Receita para fazer filmes | Maurício Dias | Digestivo Cultural

busca | avançada
28444 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> FÁBRICA DE CALCINHA, PARTE DA MOSTRA CENA SUL, EM TRÊS APRESENTAÇÕES NO SESC BELENZINHO
>>> PROJETO MÚSICA EXTREMA, DO SESC BELENZINHO, TRAZ EM MARÇO A BANDA REFFUGO, DE DEATH METAL
>>> ESPETÁCULO DE DANÇA ENCHENTE, COM DIREÇÃO DE FLAVIA PINHEIRO (PE), EM TRÊS DATAS NO SESC BELENZINHO
>>> EU e MÁRIO DE ANDRADE Livro de Anotações para Viagens Reais e Imagin
>>> Atom Pink Floyd Tribute retorna ao Rio Grande do Sul
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
>>> Um olhar sobre Múcio Teixeira
>>> Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras
Colunistas
Últimos Posts
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
Últimos Posts
>>> Domingos de Oliveira (1936-2019)
>>> Latitudes & Longitudes
>>> Renovação
>>> Prefácio
>>> Descendências
>>> Nem mais nem menos
>>> Profissão de fé
>>> Direções da véspera III
>>> Mirante
>>> In Albis
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O fim da revista Bravo!, na editora Abril
>>> Generaciones de blogueros
>>> Os ombros suportam o mundo
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Votos Úteis
>>> A vida como encenação
>>> Proust, rugas e colesterol
>>> A ascensão de um novo faroeste
>>> Trauma paulistano
>>> Terra Papagalli
Mais Recentes
>>> Sob o Sol da Índia de Julia Gregson pela Agir (2009)
>>> Conversa Sobre o Tempo:zuenir Ventura Luis Fernando Verissimo de Arthur Dapieve pela Agir (2010)
>>> Dedé Mamata: Eles Só Aplaudem Quem Chega de Vinicius Vianna (autografado) pela Anima (1985)
>>> Poemas Escolhidos de Fernando Pessoa pela Globo (1997)
>>> Brás, Bexiga e Barra Funda & Laranja da China de Antônio de Alcântara Machado pela Globo (1997)
>>> Deixe-me partir de Tanis Fernandes de Carvalho pela Petit (2014)
>>> O Silvano de Anton Tchékhov pela Globo (2005)
>>> Belas e comoventes histórias de Oswaldo Iório pela Eme (2013)
>>> As vidas de Arthur de Ana Diegues/Alberto pela Aliança (2013)
>>> Veteranos do Zumbi: Ha 50 Anos Correndo Atras da Bola de Mario Moutrinho & Janir de Souza Lima pela Ediçao do Autor (1998)
>>> O Ajuste Impossível de Aloisio Teixeira (autografado) pela Edufrj (1994)
>>> Armadilhas da Sedução - os Romances de M. Delly de Maria Teresa Santos Cunha pela Autêntica (2007)
>>> Machado de a a X - um Dicionário de Citações de Lucia Leite Ribeiro Prado Lopes pela 34 (2001)
>>> Bocage - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril (1980)
>>> A Outra Vida de Catherine Millet pela Agir (2009)
>>> A Vida Sexual de Catherine Millet pela Agir (2003)
>>> A Torre Negra #VII de Stephen King pela Ponto de Leitura (2014)
>>> Quarta-feira de cinzas de Ethan Hawke pela Ediouro (2003)
>>> Lisola del Tesoro (2725) de R. L. Stevenson pela Mursia (1993)
>>> Chew Me Up Slowly (2683) de Mário Quintana pela Globo (1978)
>>> Memorização Leitura Dinâmica Concentração Oratória P/ Iniciantes de Acácio Moraes Garcia (2122) pela Edeme (1995)
>>> Livro de Cânticos Volume III (1855) de Hilaire de Souza pela Life
>>> Lonely Planet: Rio de Janeiro (1756) de Regis St. Louis pela Lonely Planet (2006)
>>> Revista Capixaba de Filosofia e Teologia - A. 6 Nº10 (681) de Diversos pela Iftav/fsv (2008)
>>> Revista Capixaba de Filosofia e Teologia - a 7/ Nº12 (765) de Diversos pela Iftav/fsv (2009)
>>> Estudos Filosóficos Nº 12 (784) de Diversos pela Ufsj (2014)
>>> Superman - o Que Aconteceu ao Homem de Aço ? (4669) de Alan Moore e Curt Swan pela Panini Books (2016)
>>> Senhoras e Senhores (960) de Orlando Brito pela Fiat (1993)
>>> Mosca-varejeira (4622) de Patricia D. Cornwell pela Companhia das Letras (2006)
>>> Cbf Nike (6309) de Aldo Rebelo e Silvio Torres pela Casa Amarela (2001)
>>> Pátria Brasileira (4860) de Antônio Davila pela Difusora Culrural (1967)
>>> A Modernidade da Pintura no Rio Grande do Sul (4002) de Marilene Burler Pieta pela Sagra (1995)
>>> Entre Penas e Pincéis - Manuscritos do Artista Plástico (2298) de Willy Alfredo Zumblick pela Universitária (1998)
>>> O Egoísta (6977) de George Meredith pela Ediouro (1995)
>>> Yoga da Alimentação (3283) de Chiang Sing pela Freitas Bastos (1975)
>>> Eu Sou Ozzy (7216) de Ozzy Osbourne pela Benvirá (2010)
>>> Uma Casa para o Sr. Biswas (1457) de V. S. Naipaul pela Companhia das Letras (1988)
>>> A Deusa: as Vidas Secretas de Marilyn Monroe (4632) de Anthony Summers pela Best Seller (1987)
>>> Cleópatra: uma Biografia (7600) de Stacy Schiff pela Zahar (2011)
>>> De Todo o Meu Ser (7562) de Mônica de Castro pelo Espírito Leonel pela Vida & Consciência (2010)
>>> O Triunfo de Sharpe (7309) de Bernard Cornwell pela Record (2011)
>>> Acelere Seu Metabolismo (7295) de Lyssie Lakatos e Tammy Lakatos Shames pela Best Seller (2010)
>>> História de Santa Catarina (7269) de Oswaldo Rodrigues Cabral pela Ufsc (1968)
>>> Christine (2966) de Stephen King pela Ponto de Leitura (2011)
>>> Laowai: Histórias de uma Repórter Brasileira na China (6739) de Sônia Bridi pela Letras Brasileiras (2008)
>>> A História: a Bíblia Contada Como uma Só História do Começo ao Fim de Zondervan Corporation (6889) pela Sextante (2009)
>>> Goldman Sachs, a Cultura do Sucesso (6330) de Lisa Endlich pela Nobel (2000)
>>> A F. E. B. pelo Seu Comandante (5927) de Marechal J. B. Mascarenhas de Moraes pela Instituto Progresso Editorial (1947)
>>> Educação e Contemporaneidade Revista Faeeba Vol 15 N. 25 (5218) de Obra Coletiva pela Uneb (2006)
>>> Sangue na Neve (3478) de Lisa Gardner pela Novo Conceito (2013)
COLUNAS

Terça-feira, 2/9/2003
Receita para fazer filmes
Maurício Dias

+ de 4800 Acessos
+ 2 Comentário(s)

O norte-americano Joseph Campbell (1904 - 1987) foi um estudioso de mitologia. Tomei conhecimento do seu trabalho num curso extra de roteiro para cinema que fiz logo após a conclusão da faculdade. Foi lançado aqui logo em seguida o livro A Jornada do Escritor, de Christopher Vogler, um estudo aplicando ao roteiro de cinema as idéias de Campbell para a concretização da estrutura do mito.

No livro de Vogler, uma série de filmes americanos, especialmente O Mágico de Oz e a série Guerra Nas Estrelas são analisados e vemos que suas estruturas se adequam ao método de Campbell.

Trabalhando com arquétipos como mentores, guardiões do limiar, etc., ali se expõe um esquema básico ideal para a jornada do herói em um mito:

1) Consciência Limitada

2) Aumento da Consciência

3) Relutância à Mudança

4) Superando

5) Compromisso

6) Experimentando

7) Preparando

8) Grande Mudança

9) Conseqüências

10) Nova Dedicação

11) Tentativa Final

12) Domínio

Esta estrutura, com algumas variações, pode ser encontrada em muitos dos filmes americanos. Estou aqui apenas expondo o que é colocado ao longo de 340 páginas. O conhecimento destes elementos é uma chave para se fazer um bom roteiro cinematográfico.

Mas um erro fundamental da maioria dos roteiros de filmes americanos é achar que apenas o conhecimento destes elementos garante qualidade a um roteiro. Não garante. Roteiristas medíocres usam este esquema como receita para bolo. Nem na culinária o fato de se ter um bom livro de receitas garante ao sujeito ser um bom cozinheiro. Imagine então na arte como é.

O diretor francês Jacques Tati dizia que não se pode fazer filmes como pães. Cada obra deveria ter seu tempo de maturação e suas qualidades individuais. Evidentemente, nos filmes da grande indústria isso é uma utopia.

Filmes como Titanic ou Dança com Lobos tem o roteiro todo estruturado para se enquadrar a algum esquema já pré-testado (o de Vogler-Campbell não é o único método, há outros) e de comprovado sucesso.

Os citados acima, como outros, acabaram sendo sucessos de público, em parte por qualidades da produção que nada tem a ver com roteiro (atores carismáticos, cenografia bem cuidada, bons efeitos especiais), em parte por campanhas de marketing bem elaboradas, e em grande parte, bem, em grande parte porque o público é, como se diz, well, burro. Ambos os filmes são bem medíocres. Não são horríveis. Foram pré-elaborados, refeitos, testados em audiências durante muito tempo, dificilmente seriam horríveis. São apenas medíocres. Justamente por quererem agradar a muitos, são esvaziados de qualidade. Roteiros que, originalmente poderiam até ser bons, são escritos e reescritos vezes demais, para agradar a produtores e yes men, esvaziando-se assim qualquer conceito autoral que ali pudesse estar embutido. O processo todo é mostrado de forma satírica em O Jogador, de Robert Altman, em que um diretor iniciante quer fazer um filme trágico sobre uma inocente que morre na câmara de gás. O personagem do diretor frisa várias vezes que quer algo realista e sem "estrelas de Hollywood". No final, os produtores conseguem convencê-lo a mudar a tragédia para um happy end e a usar Julia Roberts e Bruce Willis (ambos "interpretando" a si mesmos). A voz do público é a voz de Deus.

Sei que em Titanic ou Dança com Lobos os finais trágicos são mantidos - se bem que em Titanic o casal de pombinhos ressurja após a morte para ser aplaudido por todos os fantasmas do navio (logo antes de entrar a música da - Argh! - Celine Dion) e em Dança com Lobos o casal branco escape (tinha que haver uma mulher branca na tribo? Não seria mais politicamente correto se Costner se relacionasse com uma índia - opa, quero dizer, "nativo-americana", uma Pocahontas da vida?) e só os índios se ferrem geral. Mas O Jogador, lembremos, é uma sátira, não um filme realista. Como também é uma sátira o melhor filme sobre Hollywood, Crepúsculo dos Deuses (Billy Wilder, 1950), sobre o qual já escrevi, ou a grosseira e divertidíssima série para TV Action, que mostrava os trambiques do fictício produtor de filmes de ação Peter Dragon (durou apenas 12 episódios e foi exibida aqui pelo canal Sony).

Mas tendo conhecimento destes esquemas, você vê como a maioria dos profissionais do roteiro se acomodam, repetem o já-feito e se acovardam. Apesar de a história ser o ponto central de um filme, aqueles que a escrevem são uma classe muito pouco prestigiada, é natural que se retraiam e no final acabem virando funcionários que farão o que for mandado em troca de um cheque no final do mês - cheque este que, muitas vezes, não vem.

Quando atuava no mercado, ouvi de produtores e editores frases que variavam nas palavras, mas cujo sentido era mais ou menos este: - "Eu mesmo escreveria, se tivesse tempo!"

Claro que escreveria. Bastaria para isso que tivesse lido alguns livros (coisa que, em geral, não fazem), visto e revisto certos filmes (idem), e estudado (isso então, nem preciso falar). Para depois, sentar a bunda na cadeira, escrever e reescrever.

Com frases como esta que mostrei acima, pessoas ignorantes, que em geral estão numa boa posição apenas por conexões familiares, diminuem o profissional e ainda mostram que eles próprios, os patrões, são capazes de fazer o serviço, mas preferem se dedicar a algo mais importante. Cheirar cocaína e ir à termas, por exemplo - não que os roteiristas não cultivem os mesmos passatempos. É que em geral não tem dinheiro para isso.

