Realidade paralela | Carlos Patez

busca | avançada
44531 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Projeto cultural leva cinema até paradas de descanso de caminhoneiros
>>> HOMENS NO DIVÃ Ano XV
>>> Paulo Goulart Filho é S. Francisco de Assis na peça de Dario Fo
>>> Momo e o Senhor do Tempo estreia dia 15 de janeiro
>>> Rafa Castro leva canções de Teletransportar ao palco do Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
>>> O tempo é imbatível
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Suicídio
>>> Outliers, de Malcolm Gladwell
>>> Nem morta!
>>> A América de John Steinbeck
>>> 7 de Setembro
>>> Como num filme
>>> É proibido proibir
>>> Museu dos brinquedos
>>> O engano do homem que matou Lennon
>>> 1º de Novembro de 2014
Mais Recentes
>>> A Volta ao Mundo em 80 Dias - Júlio Verne de Walcyr Carrasco (tradução e adaptação) pela Moderna (2013)
>>> A Casa do Terror - coleção veredas 3ª edição. de Álvaro Cardoso pela Moderna (1994)
>>> O Mistério da Cidade-Fantasma - Série Vaga-Lume de Marçal Aquino pela Ática (1994)
>>> O Grito da Esfinge Livro 1 - Os Prisioneiros da Eternidade de William Goldoni pela Novo Século (2005)
>>> Inteligência Natural: Integração Corpo-Mente E Desenvolvimento Humano de Susan Aposhyan pela Manole (2001)
>>> Tratado Geral dos Portais de Libertação de Ortiz Belo de Souza pela Portais de Libertação (2008)
>>> Jornada dos Anjos de Sandra Carneiro; Lucius pela Vivaluz (2010)
>>> Uma Sistematização Sobre a Saúde do Trabalhador: do Exótico ao Esotérico de Paulo Rogério Albuquerque de Oliveira pela Ltr (2011)
>>> Cultura Geral - Tudo o que se deve saber de Dietrich Schwanitz pela Martins Fontes (2007)
>>> Renascer das Emoções de Marco Antonio Maiuri Miranda pelo espírito Lucio pela Mnêmio (1998)
>>> Tietê - Imagens que o Brasil Não Vê de Denis Ferraz pela Não especificado (2000)
>>> Os Dez Mandamentos da Ética de Gabriel Chalita pela Nova Fronteira (2003)
>>> Desejo Paixão e Ação na Ética de Espinosa de Marilena Chauí pela Companhia Das Letras (2011)
>>> Desejo Paixão e Ação na Ética de Espinosa de Marilena Chauí pela Companhia Das Letras (2011)
>>> Os Florais do Dr. Bach - As Flores e os Remédios de Antonieta Barreira Cravo pela Hemus
>>> Chic[érrimo] - Moda e etiqueta em novo regime de Gloria Kalil pela Códex (2004)
>>> Labirinto de Ossos de Rick Riordan pela Atica (2009)
>>> Bilionários Por Acaso: A Criação do Facebook de Ben Mezrich pela Intrínseca (2010)
>>> Vertigem Digital - Por que as Redes Sociais... de Andrew Keen pela Zahar (2012)
>>> Le Nouveau Bescherelle - L'Art ded Conjuguer-Dictionnaire de 12000 Verbes de Bescherelle pela Ao Livro Técnico (1984)
>>> As Mais Belas Páginas da Literatura Árabe de Mansour Challita pela Civilização Brasileira
>>> Cartas de Mário de Andrade e Oneyda Alvarenga pela Duas Cidades (1983)
>>> O Século do Martírio - Os extermínios colectivos e o martírio dos cristãos do século XX de Andrea Riccardi pela Quetzal (2002)
>>> Medicina Oriental: diagnose, fisiologia e curas de Michio Kushi pela Sol Nascente
>>> 26 Poetas Hoje - Antologia 1976 de Heloisa Buarque de Hollanda - Organizadora pela Companhia Das Letras (2021)
COMENTÁRIOS

Terça-feira, 8/6/2010
Comentários
Leitores


Realidade paralela
E fantasia, irrealidade, ilusão, não é algo que nosso estimado filósofo admita como poder! Para ele, quem tem que inventar uma realidade paralela são os desprovidos de poder, pois os que têm o poder convivem muito bem com esta realidade, essa diferença sempre está exposta em seus comentários sobre a moral de classe baixa e a aristocrática. Vejo isso até quando faz aquelas comparações entre cristianismo e budismo. E, caríssimo Mauro, no quesito comer se refinou e evoluiu assim como o homem de Nietzsche deve ser, pois sua filosofia, segundo o próprio, deve evoluir, não pode estagnar... ele nos deixa isso explícito!

[Sobre "O cristianismo para Nietzsche"]

por Carlos Patez
http://www.capatez.zip.net
8/6/2010 às
12h04 189.19.67.141
(+) Carlos Patez no Digestivo...
 
