Do Luxo ao Lixo | Rennata Airoldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
49702 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> De Kombi na Praça - Pateo do Collegio
>>> Primeiras edições de Machado de Assis são objeto de exposição e catálogos lançados pela USP
>>> Projeto lança minidocumentário sobre a cultura do Gambá na Amazônia
>>> Cinema itinerante leva sessões gratuitas a cidades do Sudeste e do Sul
>>> Artistas abrem campanha de financiamento para publicação de graphic novel
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
Colunistas
Últimos Posts
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
Últimos Posts
>>> Direitos e Deveres, a torto e a direita
>>> Os chinelos do Dr. Basílio
>>> Ecléticos e eficazes
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Descartável
>>> Sorria
>>> O amor, sempre amor
>>> The Boys: entre o kitsch, a violência e o sexo
>>> Dura lex, só Gumex
>>> Ponto de fuga
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Hasta la vista, baby
>>> O amor é importante, porra
>>> Por uma arquitetura de verdade
>>> O criador do algoritmo do YouTube
>>> Cisne Negro: por uma inversão na ditadura do gozar
>>> Filosofia teen
>>> Extraordinary Times
>>> O melhor programa cultural
>>> As estrelas e os mitos
>>> Open Culture
Mais Recentes
>>> Maria a Vida Toda de Paulo Castelo Branco pela Dom Quixote (2004)
>>> Sociedades tribais de Marshall D. Sahlins pela Zahar (1983)
>>> União soviética: Há socialismo nisto? de Vladimir Palmeira pela Marco zero (1982)
>>> Nacionalismo, Retórica "socialista" e Marxismo na América Latina de Juan Dal Maso pela Iskra (2013)
>>> Gringo de Airton Ortiz pela Record (2012)
>>> Veronika decide morrer de Paulo Coelho pela Klick (1998)
>>> O outro davos de François Houtart e François Polet pela Cortez (2002)
>>> Brasília Ideologia e Realidade Espaço Urbano Em Questão de Aldo Paviani pela Cnpq (1985)
>>> Brasil: Radiografia de um modelo de Nelson Werneck Sodré pela Vozes (1975)
>>> Trabalhadores pobres e cidadania de Nair Heloisa Bicalho de Sousa pela EDUFU (2007)
>>> País brilhantes, professores fascinantes de Augusto Cury pela Sextante (2003)
>>> I Fratelli Karamàzov Vol Primo de Fedor M Dostoevskij pela Club Degli
>>> A semana II - Obras completas de Machado de Assis pela Globo
>>> Um reformismo quase sem reformas de Valério Arcary pela Sundermann (2011)
>>> A esquerda e o movimento operário 1964-1984 volume 3 de Celso Frederico pela Oficina de livros (1991)
>>> Casório?! de Marian Keyes pela Bertrand Brasil (2005)
>>> As esquinas perigosas da história de Valério Arcary pela Xamã (2004)
>>> O Zahir de Paulo Coelho pela Rocco (2005)
>>> Marxismo Soviético - uma Análise Crítica de Herbert Marcuse pela Saga (1969)
>>> A Fortaleza de Sharpe de Bernard Cornwell pela Record (2005)
>>> O demônio e a srta. Prym de Paulo Coelho pela Rocco (2003)
>>> A carga de Mary Westmacott pela Nova fronteira (1956)
>>> A energia do dinheiro de Glória Maria Garcia Pereira pela Gente (2001)
>>> O Combate Sexual da Juventude Comentado de Gilson Dantas pela Iskra/centelha Cultural (2011)
>>> As armas da crítica de Emir Sader e Ivana Jinkings pela Boitempo (2012)
COLUNAS

Quarta-feira, 24/4/2002
Do Luxo ao Lixo
Rennata Airoldi

+ de 2000 Acessos

A vida nos prega peças o tempo todo. E também por isso ela é tão surpreendente e maravilhosa. Esta afirmação pode parecer contraditória diante do título de minha coluna, que a princípio parece um pouco "deprê" ou amargo. Não é nada disso; sempre falo que a realidade é quem ensina, sendo ela muito boa ou nem tanto assim. A vivência é o que importa. O que fica em cada centímetro de nossa pele: cada arranhão, cada ruga, cada lágrima que escorre, cada sorriso que brota sem medo... É assim que nossos momentos bons e ruins se somam e fazem de nossas vidas esse pulsar incessante e quase infinito. É o sangue que corre em nossas veias, que esfria num susto e que aquece, que ferve num orgasmo... Não importa, o que vale na vida é ser feliz.

É buscar incansavelmente tudo aquilo que nos faz sentir parte deste mundo e parte de tudo o mais que não sabemos explicar. Pausa... Desculpem-me se "viajei" demais nas minhas filosofias, mas tudo faz parte de uma breve introdução que tive de fazer antes de falar sobre uma experiência pessoal. Calma, não vou falar nada assustador, nem transformar esta coluna numa terapia em grupo. É só uma idéia, que um certo "alguém" me deu ( coloco assim pois ele saberá identificar isto), a partir de uma conversa que tivemos há alguns dias por telefone. Os que já acompanham minha Coluna sabem que sou atriz. Aos que são marinheiros de primeira viagem, uma saudação: muito prazer, meu nome é Rennata Airoldi e sou ATRIZ.

