Comentários de Dalton | Digestivo Cultural

busca | avançada
27782 visitas/dia
955 mil/mês
Mais Recentes
>>> MANU LAFER APRESENTA SHOW NOBODY BUT YOU - TRIBUTO A KIKA SAMPAIO
>>> Sesc Belenzinho recebe a banda E a Terra Nunca me Pareceu Tão Distante
>>> Sesc Belenzinho recebe a atriz e cantora Zezé Motta
>>> Psicólogo lança livro de preparação para concurseiros usando a Terapia Cognitiva-Comportamental
>>> O Sertão na Canção: Guimarães Rosa
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> K 466
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
Colunistas
Últimos Posts
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
Últimos Posts
>>> Kleber Mendonça volta a Cannes com 'Bacurau'
>>> Nem só de ilusão vive o Cinema
>>> As Expectativas de um Recrutador e um Desempregado
>>> A Independência Angolana além de Pepetela
>>> Porque dizer adeus?
>>> Direções da véspera IV
>>> Direções da véspera IV
>>> A pílula da felicidade
>>> Dispendioso
>>> O mês do Cinemão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Natal quase sempre é um problema
>>> O físico que era médico
>>> O historiador das idéias
>>> Maria Antonieta, a última rainha da França
>>> Gentili sobre o 7 a 1
>>> Convivendo com a Gazeta e o Fim de Semana
>>> Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo!
>>> O petista relutante
>>> Discurso de Isaac B. Singer
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
Mais Recentes
>>> Marca, Imagem e Reputação: a Trajetória de Sucesso de Pessoas e Empresas de Fernanda de Carvalho e Francisco Britto e Richard House pela Da Boa Prosa (2012)
>>> Clarice, uma Biografia de Benjamin Moser pela Cosac Naify (2015)
>>> Um Barril de Risadas, um Vale de Lágrimas de Jules Feiffer pela Cia das Letras (2008)
>>> Inelegibilidades no Direito Brasileiro de Joel J. Cândido pela Edipro (2003)
>>> Recursos em matéria eleitoral de Tito Costa pela Revista dos Tribunais (2004)
>>> Direito Eleitoral & Questões Controvertidas de Antônio Carlos Martins Soares pela Lumen Juris (2008)
>>> Langage et pouvoir symbolique de Pierre Bourdieu pela Editions Fayard (2001)
>>> Les Règles de l'art de Pierre Bourdieu pela Editions du Seuil (1998)
>>> Princípios Estruturantes das Agências Reguladoras e os Mecanismos de Controle de Alexandra da Silva Amaral pela Lumen Juris (2008)
>>> Homo Academicus de Pierre Bourdieu pela Les Editions de Minuit (2005)
>>> A criança e a mídia: imagem, educação, participação de Cecilia Von Feilitzen; Ulla Carlsson pela Cortez (2002)
>>> Circulação internacional e formação intelectual das elites brasileiras de Ana Maria Almeida; Letícia Canêdo, Afrânio Garcia; Agueda Bittencourt pela Unicamp (2019)
>>> Crimes eleitorais de Suzana de Camargo Gomes pela Revista dos Tribunais (2008)
>>> Delegação e Avocação Administrativas de Regis Fernandes de Oliveira pela Revista dos Tribunais (2005)
>>> Probidade administrativa. Comentários à Lei 8.429/92 e legislação complementar de Marcelo Figueiredo pela Malheiros (2004)
>>> Inquérito Policial & Competências e Nulidades de Atos de Polícia Judiciária de Anderson Souza Daura pela Juruá (2008)
>>> Agora e Para Sempre Lara Jean de Jenny Han pela Intrínseca (2017)
>>> Michael Kohlhaas de Heinrich Von Kleist pela Grua (2014)
>>> Perícias judiciais de engenharia. Doutrina. Prática. Jurisprudência de Francisco Maia Neto pela Del Rey (1999)
>>> A Lição do Mestre de Henry James pela Grua (2014)
>>> Chega de Plástico de Varios Autores pela Sextante (2019)
>>> Os Doze Mandamentos de Sidney Sheldon pela Record (2011)
>>> O Outro de Bernhard Schlink pela Record (2009)
>>> Até Eu Te Encontrar de Graciela Mayrink pela Novas Páginas (2013)
>>> Abaixo de Zero de Bret Easton Ellis pela Rocco (1987)
>>> Suítes imperiais de Bret Easton Ellis pela Rocco (2011)
>>> Porto Seguro de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2013)
>>> Ação de Impugnação de Mandato Eletivo de José Rubens Costa pela Del Rey (2004)
>>> O Milagre de Nicholas Sparks pela Agir (2010)
>>> Zona de Perigo de Shirley Palmer pela Best Seller (2003)
>>> Da anulação ex officio do ato administrativo de João Antunes dos Santos Neto pela Fórum (2004)
>>> O Misterioso Caso de Styles de Agatha Christie pela Abril Cultural (1983)
>>> Conexões de Varios Autores pela Abril (2016)
>>> A Quarta Vítima de Théo Iemma pela Scortecci (2005)
>>> Crianças da Noite de Juliano Sasseron pela Novo Século (2011)
>>> Macunaíma de Mário de Andrade pela Ciranda Cultural (2016)
>>> Noite na Taverna de Álvares de Azevedo pela Avenida (2005)
>>> Financiamento de campanhas eleitorais de Denise Goulart Schlickmann pela Juruá (2007)
>>> Terra de Sombras de Alyson Noel pela Intrínseca (2013)
>>> Os Degraus do Pentágono de Norman Mailer pela Expressão e Cultura (1968)
>>> Infinito de Alyson Noel pela Intrínseca (2013)
>>> Serena de Ian McEwan pela Cia das Letras (2012)
>>> Comentáros à Lei de Responsabilidade Fiscal de Ives Gandra da Silva Martins & Carlos Valder do Nascimento & Organizadores pela Saraiva (2009)
>>> Estrela da Noite de Alyson Noel pela Intrínseca (2013)
>>> Reflexo de Antonio José pela Grafica da Bahia (1979)
>>> O Sol da Liberdade de Giselda L. Nicolelis pela Atual (1988)
>>> Procedimento Administrativo nos Tribunais de Contas e Câmaras Municipais de Rodrigo Valgas dos Santos pela Del Rey (2006)
>>> Vito Grandam de Ziraldo pela Melhoramentos (2005)
>>> Lei Eleitoral Comentada (lei 9. 504, de 30 de Setembro de 1997) de Renato Ventura Ribeiro pela Quartier Latin (2006)
>>> Manual de Direito Civil - Vol 3 Contratos e Declarações Unilaterais de Roberto Senise Lisboa pela Revista dos Tribunais (2005)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Segunda-feira, 25/5/2009
Comentários
Dalton


O amor e a Lei de Lavoisier
"É sempre bom lembrar/ Que um copo vazio/ Está cheio de ar/ Que o ar do copo ocupa o lugar do vinho/ Que o vinho busca ocupar o lugar da dor/ Que a dor ocupa a metade da verdade/ Da verdadeira natureza interior/ Uma metade cheia/ Uma metade vazia/ Uma metade tristeza/ Uma metade alegria/ A magia da verdade/ Inteira ao todo poderoso Amor." Quando o seu conterrâneo, Gilberto Gil, escreveu essa composição, a computação ainda era na base dos "Cartões Perfurados". A diferença, hoje, é apenas a existência da internet, pois essa Relatividade Sentimental do Gil apenas seguiu a Lei de Lavoisier.

[Sobre "Don Juan de mIRC"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
25/5/2009 às
07h41 189.55.28.45
 
Veja Bem!
Daniel: Esse título já diz tudo. Faz tempo que é usado pelos jornalistas que substituiram os Críticos Literários, ainda nos anos 60, e ganharam o rótulo de Articulistas. Na Folha sumiu o Antônio Cândido e entrou um povo concretista bradando Vanguarda. Pouco importava se havia ou não uma Retaguarda que a justificasse. A partir de então vieram os articulistas portando novos termos como Metalinguagem etc. Estava nascendo o atual e consagrado Veja Bem. A partir de então a qualidade dos profissionais foi baixando até o registro do evento cultural virar esse papo de Salão de Beleza hoje visto. O que mais anima nessa história é a busca do mais jovens pela informação cultural perdida pela crítica ao longo dos anos. No meu Sapiens os leitores buscam mais as análises de construção poética do que de texto. Buscam a história da composição, não a informação sobre a cor dos olhos do compositor. A Cultura ainda interessa sim, e muito, só não tem mais gente capacitada para transmití-la, infelizmente.

[Sobre "Existe público, sim"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
25/5/2009 às
06h29 189.55.28.45
 
Relatividade sem Relação
Palavra Prima/ Uma palavra/ Só a crua palavra/ Que quer dizer/ Tudo/ Anterior ao entendimento/Palavra! Desde esse Ponto de Início, que precede a Razão, Eu não sou eu/ Você não é você/ Somos apenas nós/ Já nem somos/ Fomos/ Ou talvez/ Seremos.

Cada vez que se escreve qualquer coisa está se seguindo algo ou alguém, que se tranformará em algo ou alguém a ser lido ou escrito. A vida é a arte de olhar o que se foi para se supor pra onde ir, mas vá em frente, aliás, vá ao lado, já que qualquer referência anterior ou vindoura inexistem. Juro que a invejo, Ana.

[Sobre "Siga em frente, não siga ninguém"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
23/5/2009 às
06h42 187.2.25.183
 
O Gênio e a Propaganda
Gênios sempre existirão, pois a Igualdade é só um sonho, mas as suas aparições são inversamente proporcionais à honestidade das propagandas. Houve um tempo em que se falava muito do Bill Gates, criador do pacote Office, no entanto, o atual Excel não ganhou a excelência vista do Lotus-123, também do Bill, mas do Quattro-Pró, da concorrente Borland, que comprada pelo Bill permitiu o surgimento do Excel. O Gênio não conversa conosco, mas consigo mesmo. Nós é que casualmente estamos na direção das falas, sendo a nossa fofoca a responsável por essa prudência dele. Citar Miles Davis numa terra cheia de trumpetistas valorosos é tão possível quanto citar o Chico e se esquecer do Gil por aqui. Aí é que entra a propaganda maior ou menor, de um ou de outro. O que nos falta é um maior poder de juízo, o que nos torna reféns da propaganda jornalística remunerada, logo, o reconhecimento natural do Gênio é diretamente proporcional ao juízo do povo e inversamente à propaganda dos seus jornais. CQD.

[Sobre "A cabeça de Steve Jobs, de Leander Kahney"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
22/5/2009 às
08h34 189.96.26.222
 
Retrovidência por Ignorância
Pelo visto, aqueles meus comentários, acerca do velho jornalismo ser substituido pelo Novo Jornalismo, que supunha até serem uma espécie de profecia com as Centrais de Blogueiros e o Cooperativismo Jornalístico, é algo já existente. Isso torna as minhas previsões apenas como Retrovidentes, mas juro que desconhecia esse lance de Amazon ou Kindle Dx, já que o primeiro nome leva todo o jeitão de sex-shop e o segundo lembra mais a uma relação nominal de judeus, pelo filme "A Lista de Kindler". Essa minha suposta Retrovidência, por vir da Ignorância do que ocorre nos bastidores da notícia, volta então a ser profecia. Aquela mesma que sugeriu até o futuro Digestivo Cultural como uma central organizada de Blogueiros remunerados, vista no comentário Cooperativismo Jornalístico. Seja como for, ou não for, a sugestão dada já existe e parece bem sucedida, portanto basta esperarmos o Digestivo se mover, ou a Km por segundo, ou a jardas por semestre. Depende dos seus reais interesses jornalísticos.

[Sobre "Amazon convida blogueiros para o Kindle"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
22/5/2009 às
06h29 189.96.26.222
 
Orkut: paraíso dos covardes
Gian, uma das estratégias do educador para controlar a turma de alunos era localizar rapidamente o tipo conhecido como Eminência Parda. Com o líder visível, a coisa era simples, pois sua honestidade permitia o diálogo aberto com o professor. Uma das técnicas para achar o Eminência era elogiar o líder, e ficar de olho no grupo opositor, pois ele estaria lá, calado, mas manobrando os seguidores idiotas. As comunidades do Orkut são o paraíso desses covardes, que acabam por seguir o educador sem chance de receber qualquer punição. Sei que um erro não justifica outro, mas identidades secretas costumam ajudar nesses casos. Você cria uma mulher, elogia o cara, ganha a confiança dele, troca juras de amor em todas as comunidades possíveis e depois revela para todos a palhaçada. Costuma funcionar por um tempo, até o covarde fabricar um novo personagem, para agir em seu paraíso, mas, com você, ele não mexerá mais...

[Sobre "O ódio on-line"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
20/5/2009 às
07h36 189.0.90.209
 
Velha receita
Martha, My Dear: Somos todos uns ingratos, ou nos viciamos na falta de clareza maior nos objetivos do Jornalista Ancestral? Somos viciados ou apenas vitimados pelas estratégias editoriais convenientes de outrora? Nossa Cultura sempre foi esta vista, ou apenas resultou das condutas jornalísticas anteriores? Procure as respostas para tais perguntas e certamente entenderá a nossa honesta ingratidão.

[Sobre "Os bastidores da crônica"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
17/5/2009 às
02h34 189.0.94.234
 
Cooperativismo Jornalístico
Continuando com a Central de Blogueiros, que deve fugir das trilhas responsáveis pela atual situação do jornalismo tradicional, é necessário ter em vista que nós, blogueiros, podemos quando muito ter alguma vocação jornalística, porém nunca o fomos de fato. Pegar um jovem jornalista para chefiar uma central nossa seria imprudente. A idéia do Jornalismo Novo só pode resultar de um profissional da área que estudou a ascensão e queda da profissão. Embora sinta-me como cobaia em cada comentário, suspeito estar na linha certa. Isto aqui tem um Custo Fixo, provavelmente coberto pelas propagandas laterais. Não é um jornalismo comum, pois traz a notícia cercada por certa bagagem cultural, que submetida à nossa livre e ponderada opinião, difere dos anteriores padrões jornalísticos. Creio que chegará o dia em que a notícia que fornecermos já estará embutida no Custo Fixo. Como todo Preço = Custo+Lucro, cada colaboração nossa, por estar dentro do Lucro, possa até ser paga. Isso é Jornalismo Novo.

[Sobre "Um golpe na economia da colaboração"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
9/5/2009 à
00h41 189.96.22.216
 
Culpa dos Lehman
René: Nós pagamos a conta, claro. Suponhamos que você tem um negócio, que, seriamente afetado por essa crise financeira atual, esteja à beira da falência. Você nunca ouviu falar dos Irmãos Lehman, no entanto eles são os responsáveis diretos pelo seu prejuízo. Na internet não é diferente, pois os responsáveis por esses Gigasites, construídos com Gigagrana e que atualmente estão Gigadeficitários são todos Irmãos Lehman. Essa gente não perde nunca. Apenas transfere os prejuízos para as economias dos estados. Lembra dos falidos canais via cabo da Globo? Quem cobriu tudo?

