Jornal e salsicha | Daniela Sandler | Digestivo Cultural

busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> Brandenburg Concertos (1 - 6)
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Frankenstein de Mary Shelley
>>> Christian Barbosa no MitA
>>> Obama e o oba-oba
>>> E se Amélia fosse feminista?
>>> O que é ser jornalista?
>>> Toda forma de amor
>>> O filósofo da contracultura
>>> Oderint Dum Metuant
>>> Beleza e barbárie, ou: Flores do Oriente
>>> A fragilidade dos laços humanos
Mais Recentes
>>> Trotski - O Profeta Banido de Isaac Deutscher pela Civilização Brasileira (1984)
>>> Nos Tempos de Getúlio: Da Revolução de 30 ao Fim do Estado Novo de Sonia de Deus Rodrigues Bercito pela Atual/ Sp. (1995)
>>> De Getulio a Getúlio: o Brasil de Dutra e Vargas (1945 a 1954) de Francisco Fernando Monteoliva Doratioto (e outro) pela Atual/ Sp. (1995)
>>> Indústria, Trabalho e Cotidiano: Brasil (1889-1930) de Maria Auxiliadora Guzzo de Decca pela Atual/ Sp. (1996)
>>> Indústria, Trabalho e Cotidiano: Brasil (1889-1930) de Maria Auxiliadora Guzzo de Decca pela Atual/ Sp. (1991)
>>> Império do Café: a Grande Lavoura do Brasil (1850 a 1890) de Ana Luiza Martins pela Atual/ Sp. (1995)
>>> Império do Café: a Grande Lavoura do Brasil (1850 a 1890) de Ana Luiza Martins pela Atual/ Sp. (1994)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Código da Vida - Fantástico Litígio Judicial de Uma Família de Saulo Ramos pela Planeta (2008)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1991)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1993)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1993)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Contabilidade introdutória de Sergio Iudicibus, Stephen e outros pela Atlas (1977)
>>> Language Its Nature - Development and Origini de Otto Jespersen, (Prof. Univ. Coppenhagen)./ pela George Allen & UnwinnLtd/London (1949)
>>> El Espejo y La Lámpara: Teoría Romántica y Tradición Clásica de M. H. Abrams pela Eitorial Nova/ Argentina (1962)
>>> Clause Sauf Encaissement de Casimir Pajot pela Librairie Nouvelle de Droit Et de Jurisprudence (1891)
>>> Catolicismo para Leigos de John Trigilio e Kenneth Brighenti pela Altabooks (2008)
>>> Estudos Sobre Sucessões Testamentária de Orosimbo Nonato pela Forense (1957)
>>> Los Caminos Actuales de La Critica (Encadernado) de René Girard/ G. W. Ireland/ Jacques Leenhardt... pela Planeta/ Barcelona (1969)
>>> Instituições de Direito Civil Portuguez de M.A. Coelho da Rocha pela Garnier Livreiro (1907)
>>> Régimen Argentino de la Propiedad Horizontal de José A. Negri pela Arayú (1953)
>>> Enciclopédia de Cultura de Joaquim Pimenta pela Freitas Bastos (1963)
>>> Direitos de Família de Lafayette Rodrigues Pereira pela Freitas Bastos (1945)
>>> Demarcação Divisão Tapumes de Alfredo de Araujo Lopes da Costa pela Bernardo Alves S.A. (1963)
>>> Consultor Civil de Carlos Antonio Gordeiro pela Garnier (1913)
>>> El Derecho de Familia en La Legislacion Comparada de Luis Fernandez Clerico pela Hispano Americana (1947)
>>> Estudos de Direito Civil de Manoel Martins Pacheco Prates pela São Paulo (1926)
>>> Direitos Reaes de Garantia de J.L. Ribeiro de SouSa pela C. Teixeira
>>> Obrigações de Pagamento em Dinheiro (Três Estudos) de Paulo Barbosa de Campos Filho pela Jurídica e Universitária (1971)
>>> Teoria e Pratica dos Testamentos de Manoel Ubaldino de Azevedo pela Saraiva (1965)
>>> Les Groupements D' Obligataires de Albert Buisson pela Librairie Générale de Droit et de Jurisprudence (1930)
>>> Novo Código Civil Anotado Volume II ( Direito das Obrigações) de J.M.Leoni Lopes de Oliveira pela Lumen Juris (2002)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 6 ) Direito das Sucessões de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1964)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 5 ) (Direto das Obrigações 2ª parte) de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1991)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 4 ) Direito das Obrigações de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (2019)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 3 ) Direito das Coisas de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1991)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 2 ) Direito Família de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1992)
>>> Curso de Direito Civil ( Parte Geral) Volume 1 de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1964)
>>> Usucapião de Imóveis de Lourenço Mario Prunes pela Sugestões Literárias S/A
>>> Instituições de processo Civil (Volume VI) de Caio Mário da Silva Pereira pela Forense (2007)
>>> Direito Civil Volume 6 de Silvio Rodrigues pela Saraiva (2004)
>>> O Pensamento Vivo de Einstein (Edição Ilustrada) de José Geraldo Simões Jr.: (Pesquisa e Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Direito Civil Volume 2 de Silvio Rodrigues pela Saraiva (2002)
>>> Posse o Direito e o Processo de Guido Arzua pela Revista dos Tribunais (1957)
>>> Estudo da Posse e das Acções Possessorias de Leopoldino Amaral Meira pela Livraria Academica (1928)
>>> Acção Possessória de J.M. de Azevedo Marques pela São Paulo (1923)
>>> O Direito de Ação e o Modo de Execê-lo de Ataliba Vianna pela Forense (1969)
>>> O Pensamento Vivo de Darwin (Edição Ilustrada) de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
COLUNAS

Quarta-feira, 20/6/2001
Jornal e salsicha
Daniela Sandler

+ de 4500 Acessos

Não sei se vocês já ouviram aquela comparação do jornal e da salsicha - provavelmente não, acho que é "piada interna" de jornalista. Diz que jornal é como salsicha: se você soubesse como um e outra são feitos, nunca mais os consumiria. Eu trabalhei na redação de um grande jornal por quase um ano e, enquanto estava lá, fui impregnada por esse "auto-sarcasmo", ou cinismo, como queiram chamar. Vi como muitos textos são feitos às pressas; como não há tempo ou condições para se dedicar às reportagens; como o parco salário, a sobrecarga de trabalho e a pressão exagerada esgotam os neurônios e a criatividade; e como há gente despreparada falando de coisas importantes.

Não que todo mundo seja assim (se eu me achasse incompetente, não teria estado lá nem aqui). Mas, no mínimo, a gente começa a duvidar da própria relevância social. Eu escrevia sobre ciência. No fim, eu me perguntava se eu fazia diferença. Será que alguém me lia? E se lesse, será que, no dia seguinte, esqueceria?

Não surpreende que o cinismo seja tão comum entre jornalistas. A obrigação de escrever sempre sobre o novo (ou sobre o que parece novo) faz com que as notícias se sucedam sem que nenhuma pareça ter importância intrínseca, tendo valor apenas em sua novidade momentânea. No fim, vira tudo um "e daí?"...

Mas nesse feriado que passou eu tive uma iluminação. Ou melhor, uma "lembração". Lembrei por que resolvi ser jornalista em primeiro lugar: achava que poderia ajudar a melhorar a sociedade e a pôr luz nas coisas "erradas". Lembrei-me disso não como jornalista, nem mesmo como leitora, mas, por assim dizer, quando me vi do outro lado do balcão.

O motivo pode parecer prosaico. No domingo de feriado, a Nordeste, companhia aérea pela qual eu voaria de Salvador a São Paulo, confirmou o vôo de 140 passageiros para um avião em que só cabiam 117. Pelo número, já não é nem caso de overbooking, mas de irregularidade e mau-caratismo (ou de incompetência absoluta). Total desrespeito aos passageiros, uma sucessão de erros, nenhum preparo para lidar com a situação, omissão deliberada de informações... e trinta pessoas aglomeradas por quase três horas no saguão de espera do Aeroporto Dois de Julho (é o aeroporto internacional de Salvador, mas eu me recuso a usar o novo nome - não quero fazer propaganda política).

