Mais do mesmo. | Fabiana

busca | avançada
97126 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Dos palcos para as leituras radiofônicas
>>> Sesc 24 de Maio apresenta o último episódio do Música Fora da Curva
>>> Historiador Russell-Wood mergulha no mundo Atlântico português da Idade Moderna
>>> Livro ensina a lidar com os obstáculos do Transtorno do Déficit de Atenção
>>> 24 e 25/04: últimas apresentações do projeto 48h_48min acontecem neste fim de semana
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Apresentação
>>> Internet difundindo livros
>>> O marketing da mendicância
>>> Os Mutantes são demais
>>> Ser intelectual dói
>>> Jerry Lewis, um verdadeiro louco
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> Pra entender a Lei Rouanet
>>> Uma baby boomer no Twitter
>>> No pé da orelha
Mais Recentes
>>> Os Sonhos Morrem Primeiro de Harold Robbins pela Abril Cultural (1983)
>>> A Faca no Coração de Dalton Trevisan pela Record (1979)
>>> Ensaios Sobre o Ensino em Geral e o de Matemática em Particular de S. F. Lacroix pela Unesp (2013)
>>> Phutatorius de Jaime Rodrigues pela Globo (1979)
>>> Ensaios Sobre o Ensino em Geral e o de Matemática em Particular de S. F. Lacroix pela Unesp (2013)
>>> Conspiração Violenta de Peter Driscoll pela Record (1972)
>>> Conspiração Violenta de Peter Driscoll pela Record (1972)
>>> Crescer é Perigoso de Marcia Kupstas pela Moderna (1986)
>>> Na Colmeia do Inferno de Pedro Bandeira pela Moderna (1991)
>>> Pra Que Serve de Ruth Rocha; Amanda Grazini pela Salamandra (1996)
>>> Computabilidade e Lógica de George S.Boolos e outros pela Unesp (2012)
>>> Bairro dos Estranhos de Wilson Frungilo Jr pela Ide (1986)
>>> Historias para Aquecer o Coracao das Maes de Jack Canfield pela Sextante (2002)
>>> A Bruxa de Portobello de Paulo Coelho pela Planeta (2006)
>>> Ninguém é de Ninguém de Zibia Gasparetto pela Vida e Consciencia (2000)
>>> Direito Tributário Brasileiro de Aliomar Baleeiro pela Forense (1983)
>>> Curso de Direito Constitucional Positivo - 17ª de José Afonso da Silva pela Malheiros (2000)
>>> Doutrina Legislação e Jurisprudencia do Transito - Vol. 01 de Geraldo de Faria Lemos Pinheiro pela Saraiva (1982)
>>> Criminalística Básica de Ascendino Cavalcanti pela Litoral (1987)
>>> Roteiro Sistemático de Direito Civil - Parte Geral de Natanael Sarmento pela Nossa Livraria (2002)
>>> Nossa Lingua Curiosa de Pasquale Cipro Neto pela Publifolha (2003)
>>> 24 Horas, a Primeira Vista, Cidade Em Chamas de Greg Iles Luanne Rice Lee Child pela Reader, S Digest (2003)
>>> Mary Higgins Clark de Alguem Espia Nas Trevas pela Circulo do Livro (1978)
>>> Minhas Vidas de Shirley Maclaine pela Record (1983)
>>> Minhas Vidas de Shirley Maclaine pela Record (1983)
COMENTÁRIOS

Terça-feira, 8/10/2002
Comentários
Leitores


Mais do mesmo.
Citando a Alice: "(...) Mas você acerta no alvo já no primeiro parágrafo: os blogueiros estão te respondendo com virulência. Em vez disso deviam parar, refletir, analisar o que estão fazendo. Tenho visto blogs absurdos, sem qualquer consistência e sem entender os seus próprios e estreitos limites. (...)" Virulência? Está generalizando tanto quanto o Julio quando lança esta crítica ao universo blogger, mesmo se utilizando de tal ferramenta. É óbvio que em todo saco de arroz existem muitos carunchos. Mas depois de selecionarmos calmamente, podemos desfrutar do melhor do produto. Aqui, é a mesma coisa. Blog ou não-blog, a internet possui coisas boas e coisas ruins (muitas). Apesar de ter gostado muito da crítica em si, ter analisado todos estes aspectos citados e concordar de certo modo com o Julio, ainda insisto na complementação deste ponto de vista com o lado prático e útil desta ferramenta. Se fosse tão dispensável e absurdo o uso de tal item, por que o Digestivo Cultural possuiria um blog? Se generalizando dete modo, o Julio diz que os bloggers são tendenciosos, pretenciosos e escrevem lixos para seus amiguinhos acéfalos, de certo modo está dizendo para si próprio. Não que eu concorde com isso. Claro que mesmo entre os "top 10" do mundinho blogger há muita porcaria, que acaba levando a mais e mais lixo. Porém, há excessões. E nelas me baseio para vir aqui e me dar ao luxo de discordar com certos pontos. Não fosse por pessoas inteligentes escrevendo seus pensamentos idem, não teria conhecido este site, tampouco estaria expondo minhas idéias e opiniões. Assim, seria uma "vítima" a menos para ver o que tem no seu banquinho. E comigo, muitos outros também não viriam aqui hoje. Faço questão de divulgar o que acho interessante. Portanto, eis aqui o sentido de ter retornado. E o sistema de comentários utilizado aqui no site, no blog que o complementa (e que está sim sendo usado como mídia, embora você possa refutar esta idéia), é feito pelo Fábio, do blog Falou e Disse. Interessante, não?! =o) Beijos.

[Sobre "A internet e os blogs"]

por Fabiana
8/10/2002 às
21h23 200.171.251.140
(+) Fabiana no Digestivo...
 
Parabéns Alexandre
Parabéns Alexandre pelo belo e oportuno texto.Como você sabe, tem gosto pra tudo e sonho pra todos.Uns põem-se a reger às primeiras notas de uma sinfonia,imaginando-se o maestro que gostariam de ser. Outros ouvem o Maracanã, lotado,gritando o seu nome, ao colocarem a bola dentro de um golzinho no parque.Assim também, alguns fazem literatura e imaginam-na como ciência. Falta realmente o "por quê?". Digo isso porque sou do outro lado,isto é, criei-me na ciência e posso dizer que não há nada mais antiliterato e enfadonho do que a linguagem científica. Durante muitos anos,tive meu pensamento escrito limitado pela necessária exatidão, cada afirmação documentada por uma refrência, cada conclusão provada por cálculos estatísticos. Por quê lançar a literatura neste mundo hermético, para proveito de poucos?Hoje esou fazendo o caminho inverso, escrevo para provar a liberdade da minha alma e soltar as amarras do espírito. Bem melhor.Muito melhor.

[Sobre "Maldita Ciência"]

por Heitor Rosa
8/10/2002 às
21h36 200.140.59.147
(+) Heitor Rosa no Digestivo...
 
a cabeça aberta
É porque ele tem "a cabeça aberta e ligada no que acontece no mundo" - mundo sendo o seu próprio umbigo (é comum aos "umbiguistas" usar um "argumento" deste tipo logo de início) e as sensações fisiológicas abaixo dele.

[Sobre "Hipermediocridade"]

por Juliana O'Flahertie
8/10/2002 às
19h29 200.193.244.180
(+) Juliana O'Flahertie no Digestivo...
 
Liberdade para idéias.
Evandro, também entrei e fiquei muito esperançoso com a aparência da sala. É muito legal ver interpretações sobre a Escola Austríaca, ainda mais por R$ 4. A questão de o Malan ser ou não ser neoliberal (eis a questão) não é muito relevante: Penso que ações respondem por si. Fico feliz pelo entusiasmo que imprime no seu texto, certamente gostou do que leu. É bom ver idéias circulando tal qual as mercadorias. E se idéias não circulam no ano 2002, não é culpa do Estado. E isso me decepcionou um pouco, pois não vi profundidade nos comentários e, sinceramente, acho que para reafirmar uma idéia não é necessário atacar o caráter do outro: como uma metralhadora de adjetivos infundados e cartuchos de afirmações levianas. Não me agradou a intervenção de Cássia (n. 02), a qual não acrescentou à discussão, mas também se mostrou depreciativa e pessoal (não sei se é algo entre vocês). Gostei do Hamilton Caetano (n. 09) que mesmo discordando em pontos, apresentou fundamento e não o atacou pessoalmente [fez uma questão legítima!]. E, a Simone (n. 11) não deve estar adorando entrar na discussão para, como você diz, "entender" alguma coisa de economia. Apenas acho que ao invés de bater no tal "Estado arcaico" que impede a circulação de mercadorias, você também poderia ajudar [como de fato fez no início] na circulação de idéias para todas as pessoas, iniciadas ou não, sem arrogância. Agora, após 1929, diversas sociedades desenvolveram maneiras de enfrentar a crise, e nestas estava lá o Estado. Acho interessante pensar se o problema é do Estado em geral ou, em nosso caso particular, o Estado brasileiro. Qual a estrutura dele? É interessante aos sustentadores do Estado brasileiro existir liberdade de iniciativa comercial a qualquer um? Por que os camelôs dos grandes centros, em geral, não pertencem à economia formal? A prioridade comercial não espontânea sempre foi o exterior. Logo, o Estado se organizou pra isso, os que não podem pagam a conta. Por isso, concordo com Graça. Ela foi a peça que faltava. Obrigado, Graça. Não elevo nenhuma teoria econômica ao cargo de Deus, pois a realidade é muito mais complexa e todas as contribuições sérias são oportunas. Aliás, não penso que a resolução desses problemas citados origina-se na economia; estou convicto (com 23 anos e posso mudar ainda, há tempo) de que a questão é política. Nós, como pessoas "letradas" e "pensantes", deveríamos acompanhar com mais cuidado o que ocorre nos bastidores das câmaras municipais, nas regiões administrativas, nas assembléias das unidades federativas a fim de interferirmos mais incisivamente no tal "Estado arcaico". Não é o "Estado arcaico" que impede o comércio? Então, mudemos o "Estado arcaico". Depois disso, a economia surge como instrumento para atingirmos nossas metas políticas mesmo que sejam conflitantes. Por enquanto... Simone, volte! E Liberdade de idéias! Alisson Ramos

[Sobre "Capitalismo sob fogo cerrado"]

por Alisson Ramos
8/10/2002 às
09h56 200.222.249.214
(+) Alisson Ramos no Digestivo...
 
autoridade intelectual
Gustavo, se pretendo debater o liberalismo, eu realmente tenho que entender o básico dele. E acredito que entendo, quer o básico sobre a idéia clássica de liberalismo, quer sobre o que são os liberais hoje. Mas o que estava em discussão no artigo do De Paola – pode reler e conferir - não era a natureza do liberalismo, e sim os quatro candidatos à presidência. E aí, eu acho que me ative ao que estava em pauta, e apontei uma certa “arrogância liberal”, não quanto à natureza do liberalismo, mas quanto à fala dos que se assumem como seus seguidores. Você não me viu exigindo de nenhum debatedor a leitura de textos clássicos que justificariam a ideologia de um ou outro candidato, até porque isso seria descabido nesse espaço./// Não fiquei bravo com os conselhos de estudo, até os levei com bom humor, como pode perceber. Só acho que as pessoas às vezes, com dificuldades para responder a um argumento, se defendem com “terrorismo bibliográfico”: se você não leu isso e isso, não se atreva a discutir comigo. Eu trabalho na universidade, onde infelizmente ocorre tal procedimento. Mas muitos aqui também o adotam. E aí eu me dou o direito de ao menos ser irônico.

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Helion
8/10/2002 às
13h30 200.154.217.23
(+) Helion no Digestivo...
 
Um comentário...
Já sou leitor do Heitor há algum tempo e admiro muito suas idéias e modo de escrever, mas este texto me era inédito. De qualquer modo fiquei tambem impressionado com as postagens, excelentes por sinal. Somente gostaria de incluir o seguinte: Helion, se pretende discutir sobre o Liberalismo, você TEM que entender o básico dele, caso contrário não tem autoridade intelectual para tal. E isto vc voce demonstrou cabalmente seu desconhecimento, além de querer atribuir o liberalismo a uma pessoa. O pior de tudo é que fica bravo quando aconselham o seu estudo.

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Gustavo Peres
8/10/2002 às
10h11 200.203.181.34
(+) Gustavo Peres no Digestivo...
 
Terapia Blogueira
Li seu texto, gostei muito... Concordo em partes com ele... Para variar também sou blogueira... (dá para notar pelas ...) Tenho uma home page também... uso a linguagem HTML desde 97 e gosto disso... Concordo com você quando fala que as pessoas estão sendo pretenciosas... muitas das visitas que fiz a blogs percebi essa característica, entre outras... Confesso que meu blog não é dos mais originais... mas eu gosto dele... Posso lhe dizer com toda segurança que não quero fazer mídia, nem ser famosa, muito menos estar no top 10... meu blog é uma forma de comunicar a todos os meus amigos diariamente como estou, e fazer novos amigos (como a Fabiana) através dele... Nunca fiz diários na vida, não via sentido em escrever para ninguém ler, se o fato ocorreu comigo, eu vou lembrar, se eu não lembrar é porque não era interessante... Mas o blog permite que eu ao invés de contar para 15 pessoas as mesmas coisas, eu vou lá escrevo e quem estiver preocupado comigo escreve... Já passei uns dias sem blogar (uma semana e meia), quando voltei tinha um monte de recados perguntando quando eu ia voltar... me senti muito querida... Podemos dizer até que blogar é uma terapia para mim... depois que comecei meu blog (há exatamente um ano atrás) não me senti mais tão solitária, nem incompreendida... Para quer ir ao terapeuta? eu tenho "amigos"! (sejam reais, virtuais ou temporários)

[Sobre "A internet e os blogs"]

por Suzana
8/10/2002 à
00h45 200.191.216.99
(+) Suzana no Digestivo...
 
errata
na mesagem anterior por favor leiam "...e a esquerda QUE de alguma forma se identifica..."

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Helion
7/10/2002 às
02h12 200.227.152.187
(+) Helion no Digestivo...
 
sobre o Derradeiro Comentário
Sr. Fernando: absolutamente, não me ofendeu em nada. Achei oportunas as suas palavras sobre a diferença entre liberais tais como se apresentam nesse debate aqui, por exemplo, e tal como o liberalismo foi formulado pelos chamados clássicos. Acrescentaria mais uma distinção: entre os clássicos do liberalismo, entre os liberais de aqui e agora, e entre os liberais tal como se comportaram quando no poder. São três níveis de análise. /// Da mesma maneira, penso que seria preciso distinguir entre o marxismo, os regimes por ele inspirados e a esquerda de alguma forma se identifica com seu legado, hoje. Também nesse caso, três níveis de análise. /// Nesse sentido, acho que em alguns momentos deste debate aqui os níveis de análise foram confundidos, ora quanto ao liberalismo, ora quanto ao marxismo. Dizer-se liberal não é, evidentemente, compartilhar política e moralmente de Collor de Mello. Votar em Lula não é querer ser comandante revolucionário de quarteirão./// Ótima a sua observação quanto ao Delfim: ele porta-se hoje mais como um keynesiano, embora nem sempre tenha sido assim. Da mesma maneira, o programa econômico do PT, ou o seu esboço, me parece mais keynesiano que marxista. Roberto Campos, no poder, também se pautou por Keynes, salvo engano meu. Não foi um “liberal clássico” como ministro; um programa econômico petista também não será marxista no sentido clássico./// Quanto à sua fundamentação cristã do liberalismo, me abstenho de comentar por não sentir afinidade com o tema, e por entender que é uma questão de foro íntimo sua./// Enfim, agradeço a resposta polida e espero que o 6 de outubro nos leve a um país mais digno e justo. Acredito que, divergências à parte, compartilhamos desse desejo.

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Helion
7/10/2002 à
01h47 200.227.152.187
(+) Helion no Digestivo...
 
