Matinê sem limite de idade | Rennata Airoldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
205 mil/dia
2,9 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Espetáculo inspirado na vida cotidiana do Bixiga volta ao cartaz comemorando 28 anos do Teatro do In
>>> Semana Gastronômica do Granja
>>> Mulheres em meio ao conflito:sobre inclusão, acolhimento e sororidade incondicional
>>> Arsenal da Esperança faz ensaios de teatro com moradores em situação de rua
>>> Vem pra Feira do Pimp Estoque: Economia Circular com catadoras, catadores e artistas!
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
>>> O tipógrafo-artista Flávio Vignoli: entrevista
>>> Deixe-me ir, preciso andar, vou por aí a procurar
>>> Olimpíada de Matemática com a Catarina
>>> Mas sem só trapaças: sobre Sequências
>>> Insônia e lantanas na estreia de Rafael Martins
Colunistas
Últimos Posts
>>> Inteligência artificial e o fim da programação
>>> Temer fala... (2023)
>>> George Prochnik sobre Stefan Zweig (2014)
>>> Hoffmann e Khosla sobre inteligência artificial
>>> Tucker Carlson no All-In
>>> Keleti: de engenheiro a gestor
>>> LeCun, Bubeck, Harris e a inteligência artificial
>>> Joe Satriani tocando Van Halen (2023)
>>> Linger by IMY2
>>> How Soon Is Now by Johnny Marr (2021)
Últimos Posts
>>> Toda luz que não podemos ver: política e encenação
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Culpa não tem rima
>>> As duas faces de Janus
>>> Universos paralelos
>>> A caixa de Pandora do século XX
>>> Adão não pediu desculpas
>>> No meu tempo
>>> Caixa da Invisibilidade ou Pasme (depois do Enem)
>>> CHUVA
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Defesa dos Rótulos
>>> A história de cada livro
>>> O poeta do pesadelo e do delírio
>>> Além do Mais em 2004
>>> Sites que mudaram o mundo
>>> Textos, contextos e pretextos
>>> Dicas da Semana
>>> 19 de Abril #digestivo10anos
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> O perfeito cozinheiro das almas deste mundo
Mais Recentes
>>> Quintino Cunha e Outros: Antologia Cultural de Plautus Cunha (encontro das águas rios negro e solimões pela Angelo Accetti (1974)
>>> Química Geral Volume I de Ricardo Feltre pela Atual (1996)
>>> Piloto de Guerra - biblioteca do espírito moderno vol 15 de Antoine de Saint-Exupéry tradução de Monteiro Lobato pela Companhia das Letras (1943)
>>> Matemática - Ciência e Aplicações 1 Ensino Médio de Gelson Iezzi-osvaldo Dolce pela Atual (2001)
>>> Matemática Ciência e Aplicações 2 Ensino Médio de Gelson Iezzi-osvaldo Dolce pela Atual (2004)
>>> Biologia Segundo Grau e Vestibulares de Albino Fonseca pela Ática (1980)
>>> Economia - Micro e Macro de Marco Antonio Sandoval de Vasconcelos pela Atlas (2002)
>>> Estatística Aplicada Economia, Administração e Contabilidade de John E. Freund - Gary A. Simon pela Bookman (2000)
>>> Martini Seco - série rosa dos ventos de Fernando Sabino pela Ática (1987)
>>> Estatística - Coleção Schaum de Murray R. Spiegel pela McGraw-Hill do Brasil (1971)
>>> Administração de Recursos Humanos - Fundamentos Básicos de Idalberto Chiavenato pela Atlas (2003)
>>> Trabalhadores - Profissões do Brasil de Humberto Medeiros - Patrícia Henriques Mafra pela Aon (2008)
>>> A Polícia Que Queremos de João Carlos Pereira pela Do Autor (2011)
>>> Os 27 desafios que todo chefe deve enfrentar de Bruce Tulgan pela Sextante (2015)
>>> Design para crescer - aprenda com a Coca-Cola sobre escala e agilidade de David Butler - Linda Tischler pela Campus (2015)
>>> Implantando uma Empresa de Cesar Simões Salim e outros pela Elsevier - Campus (2011)
>>> Competências - conceitos e instrumentos para a gestão de pessoas na empresa moderna de Joel Souza Dutra pela Atlas (2013)
>>> Um novo jeito de trabalhar de Laszlo Bock pela Sextante (2015)
>>> Pipeline de Desempenho de Stephen Drotter pela Campus (2011)
>>> Nocaute - Como contar sua historia no disputado ringue das redes sociais de Gary Vaynerchuk pela Hsm (2016)
>>> Liderança - a inteligência emocional na formação do líder de sucesso de Daniel Goleman pela Objetiva (2015)
>>> Excelência em atendimento ao cliente de Alexandre Luzzi Las Casas pela M.books (2012)
>>> 100 Maneiras de motivar as pessoas de Steve Chandler - Scott Richardson pela Sextante (2008)
>>> Lições de Impacto e Inovação - O executivo transformador no jogo da indústria de Jeffrey J. Fox - Robert Reiss pela Rocco (2014)
>>> ( Re ) Descobrindo A Matriz Nine Box de Rogerio Leme pela Qualitymark (2013)
COLUNAS

