marco aurélio pela Vida e consciência (2013)
>>> O Deus das Pequenas Coisas de Arandhati Roy pela Companhia das Letras (1998)
>>> Sol - a Experiência Humana de José Duclerc Moretti Santana pela Do autor (2010)
>>> Princípios de telecomunicações teoria e prática de Júlio Cesar de Oliveira Medeiros pela Érica (2014)
>>> Coleção folha grandes vozes Nat King Cole nº19 de Folha de São Paulo pela Mediafashion (2012)
>>> Apostas mortais - Wild cards de George R. R. Martin pela Leya (2020)
>>> Avaliaçao Dos Comportamentos Depedentes - 10A de Donovan Marlatt pela Roca (2016)
>>> Calculo E Administraçao De Medicamentos Na Enfermagem - 10A de Marcelo Tardelli da Silva pela Martinari (2018)
>>> Educação E Saúde. Cenários De Pesquisa E Intervenção - 10A de Gilberto Tadeu Reis da Silva pela Martinari (2011)
>>> Geriatria. Manual da Lepe - 10A de Maria Elisa Manso pela Martinari (2015)
>>> Manual do Socorrista - 10A de Martinari pela Martinari (2013)
>>> Conquiste Seus Alunos - 10A de Roberto shinyashiki pela Gente (2011)
>>> Novo tratado de fonoaudiologia - 10A de Otacílio Lopes Filho pela Manole (2013)
>>> Netter Atlas De Cabeça e Pescoço - 10A de Neil Norton pela Elsevier (2015)
>>> Todos los Vientos de Antonio Secchin pela Ediciones Gitanjali (2004)
>>> Ensinando ginástica para crianças - 10A de Peter H. Werner pela Manole (2015)
>>> Fisiologia do exercício na criança - 10A de Thomas W. Rowland pela Manole (2008)
>>> História do Novo Sobrenome de Elena Ferrante pela Biblioteca Azul/ Globo (2016)
>>> Mac OS X Snow Leopard Para Leigos de Bob LeVitus pela Alta Books (2009)
>>> Cinquenta Tons Mais Escuros de E L James pela Intrísica (2012)
>>> Cinquenta Tons De Liberdade de E L James pela Intrísica (2012)
>>> Orientações Ao Dirigente Municipal De Educação - Fundamentos, Políticas E Práticas de Daisy Vasconcelos E Outros pela UNDIME
>>> Manual De Sobrevivência Familiar de Ivan Jaf pela Atual (1999)
>>> Cuidado, Não Olhe Pra Trás! de Stella Carr pela Moderna (2002)
>>> A Arca Do Encantamento - Segredos Da Arte Milenar De Encantar, Cativar E Ser Feliz de Wilson Meiler pela Qualitymark (2005)
>>> Da República de Marco Túlio Cícero pela Escala
>>> Crepúsculo Dos Ídolos Ou Como Filosofar A Marteladas de Friedrich Nietzsche pela Escala
COLUNAS

Segunda-feira, 17/10/2011
Sobre o ensaio de Gao Xingjian
Ricardo de Mattos

+ de 4600 Acessos


"Nesta época em que a política a tudo permeia e a lei do lucro mergulha o mundo na incalculável ganância humana, onde podemos encontrar a poesia?" (Gao Xingjian).

Gao Xingjian nasceu na China em 1940. Laureado em 2000, foi o primeiro escritor chinês a ganhar o prêmio Nobel de literatura. Além da escrita, dedica-se à pintura - são dele as imagens utilizadas nesta coluna -, à tradução, à crítica e ao teatro. Em 1987 deixou seu país natal e estabeleceu-se em Paris. Já foram traduzidos para o português seus livros A montanha da alma e Uma cana de pesca para meu avô sendo que há edição nacional do primeiro. Em 29 de junho deste ano, leu em Turim, durante o evento denominado Milanesiana, o ensaio intitulado Ideologia e literatura(1), que será objeto desta coluna.

Segundo o autor chinês, o século XX foi o período de tempo em que as ideologias influenciaram a literatura de forma mais marcante. Até então, existiam as escolas: um estilo literário, uma forma de escrita adquiria predominância e os candidatos às Letras ajustavam seus trabalhos conforme o riscado. A ideologia difere do idealismo pelo afã de impor o molde e excluir quem dele afastar-se. O autor passa a ser o executor da forma e o crítico assenhora-se do papel de capataz - ou vice-versa. Lembremos que Raquel de Queiroz precisou explicar-se a membros do Partido Comunista e enfrentá-los para ver publicado seu primeiro livro, O quinze. Por atitudes assim, Xingjian considera a ideologia o mal do século.