[Sobre "Um golpe na economia da colaboração"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
8/5/2009 às
23h46 189.96.22.216
 
Central de Blogueiros II
Por partes: 1- A toda Ação corresponde uma Reação igual e contrária. 2- Na natureza nada se cria ou se perde, tudo se transforma. A partir desse coquetel de Newton com Lavoisier pode-se ter uma justificativa para a informação desordenada da Net, bem como para o renascimento do jornalismo. Ação - Jornais promovendo Idiotização Dirigida em todos os povos através da Informação Conveniente. Reação - Perda da Lógica nos leitores, contaminação do novo jornalista pelo processo de idiotização dirigido pelos ancestrais, proliferação da informação de forma dispersa e suspeita. Fim do Jornal. Transformação - Estudar bem as razões históricas que causaram o funeral, encontrar os inversos delas, Planejar com a Lógica Readquirida e Centralizar o Modelo Jornalístico como o Novo. A Retaguarda é quem justifica qualquer Vanguarda. Só estudando a primeira que se constrói a segunda, que, ocorrendo de forma Sensata, tem tudo pra dar certo, já que o Homem sempre dependeu de Líderes, principalmente Sensatos.

[Sobre "Fugindo do apocalipse"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
6/5/2009 às
08h20 189.96.30.18
 
Pandora e Planck
Caro Julio: Veja o que é a Sincronicidade de Jung. Eu aqui sentado, em frente ao pc, lendo o pensamento de Planck, e logo à direita dele uma propaganda da "Caixa de Pandora" (livro). O episódio que caracterizou a abertura da caixa por Pandora foi mais ou menos o que o Planck disse: Escaparam quase todas as qualidades guardadas nela. As ruins ficaram para os homens de então, as boas subiram ao Olimpo para que as aproveitássemos no futuro, restando na caixa somente a Esperança, verdinha, que pelas suposições de Planck e Einstein, devia ficar lá pelo terceiro nível quântico.

[Sobre "Max Planck e as novas ideias"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
6/5/2009 à
00h58 189.96.7.44
 
Milton e seus caminhos únicos
Embora o "Clube da Esquina" seja o trabalho mais famoso do Milton, não se pode negar que ele teve outros que o consagraram, pela voz, como Único. Quando Edu Lobo e Chico Buarque finalmente formaram uma parceria, em "O grande circo místico", Edu já trocara o violão pelo piano na confecção de melodias, saindo do limitado violão, que apenas baseava as limitações da sua voz, e encontrando outras alternativas mais ousadas, que porém fugiam do alcance tonal. Foi o que ocorreu com "Beatriz". Quem poderia cantá-la, nos moldes da partitura original, que apresentava, num fragmento, uma cascata de notas musicais ao longo de oitavas abaixo, do Soprano ao Barítono? Algumas cantoras tenores e sopranos também tentaram cantá-la, mas só ele conseguiu ligar o Céu, da nota musical mais alta, ao Chão, da mais baixa na composição - coisas de Edu e Chico - sustentando os tons nas durações de tempo previstas pelo Edu. Milton tinha o seu social "Clube da Esquina", mas também tinha lá seus caminhos únicos.

[Sobre "Coração Americano, 35 anos do Clube da Esquina"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
2/5/2009 às
08h17 189.0.117.72
 
Sobre o Leite Derramado
"Palavra boa. Não de fazer literatura, palavra, mas de habitar fundo o coração do pensamento, palavra!" Não é o escritor quem faz a literatura. Nós a resultamos. Ainda não pude rir ou chorar sobre o "Leite Derramado". Como ex-educador, chorei muito sobre um leite derramado, que praticamente acabou com a figura do Educador no governo Médici: Estrutura e Funcionamento do Ensino de Primeiro e Segundo Grau (Lei 5692/71), Leyla Moisés Perrone era o nome da fera. É a mesma?