Quarta-feira, 27/3/2002
Matinê sem limite de idade
Rennata Airoldi
+ de 3000 Acessos

Há por parte da maioria das pessoas, incluindo a própria classe artística, um certo preconceito em relação aos espetáculos dirigidos ao público “infantil” ou “infanto- juvenil”. Não temos como apontar uma única causa para isto, mas a verdade é que muitos espetáculos infantis são tão desprovidos de qualidade que seriam melhor classificados como infantilóides. São histórias mal contadas, quase sempre sem muito conteúdo e de produção precária. O principal erro, no entanto, é tratar a criança como alguém incapaz de compreensão acima do burlesco e que se satisfaz com qualquer espetáculo.

Assim, ao levar um filho ao teatro o pai ou o acompanhante, deparando com esse tipo de produção, sai simplesmente indignado recusando-se a repetir o programa. Daí a importância de que as boas produções sejam adequadamente divulgadas. Acredito que um bom espetáculo infanto – juvenil ou infantil é simplesmente um espetáculo de censura livre. Deve mexer sim com o imaginário da criança, com situações educativas e que acima de tudo, desenvolvam o intelecto delas e não resumam tudo a “era uma vez e foram felizes para sempre...”.

Formas inovadoras acontecem em alguns espetáculos que fogem dos padrões convencionais, dos simples contos de fadas e trazem para cena histórias criativas e sensações extraordinárias. A criança sente-se instigada a participar do jogo e fantasiar junto com os atores; os adultos acompanhantes transformam-se em crianças e se deixam levar pelo ambiente lúdico. É este, sem dúvida, o mérito maior de um bom espetáculo de censura livre que transforma-se numa matinê sem limite de idade.

“Ufa, Que Perigo!”, direção de Roberto Lage e “Wild’ Stories,” direção de Alexandre Stockler, são dois bons exemplos que valem a pena ser conferidos. Apesar de bem distintos tanto na história quanto na linguagem utilizada para contá-la, são grandes espetáculos para qualquer idade.

No primeiro observa-se uma fusão entre histórias em quadrinhos e a boa comédia musical. Tudo é muito colorido e exagerado, o que faz com que a platéia seja facilmente transportada para uma cidade fictícia , Souzalândia, onde o pânico faz com que seus moradores queiram recorrer a super- heróis, em constante vigilância, na tentativa de se sentirem protegidos dos males da grande cidade. Quem não adoraria ter por perto um “Superetc” para nos livrar dos assaltos, seqüestros relâmpagos e de todos os crimes impunes que presenciamos hoje em dia? Aqui, ficção e realidade não são meras coincidências.

O mais importante, porém, é que tudo é apresentado de maneira sutil, engraçada, bem humorada. Os atores têm um trabalho minucioso em cena. Toda e qualquer ação cênica tem medida exata e, através de um simples jogo, -com cadeiras e poucos objetos-, criam-se em cena diferentes ambientes e situações hilárias. Devo mais uma vez parabenizar os dirigentes do espaço Ágora e seu núcleo de criação que sempre realiza seus trabalhos com foco no ator. Fica claro que, partindo de um bom texto, um bom elenco sob uma boa direção é a única coisa realmente imprescindível para se obter um bom espetáculo.