Filósofos tinham poder
Olá, Dulce. Realmente Nietzsche pode ter-se traído em muitas coisas, mas em querer ser controlado, não concordo. Quanto a isso tenho comigo que o filósofo, seja ele quem for, usa em primeiro lugar seu próprio corpo como laboratório de ideias. Apesar de sua frágil saúde ele conseguiu montar (como é o termo de sua preferencia) um sistema filosófico que continua póstumo, que incomoda, que nos faz a todos parar e pensar, e ruminar exatamente como queria, pois contesta nossos valores sociais, psicológicos e afins. E não foi apenas Nietzsche que negou a existência desse deus fantástico: Espinosa é o exemplo de alguém que foi duramente criticado por esta posição! Quanto aos filósofos gregos, na visão deste filósofo, em sua época quem detinha os poderes eram os querreiros, filosófos cantavam suas vitórias, seus heroísmos, eles reagiam às ações destes. Nietzsche sempre valorizou a ação em primeiro plano, logo a análise! Os filósofos tinham realmente muito poder, mas o poder de fantasiar.(continua)

[Sobre "O cristianismo para Nietzsche"]

por Carlos Patez
http://www.capatez.zip.net
8/6/2010 às
11h47 189.19.67.141
(+) Carlos Patez no Digestivo...
 
Valia tudo, até se morder
A geração beat anda corada em nossos tempos. Se recordar as fogueiras sentimentais do passado em que transar era algo entre quatro paredes, sem importar com o sexo. Valia tudo, até se morder.

[Sobre "Sereníssima"]

por Manoel Messias Perei
http://www.pop.com.br
8/6/2010 às
05h04 189.79.192.217
(+) Manoel Messias Perei no Digestivo...
 
A pequenez dos homens de fé
Não colocamos a razão à frente de nossos sentimentos, apenas dissimulamos que o fizemos. Se o tivéssemos feito, teríamos dado à humanidade um testemunho de verdade. Teríamos provado alguma coisa, nosso comportamento seria basto. Não teríamos que nos acanhar em palavras, nem discursos, nem homilias. Ainda que por tentativas insuficientes e pusilânimes, senti o quão livre me tornei ao diminuir um pouco o instinto de agressividade; notei que, moderando a gula, deixei de comer por vício e apreciei muito melhor os sabores. Quantas coisas ganharíamos por vencer nossas fraquezas, o ego, ah, tivéssemos seguido o exemplo de Sócrates que, ao contrário do que dizia Nietzsche, mostrou o resultado de colocar a mente à frente das emoções básicas: o indivíduo se fortalece, se vitaliza, se alegra e pulsa. Uma pena que o grego tenha vivido em época onde não havia celular para filmá-lo para que, deste modo, todos o vissem, apenas o vissem em sua grandeza modesta. E veriam também a pequenez dos homens de fé.

[Sobre "O cristianismo para Nietzsche"]

por mauro judice
http://www.gizeditorial.com.br/maurojudice
8/6/2010 à
01h03 201.93.70.145
(+) mauro judice no Digestivo...
 
Nietzsche tem razão
É... Somos isto. Nietzsche tem razão em denunciar nosso ressentimento com relação àqueles que têm o que não temos, e quisemos rebaixar os homens de valor, tomando-nos superiores a eles, tendo-nos por eleitos de Deus. Mas desconfio que nosso filósofo tenha caído em mesma armadilha do ego, como disse a Dulce no comentário acima. Só sei de uma coisa: Friedrich Nietzsche é o meu maior detrator. Ninguém melhor que ele nos mostrou, a nós, homens de fé, o quanto somos falsos, afetados, presunçosos e fracos. E, no entanto, sou grato a ele e a todos os pensadores que detrataram a religião. Nada como um cético para orientar um convicto. Contudo, o filósofo se enganou num ponto, para maior demérito nosso, crentes em Deus. Afirmou que inibimos os instintos e nos tornamos por isso em indivíduos exânimes, fracos e sem vontade (Vontade de Poder). Mas, não, querido Nietzsche, nós não fizemos isto. Não inibimos nossa animalidade, nossos instintos, nós os castramos (Patez está certíssimo).

[Sobre "O cristianismo para Nietzsche"]

por mauro judice
http://www.gizeditorial.com.br/maurojudice
8/6/2010 à
00h56 201.93.70.145
(+) mauro judice no Digestivo...
 
A justiça é como o teatro
Química? Que tal ler "Tabela Periódica" de Primo Levy, autor de "A Trégua", onde ele declara que a "justiça é como o teatro"? Quem discorda?

[Sobre "Elogio Discreto: Lorena Calábria e Roland Barthes"]

por Paulo Pereira
7/6/2010 às
15h07 187.14.199.203
(+) Paulo Pereira no Digestivo...
 
Essência, pura e simples
simplesmente sofisticado Assim mesmo sem vírgula nem ponto e nem mesmo caixa alta. Essência, pura e simples. Infeliz daquele que, diante desse texto, diante das pessoas que praticam o que o texto simplesmente retrata, não for cordato. Temos aqueles que por falta de atitude, postura, caráter ou dignidade trocam o diálogo por silêncio calunioso, não querem se comprometer com o entendimento do mais simples, pois lhes exigirá o rogo da prática. Obrigado por seu texto, querido escritor.

