Receita para fazer filmes | Maurício Dias | Digestivo Cultural

busca | avançada
61072 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 2/9/2003
Receita para fazer filmes
Maurício Dias

+ de 5200 Acessos
+ 2 Comentário(s)

O norte-americano Joseph Campbell (1904 - 1987) foi um estudioso de mitologia. Tomei conhecimento do seu trabalho num curso extra de roteiro para cinema que fiz logo após a conclusão da faculdade. Foi lançado aqui logo em seguida o livro A Jornada do Escritor, de Christopher Vogler, um estudo aplicando ao roteiro de cinema as idéias de Campbell para a concretização da estrutura do mito.

No livro de Vogler, uma série de filmes americanos, especialmente O Mágico de Oz e a série Guerra Nas Estrelas são analisados e vemos que suas estruturas se adequam ao método de Campbell.

Trabalhando com arquétipos como mentores, guardiões do limiar, etc., ali se expõe um esquema básico ideal para a jornada do herói em um mito:

1) Consciência Limitada

2) Aumento da Consciência

3) Relutância à Mudança

4) Superando

5) Compromisso

6) Experimentando

7) Preparando

8) Grande Mudança

9) Conseqüências

10) Nova Dedicação

11) Tentativa Final

12) Domínio

Esta estrutura, com algumas variações, pode ser encontrada em muitos dos filmes americanos. Estou aqui apenas expondo o que é colocado ao longo de 340 páginas. O conhecimento destes elementos é uma chave para se fazer um bom roteiro cinematográfico.

Mas um erro fundamental da maioria dos roteiros de filmes americanos é achar que apenas o conhecimento destes elementos garante qualidade a um roteiro. Não garante. Roteiristas medíocres usam este esquema como receita para bolo. Nem na culinária o fato de se ter um bom livro de receitas garante ao sujeito ser um bom cozinheiro. Imagine então na arte como é.

O diretor francês Jacques Tati dizia que não se pode fazer filmes como pães. Cada obra deveria ter seu tempo de maturação e suas qualidades individuais. Evidentemente, nos filmes da grande indústria isso é uma utopia.

Filmes como Titanic ou Dança com Lobos tem o roteiro todo estruturado para se enquadrar a algum esquema já pré-testado (o de Vogler-Campbell não é o único método, há outros) e de comprovado sucesso.

Os citados acima, como outros, acabaram sendo sucessos de público, em parte por qualidades da produção que nada tem a ver com roteiro (atores carismáticos, cenografia bem cuidada, bons efeitos especiais), em parte por campanhas de marketing bem elaboradas, e em grande parte, bem, em grande parte porque o público é, como se diz, well, burro. Ambos os filmes são bem medíocres. Não são horríveis. Foram pré-elaborados, refeitos, testados em audiências durante muito tempo, dificilmente seriam horríveis. São apenas medíocres. Justamente por quererem agradar a muitos, são esvaziados de qualidade. Roteiros que, originalmente poderiam até ser bons, são escritos e reescritos vezes demais, para agradar a produtores e yes men, esvaziando-se assim qualquer conceito autoral que ali pudesse estar embutido. O processo todo é mostrado de forma satírica em O Jogador, de Robert Altman, em que um diretor iniciante quer fazer um filme trágico sobre uma inocente que morre na câmara de gás. O personagem do diretor frisa várias vezes que quer algo realista e sem "estrelas de Hollywood". No final, os produtores conseguem convencê-lo a mudar a tragédia para um happy end e a usar Julia Roberts e Bruce Willis (ambos "interpretando" a si mesmos). A voz do público é a voz de Deus.

Sei que em Titanic ou Dança com Lobos os finais trágicos são mantidos - se bem que em Titanic o casal de pombinhos ressurja após a morte para ser aplaudido por todos os fantasmas do navio (logo antes de entrar a música da - Argh! - Celine Dion) e em Dança com Lobos o casal branco escape (tinha que haver uma mulher branca na tribo? Não seria mais politicamente correto se Costner se relacionasse com uma índia - opa, quero dizer, "nativo-americana", uma Pocahontas da vida?) e só os índios se ferrem geral. Mas O Jogador, lembremos, é uma sátira, não um filme realista. Como também é uma sátira o melhor filme sobre Hollywood, Crepúsculo dos Deuses (Billy Wilder, 1950), sobre o qual já escrevi, ou a grosseira e divertidíssima série para TV Action, que mostrava os trambiques do fictício produtor de filmes de ação Peter Dragon (durou apenas 12 episódios e foi exibida aqui pelo canal Sony).

Mas tendo conhecimento destes esquemas, você vê como a maioria dos profissionais do roteiro se acomodam, repetem o já-feito e se acovardam. Apesar de a história ser o ponto central de um filme, aqueles que a escrevem são uma classe muito pouco prestigiada, é natural que se retraiam e no final acabem virando funcionários que farão o que for mandado em troca de um cheque no final do mês - cheque este que, muitas vezes, não vem.

Quando atuava no mercado, ouvi de produtores e editores frases que variavam nas palavras, mas cujo sentido era mais ou menos este: - "Eu mesmo escreveria, se tivesse tempo!"

Claro que escreveria. Bastaria para isso que tivesse lido alguns livros (coisa que, em geral, não fazem), visto e revisto certos filmes (idem), e estudado (isso então, nem preciso falar). Para depois, sentar a bunda na cadeira, escrever e reescrever.

Com frases como esta que mostrei acima, pessoas ignorantes, que em geral estão numa boa posição apenas por conexões familiares, diminuem o profissional e ainda mostram que eles próprios, os patrões, são capazes de fazer o serviço, mas preferem se dedicar a algo mais importante. Cheirar cocaína e ir à termas, por exemplo - não que os roteiristas não cultivem os mesmos passatempos. É que em geral não tem dinheiro para isso.

Isto é universal. Mas nos EUA, pelo menos há um mercado vasto, o roteirista pode dar a sorte de trocar o imbecil do seu chefe por outro um pouco menos imbecil. Aqui, com um cinema que é uma ação entre amigos ricos (mas com apoio do governo), e o monopólio de uma única emissora de TV que investe em "qualidade de dramaturgia" - bota aspas nisso, e mesmo assim, numa faixa de horário reduzida de sua grade - o roteirista oscila entre o trabalho para comerciais publicitários e a inanição, até resolver fazer concurso para funcionário público.

Pretendo ainda voltar a falar de Joseph Campbell, seu trabalho com mitologia tem pontos interessantes e não se limita ao ato de escrever roteiros. Mas não é pra usar como auto-ajuda em nossas vidas, como alguns (e o próprio Vogler) querem nos fazer acreditar. Aproveito para indicar um link, onde há um texto mais longo meu sobre o cineasta Stanley Kubrick.


Maurício Dias
Rio de Janeiro, 2/9/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Contos em pianíssimo, de Patricia Maês de Jardel Dias Cavalcanti
02. Salinger: uma vida de Luiz Rebinski Junior
03. Gargólios, nova peça de Gerald Thomas de Jardel Dias Cavalcanti
04. Maníacos do bem de Ana Elisa Ribeiro
05. Um teatro que foge do óbvio de Guilherme Conte


Mais Maurício Dias
Mais Acessadas de Maurício Dias em 2003
01. A obra-prima de Raymond Chandler - 21/1/2003
02. Picasso e Matisse: documentos - 10/6/2003
03. Uma teoria equivocada - 14/10/2003
04. Quentin Tarantino: violência e humor - 29/7/2003
05. Por onde anda a MPB atualmente? - 20/5/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
9/9/2003
16h48min
Caro Mauricio.Bons tempos em que se podia se deparar com um produtor como Robert Evans;escoltando com toda boa vontade um roteirista extraordinário como Robert Towe,que saudades de filmes como Chinatown.Escreva mais sobre cinema,que você terá um leitor fiel.Abraços
[Leia outros Comentários de Heraldo Vasconcellos]
10/9/2003
05h09min
Obrigado pela mensagem. O que eu mais fiz foi escrever sobre cinema. Recomendo entrar no texto sobre Quentin Tarantino. Ao final da página há links para outros textos meus. E enquanto não arranjo grana para levar meus roteiros adiante, recomendo minhas histórias em quadrinhos. Tema histórico: a história dos leões de Roma (7 páginas; dependendo da sua conexão, pode demorar um pouco); história politicamente incorreta (5 páginas no total);
[Leia outros Comentários de Mauricio Dias]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VOCÊ S. A - COMO ADMINISTRAR SUA CARREIRA COMO SE FOSSE UM NEGÓCIO
RICARDO DE ALMEIDA PRADO XAVIER
STS
(2000)
R$ 9,00



O MUNDO É PLANO UMA BREVE HISTÓRIA DO SÉCULO XXI
THOMAS L. FRIEDMAN
OBJETIVA
(2007)
R$ 25,00



SOZINHO NO PÓLO NORTE: UMA AVENTURA NA TERRA DOS ESQUIMÓS - AUTOGRAFADO
THOMAZ
L&PM POCKET
(2006)
R$ 31,90



JESUS NO LAR
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
FEB
R$ 15,00



PHIL COLLINS ANTHOLOGY
DIVERSOS
WARNER BOOKS
(1985)
R$ 39,00



O EXEMPLO E AS IDEIAS PERMANECEM
LUIS PAULO CESAR PAZ
DO AUTOR
R$ 5,00



INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO
PAULO DOURADO DE GUSMÃO
FORENSE
(1991)
R$ 25,00
+ frete grátis



VERONIKA DECIDE MORRER
PAULO COELHO
OBJETIVA
(1998)
R$ 6,90



MOVE UP - INTERMEDIATE STUDENT'S BOOK A
SIMON GREENALL
HEINEMANN
R$ 30,00



PESQUISAR E APRENDER
RUTH ROCHA
SCIPIONE
(1996)
R$ 7,00





busca | avançada
61072 visitas/dia
2,6 milhões/mês