Podemos distinguir o ideólogo do idealista. O primeiro, busca reproduzir para seus contemporâneos a cartilha a qual está adstrito. Muda as palavras, capricha mais ou menos e nisto encontra seu prazer. Morre no seu século. O segundo, encontra ideias que julga salutares para a vida humana e para o convívio em sociedade e divulga-as de maneira mais ou menos inocente. Contudo, como consegue atingir os anseios arquetípicos da Humanidade, geralmente não morrem.

Segundo Xingjian, a ideologia é composta de estrutura filosófica e de valores. Isso parece-nos complicado, pois valores são categorias que importam por si, não são componentes de algo. Ao contrário, as ideologias tentam parasitá-los almejando respeitabilidade. A família é um valor em si e, no entanto, até o nazismo autoproclamou-se seu defensor. Utilizada como instrumento, a literatura - que deve gozar de independência e autonomia - tornou-se "acessório da ideologia", nas palavras do autor.

A vinculação reclamada por ele nada mais fez do que estragar a arte literária e deixá-la estragada. Assevera, inclusive, que o discurso ideológico desligado de prática política é vazio e de mínimo impacto. O campo político, por sua vez, não é adequado para que valores, princípios, ética, honra e ideais vicem. Neste ponto, não esqueçamos de Diogo Mainardi, que passou anos escrevendo contra o anterior presidente da República e, nem por isso, ele deixou de cumprir integralmente dois mandatos e garantir a sucessão. "A não ser que intelectuais se filiem a um partido político e se tornem políticos profissionais, será difícil que façam alguma diferença", diz Xingjian em trecho contundente. Entretanto, vivemos o momento que ele prefere chamar "pós ideológico", que por sua vez não é o mais seguro, visto o assédio dos modismos e o poder do mercado.

O escritor assegura que autores e poetas são pessoas que se envolveram com a criação literária quando confrontados com "uma necessidade interna que exija expressão". Literatura não é reconstituição de fatos, pois para isto existe a História - com perdão dos historiadores pelo reducionismo. Não é Filosofia, embora muitas vezes emparelhe-se com ela. Ameaçado pelas ideologias e agora espicaçado pelo lucro, aos escritores atuais Xingjian sugere providências que poderão salvar a arte literária. Para o sino-francês, o principal aspecto a ser considerado é a liberdade espiritual (sic) do autor. A substância da literatura encontrar-se-ia nesta independência. Diante de tantos senhores que se apresentam, ele reconhece que a liberdade de espírito é opcional.

Seriam três os meios propostos por Xingjian para o que ele chama "a salvação da literatura": desligamento de ideologias, ignorar modismos de mercado e enfrentamento dos problemas humanos presentes. Ele propõe a escrita como busca e forma de permitir a compreensão, não como atestado e submissão. Escutamos aqui um eco do suíço Carl Spitteler, Nobel de 1919: "Pois se conformamos a nossa maneira de viver com o exemplo comum, seremos de preço comum e nunca mais desfrutaremos nobres alegrias nem aquelas dores que enriquecem a alma!". Ele não menciona quais são os "problemas humanos presentes", o que nos dá liberdade de incluir entre eles a ausência de sentido existencial.

Xingjian convida o escritor - ou o autor, como prefere - a certo exercício de humildade. Convida a reconhecer que não é nem salvador do mundo, nem modelo de verdade e de dignidade. Não é juiz do certo e do errado, nem super-homem apto à substituição de Deus. O autor é um indivíduo autêntico e frágil, "com fraquezas e defeitos pessoais (...) de fato tão grandes quanto os das pessoas comuns". Abolindo delírios pessoais - mais estimulados que orientados - o autor poderá purificar-se - é a expressão que usa - e produzir algo digno de ser denominado trabalho literário.