[Sobre "Chico Buarque e o Leite derramado"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
25/4/2009 às
08h13 189.96.35.124
 
Mais que Poeta, um Compositor
Vinicius não escrevia qualquer poema sem ter um violão à disposição. Tinha estilo próprio de tirar o verso da melodia poética que o violão captava. Antes dele declamar, cantava o verso pela melodia poética. Sua natureza era bem maior que a de um simples poeta. Era um compositor musical nato, que já acasalava versos a melodias. Apenas não sabia. Tom Jobim veio bem depois da amizade que tinha com outro pianista, Ernesto Nazareth, que percebendo a sua natureza o incentivava ao acasalamento de poesia com melodia. E foi desses incentivos que Vinicius criou coragem e compôs "Rancho das namoradas", muito antes de "Chega de saudade". Vininha sempre foi chegado num rabo de saia padrão, mas preferia, como todo poeta que se preza, compor para musas inatingíveis. Me surpreende o Otto dizer que ele abandonou a idéia da mulher mística. E a composição "São demais os perigos dessa vida", feita bem depois com Toquinho? Era uma homenagem à deusa grega Harmonia, à qual ele sonhava em desposar como Cadmo.

[Sobre "Otto Lara Resende sobre Vinicius de Moraes"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
24/4/2009 às
20h52 189.0.107.127
 
Complemento
Dizer que a Física Contemporânea não dá os merecidos créditos aos estudos da Física Relativista, iniciada por Max Planck, com a sua constante H, antes do Einstein, é trazer a idéia de Contemporâneo para muito mais perto do hoje, pois na década de 60 tínhamos o estudo da Relativista no curso Científico de qualquer escola estadual. Essa era uma verdade Relativa comum aos povos educados pelo Racionalismo até então. Talvez Einstein não tivesse tido a sorte de viver o bastante para presenciar o surgimento da Geometria Fractal, que explicaria muitos dos seus conceitos Métricos não Euclidianos. Aliás, só os Fractas são capazes de explicar, à Perspectiva dos Pontos de Fuga, que a equipe de geômetras do Michelângelo lhe forneceu para trabalhar na abóbada da Capela Sistina (Michelângelo e discípulos). Até a literatura dos anos 60 comparava a MQ às religiões, com o autor Fritjof Capra: O Tao da Física e Ponto de Mutação. Einstein morreu, mas o Eletron vive, pede estudos e não gosta que o acomodem.

[Sobre "A revolução dos q-bits, de Oliveira e Vieira"]

por Dalton
http://mpbsapiens.com/
20/4/2009 às
13h12 189.0.121.120
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO
VITAL PEREIRA BATISTA JÚNIOR
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 489,00



PESQUISA ESCOLAR USO DO LIVRO E DA BIBLIOTECA
MARIA CECÍLIA MONTEIRO E MARIA OLÍVIA DE ALMEIDA
NÃO INFORMADA
(1993)
R$ 10,00



A MIRAGEM LINGÜÍSTICA - ENSAIO SOBRE A MODERNIZAÇÃO INTELECTUAL
THOMAS PAVEL
PONTES CAMPINAS
(1990)
R$ 13,00



LA BIBLIA - LATINOAMERICA - EDICION PATORAL
HERNÁN RODAS - DIAGRAMACIÓN E ILUSTRACIÓN (4714)
VERBO DIVINO
R$ 20,00



CAIRBAR SCHUTEL NA INTIMIDADE
SERGIO LOURENCO
CEAC
(2000)
R$ 9,20



PERGUNTE A DEEPAK CHOPRA SOBRE AMOR E RELACIONAMENTOS
D CHOPRA
BEST SELLER RIO DE JANEIRO
(2014)
R$ 17,00



SANTA CATARINA - HISTÓRIA GEOGRAFIA MEIO AMBIENTE TURISMO ATUALIDADES
SANDRO DA SILVEIRA COSTA (3086)
POST MIX
(2011)
R$ 10,00



TASHA HARRIS ABRE O JOGO
JANE GREEN
RECORD
(1999)
R$ 12,00



OS DESQUITADOS
JOÃO DO RÊGO GADELHA
SHOGUN ARTE
(1984)
R$ 8,00



O PODER PERMANENTE DA HISTÓRIA
NILTON FREIXINHO (DEDICATÓRIA)
KOSMOS
(1992)
R$ 21,82





busca | avançada
27782 visitas/dia
955 mil/mês