Isto é universal. Mas nos EUA, pelo menos há um mercado vasto, o roteirista pode dar a sorte de trocar o imbecil do seu chefe por outro um pouco menos imbecil. Aqui, com um cinema que é uma ação entre amigos ricos (mas com apoio do governo), e o monopólio de uma única emissora de TV que investe em "qualidade de dramaturgia" - bota aspas nisso, e mesmo assim, numa faixa de horário reduzida de sua grade - o roteirista oscila entre o trabalho para comerciais publicitários e a inanição, até resolver fazer concurso para funcionário público.

Pretendo ainda voltar a falar de Joseph Campbell, seu trabalho com mitologia tem pontos interessantes e não se limita ao ato de escrever roteiros. Mas não é pra usar como auto-ajuda em nossas vidas, como alguns (e o próprio Vogler) querem nos fazer acreditar. Aproveito para indicar um link, onde há um texto mais longo meu sobre o cineasta Stanley Kubrick.


Maurício Dias
Rio de Janeiro, 2/9/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. As palmeiras da Politécnica de Elisa Andrade Buzzo
02. Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela de Renato Alessandro dos Santos
03. O papel aceita tudo de Jardel Dias Cavalcanti
04. A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel de Renato Alessandro dos Santos
05. Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia de Renato Alessandro dos Santos


Mais Maurício Dias
Mais Acessadas de Maurício Dias em 2003
01. A obra-prima de Raymond Chandler - 21/1/2003
02. Picasso e Matisse: documentos - 10/6/2003
03. Uma teoria equivocada - 14/10/2003
04. Quentin Tarantino: violência e humor - 29/7/2003
05. Por onde anda a MPB atualmente? - 20/5/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
9/9/2003
16h48min
Caro Mauricio.Bons tempos em que se podia se deparar com um produtor como Robert Evans;escoltando com toda boa vontade um roteirista extraordinário como Robert Towe,que saudades de filmes como Chinatown.Escreva mais sobre cinema,que você terá um leitor fiel.Abraços
[Leia outros Comentários de Heraldo Vasconcellos]
10/9/2003
05h09min
Obrigado pela mensagem. O que eu mais fiz foi escrever sobre cinema. Recomendo entrar no texto sobre Quentin Tarantino. Ao final da página há links para outros textos meus. E enquanto não arranjo grana para levar meus roteiros adiante, recomendo minhas histórias em quadrinhos. Tema histórico: a história dos leões de Roma (7 páginas; dependendo da sua conexão, pode demorar um pouco); história politicamente incorreta (5 páginas no total);
[Leia outros Comentários de Mauricio Dias]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VIDA & SAÚDE - A CURA PELA NATUREZA Nº 5 - MEL UMA DOCE REDESCOBERTA
MÔNICA XIMENES LEITE E MARIA CRISTINA FRANCISCO
TRÊS
(1983)
R$ 6,00



DA INTERPRETAÇÃO JURÍDICA 2ª EDIÇÃO
MÁRIO FRENZEM DE LIMA (CAPA DURA)
FORENSE (RJ)
(1955)
R$ 17,82



D. PEDRO DALCÂNTARA DE BRAGANÇA 1798-1834: IMPERADOR DO BRASIL
PALÁCIO DE QUELUZ
PAÇO IMPERIAL MIN CULTURA
(1987)
R$ 17,28



DIAGNÓSTICO E PROGNÓSTICO DAS DISPONIBILIDADES HIDRICAS
MONICA LOPES GONÇALVES
UNIVILLE
(2006)
R$ 85,00



62 MODELO PARA ARMAR
JULIO CORTÁZAR
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(2000)
R$ 25,00



O VALE-CULTURA, A SOLUÇÃO?
NIVIA DE ANDRADE LIMA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



CONTROLE AUTOMÁTICO DE UM ROV UTILIZANDO SENSORIAMENTO DE BAIXO CUSTO
VINÍCIUS NIZOLLI KUHN UND SEBASTIÃO C. P. GOMES
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



TEATRO (EVOLUÇÃO HISTÓRICA)
JACQUES BURDICK
VERBO
(1978)
R$ 28,00



CONSPIRACY 365 - LIVRO 01 JANEIRO - O ENIGMA DOS DESENHOS
GABRIELLE LORD
FUNDAMENTO
(2015)
R$ 32,00



TEATRO ARGENTINO - REPERTÓRIO COMPLETO - TOMO II (EM ESPANHOL)
ALBERTO GHIRALDO
EDITORIAL AMERICALEE
(1946)
R$ 25,00





busca | avançada
28444 visitas/dia
1,1 milhão/mês