Aqui começa meu assunto propriamente dito. Bem, ultimamente, devo dizer que nosso "pseudo-mercado" está uma lástima. Pouco trabalho, muitos intrometidos e muitos atores desempregados na geladeira, ibernando num longo e tenebroso inverno... Eu sou uma dessas pessoas. Uma atriz desempregada com muitos projetos na chocadeira, por falta de patrocínio, ajuda financeira e estrutural. Até aí, sou só mais um entre milhões de desempregados neste País.

Assim é preciso ter jogo de cintura e criatividade para correr atrás do prejuízo. Então, como muitos de meus colegas, comecei a fazer "bicos" como garçonete. Não num restaurante específico mas em uma empresa que promove eventos, coquetéis, festas, etc. É um trabalho braçal e ao mesmo tempo muito interessante. As pessoas que trabalham com você a cada festa ou evento mudam. Sempre têm histórias diferentes e parecidas com a sua. Uma jornalista, um fotógrafo, um estudante, e por aí vai. Todos em busca de algum troco a mais. A verdade é que é um trabalho bem cansativo: bandejas pesadas, muitas vezes bêbados e pessoas mal educadas a serem servidas, homens engraçadinhos, ou seja, uma enorme fauna e flora a ser explorada. Posso pensar pelo lado positivo que é uma experiência maravilhosa, inclusive para a pesquisa de "personagens".

Não significa que eu vá sair por aí, a cada festa, anotando as figuras que conheço, mas o trabalho do ator faz parte do ser humano, e da observação do mesmo em seu meio de ação. Claro que eu gostaria de estar num palco e não servindo as pessoas, mas há que se fazer certos acertos a fim de que a vida prossiga e o sonho não se perca. Confuso? O que quero dizer é que quando somos apaixonados por aquilo que fazemos, coisas menores, certos "sacrifícios" fazem parte. (Plagiando horrivelmente o a mais nova celebridade brasileira, Kléber Bambam...)

Na verdade, nós atores estamos sujeitos a muitos altos e baixos no decorrer de nossa carreira. O outro lado desta história vem agora. Numa mesma semana em que trabalhei como garçonete, fui com uma amiga a uma festa como convidada. Era o lançamento de um carro, com promoção de uma rádio famosa. Nessa festa, somente a nata das celebridades da mídia, e alguns anônimos (como eu e minha amiga). Nessa festa haveria também um show do Cidade Negra. Tudo estava muito engraçado, pois é surpreendente o teatro das pessoas diante das câmeras ligadas. Eu já me sentia um pouco cúmplice dos garçons que passavam com as pesadas bandejas de canapés.

Então fiz um comentário para minha amiga: "Vê só, ontem servindo, hoje sendo servida... é a vida!!!" Assim, estávamos nos divertindo nessa incrível boca livre regada a bebidas e canapés. Tudo corria muito bem quando, de repente, a grande surpresa... Eles chegaram!!! Uma multidão aglomerava-se: fotos, câmeras, luzes, seguranças. O tumulto estava armado e... para quem? Para o presidente? Não! Para o pessoal do Big Brother!!! Pode? Então eles se dirigiram às suas mesa, como se fossem grandes celebridades, acenaram para as pessoas como se fossem pop stars. Na volta, muitos seguranças, afinal eles são a bola da vez! (Desculpe se alguém for "fazer careta" enquanto lê esta Coluna, mas me deu vontade de vomitar. Foi bem essa a sensação. Acho que o resto nem é preciso comentar, seria muito redundante...)

Meu consolo, e de muitos que buscam um sonho, é que: quem sabe o que quer constrói um caminho, um alicerce, no qual erguerá sua casa, concreta, firme, de estrutura inabalável. Assim, por mais que, às vezes, tudo pareça estático, sem saída, sem uma luz no fim do túnel, não passa de ilusão. Tudo se move o tempo todo, mesmo quando não prestamos atenção. O importante é seguir sempre, e saber encarar as dificuldades com muito bom humor e criatividade. Como diz o sábio ditado popular: "O que é do homem, o bicho não come!"


Rennata Airoldi
São Paulo, 24/4/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Como era gostoso assistir à Sex and the City de Elisa Andrade Buzzo
02. Eleições Americanas – fatos e versões de Fabio Silvestre Cardoso
03. Escrever para não morrer de Andréa Trompczynski


Mais Rennata Airoldi
Mais Acessadas de Rennata Airoldi em 2002
01. Cartas que mudaram a História! - 10/4/2002
02. Saudosismo - 10/7/2002
03. Do primeiro dia ao dia D - 13/3/2002
04. Enfim: Mário Bortolotto! - 25/9/2002
05. A Nova Hora, A Hora da Estrela! - 6/3/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Teorias e Políticas de Gênero na Contemporaneidade
Marlene Tamanini
Ufpr
(2017)



Start a craft - Decoupage
Lesley Player
Apple
(1996)



A ladeira da saudade
Ganymédes José
Moderna
(1983)



Os cadernos de don Rigoberto
Mario Vargas Llosa
Companhia das Letras
(1997)



A Qualificação da Escola
F. Javier Murillo
Artmed
(2007)



The Puppy Place - Maggie and Max
Ellen Miles
Scholastic
(2007)



Clássicos da Democracia 12 - a Democracia Em Ação
Francis Hankin
Ibrasa
(1963)



Fora de Série
Morris West
Círculo do Livro



O Que é Capital Internacional - Coleção Primeiros Passos
Rabah Benakouche
Brasiliense
(1982)



7 Orações Que Vão Mudar Sua Vida
Stormie Omartian
Thomas Nelson Brasil
(2007)





busca | avançada
49702 visitas/dia
2,0 milhão/mês