Quente e aromática tradição | Arcano9 | Digestivo Cultural

busca | avançada
29950 visitas/dia
957 mil/mês
Mais Recentes
>>> Terça Aberta no Kasulo reúne trabalhos com temática LGBTQ
>>> 'O Que De Verdade Importa' chega aos cinemas com audiodescrição, legendas descritivas e LIBRAS
>>> Tejon e banda Rock For All apresentam hoje (23), em São Paulo,
>>> 'D. Quixote de La Mancha pelas mãos de Canato'
>>> Projeto nacional de educação musical estará em santos no próximo dia 24.10, em Guarujá 25.09 e Santo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O tigre de papel que ruge
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
>>> Cidades do Algarve
>>> Gosta de escrever? Como não leu este livro ainda?
>>> Assum Preto, Me Responde?
>>> Os olhos de Ingrid Bergman
>>> Não quero ser Capitu
>>> Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin
>>> Pra que mentir? Vadico, Noel e o samba
>>> De quantos modos um menino queima?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Casa de couro I
>>> Millôr no IMS Paulista
>>> A dignidade da culpa, em Graciliano Ramos
>>> O conservadorismo e a refrega de símbolos
>>> Ingmar Bergman, cada um tem o seu
>>> Em defesa do preconceito, de Theodore Dalrymple
>>> BRASIL, UM CORPO SEM ALMA E ACÉFALO
>>> Meus encontros com Luiz Melodia
>>> Evasivas admiráveis, de Theodore Dalrymple
>>> O testemunho nos caminhos de Israel
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cultura do remix
>>> Silenciofobia
>>> Uma vida para James Joyce
>>> Quanto custa rechear seu Currículo Lattes
>>> Santa Xuxa contra a hipocrisia atual
>>> Aborto
>>> Pirates of the Amazon
>>> 29ª Bienal de São Paulo: a politica da arte
>>> Apresentação
>>> UM OLHAR SOBRE A FILOSOFIA (PARTE FINAL)
Mais Recentes
>>> O Segredo das Crianças Felizes de Steve Biddulph pela Fundamento Educacional (2003)
>>> Criando Meninos de Steve Biddulph pela Fundamento Educacional (2002)
>>> Isto Não É Amor de Patrick J. Carnes pela Best Seller/ Círculo do Livro (1991)
>>> Vidas em Arco-Íris de Edith Modesto pela Record (2006)
>>> Guia de Orientação Sexual de Marta Suplicy et alii pela Casa do Psicólogo (1994)
>>> Sexualidade: A Difícil Arte do Encontro de Lidia Rosenberg Aratangy pela Ática (1996)
>>> Psicomotricidade: Da Educação Infantil à Gerontologia de Carlos Alberto Mattos Ferreira pela Lovise (2000)
>>> João do Rio - O dandi e a especulação de Raul Antelo pela Taurus (1989)
>>> O Português do Brasil - perspectivas da pesquisa atual de Wolf Dietrich e Volker Noll (orgs.) pela Vevuert /Iberoamericana (2004)
>>> Moderna Dramaturgia Brasileira de Sábato Magaldi pela Perspectiva (1998)
>>> Desafio aos Deuses de Peter L.Bernstein pela Campus/Elsevier (1997)
>>> Maus samaritanos- O mito do livre comércio e a história secreta do capitalismo de Chang,Ha-Joon pela Campus/Elsevier (2008)
>>> Os piores textos de washington olivetto de Editora planeta pela Planeta
>>> Tendencias contemporaneas de gestao de Jose meireles de sousa pela Pc editorial
>>> Transtornos bipolares,avances clinicos e terapeuticos. de E.vieta pela Novartis
>>> Estudos de politecnia e saude--4. de Mauricio monken pela Fio cruz
>>> Manual de gestao e programaçao financeira de pagamentos. de Carlos donato reis e jose vittorano neto. pela Edicta
>>> A cura e a saude pela natureza de Ernst schneider pela Casa
>>> Lexplication dans les sciences de la vie de Michel daune pela Centre national de la reicherche scientifique
>>> Motivaçao de equipes virtuais de Alfredo pires de castro pela Gente
>>> Passaporte para o mundo de Neloy caixeta pela Nova dinamica
>>> Origens do yoga antigo de De rose pela Nobel
>>> Gemeologia--o dilema. de Rodrigo carvalhedo. pela Barauna
>>> Contabilidade introdutoria--livro de exercicios. de Fea/usp pela Atlas
>>> Paradoxo global de John naisbitt pela Campus
>>> Doenças sexualmente transmissiveis de Humberto abrao pela Le
>>> O fator maia--um caminho alem da tecnologia de Jose argueles pela Cultrix
>>> Pesquisas sobre o sentido da vida de Paulo finotti pela Nao consta
>>> Milagres--uma exploraçao cientifica dos fenomenos paranormais. de Scott rogo pela Ibrasa
>>> Powershift--as mudanças do poder de Alvim toffler pela Record
>>> A cura quantica de Deepak chopra pela Best seller
>>> Sexo para leigos de Ruthk. westheimer pela Sexualide
>>> Ipad--o manual que faltava de J. d. biersdorfer pela Oreilly
>>> Sound blaster--o livro oficial de Peter m. rudge pela Mcgraw-hill
>>> Mac os x snow leopard de Steve johnson pela Prentice hell
>>> Engenharia de software de Helio engholm jr pela Novatec
>>> Vox Populi Vox... Wagen (Humorismo brasileiro) de Vários Autores pela Das Américas (1970)
>>> O melhor de S. Ponte Preta (Humorismo brasileiro) de Stanislaw Ponte Preta pela José Olympio (1997)
>>> Dois amigos e um chato (Humorismo brasileiro) de Stanislaw Ponte Preta pela Moderna (1986)
>>> Gol de Padre e outras crônicas (Literatura brasileira) de Stanislaw Ponte Preta pela Ática (2000)
>>> Máximas Inéditas de Tia Zulmira (Humorismo brasileiro) de Stanislaw Ponte Preta pela Codecri (1976)
>>> Tia Zulmira e Eu (Humorismo brasileiro) de Stanislaw Ponte Preta pela Circulo do Livro (1976)
>>> Febeapá 1 (Humorismo brasileiro) de Stanislaw Ponte Preta pela Circulo do Livro
>>> Sou Francisco Anysio: 15 obras (Humorismo/romance brasileiro) de Chico Anysio pela Circulo do Livro/Rocco/Sabiá (1990)
>>> Sou Francisco - Chico Anysio (Autobiografia) de Chico Anísio pela Rocco (1992)
>>> Chico Anysio em Salão de Sinuca (Humorismo brasileiro) de Chico Anísio pela Landscape (2004)
>>> Carapau (Romance brasileiro) de Chico Anísio pela Rocco (1978)
>>> Jesuíno, o Profeta (Fábula Brasileira) de Chico Anísio pela Rocco (1993)
>>> Negro Leo (Romance brasileiro) de Chico Anísio pela Rocco (1985)
>>> É mentira, Terta? (Humorismo brasileiro) de Chico Anísio pela Clube do Livro (1986)
COLUNAS

Segunda-feira, 9/4/2001
Quente e aromática tradição
Arcano9

+ de 2100 Acessos

Pontualmente às três e meia, numa tarde cinzenta como de costume, atravessei a porta giratória e tomei o saguão de entrada de chão de granito, recepção toda de madeira escura. Porteiros de cartola entrando e saindo, homens com cachimbos lendo jornal nas poltronas à direita. Frisos de mármore em alto-relevo logo acima das portas me fizeram lembrar do Partenon do Museu britânico. Segui em frente até o salão. Atendido por um cordial maître de fraque e gravata, caminhei até minha mesa, ao lado de um abajur verde e bem próximo do colega ao piano de cauda branco. Desabotoei o paletó. Hello sir, would you like to have some tea?, surpreendeu-me a loirinha com seu uniforme tailleur/saia até o joelho, tudo azul escuro. Respondi o óbvio e ela me perguntou se eu queria o tradicional. Dessa vez, respondi apenas com a cabeça. Ainda estava meio zonzo para puxar mais conversa. Zonzo com aquela luz aveludada, aquele cheiro de conforto. Contei: quatro candelabros imensos, um em cada um dos vértices daquele salão quadrado. No centro do salão, o pianista tocando uma peça erudita, provavelmente Chopin; ao redor do pequeno palco onde trabalha o artista, sofás salmão, mesinhas ovaladas de madeira e cadeiras muito macias, forradas com tecido. Contei as mesas vagas - quatro. Quatro de um salão com umas trinta mesas que, pensava eu, estaria vazio numa terça-feira. Não me perdi longamente nos meus pensamentos, pois a loirinha me acordou com a chaleira de porcelana branca com o símbolo em S do hotel. Milk in your tea, sir? Sim, sim, eu quero tudo. Tudo. Três pratos vieram em seguida, três pratos num único porta-pratos pequeno, de prata, deixado na mesa. O prato inferior com sanduíches pequenos, de salmão, atum, ricota. O do meio com docinhos franceses e o superior com scones (um pão doce típico inglês, com passas). O chá, claro, Earl Grey. Assim é o chá da tarde no hotel Savoy, da Strand.

Londres, buscando um chavão inevitável, é uma cidade de tradições. Mas não há, talvez, tradição mais profundamente enraizada no cotidiano dos ingleses do que o chá. Por que diabos os ingleses gostam tanto de chá? O outro dia, pegando um táxi, perguntei ao motorista e ele deu uma sonora risada. "Tem a ver com nossas ex-colônias, a Índia produz um chá muito bom", explicou ele, "mas hoje as pessoas estão se esquecendo de como se deve tomar chá. Você deve colocar primeiro um pouco de água fervente no copo, para a porcelana ficar na temperatura ideal. Depois põe o saquinho, ou de preferência diretamente a erva, e joga mais água. Aí, tem que deixar descansar por cinco, seis minutos, senão você vai estar tomando só água colorida. A cor vem rápido, mas o sabor demora um pouco", explicou ele.

Desde 1658 (quando o produto começou a ser vendido em Londres, a princípio como remédio), o chá passou por várias fases por aqui. De cara, a novidade conquistou o gosto popular, mas a igreja, argumentando que o produto vinha de países pagãos, disse que ele não deveria ser consumido. Médicos, erroneamente, acharam que a bebida fazia na verdade mal para a saúde e, para piorar, o lobby dos produtores de cerveja entrou em ação, temendo que o chá tomasse o lugar das ales como a bebida do inglês no café da manhã (isso mesmo... cerveja no café da manhã!). O resultado foi que, ainda no século XVII, o rei Charles II determinou que o produto fosse sobretaxado em 119%, o que tornou o consumo de chá impossível para a maior parte da população. Só na segunda metade do século XVIII, por volta de 1780, que a situação iria mudar. Nessa época, o hábito de tomar chá passou a ser visto como uma boa alternativa para combater o alcoolismo, problema sério no país, e a sobretaxa foi extinta. Surgiram os chamados tea gardens - amplos jardins onde muitas mulheres e alguns homens se reuniam para degustar suas infusões - e, por fim, nos tempos vitorianos, ganhou força a tal cerimônia do chá da tarde. Entre 1901 e 1914, a mania havia conquistado tamanha popularidade que alguns dos hotéis mais suntuosos da capital britânica serviam três refeições na hora do chá. E mais tarde viria o jantar e a ceia...

Perdido nos meus pensamentos sobre a história do chá em Londres, não deixei escapar a bela seqüência em meus ouvidos. Smoke Gets in your Eyes. Depois, The Way you Look Tonight. Por minha conta, vi meu velho amigo Astaire sentado ao piano, sorrindo e quase chorando, pedindo desculpas para minha doce Ginger, That laugh that wrinkles you nose, qual era mesmo o filme? Requinte. Colunas de granito sustentando o salão. O chá se desfaz no céu da boca. Muitas mulheres de mais de quarenta ao meu redor, a maioria das mesas tomadas por pares de amigas. Mas há também senhores com suas gravatas e mulheres mais jovens com seus namorados. E as inevitáveis velhinhas, esplendorosas, revisitando o brilho de suas vidas, com seus lindos chapéus coloridos, andando devagar mas dando pulos de excitação. Este é um mundo de sonho. Are you all right, Sir? Sim, tudo bem, tudo muito bem.

Ir a um chá da tarde em um algum dos principais hotéis de Londres é, enfim, uma experiência inesquecível, pela qual toda pessoa deveria passar uma vez na vida. Você não precisa ser um milionário para ir ao Savoy. Nem um well-to-do para freqüentar o Ritz. Basta reservar um dinheiro, vestir seu terno e gravata ou seu vestido mais bonito e preparar os olhos, a língua, os ouvidos. Alguns lugares seguem com mais rigor a restrição à roupa, outros menos. Mas você não vai fazer o papelão de ir a um desses lugares com tênis e bermuda, né? Eu me produzi e passei duas horas como um rei no Savoy. A revista Time Out, um dos principais guias culturais de Londres, diz o seguinte: se você quer o interior mais suntuoso, deve tomar seu chá da tarde no Waldorf Meridien; se quer o melhor pianista ou os melhores docinhos, vá ao The Dorchester; o melhor serviço, ao Claridge's, e se você quer o lugar mais popular, ao The Ritz. Na dúvida, faça como eu, vá ao Savoy e transpire requinte e sofisticação.

Vinte e duas libras mais pobre, atravessei de volta o portal para o resto do planeta. Havia chovido e eu nem percebi. A Strand estava lotada. Nossa. Como o mundo pode ser um lugar muito melhor...

Para ir além

Mesas para o chá da tarde podem (e devem) ser reservadas com antecedência. O preço depende do hotel, mas não fica mais de 30 libras por pessoa. O horário também depende do hotel, mas a maioria serve o chá entre as 15h e 18h.

* Waldorf Meridien - Aldwych WC2. Perto do metrô Temple.
* The Dorchester - 54 Park Lane W1. Perto do metrô Hyde Park Corner.
* Claridge's - Brook Street W1. Perto do metrô Bond Street.
* The Ritz - Piccadilli W1. Perto do metrô Green Park.
* Hotéis cinco estrelas de Londres


Arcano9
Londres, 9/4/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A noite em que Usain Bolt ignorou nosso Vinicius de Elisa Andrade Buzzo
02. Notas confessionais de um angustiado (I) de Cassionei Niches Petry
03. A odisseia do homem tecnomediado de Guilherme Mendes Pereira
04. Lynch, David de Vicente Escudero
05. Da necessidade de dizer a que vim de Alessandro Garcia


Mais Arcano9
Mais Acessadas de Arcano9 em 2001
01. Duas formas de perder a virgindade no West End - 5/3/2001
02. O que realmente importa - 17/12/2001
03. Quando road movie encontra inocência adolescente - 19/3/2001
04. Concurso de popstars mostra novo caminho na TV - 19/2/2001
05. Ler ao acaso - 19/11/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COMO CRIAR UMA VIDA ENCANTADA
VICTORIA MORAN
ROCCO
(2002)
R$ 16,90



ODEIO REUNIÕES
STEPHEN BAKER
MELHORAMENTOS
(1995)
R$ 6,00



PAPER PLEASURES: FROM BASIC SKILLS TO CREATIVE IDEAS
FAITH SHANNON
MITCHELL BEAZLEY PUBLISHERS
(1990)
R$ 119,00



AQUELA MESMA PAISAGEM
LIDIANE NUNES
KALANGO
(2013)
R$ 10,00



FAÇA SEU TESTE - TOMO 4
LUIZ FAUSTO FERREIRA / PÉRSIO TOLEDO OLIVEIRA
MESTRE JOU
(1974)
R$ 8,00



O AVESSO DAS COISAS
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
RECORD
(1997)
R$ 12,90



MANGÁ HITMAN - MATADOR POR ACASO 1
HIROSHI MUTOU
SAMPA ARTE / LAZER
R$ 8,99



ASPIRE UPPER-INTERMEDIATE STUDENTS BOOK - COM DVD
PAUL DUMMETT E OUTROS
CENGAGE
(2013)
R$ 106,90



VITRAIS DO MUNDO
WALDEMAR VALLE MARTINS
LOYOLA
(1999)
R$ 5,00



A CIOCIARA - GRANDES SUCESSOS
ALBERTO MORAVIA
ABRIL CULTURAL
(1983)
R$ 8,00





busca | avançada
29950 visitas/dia
957 mil/mês