O primeiro mico para o resto de nossas vidas | Rennata Airoldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 5/2/2003
O primeiro mico para o resto de nossas vidas
Rennata Airoldi

+ de 1800 Acessos

Todo começo de ano acontece uma coisa muito curiosa. Não estou falando de festas ou carnaval. Nem mesmo de viagens, belas paisagens e do sol do verão. Estou falando de um momento crucial na vida dos estudantes. É, sem dúvida, um mês decisivo para aqueles que prestam o vestibular. E, hoje em dia, há tanta escolhas, tantas opções, não só quanto as carreiras profissionais, mas também no que diz respeito às instituições. Elas se diferem desde os valores das mensalidades até o nível do ensino. Desde as universidades públicas até as mais caras (para quem pode pagar), a pressão é a mesma, no momento da entrada e na hora saída.

Vou me explicar melhor. Não quis fazer aqui nenhuma piadinha de mal gosto, muito pelo contrário. Quero dizer que entrar numa Universidade é sem dúvida um grande desafio e uma grande conquista. Sair, por incrível que pareça, também. Foi-se o tempo em que os universitários saíam empregados ou ainda que o emprego procurava os arrojados recém-formados. E isso devo dizer que, infelizmente, acontece cada vez mais em todas as áreas. Portanto, fazer a opção certa, aquilo que o estudante realmente deseja, é um passo importante.

Na verdade, estou escrevendo tudo isso para dizer que: neste mês, enquanto uns entram, outros recebem seu diploma - e embarcam na sua própria viagem profissional, uma aventura sem volta! Bem, nas Artes Cênicas acontece assim. Isso ao menos na Faculdade de Artes Cênicas da UNICAMP. (Para quem não sabe, é a faculdade que forma atores). Em janeiro, ocorrem, além das provas teóricas, as provas práticas. As temíveis e hilárias provas de aptidão. É realmente um momento único na vida do ator. Não sei se pela ingenuidade ou pelo despudor que toma conta dos concorrentes. Cenas absurdas que são levadas à sério, idéias mirabolantes com realizações precárias! De qualquer forma, é preciso coragem para enfrentar a banca e os veteranos que todo ano comparecem para "sentir" as tendências e as promessas da nova turma que está chegando.

Óbvio que o olhar dos alunos perante os calouros é bem diferente da banca examinadora. Aulas, improvisos, cenas preparadas e entrevistas. Tudo isso... para ser ator! E no fim, não se sabe porque se passou ou não. Começa aí o primeiro grande teste. O maior de todos os micos! Um mico, porém, que paga-se com o maior prazer. Mas a loucura toda é que há um romantismo no ar! Um desejo de fazer arte e um impulso que não cessa. Um brilho intenso misturado a um nervosismo evidente a cada olhar. Uma mescla de sonho e desespero. E se eu não entrar? E se eu não realizar uma boa cena? E se eu não tiver talento? E se os outros forem bem melhores, mais preparados? É um momento em que passa de tudo no pensamento dos concorrentes.

O nome é anunciado e sobe-se no palco. O futuro ator é ali um número. É mais fácil julgar um número do que uma pessoa, não? Me lembro disso tudo como se fosse ontem. A vontade de montar grupos, fazer teatro e viajar o país, o mundo. E tudo isso, vai se dissolvendo um pouco no decorrer dos quatro anos. Mesmo assim, a universidade é como um pai; bondoso e acolhedor. O duro é descobrir isso anos depois! Quando já se está órfão!

Os anos não passam, voam! E quatro anos parecem ao fim, poucos meses. Então, chega um momento crucial. O fim de um processo e a busca de um novo começo. É hora de abandonar o "pai", perder o cordão umbilical e ganhar o mundo. Sem onde nem porquê! Mas, assim é a vida. Aos poucos, os mistérios vão sendo desvendados. Depois da formatura é a hora de decidir. O que fazer? Formar um grupo, montar uma peça, dar aulas, fazer mestrado... Tudo isso também. No entanto, a maioria opta pelo mercado. E isso, gera uma corrida ao grande centro: São Paulo.

A cada ano, atores formados em diferentes escolas, e até em não-escolas (ops, não resisti à piada!), iniciam a briga para estabelecer-se no mercado. E o que é o "mercado"? Testes e mais testes. Fotos, currículos, entrevistas, produções, tentativas, muitas, constantes e eternas. Porém, o mercado não é capaz de absorver a demanda. Assim, muitas pessoas descobrem que na realidade, o mercado de São Paulo não é tão acolhedor quanto parece e por outro lado, pode não ser a única opção. E realmente não é. Nem todos estão dispostos e têm interesse de se submeter a testes, às negativas, à dureza da cidade. Claro que, mesmo dentro da grande cidade, existem diversas opções. Há grupos e artistas que correm na periferia do chamado mercado e desenvolvem sua pesquisa. Aliás, estes grupos ganham mais espaço a cada dia. Devido a leis de incentivo e, acredito também, devido a qualidade e a honestidade que estão contidas em seus trabalhos.

Há que se fazer aqui uma ressalva. As pessoas vêm de muitas cidades diferentes para cursar a universidade. Muitas vezes, acabam voltando para sua terra natal e lá desenvolvem seu próprio projeto. Um ator, não necessariamente precisa trabalhar na televisão, no cinema, isso é uma opção, uma escolha. Não existe aqui, certo ou errado. Devo dizer, que admiro aqueles que são capazes de manter sua pesquisa em sua própria cidade. Criar um campo de resistência à massificação da Arte. Criar um pólo sob outro olhar, em outro lugar, sob outras condições. Estou certa de que isso, gera um novo determinante sobre a obra e a maneira de ver o Teatro.

Claro que o meio, em que se vive, influencia diretamente o que fazemos e a maneira como determinamos nossas escolhas. As necessidade mudam. É correto para o artista optar através de seus desejos. O artista deve ser honesto com a sua própria consciência e com a obra de arte, seja ela qual for. Assumir o que faço e porque faço! A cada dia, crescem estes focos regionais de arte. Não só em nosso estado, no interior de São Paulo, mas também em pólos como Recife, Salvador, Curitiba, Porto Alegre, onde há diferentes formas de pesquisa e reconhecimento da produção artística. Não importa onde. O importante é fazer. O melhor de tudo é cada um achar o seu lugar!

E a cada ano, vemos mais atores, aparentemente desconhecidos e novatos, surgirem em trabalhos da grande mídia televisiva mostrando que em todos os lugares os talentos nascem e se desenvolvem. O fato do grande público não conhecer um ator ou um grupo não significa que ele não sobreviva e não seja competente no que se propõe. Assim acredito que o caminho é sem dúvida, a descentralização da Arte. A coexistência de diferentes pólos de desenvolvimento nas mais diversas regiões do país não só é necessária mas fundamental. Só assim a cultura torna-se um bem social acessível à todos. E a troca entre os grupos e artistas de diferentes regiões ajuda a universalizar a arte e isso é benéfico para todos. Desta forma, cada grupo, cada ator e seu próprio meio renasce a cada trabalho, como no dia em que os futuros atores pagam o primeiro mico do resto de suas vidas, sem medo de errar, experimentar. Em busca de um sonho, de um desejo, de um desabafo! Os verdadeiros artistas, onde quer que estejam, sempre são dignos da função que exercem. Enxergam além da superficialidade que muitas vezes sobrevoa o "mercado" fugindo da simples busca pela fama barata, realizando assim um ato de resistência benéfica e corajosa. Independente de quem está na platéia para aplaudir ao término do espetáculo.


Rennata Airoldi
São Paulo, 5/2/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Paris branca de neve de Renato Alessandro dos Santos
02. As Lavadeiras, duas pinturas de Elias Layon de Jardel Dias Cavalcanti
03. Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia de Renato Alessandro dos Santos
04. Apontamentos de inverno de Elisa Andrade Buzzo
05. Essas moças de mil bocas de Elisa Andrade Buzzo


Mais Rennata Airoldi
Mais Acessadas de Rennata Airoldi em 2003
01. Temporada de Gripe - 17/11/2003
02. O Belo Indiferente - 24/9/2003
03. As Nuvens e/ou um deus chamado dinheiro - 4/6/2003
04. Zastrozzi - 2/7/2003
05. José Tonezzi: Arte e Pesquisa Sem Fronteiras - 12/2/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O MENINO DO TRIÂNGULO IMAGENS E HISTÓRIAS DE ARARAS
JOSÉ CARLOS VICTORELLO
NESTLÉ
(1996)
R$ 100,00



ENCICLOPÉDIA ILUSTRADA DA CIÊNCIA
VÁRIOS
GLOBO
(1993)
R$ 15,00



O LIVRO DOS ESPÍRITOS
ALLAN KARDEC
INSTITUTO DE DIFUSÃO ESPÍRITA
(1983)
R$ 5,00



ESTRUTURA ELETRÔNICA & LIGAÇÃO QUIMICA
DONALD K SEBERA
POLÍGONO
(1968)
R$ 18,00



A VAGA DE CALOR
URBANO TAVARES RODRIGUES
PUBLICAÇÕES EUROPA - AMÉRICA
(1986)
R$ 15,63



HISTÓRIAS SOBRE ÉTICA
MARISA LAJOLO (COORD)
ÁTICA
(2000)
R$ 30,00



O BUROCRATA E O PRESIDENTE
AFONSO OLIVEIRA DE ALMEIDA
GERAÇÃO
(2011)
R$ 21,00



AS AVENTURAS DO CAÇA-FEITIÇO - A MALDIÇÃO
JOSÉ DELANEY
BERTRAND
(2010)
R$ 45,00



A FADA AFILHADA
MÁRCIO VASSALLO; BEBEL CALLAGE
SALAMANDRA
(2001)
R$ 20,00



BEIJINHO BEIJA FLOR
ADEILSON SALLES
FEB
(2010)
R$ 12,00





busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês