Saudade... | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exuberância - Moisés Patrício
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Quem somos nós para julgar Michael Jackson?
>>> Culture to Digest
>>> Os novos filmes de Iñárritu
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> One-man show
>>> A difícil arte de fazer arte
>>> O Exército de Pedro
>>> Doida pra escrever
Mais Recentes
>>> A formação do capital e seu desenvolvimento de Leônidas de Resende pela Senado (2011)
>>> A Coluna Prestes no Piauí de Chico Castro pela Senado (2007)
>>> Amapá: a terra onde o Brasil começa de José Sarney e Pedro Costa pela Senado (2004)
>>> Diário de uma Paixão de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2010)
>>> O Guardião de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2013)
>>> Um Homem de Sorte de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2011)
>>> Noites de Tormenta de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2010)
>>> O Casamento de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> O Casamento de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> O Milagre de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2010)
>>> O Melhor de Mim de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> A Escolha de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2012)
>>> Um Amor para Recordar de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2011)
>>> A última Música de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2010)
>>> Primeiro Amor de James Patterson pela Novo Conceito (2014)
>>> Pelos Caminhos de Pedras e de Folhas Secas de Maria José Mamede Galvão pela Caravela (2018)
>>> Violetas na Janela de Patrícia Espirita pela Petit (2020)
>>> Divergente Uma Escolha Pode Te Transformar de Verônica Roth pela Rocco (2012)
>>> Traité Clinique Et Pratique des Maladies Puerpérales Suites de Couches de E Hervieux pela Adrien Delahaye Libraire Éditeur (1870)
>>> Commentaires Thérapeutiques du Codex medocamentarius de Adolphe Gubler pela J B Bailliére Et Fils (1868)
>>> A Esperança de Suzanne collins pela Rocco (2012)
>>> Dictionnaire de Medicine de Chirurgie, de Pharmacie de E Littrè & Ch Robin pela J B Bailliére Et Fils (1865)
>>> Os Pensadores - Fichte de Johann Gottlieb Fichte pela Nova Cultural (1988)
>>> Os Grandes Profetas de Nova Cultura pela Nova Cultural (1985)
>>> Reflexões Sobre a Historia Moderna de Hans Kohn pela Fundo de Cultura (1965)
>>> História da América Portuguesa de Rocha Pita pela Senado Federal (2011)
>>> Guia de Conversação Langenscheidt Inglês de Vários Autores pela Martins Fontes (1998)
>>> Dicionário Inglês Português / Português Inglês de Amanda Marques & David Draper pela Ática (1988)
>>> Francês Para Viagem e Dicionário de Vários Autores pela Berlitz (1991)
>>> No Giro do Mundo os Periódicos do Real Gabinete Português de Leitura 1 de Eduardo da Cruz ( Org. ) pela Real Gabinete Português de Leitura (2014)
>>> Dicionário Espanhol Português / Português Espanhol de Vários Autores pela Dcl
>>> RL - Uma Autobiografia de Rita Lee pela Globo Livros (2016)
>>> Minidicionário Ruth Rocha de Ruth Rocha & Hindenburg da Silva Pires pela Scipione (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1994)
>>> Dicionário Júnior da Língua Portuguesa de Geraldo Mattos pela Ftd (1996)
>>> Bá, Tchê! – Dicionário Temático de Luis Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros 1 - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1977)
>>> Dicionário de Porto-Alegrês de Luís Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (1999)
>>> Resistência dos Materiais de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1982)
>>> O Constitucionalismo democrático latino-americano em debate de Leonardo Avritzer/Lilian Cristina Bernardo Gomes (Org) pela Autêntica (2017)
>>> Reiki - Medicina Energética de Libby Barnett e Magie Chambers pela Nova Era (1999)
>>> Revista do Livro Ano V Número 20 Dezembro de 1960 de Lêdo Ivo, Mário de Andrade, Heitor Lyra e outros pela Instituto Nacional do Livro (1960)
>>> The Argumentative Indian - Writings on Indian History, Culture de Amartya Sen pela Picador (2005)
>>> O Encanto da Montanha & Caminho ao Lar de Linda Howard pela Harlequin Books (2010)
>>> Afrodiáspora 6 e 7 - Revista de estudos do mundo negro de Vários Autores pela Ipeafro (1985)
>>> Aventura Ardente de Diana Palmer pela Harlequin Books (2013)
>>> Indiscreta de Candace Camp pela Harlequin Books (2005)
>>> Meu Anjo de Sherryl Woods pela Harlequin Books (2005)
>>> Pido la Paz y la Palabra de Blas de Otero pela Cantalapiedra (1955)
>>> Steve Jobs de Walter Isaacson pela Companhia das Letras (2011)
COLUNAS

Quarta-feira, 19/11/2003
Saudade...
Ana Elisa Ribeiro

+ de 5900 Acessos

Todo mundo já teve a experiência de uma dor-de-cabeça aviltante, daquelas que pulsam como astros celestes, fazem doer como se fossem implosões.

Uma dor dessas, dizem, serve para sinalizar algo de errado nos mecanismos do corpo. A experiência da dor que pulsa mais quando se pisa o chão também é comum. Subir escadas, dar passos em qualquer direção, correr: nem.

Foi nisso que eu pensei quando falava, dia desses, de saudade. Era um sentimento, talvez mais uma sensação, que queria ser mentira, mas não me deixava em paz. Uma ganância elegante duma pessoa que não estava, que eu nem sequer alcançava com uma chave de pernas. Alguém que eu queria ver, mas era mais que isso, porque quando fui checar as fotografias, não me satisfiz. Então era alguém que eu queria tocar, bem perto, mas aí tive a experiência da impotência. Amarguei momentos de tristeza fina, polida, quando pesquisava em minha memória e não acessava mais o rosto, o sorriso, o movimento. A memória não salva o mover.

Então quanto mais eu pensava, mais eu me lembrava. E quanto mais isso, mais um pulso de dor, uma coisa embolada que me dava uns carunchos por dentro. Ruim. Disseram simpatias: pra deixar santo antônio de cabeça para baixo, tomar chá de cogumelo com rosas cor-de-rosa, dormir do lado direito, não molhar a cabeça quando estivesse menstruada. Não fiz.

E a saudade pulsando. Fel Plus. Ferpa. Imodesta. Eloqüente. Abrasivamente colocada. Disseram que era bom sinal. Não vi. Não sei. Nos outros não dói quando a pimenta é no meu olho. Mas saudade é uma dor-de-cabeça que começa num efeito conquistado e termina vendo o ônibus sair na rodoviária. Aquela carinha mal-ajambrada retendo lágrima. Tem que ser forte, porque isso vai se repetir. Entre nós, um mapa. Coisa pequena perto de tanta desgraça do mundo. Há quem tenha até a morte entre os dois. E eu reclamando...

Olha a saudade aí, ribombando. Em paz comigo, digo ao santo antônio: tem dó. Arrisco um impropério. Vai que ele me pune. Então dou logo um beijinho nas saias do santinho. Era impulso. Mas meu "amigo" urge, lá na outra ponta do estado do Rio. Saudade me consome. Mas quando eu o vejo, suor frio: parece que a saudade deu metástase e fez casulos auto-reprodutivos duma coisa boa que explode no abraço de "Oi, como eu te queria!"...

Mesa e banheiro de mulher
Quando algumas mulheres se juntam numa mesa de bar, as conversas são muito calorosas e interessantes. No caso das mesas de bar em que estou com algumas mulheres, a coisa fica mais evidente. Talvez porque não sejamos mulheres "comuns", que procuram mesas de bares da moda ou que disparam olhares e decotes para todos os lados na intenção de "ficar" com alguém. As mulheres com quem saio e vou pro bar querem investir em si mesmas, querem falar de conquistas, querem falar de dinheiro e saldo, querem falar de boa música. Mas há um assunto que não falha: homem. Porém não falamos de rapazes que usam tênis da moda e nem de garotos metidos a bons cafajestes. Falamos de homens que pensam. E quando não pensam, também acusamos isso. O que é digno de nota. E hoje falávamos na falta de sensibilidade de um rapaz que não soube estar ao lado da namorada num momento difícil: a morte do pai dela. Mesmo durante o turbilhão de doença, morte, velório, cremação, missa de sétimo dia, tudo o que o moço sabia fazer era contar há quanto tempo não fazia sexo e cobrar da namorada uma atitude. Ao que ela respondeu com decepção e lágrimas nos olhos.

Outro assunto digno das mesas de bar é a troca. No prontuário dos candidatos a namorado há um item que avalia "por que tipo de coisa ou evento ele me troca". Unanimidade na maior perda de pontos é o futebol. Se ele me troca por futebol, seja um jogo na tevê, no estádio ou a famosa pelada de sábado, perde muitos pontos. A não ser que a moça resolva vestir a camisa, literalmente. Conheço moças que passaram pro time do cara, interessaram-se por futebol, tudo na tentativa de virarem companheiras do cara. E vão assistir às peladas e ficam torcendo para que o namorado faça o gol. E eles fazem e o dedicam a ela, na arquibancada. E ela, orgulhosa, olha pras outras namoradas como quem diz "Não é uma graça?!". Eu digo que não, não é. Conheço moças que vão tomar cerveja com o moço depois da pelada e tentam entrar no papo. E falam dos "pombos sem asa" e das "bicicletas" com quase nenhuma propriedade. E se o próximo namorado for lutador de sumô, elas subitamente passarão a adorar o esporte sexy. E se for degustador de vinhos, elas serão enólogas. Ou enófilas, no mínimo. E sei também que muitas vezes essas moças entram nas ondas dos caras para vigiá-los. Ou ninguém sabe que ir à pelada, ir ao estádio e beber cerveja junto pode ser uma ótima maneira de fiscalizar? E quando me sento na mesa de bar com meus amigos, ouço alguns reclamando: "Não agüento mais minha namorada indo em tudo. Tem hora que quero vir ao bar sozinho, bater papo com os amigos". Questão de espaço de manobra. Não é nem de sacanagem.

No meu prontuário, me trocar por pelada é fatal. Mas o engraçado é que me trocar por ensaio com a banda de rock não é. Eu até concordo, gosto e tenho que me cuidar pra não ir junto, pra não virar vocalista da banda. Tenho que me cuidar pra não ficar curiosa e acabo indo pro bar falar de literatura, outro assunto que me apetece horrores. Curiosamente, 80% dos namorados que tive tocavam guitarra. E bem. E eu adorava. E continuo achando que esse é um quesito importante. Outros tantos eram escritores, mas isso não me dava tanto tesão. Talvez porque falássemos coisas muito semelhantes e eu não me realizasse em outro setor. Eu me realizo como escritora, eu mesma. Já como musicista... não. Então gosto quando o cara me realiza por meio dele. Coisa de maluco.

Me trocar pela pelada de sábado me enche o saco porque sou egoísta. Não gosto de futebol e aquilo me aluga. Mas me trocar pelo ensaio com a banda me deixa até feliz porque prefiro ganhar um solo de guitarra do que um gol. E não viro fã de banda de axé só porque o namorado toca isso. Até porque se ele tocasse axé, não seria meu namorado. Já vou mesmo nos guitarristas de rock, de blues, de jazz... que sei que vou curtir. E nem preciso vigiar ou fazer manobras para conhecer tudo sobre rock. Não preciso vestir a camisa, porque sou fã de música boa desde criança. O que torna as coisas muito mais autênticas. Ou não é?


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 19/11/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Domingão, domingueira de Ana Elisa Ribeiro
02. Notas sobre a Escola de Dança de São Paulo - II de Elisa Andrade Buzzo
03. Meio Sol Amarelo de Guilherme Carvalhal
04. Ossos, mulheres e lobos de Eugenia Zerbini
05. O Bigode de Carina Destempero


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2003
01. Descobertas responsáveis - 18/12/2003
02. Saudade... - 19/11/2003
03. O que é um livro? - 5/11/2003
04. E cá já moiro por vós - 13/10/2003
05. Insatisfação - 10/12/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ORGANIZAÇÕES MODERNAS
AMITAI ETZIONI
LIVRARIA PIONEIRA
(1972)
R$ 9,40



EÇA DE QUEIROZ - OBRA LAUREADA PELA ACADEMIA BRASILEIRA
CLOVIS RAMALHETE
MARTINS
(1960)
R$ 11,56



O TEMPLO DO SILÊNCIO
NEIMAR DE BARROS
O RECADO
(1981)
R$ 6,90



DESERTO
LUIS S. KRAUSZ
BENVIRA
(2013)
R$ 9,99



GERIATRIA E GERONTOLOGIA VOLUME 1
REICHMANN E AUTORES EDITORES
REICHMANN E AUTORES EDITORES
(2005)
R$ 26,09



O FANTÁSTICO MISTÉRIO DE FEIURINHA
PEDRO BANDEIRA
MODERNA
(2009)
R$ 22,00



DIMENSOES POLITICO INSTITUCIONAIS DA GOVERNANÇA DA GOVERNANÇA DA ÁGUA
PEDRO ROBERTO JACOBI
ANNABLUME
(2009)
R$ 12,90



A TÉCNICA DE INTERPOR RECURSOS CÍVEIS -A TÉCNICA DO DIREITO
GILBERTO CALDAS
JURIDICA BRASILEIRA
(2002)
R$ 5,50



INTRODUÇÃO A SOCIOLOGIA
ARMAND CUVILLER
NACIONAL
(1965)
R$ 6,90



CATECISMO ESPÍRITA
O PENSAMENTO
O PENSAMENTO
(1944)
R$ 50,00





busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês