Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá? | Renato Alessandro dos Santos | Digestivo Cultural

busca | avançada
31589 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Leandro Sapucahy comanda Reveillon 2019 no Jockey Club/RJ
>>> Carioquíssima realiza edição de Natal na Fábrica Bhering (RJ)
>>> Vocalista da banda Big Mountain, Quino apresenta-se no Sesc Belenzinho dia 15 de dezembro
>>> Sesc Belenzinho apresenta show que celebra Declaração Universal do Direitos Humanos
>>> Mosteiro de São Bento: 50 anos da morte de Thomas Merton
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As palmeiras da Politécnica
>>> Como eu escrevo
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
>>> Do canto ao silêncio das sereias
>>> Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela
>>> A barata na cozinha
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O Voto de Meu Pai
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
Colunistas
Últimos Posts
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
Últimos Posts
>>> A verdade? É isso, meme!
>>> Ser pai, sendo filho - poema
>>> A massa não entende
>>> ARCHITECTURA
>>> Os Efeitos Colaterais do Ano no Mundo
>>> A Claustrofobia em Edgar Allan Poe - Parte I
>>> Casa de couro V
>>> Heróis improváveis telefonam...
>>> Um lance de escadas
>>> No tinir dos metais
Blogueiros
Mais Recentes
>>> The Art of Possibility
>>> Desafiando o Talento, de Geoff Colvin
>>> O anti-Twitter
>>> Free, o livro, em português
>>> Tropikaos
>>> Because in the musicals nothing dreadful ever happens
>>> Feliz Ano Novo
>>> Por uma arquitetura de verdade
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> Existem vários modos de vencer
Mais Recentes
>>> Coisas de São Paulo de Nazareth Moreaux pela Melhoramentos (2005)
>>> Educação Pré-Escolar, Fundamentos e Didática de Marieta L. Machado Nicolau pela Ática (2002)
>>> João e Maria da Amazônia de Boechat,Maria Diva; Gusmão,Marta - Franco pela Franco (2015)
>>> Cinderela - Coleção Contos de Grimm de Maria Heloisa Penteado (texto em português) pela Ática (2012)
>>> O Homem que Matou Getúlio Vargas de Jô Soares pela Companhia das Letras (1998)
>>> O Amor é Fogo de Nora Ephron pela Rocco (2009)
>>> Sexo e Sexualidade - Sem Mistérios de Vários pela Trilha Educacional (2005)
>>> Indoor Cycling - Guia Prático para Pedalar Em Casa de William M. de Carvalho pela Leitura (2018)
>>> Zorba, O Grego (Capa Dura) de Nikos Kazantzakis pela Abril Cultural (1974)
>>> Reinações de Narizinho de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1956)
>>> Don Fernando de Fernand Fournier-Aubry pela Robert Laffont (1972)
>>> Allie Finkle´s Rules for Girls- Moving day de Meg Cabot pela Scholastic (2009)
>>> Vie et Mort a Shanghai de nien Cheng pela Albin Michel (1987)
>>> Português- Leitura,produção, gramática ( 7 ano ) de Leila Laur Sarmento pela Moderna (2009)
>>> Um grito de Alerta de Osmar Santos pela Eu Você (1981)
>>> Vencendo a Crise - Com o bom senso empresarial pode superá-la de Thomas J Peters e Robert H Waterman pela Hárbra (1986)
>>> Educação - Criatividade e Lazer de Annita Schterg Gorodicht e Léa Porto de Abreu pela Sec de Educação e Cultura RJ (1980)
>>> O Diário de Bridget Jones de Helen Fielding pela Record (2001)
>>> L'Institut de Volupté - Roman de Fernand Kolney pela Georges-Anquetil (1926)
>>> Oeuvres de Beranger - Tomo 1 e 2 de Pierre-Jean de Beranger pela Perrotin (1857)
>>> Everymans Thesaurus of English Words and Phrases de Peter Roget e D C Browning pela J M Dent e Sons (1955)
>>> Lombre du Passé de Jeanne de Coulomb pela Gaitier e languereau (1921)
>>> La femme Dune Nuit de Alfred Machard pela Flamarion (1929)
>>> L'Amant de Lady Chatterley de D H Lawrence pela Gallimard (1932)
>>> Tom Jones de Henry Fielding pela Abril (1983)
>>> A chave de Rebecca de Ken Foller pela Círculo do Livro
>>> Histoires et Contes de la Grand Mère de Louise SW Belloc pela Garnier freres
>>> A Terceirização e o Direito do Trabalho de Sergio Pinto Martins pela Atlas (2010)
>>> Atuação do Ministério Público do Trabalho Como Árbitro de José Janguiê Bezerra Diniz pela Ltr (2005)
>>> Curso de Falência e Recuperação de Empresa de Amador Paes de Almeida pela Saraiva (2008)
>>> Exercícios de Metodologia da Pesquisa de Edivaldo M. Boaventura pela Quarteto (2017)
>>> Introdução à Teoria do Emprego de Joan Robinson pela Forense Universitária (1990)
>>> A Bruxinha Domitila e o Robô Super-tudo de Edson Gabriel Garcia pela Vozes (1985)
>>> O Hóspede Suspeito de Friedrich Scheck pela Ática (2000)
>>> O Castelo de Âmbar de Mino Carta pela Record (2000)
>>> Quando o Sofrimento Bater à Sua Porta de Padre Fábio de Melo pela Planeta (2016)
>>> Desconhecido de Machado de Assis pela Civilização Brasileira (1955)
>>> Psicopedagogia Clínica de Maria Lúcia L. Weiss pela Dp&a (2004)
>>> Porta do infinito de Carlos Castaneda pela Record (1974)
>>> O quinto compromisso, um guia prático para o autodomínio de Don Miguel Ruiz / Don José Ruiz pela Best Seller (2010)
>>> Manifesto do partido comunista de Karl Marx, Engels pela Expressão Popular (2008)
>>> Sapatos - Cronica de uma Sedução - 1900-2008 de Perla Nahun, Fernando de Barros Constanza Pascolato pela Francal (2008)
>>> A região metropolitana de Campinas: urbanização, economia, finanças e meio ambiente Vol 1 e 2 de Wilson Cano, Carlos A. Brandão pela Unicamp (2002)
>>> Informe: Análisis, adapatación y sistematización de estándares para la planificación del manejo en Iniciativas de Conservación Privada y áreas marinas costaneras protegidas de múltiples usos de Ministerio del medio ambiente, GEF, PNUD, Wildlife pela Ministerio del medio ambiente Chile (2015)
>>> Una década de luchas y propuestas Derecho Educación. La palabra de los movimientos sociales de Foro por el Derecho a la Educación Chile pela Foro por el Derecho a la Educación Chile (2015)
>>> Princípios de Direitos Autorais - Livro I - 1898/1998 de Eduardo Pimenta pela Lumen Juris (2004)
>>> Tráfico de Anjos de Luiz Puntel pela Ática (1992)
>>> Sexo se Aprende na Escola de Marta Suplicy e Antonio Carlos Egypto e outros pela Olho Dágua (2000)
>>> Disney Art Attack - Art Festa nº 1 de Disney Coleção Crie-Brinque pela Cia de Livros (2006)
>>> Tratado da Propriedade Intelectual - Tomo II - Patentes de Denis Borges Barbosa pela Lumen Juris/Direito (2014)
COLUNAS

Terça-feira, 1/8/2017
Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá?
Renato Alessandro dos Santos

+ de 1600 Acessos

Estive a ver nestas férias, enquanto meus pés passavam frio, algumas séries britânicas na Netflix. Hoje, quando muitos vêm achando que o cinema parece já ter dito tudo, a televisão deu uma cambalhota, e voltando a parar em pé, como tudo que nos últimos anos vem mudando, ela acabou tirando do cinema alguma coisa, e certo é que há de parar bem essa história um dia à sétima arte, porque fermentações assim sempre trazem mudanças que, maturando, transformam leite em queijo, e enquanto à coivara criativa o cinema vai sobrevivendo, há algo de muito frescor no reino da Inglaterra; da Dinamarca, também, mas vamos nos contentar com o que vem da ilha. Paranoid, Marcella, River, Doctor Foster, Hinterland e Happy Valley dão um voto de confiança à inteligência do espectador, que, quando se dá conta, não quer deixar de ver outra série britânica. Que tal uma xícara de chá? Tea with me.

O que a gente procura em uma série? Aquele envolvimento que quando menos se percebe já não se larga mais? Um vício? Alguém nos puxando a um colar precipitado de corpos? Entretenimento? Algum aprendizado? Um pouco disso tudo, quem sabe? Quando somos fisgados, isto é, ao acontecer, há dramaturgia, ou um mergulho vertical, fundo, na alma humana, com a riqueza de detalhes que se vê num ato falho, num objeto esquecido sobre o criado-mudo que a câmera mostra quase ao acaso, numa coceira que leva a uma mordida e à solução de um crime.

O mais importante é quando o espectador imerge no drama representado, da mesma forma que aquelas plateias gregas no tempo de Sófocles entendiam o sofrimento por que Édipo passava, ao furar os olhos, levando-as a um estado de espírito que só a arte é capaz de oferecer. Vem a TV milênios depois, e o que se vê ainda é tragédia por toda parte: corpos de gente morta por asfixia, traições, adultérios, sequestros, filhos matando mães, os dez mandamentos, os sete crimes capitais e um copo de cólera tudo misturado, e quando mergulhamos mais fundo encontramos um pouco do que somos naquele dramalhão todo, e aí a TV passa a ocupar o tempo das pessoas mais do que deveria, deixando-as longe dos livros, mas, não, de uma arte dramática que, primeiro no teatro, depois no cinema e mais tarde na sala de casa, nos leva a uma experiência que, em vida, jamais teríamos, ou apetece a ideia de assaltar um banco, alvejar alguém com uma arma, levar um tiro?!



A primeira boa surpresa é Paranoid, que retrata detetives de um departamento de polícia que, ao investigar a morte de uma médica em um parque infantil, esfaqueada enquanto crianças correm ao redor, descobrem um ninho de mafagafinhos onde cabem a indústria farmacêutica e um crime internacional. Todos os olhos são para Nina, uma investigadora de 30 e poucos anos que passa por uma separação e pela descoberta de que está grávida. Tudo é muito bem conduzido pela direção, com atores que lembram gente vivendo dias ruins, como nós todos. É uma série de abordagem bastante psicológica, desossando a natureza humana, característica que se esparrama por todas as outras mencionadas aqui, o que não poderia ser diferente, quando o que mais há, nelas, é o indivíduo à mercê de seus demônios, como Marcella, outra série conduzida por uma narrativa que retrata a personagem-título, uma investigadora que busca solucionar os crimes de um serial killer, enquanto lida com o divórcio; o problema é que ela passa a ter apagões em que faz lá o que tem de fazer e dos quais, depois, não se lembra; o espectador, nesse jogo, fica sem saber se ela tem ou não culpa no cartório, algo que resulta em uma bela carta na manga dessa série, que, como River, Doctor Foster e Hinterland, está também na primeira temporada no serviço de streaming.



River é um mergulho na mente do introvertido personagem-título, que conversa sozinho, doido varrido, pensam as pessoas que o veem quando cruzam com ele, mas nós sabemos que o homem vê mesmo abantesmas, convivendo com eles. É uma série que traz o espectador bem pertinho do personagem, e há tantas camadas submersas na personalidade desse investigador, que a gente só pode acompanhar a série como se tivesse uma taça de vinho a ser sorvida nesses dias em que o frio congela lá fora e aqui dentro. Ah, a balança não pende para o sobrenatural, caso tenha pensado assim por causa dos fantasmas.



John River (considere as sugestões que o nome carrega), como toda grande personagem, tem em si mesmo o inimigo, e o passado, ou melhor, a morte de alguém de quem ele gostava muito, não o abandona, e adivinhe quem vem trazer boas novas sempre. Vê-lo rebolando o esqueleto, com os músculos de um rosto que não sorri há tempos, dançando na rua “I love to love (but my baby loves to dance)”, de Tina Charles (sempre pensei que essa canção fosse do ABBA), é dessas cenas que valem uma série inteira.



Doctor Foster é o peixe fora d’água aqui, em meio a essas séries de investigação criminal. Trata de traição, daquele dar de costas a um casamento de anos. A história envolve a gente, que fica ao lado da mulher, e o episódio final é tão surpreendente que até poderia ser inverossímil, se não fosse o ser humano a caixinha de Pandora que é; os personagens são bem construídos, e o enredo vai muito bem conduzido pela direção. É uma série que, por ser pouco conhecida e instigante, ao final, o espectador sai recompensado pela descoberta com uma pequena alegria, como aqueles 60 minutos que a gente pega de volta, no último dia do horário de verão.



Hinterland traz cemitérios celtas, assassinatos, equipes forenses e gente em migalhas. São apenas quatro episódios, com uma hora e meia de duração cada um. É sombria e mais galesa (Y Gwyll) que inglesa, misturando as duas línguas, algo que com legendas nem notamos, e o nome (hinterlândia) traz em si alguma coisa que situa o País de Gales bordejando a Inglaterra, como um perímetro distante da urbanidade de Londres e arredores, uma vez que a investigação criminal e o mistério ocorrem na roça, nos ermos vales sufocados pelo céu cinza do País de Gales.



Por fim Happy Valley, em sua segunda temporada. Mais uma vez a delegacia de polícia, mas com uma policial veterana que vai se tornando um duro osso de roer a quem não cai em sua graça, enquanto uma teia de transtornos, nela, vai acumulando fios. A mulher carrega um trauma e a cada dia tem de lidar com ele, com umas mortes escabrosas que vão pululando e com o tráfico de drogas local, tudo no interior inglês, com aqueles carros com o volante do lado errado; ah, e por causa do aparente frio eterno a roçar os ossos, sempre em desconforto, toda hora é adequada para se tomar uma xícara de chá, e como gostam de tea os personagens de Happy Valley. Até cabe um ponto de exclamação aqui.



Terminadas as férias, do lado de cá, na terra do sol onde este inverno de 2017 ainda continua a gelar a pele, uma xícara de chá não cai mal, enquanto no conforto e na proteção da casa nunca é tarde para rever algum episódio de Black Mirror, a cereja no arranha-céu das séries inglesas, com aquele retrato ácido de mal-estar da sociedade, de arrepiar os braços que nem quando a gente come um bolo de chocolate com overdose de açúcar.

Nota do Autor
Renato Alessandro dos Santos é editor do site tertuliaonline.com.br


Renato Alessandro dos Santos
Batatais, 1/8/2017


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Eu blogo, tu blogas? de Fabio Gomes
02. Os novos filmes de Iñárritu de Guilherme Carvalhal
03. Quando amor e terra quase se confundem de Elisa Andrade Buzzo
04. Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras (2) de Marilia Mota Silva
05. Por um 2015 sem carteiradas de Marta Barcellos


Mais Renato Alessandro dos Santos
Mais Acessadas de Renato Alessandro dos Santos em 2017
01. A imaginação do escritor - 25/4/2017
02. Manchester à beira-mar, um filme para se guardar - 3/10/2017
03. Um parque de diversões na cabeça - 30/5/2017
04. Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá? - 1/8/2017
05. Precisamos falar sobre Kevin - 5/12/2017


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TRATAMENTO ESTATÍSTICO DE DADOS EM FÍSICA EXPERIMENTAL
OTAVIANO A. M. HELENE / VITO R. VANIN
EDGARD BLUCHER
(1981)
R$ 19,90



O ALTO DA COLINA
IRWIN SHAW
CIRCULO DO LIVRO
(1979)
R$ 5,00



O ENIGMA DO OITO
KATHERINE NEVILLE
ROCCO
(2011)
R$ 43,00



SONHOS: RESPOSTAS DESTA NOITE PARA AS DÚVIDAS DE AMANHÃ - 12ª ED.
MARK THURSTON
PENSAMENTO
(1997)
R$ 10,00



POR TRÁS DOS MUROS - HORIZONTES SOCIAIS DO GRAFFITI (ARTES PLÁSTICAS)
GRAZIELA BEDOIAN E KÁTIA MENEZES
PEIRÓPOLIS
(2008)
R$ 15,00



FUNDAMENTOS DA FE CRISTA
JAMES M. BOICE
CENTRAL GOSPEL
R$ 70,00
+ frete grátis



MACROECONOMIA VOL. 2
MARIO HENRIQUE SIMONSEN
APEC
(1978)
R$ 12,00



RELAÇÕES SOCIAIS E SERVIÇO SOCIAL NO BRASIL
MARILDA IAMAMOTO , RAUL DE CARVALHO
CORTEZ
(1990)
R$ 35,00



FORTIES FASHION: FROM SIREN SUITS TO THE NEW LOOK
JONATHAN WALFORD
THAMES & HUDSON
(2011)
R$ 72,60



MEMORIAL DO AMOR & VACINA DE SAPO
ZÉLIA GATTAI
COMPANHIA DAS LETRAS
(2013)
R$ 29,50
+ frete grátis





busca | avançada
31589 visitas/dia
1,1 milhão/mês