Certas epessoas parecem fissuradas pela escrita e pela publicação. Incluímos em nosso questionamento qual mercado ela deseja conquistar. Tivemos acesso à primeira edição de Nos domínios da mediunidade, constante da série de livros em que Chico Xavier serve de intermediário ao espírito de André Luiz. Esta edição data de 1955, época em que a freqüência dos Centros Espíritas deveria ser registrada e regularmente informada à polícia. A primeira tiragem foi de quinze mil exemplares. A edição mais recente da obra que encontramos é a de número 34, o que corresponde do 412º ao 431º milheiro. Quem pretende lançar seu livro, hoje, terá qual tiragem em vista? Três mil? Ou recorrerá ao sistema Print on demand?

Despiciendo considerar o conflito entre o ensaio de Xingjian e as práticas contemporâneas. No momento em que ele afirma que "a literatura não é como uma mídia e não pode ser objeto de cobertura diária", tentamos localizar uma antologia de textos escritos com formatação própria para Twiter. Deste trecho, fizemos uma ponte com outro ensaio publicado no mesmo caderno, escrito pelo professor Francisco Foot Hardman (2) a respeito do ensaísmo contemporâneo. Segundo Hardman, a produção poética, artística ou cultural possuem "temporalidade próprias" para vicejar. São frutos do espírito: planta-se a semente, aduba-se - ou não -, acompanha-se o crescimento, poda-se, enxerta-se e, ao devido tempo, colhe-se a produção intelectual. Juntar duas palavras e esperar palmas não configura criação literária. Literatura em "tempo real" ou em "tempo zero", para usar expressões de Hardman, é uma das ilusões da atualidade. Nem erva-daninha germina em "tempo zero".

Cabe dizer também que, si arte combina bem com ideal e opção de vida, nem sempre acerta-se com retorno financeiro. Trabalho literário exige dedicação, escolha de palavras,elaboração de frases e transmissão de pensamento de forma tão fiel quanto possível. O impulso de escrever, aliviado no cotidiano dos blogs, por exemplo, e na busca imediatista de notoriedade podem minar forças destináveis a obras mais consistentes.

(1) http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,ideologia-e-literatura,754863,0.htm

(2) http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,um-oficio-escrito-no-plural,764315,0.htm


Ricardo de Mattos
Taubaté, 17/10/2011



Quem leu este, também leu esse(s):
01. Glamour e mistério em Belíssima de Luis Eduardo Matta


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2011
01. Do preconceito e do racismo - 18/4/2011
02. Geza Vermes, biógrafo de Jesus Cristo - 7/3/2011
03. A lebre com olhos de âmbar, de Edmund de Waal - 5/12/2011
04. Clássicos para a Juventude - 27/6/2011
05. Sobre um tratado chinês de pintura - 24/1/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E LEGISLAÇÃO PROCESSUAL EM VIGOR
THEOTONIO NEGRÃO - JOSÉ ROBERTO F GOUVÊA E OUTROS
SARAIVA
(2012)
R$ 11,00



POEMAS VERSEK
LIVIA PAULINI
PROJETO UBE RJ
(2010)
R$ 8,00



DANIEL PELLEGRIM
JOICE GUMIEL PASSOS
CARLINI & CANIATO
(2010)
R$ 45,00
+ frete grátis



ORRAMEU! A NOITE MAIS PERIGOSA DO MUNDO
TONI BRANDÃO
IBEP JOVEM
(2016)
R$ 14,56



OBRAS PRIMAS DE ALEXANDRE DUMAS
ALEXANDRE DUMAS
FORMAR LTDA
R$ 9,00



CADERNOS HISTÓRIA DA PINTURA NO BRASIL - DO CONCEITUAL À ARTE CONTEMPO
MARCOS HISTÓRICOS
INST. CULTURAL ITAÚ
(1993)
R$ 9,22



NÓS O POVO
TIMOTHY GARTON ASH
COMPANHIA DAS LETRAS
(1990)
R$ 8,99



SETE FACES DO HEROI
MARCIA KUPSTAS
MODERNA
(1995)
R$ 5,00



LOS CINCO SOLES DE MEXICO -LITERATURA
CARLOS FUENTES
SEIX BARRAL
R$ 170,00



COMO SE ESCREVE? MORFOLOGIA SUBSTANTIVO , SINGULAR, PLURAL
MEGA LETRONIX /VOL 12
ABRIL
R$ 5,50





busca | avançada
58438 visitas/dia
2,1 milhões/mês