“Wild’ Stories”, contos de fantasia, é um maravilhoso jogo de sensações. Baseado em dois contos de Oscar Wilde, a fábula adaptada e dirigida por Alexandre Stokler, com criação assinada também por Lavínia Pannunzio, é o terceiro espetáculo do projeto A obra de arte está no espectador, vencedor do Prêmio Estímulo 2001. Um espetáculo que conta a história de um estudante apaixonado, que não compreendendo seu amor por uma jovem, acaba por torna-se um ser amargo, triste, perdendo a juventude e transformando-se num gigante condenado a viver num longo e tenebroso inverno. Com utilização de manipulação de objetos, imagens, sons, um universo lúdico envolve o espectador, transportando-o para um mundo imaginário, criativo e sensorial onde as metáforas e transformações acontecem de maneira surpreendente. Tudo isso ocorre num espaço cênico não convencional.

É realmente uma experiência enriquecedora não só para as crianças, mas também para os adultos. Sons, luzes, objetos que se deslocam, sombras e aromas. Todos os sentidos são solicitados no decorrer do espetáculo. Tudo isso faz de “Wild’ Stories” um espetáculo simples e emocionante, para qualquer idade

Aqui temos, sem dúvida, uma direção e atuação muito bem casadas. O mais importante é que uma simples história, dependendo da forma como é contada, torna-se uma grande vivência. Faz com que reflitamos sobre nossas vidas, sobre as mensagens escondidas atrás de palavras simples, sobre analogias que nos surpreendem. Tudo aquilo que toca as pessoas é universal, é igual para qualquer ser humano em qualquer lugar a qualquer hora. É assim que, sem perceber, somos arrebatados por esses contos de fantasia.

Feitas essas colocações, quero ressaltar que estes dois espetáculos são primorosos e dignos de serem apreciados não só pelas crianças, mas por todos nós! Aí ficam, portanto, duas dicas de ótimas matinês. Se você acha que vai ficar constrangido indo ao teatro à tarde, o que eu considero uma grande bobagem, recrute um filho de um amigo, um sobrinho, uma criança do bairro, caso ainda não tenha filhos para levar. Tenho certeza que vocês não irão se arrepender: nem você, nem a criança!

Assim, fica claro que o bom espetáculo não tem idade. Tantos espetáculos adultos, ditos intelectualizados muitas vezes não nos comovem nem nos tocam tanto como estes. Lanço assim a campanha: “Matinê sem Idade!!!” Confiram.

“Ufa, Que Perigo!!!”, direção Roberto Lage Teatro Ágora, Rua Rui Barbosa, 672, Sáb. e Dom. às 16h00 Informações: (11)3284- 0290

“Wild’ Stories”, direção Alexandre Stockler Centro Cultural São Paulo, Rua Vergueiro 1000 , Sala Jardel Filho Sáb. e Dom. às 15h00 Informações: (11) 3277-3611


Rennata Airoldi
São Paulo, 27/3/2002

Quem leu este, tambm leu esse(s):
01. Um livro para Fernando Morais de Guilherme Pontes Coelho
02. Cinzas e sombras de Vicente Escudero
03. Propostas para o nosso milênio (II) de Marcelo Spalding
04. O detetive Alyrio e as paisagens noturnas de Fabio Silvestre Cardoso
05. Minhas férias de Eduardo Carvalho


Mais Rennata Airoldi
Mais Acessadas de Rennata Airoldi em 2002
01. Saudosismo - 10/7/2002
02. Cartas que mudaram a História! - 10/4/2002
03. Do primeiro dia ao dia D - 13/3/2002
04. A Nova Hora, A Hora da Estrela! - 6/3/2002
05. Enfim: Mário Bortolotto! - 25/9/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro Literatura Estrangeira Inferno
Dan Browm
Arqueiro
(2016)



Livro Infanto Juvenis A Colcha de Retalhos
Conceil Correa da Silva e Nye Ribeiro Silva
Do Brasil
(1995)



A garota americana (Vol. 1)
Meg Cabot
Galera
(2004)



Construir o Homem e o Mundo
Michel Quoist
Livraria Duas Cidades
(1973)



Longe de Manaus
Francisco José Viegas
Record
(2007)



Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim...
Paulo Sergio Valle
Litteris
(2008)



Histórias e Conversas de Mulher
Mary Del Priore
Planeta
(2013)



Livro Infanto Juvenis Novo Final da História
Mirna Pinsky
Companhia das Letras
(2004)



Contabilidade para Administradores
Helio de Paula Leite
Atlas
(1997)



O Legado de um Pai
João Rubens Fagundes; Michelle Werder
Meta
(2016)





busca | avançada
205 mil/dia
2,9 milhões/mês