Derradeiro comentário.
Sr. Helion: Desculpe-me se em algum momento cheguei a ofendé-lo com o o que apresentei. Estive um pouco ausente dos comentários já que , em vista do trabalho não pude seguir de perto a discussão. Agora porém tentarei ao menos elucidadar uma questão. Na Verdade nem mesmo sei se eu poderia dizer que há um grupo de liberais politicamente estruturados em nosso país: Os representantes maiores são o PFL e o PL, mas qualquer um pode perceber que o liberalismo clássico não é o forte deles. Quando me refiro ao liberalismo, estou me referindo ao termo que é usado por Von Misses em seu livro Liberalismo, no qual ele esclarece as diferenças entre o significado do palavra liberal na América do Norte e Grã-Bretanha durante o sec. XX. Também poderia chamar Hayek, em caminho da Servidão, no qual novamente ele chama a atenção ao problema semântico. Quanto ao Collor ser chamado liberal ou neoliberal, o mesmo título aplicando-se ao FHC, poderia fazer uma simples comparação. Sabemos que os Cristãos fazem, ou deveriam fazer, boas ações. Maomé fez boas ações, logo Maomé é Cristão. Isso é um erro. As privatizações por certo seriam uma das carcterísticas de um governo liberal mas não é a única característica. Delfim Neto, pelo que diz e escreve, não é um liberal no sentido clássico do termo. Ele é um simpatizante das idéias de Keynees, e parece gostar mais de um estado corporativista que de qualquer outra coisa. Sobre interpretar a realidade sob outros prismas que não o liberal, não afirmamos que o liberalismo seja a fonte de onde emana toda a verdade. Eu particularmente considero o liberalismo econômico e político como positivo por enquadrar-se melhor nos valores cristãos, que pregão que o índivíduo deve prestar contar a Deus diretamente, e que vc deve ser responsável por seus atos. Outras tantas poderiam ser as vantagens do liberalismo, como a liberdade de expressão, de culto, de ir e vir etc. A democracia liberal, deveria ser uma democracia limitada, o que difere muito dos nossos atuais regimes políticos (tantos os vigentes na américa como na europa.) O parlamento tem poderes quase ilimitados, e isso não está de acordo com o liberalismo político. Talvez um dos meios mais liberais que existem no mundo seja a internet, já que as pessoas expõe suas idéias livremente. Não há cotas, não há controles. Se por um lado é ruim (quando recebemos os ditos spans) por outro nos oferece a oportunidade de dialogar. Isso de certo modo é fruto de um pensamento libertário, que muito tem a ver com o liberalismo e sua evolução ao longo dos séculos. No Brasil de hoje os defensores do indivíduo, do contribuínte, são poucos, e isso vc pode comprovar. Nas palavras de Heitor, o que temos são raposas em torno do galinheiro. Nenhum pai tem o direito de definir como quer a educação de seus filhos, pois ou fica sujeito as escolas particulares, ou às escolas públicas. A educação domiciliar é rejeitada e até mesmo proíbida. Isso não é uma atitude de acordo com a liberdade. Por outro lado, ouvimos repetidamente pessoas clamando por justiça social, sem mesmo saber o que significa, e jovens militando em partidos de esquerda, como se conhessecem toda a história humana e fossem juízes supremos. Isso , eu considero perigoso, tanto para mim, quanto para eles. Que Brasil o 6 de outubro nos reservará? A onde nos leva essa eleição? Penso que devemos refletir sobre o caminho que escolhemos, já que este é (nas palavras de F. A. Hayek) " O Caminho da Servidão"

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Fernando Raphael
6/10/2002 às
21h09 200.163.193.27
(+) Fernando Raphael no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Diário de uma Mae Verdadeira
Daniela Barros
Bb
(2012)



Manual de Culinária para Ignorantes Em Cozinha
Sergio Gonçalves
Angra
(1999)



Fatores de Risco Coronariano
Jorge Martins de Oliveira
Guanabara Koogan
(1978)



Macau na Poesia de Edinor Avelino
Walter Wanderley (dedicatória)
Pongetti (rj)
(1967)



Teoría e Investigación Históricas En La Actualidad
Richard Dietrich (ed.)
Gredos (madrid)
(1966)



Organização e Administração
Kast e Rosenzweig
Pioneira
(1976)



Evans Technical Dictionary
Laurence Urdang (compilação)
Ao Livro Técnico (rj)
(1982)



Networking: Desenvolva Sua Carreira Criando Bons Relacionamentos
Diane Darling
Sextante
(2007)



Administre Seu Tempo Assuma o Controle da Sua Vida
Mauro Silveira
Abril



A Volta de Nietzsche
J. Fagundes
Discovery
(2012)





busca | avançada
97126 visitas/dia
2,6 milhões/mês