[Sobre "Simplicidade ou você quer dormir brigado?"]

por Fredh Hoss
http://twitter.com/fredhhoss
7/6/2010 às
15h05 201.95.39.186
(+) Fredh Hoss no Digestivo...
 
O medo como controle
Já que mais uma vez o sr. Mauro cita esta grande festa dos instintos, aqui cabe uma pergunta: Por que o culto ao corpo, aos instintos, incomoda tanto? Aceitando os instintos, sejam eles de qualquer grandeza, sinto que podemos controlá-los, pois, sabedores de nossos limites, reconhecemos o limite do outro! Creio também que em nossa "sociedade cristã" somos castrados destes instintos, e não vejo que essa "sociedade cristã" hoje em dia estão conseguindo o que seria seu objetivo primário: através do medo de ir para o inferno domesticamos e controlamos à todos. Poderei continuar nossa conversa através do e-mail ou do blog, como queira! Se quiser tornar pública a nossa conversa, use o blog! Respeitosamente grande abraço a todos que nos acompanham!

[Sobre "O cristianismo para Nietzsche"]

por Carlos Patez
http://capatez.zip.net
7/6/2010 às
13h52 189.19.67.141
(+) Carlos Patez no Digestivo...
 
Acreditar nos instintos
Creio que Jesus, nesse episódio, se é que o mesmo aconteceu, se referiu mesmo às leis vigentes, que num povo tão "religioso" costuma ser lei = dogma, contra a lei = pecado! Nietzsche assim raciocina (o cristianismo como algo definitivo), porque a própria Bíblia não deixa vazão para outro pensamento que seja, pois a lei é definitiva! Até tem um livro nesta coleção que se chama Apocalipse! Querer salvar Paulo de Tarso do estrago que fez, é trabalho inglório. Por causa dele e de alguns que estiveram fazendo esta coletânea, nunca saberemos de fato o que ocorreu naqueles dias idos. Mas o que fica é sua grande vontade de que todos pensem como eles, para que possam sempre prever o homem domesticado. Um homem que despreza seus sentidos, seus instintos, e que sua noção de felicidade é algo como obedecer, obedecer, obedecer... Creio que, acreditando em nossos instintos, seríamos muito mais respeitosos com nosso próximo, com nossos adversários, pois reconheceríamos nestes também o poder em nós inerente! (continua)

[Sobre "O cristianismo para Nietzsche"]

por Carlos Patez
http://capatez.zip.net
7/6/2010 às
13h34 189.19.67.141
(+) Carlos Patez no Digestivo...
 
Nabokov já era hipertextual
Bela resenha, Guilherme. Você pegou um dos aspectos importantes pelos quais "O Original de Laura" deveria mesmo ter sido publicado: a possibilidade de olharmos sobre os ombros do escritor. Nabokov não era um autor linear, não escrevia o capítulo 2, depois do 1, o 3, depois do 2, etc. Ele era hipertextual. Preenchia os espaços, dizia. Em 09/2009, eu participei de uma mesa na Academia Brasileira de Letras com o professor Brian Boyd (maior especista na obra de Vladimir) em que se comparou as obras de Machado de Assis e Nabokov. Na mesma época, o entrevistei para o Prosa Online, dois meses depois, eu mesmo também publiquei uma resenha de "Laura" no JB. Com o advento e popularização da internet, penso que "Laura", 30 anos depois de seu doloroso nascimento - sendo que, para isso, da forma como "nasceu", tenha sido necessária a morte de seu autor -, tenha sido publicado no momento certo. Abs, CS

[Sobre "O Original de Laura"]

por C. S. Soares
http://pontolit.com.br/beta
7/6/2010 às
12h36 189.122.215.181
(+) C. S. Soares no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Casamento do Espírito - Vivendo Iluminado no Mundo de Hoje
Leslie Temple-thurston - Brad Laughlin
Wva
(2006)



Jackson Five - Organismo Pulsante
Marco Luque
Novo Século
(2013)



Corrida Infernal
Marcos Rey
Ática



A Essência da Mente - a Arte de Viver
Vários Autores
Martin Claret
(1997)



Frankenstein Em Quadrinhos
Mary Shelly
Peirópolis
(2012)



Protestantismo e Mística
André Anéas
Fonte
(2016)



Administração e Supervisão Escolar Questões para o Novo Milênio
Lourdes Marcelino Machado
Pioneira
(2000)



Ejercicios Por Parejas
Manuel M.Falkowski e Ernesto Enriquez
Libreria Deportiva
(1974)



Mente Que Não Mente
Neumoel Stina
Grafsol
(2015)



A Historia dos Gênios da Musica Classica - Schuman
Schuman
Nova Cultural
(1988)





busca | avançada
44531 visitas/dia
1,9 milhão/mês