Imaginem trinta pessoas cansadas, estressadas, recebendo informações vagas e confusas, que pagaram pela passagem, confirmaram o vôo e chegaram com duas horas de antecedência, e que não sabem mais quando vão embarcar para casa. Duas funcionárias atarantadas atrás do balcão de passagem, entre as súplicas dos passageiros e as instruções dos superiores, parecem aquele joão-bobo que a gente joga de um lado para o outro. O supervisor, evasivo e melífluo, mente aos passageiros e escorrega como sabão. O avião lotado (com passageiro até na cabine do piloto) parte, claro, sem a maioria dessas pessoas, que ainda têm de esperar duas horas para ser levadas ao hotel em que passariam a noite. A segunda-feira estaria perdida: os dois primeiros vôos já estavam lotados; no terceiro, às 11 da manhã, só havia seis lugares.

O saguão se esvazia, as outras companhias já embarcaram seus passageiros, ninguém parece ligar muito para a turma que sobrou. Processo, alguns dizem, não vai adiantar nada: as companhias são muito poderosas, a gente não tem força nenhuma. Reembolso, compensação? Acho que essas palavras não existem no Brasil (nos Estados Unidos, quando há overbooking, as companhias oferecem, além de hotel e traslado, compensações que vão de passagens aéreas gratuitas a US$ 200 em dinheiro). A indignação é acompanhada da sensação de impotência. O péssimo serviço da Nordeste não seria compensado; os prejuízos causados pelo atraso, estresse e espera não seriam ressarcidos. Uma menina fala com seu advogado pelo celular e tenta entrar no último vôo da noite, também lotado. Típico: soluções particulares, individuais, jeitinho brasileiro.

Por sobre os ombros da menina, eu vejo um homem tirando fotografias, com uma máquina mais equipada que a média das câmaras turísticas. Não, não há de ser recordação de férias ("amigos que fiz enquanto esperava no aeroporto"). Olho de novo. Sim, não há dúvida: um repórter fotográfico! Instintivamente procuro seu par: alguém com um bloquinho nas mãos. Está lá, mais adiante: um rapaz rodeado por alguns passageiros, anotando. Um repórter!

Muitas pessoas se aproximavam do moço para dar sua versão da história e registrar suas reclamações. O repórter ia reconstruindo os acontecimentos a partir dos relatos, chegando aos nomes que deveria procurar - por exemplo, o supervisor. Os pontos a esclarecer iam sendo definidos tanto pelas perguntas do repórter quanto pelas questões que as pessoas entrevistadas colocavam. Chegando perto do repórter, cada um de nós enunciava nossas críticas ("Overbooking de trinta pessoas não é overbooking, é outra coisa", "Deixaram a gente esperando duas horas sem informar nada"): aquele homem parecia a voz mais poderosa para fazer chegar as nossas preocupações aos ouvidos de quem poderia respondê-las.

A situação seria finalmente explicada: em lugar das contradições e desculpas, o repórter ia achar "a" verdade. A injustiça ficaria visível para além do saguão de check-in, e talvez alguém fizesse alguma coisa. O draminha daquelas trinta pessoas ganharia dimensão social (de fato, exemplo que é de uma situação cada vez mais comum nos aeroportos brasileiros).

Eu sei, por experiência própria, que repórter não é bombeiro da sociedade. Mas o jornalismo é capaz de gritar "fogo!" muito mais alto do que eu, sozinha (e, se eu começar a gritar muito alto, provavelmente vou aparecer no jornal). Todos nós temos muitos exemplos de mudanças políticas, sociais e econômicas (e conjugais...) impulsionadas por reportagens, colunas e editoriais, para o bem e para o mal. Um dos retratos desse lado heróico está no filme Todos os Homens do Presidente, cujo tema é o escândalo de Watergate.

Longe, porém, de eventos bombásticos, o que eu senti naquele aeroporto me fez pensar, por exemplo, nas lutas urbanas cotidianas, em moradores de um bairro sem esgoto, sem ponto de ônibus, sem hospital, em que de repente chega um repórter para registrar o córrego sujo passando no meio das casas. Pensei na invisibilidade social, na ausência de mecanismos para reivindicar direitos, e na sensação de alívio, reconhecimento e esperança que a visita simples de um jornalista pode e deve dar.

No fim, o draminha do aeroporto não saiu no jornal. A notícia não era tão grande ou nova assim, talvez; talvez outras considerações editoriais (falta de espaço, um anúncio ocupando a página inteira) tenham contribuído. E mesmo se tivesse saído, talvez nada acontecesse. Não é uma reportagem que vai tornar decentes as companhias aéreas ou as políticas habitacionais. Mas, se jornalista não é bombeiro, há vantagens nisso: não tem de carregar o caminhão e as mangueiras para onde quer que vá. Pode se esgueirar, se mover mais rápido, se disfarçar.

Voltei de viagem e abri uma revista semanal. Torci o nariz - não vou mentir a mim mesma e dizer que salsicha é caviar. É salsicha, e não muito apetitosa. Mas também não vou esquecer que pode ser diferente. Que talvez tenha sido assim que tudo começou. Que foi, com certeza, esse o motivo pelo qual eu comecei.

Ficha técnica

Todos os Homens do Presidente (All the President's Men, EUA, 1976). Direção: Alan J. Pakula. Com: Robert Redford, Dustin Hoffman, Jason Robards.

Para uma lista comentada de outros filmes sobre jornalismo, veja Inovações no Jornalismo, site mantido pela PUC de Campinas.


Daniela Sandler
São Paulo, 20/6/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. As Lavadeiras, duas pinturas de Elias Layon de Jardel Dias Cavalcanti
02. De quantos modos um menino queima? de Duanne Ribeiro
03. Dilapidare de Elisa Andrade Buzzo
04. 10 coisas que a Mamãe me ensinou de Julio Daio Borges
05. I-ching-poemas de Bruna Piantino de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Daniela Sandler
Mais Acessadas de Daniela Sandler em 2001
01. O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece - 8/8/2001
02. Quiche e Thanksgiving - 21/11/2001
03. A língua da comida - 29/5/2001
04. Mas isso é arte??? - 29/8/2001
05. Notícias do fim-do-mundo - 24/10/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O TOQUE - MÉTODOS E MILAGRES DE CURA
M. A. DOUG HEYES
MADRAS
(2018)
R$ 34,90



INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS
PIERRE JACCARD
LIVROS HORIZONTE
(1977)
R$ 24,82



DO MEU AO TEU CORAÇÃO
PE. PAULO H. MOURA
ED. LOYOLA
R$ 15,00



THE HOLLOW EARTH
RAYMOND BERNARD
ADVENTURES UNLIMITED PRESS
(2009)
R$ 35,00



ORAÇÃO QUE TRANSFORMA
SUELY BEZERRA
FÔLEGO
(2009)
R$ 10,00



A 8 SERIE C
ODETTE DE BARROS
MUNDO JOVEM
(1987)
R$ 11,00



OS TERRITÓRIOS DO REINO DE DEUS:
MARCUS CASTRO FARIA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 258,00



O SELF ESSENCIAL
WILL SELF
ALFAGUARA BRASIL
(2014)
R$ 35,00
+ frete grátis



CLARA-COMO-O-SOL, ESCURO-COMO-A-NOITE 2º EDIÇÃO
JOSÉ BORTOLINI
PAULUS
(2005)
R$ 4,00



SÓCRATES ENCONTRA SARTRE
PETER KREEFT
VIDE EDITORIAL
(2013)
R$ 150,00





busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês