Uma rosa entre a história e o sujeito | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
44947 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 7/2/2006
Uma rosa entre a história e o sujeito
Marcelo Spalding

+ de 2500 Acessos

Muitos pensaram que a morte de Hemingway e sua geração seria também a morte do romance. Não foi. O gênero se renovou através do realismo mágico, do romance de revisão histórica, da prosa existencialista à Sartre. Mais tarde, a prosa urbana traria de volta matizes do neo-realismo e o resultado é um século XXI repleto de possibilidades romanescas. Talvez até demais.

A Rosa Verde (Edufsc/Unerj, 128 págs., 2005) é um bom exemplar destes tempos contemporâneos. A obra à primeira vista é um romance histórico, mas já no princípio o leitor se sente dentro de um romance psicológico sobre o conflito da identidade, algo como Budapeste. Ou dentro de um romance de formação, um romance sobre o romance. É na orelha que se encontra uma pista para entendermos o texto: "Carlos Henrique Schroeder subverte a lógica do romance histórico (...)". Senti logo: estava ou diante de uma obra-prima inovadora ou de um texto confuso e egocêntrico.

Bem, comecemos pela história. Seremos obrigados a resumi-la de forma linear, diferente do que faz o autor. Ele divide a obra em capítulos alternando o presente e o passado, varia o narrador, o sujeito do verbo, as personagens e espaços, ainda que a cidade se mantenha Jaraguá do Sul (Jaraguá, nos tempos da AIB -Ação Integralista Brasileira). A história do passado tem como protagonista Bertoldo, jovem que se alista na AIB nos anos 30 porque está apaixonado por uma moça, mas acaba prosperando e tornando-se braço direito de Ricardo Gruenwaldt, uma das personagens reais da história, líder do movimento integralista na cidade. A história do presente é de Wagner, gerente de uma loja de informática que sofre um grande baque. Como estas histórias se cruzam não posso antecipar aqui.

O resultado é curioso, inovador, talvez, mas o romance não consegue ser suficientemente histórico para sua pretensão de "subverter o romance histórico". Acontece que o narrador posto em Bertoldo enfraquece demais o enfoque político do livro, pois ele é mais apaixonado por Clara que pela causa, descreve-a com mais detalhes que o contexto brasileiro, perde-se em seu olhar, em suas cócegas. A cena em que ambos se conhecem é narrada com muito mais esmero que o assassinato dos líderes integralistas, e esta seria uma cena histórica fundamental e riquíssima. Verdade que o próprio Bertoldo, na pseudo apresentação do livro que narrou, alerta: "às vezes posso ser meio piegas, mas quem não é de vez em quando?". E ainda que desculpemos as pieguices e pequenos clichês deste narrador, isso prejudica demais a História, trazendo ao leitor moderno apenas alguns nomes e datas e ações. Falta o conflito étnico-social de um Pedro Stiehl, em Bárbaros no Paraíso, a narração objetiva e coesa de um Assis Brasil, em Pintor de Retratos, ou ainda a dosagem certa entre romance e política de um Sanches Neto, em Um Amor Anarquista.

Além do enfraquecimento histórico, falta fôlego e paixão para um texto em primeira pessoa. Note a facilidade com que o narrador, ainda Bertoldo, se refere a suicídio pela primeira vez:

"Chegando lá, deitei no sofá e chorei. Poder se arrepender é uma das coisas que nos difere dos animais, por mais que digam que nunca devemos nos arrepender do que fazemos, me arrependi amargamente. Não conseguindo dormir, tomei mais um pouco de conhaque e pensei em me matar, mas me lembrei dos olhos azuis e dormi navegando na imensidão daquele oceano." (pág. 40)

Assim, apesar de estarmos num romance psicológico (além de histórico), na mesma linha a personagem pensa em se matar, lembra da sua amada - que ainda nem tinha lhe dado um oi - e dorme. Concluo que, apesar das leituras e esforços, Bertoldo não é um bom narrador.

Sorte que Carlos Henrique Schroeder é bem melhor.

Os capítulos da contemporaneidade, narrados em terceira pessoa, apresentam personagens convincentes e bem desenhados (a analogia da secretaria com Juliete Binoche merece destaque), situações entre o cômico e o trágico e reflexões pertinentes acerca do mundo moderno. Tanto o mundo dos computadores e suas RAMs quanto o da política, dominado pelo Bush, referenciado no livro.

A construção romanesca também é original e beira o confuso sem ultrapassar tal limite, pois revela-se no final de forma surpreendente mas verossímil. Além de arrematar o texto, insere o próprio autor, aparente alterego de suas personagens, como personagem da história, mais um elemento importante desta crise da identidade do sujeito. Escrevendo realmente em primeira pessoa, Carlos Henrique derrama no papel as angústias de qualquer jovem escritor escondido aqui no Sul do Brasil, lutando contra uma estante de mitos que vai de Hemingway à Joyce, Gogól à Kafka:

"Eles continuam ali, rindo, me ameaçando com suas obras grandiosas, criativas, geniais, me reduzindo, intimidando. (...) Poderia, sei lá... inventar um movimento, Lars von Trier e Thomas Vinterberg criaram o Dogma 95, propondo o fim da artificialidade no cinema, eu poderia fazer isso com a literatura, nada de jargões, recursos como vozes interiores, cortes de efeito, enredo para prender o leitor, algo novo, diferente... não, tentar ser ultra-vanguardista é coisa de escritor medíocre querendo chamar atenção." (pág. 118-9)

Enfim, aguardarei ansioso o próximo romance de Carlos Henrique, jovem ainda, 35 anos, com a certeza de que ele saberá dosar os exageros, simplificar para ser mais profundo e, assim, ou produzir um romance histórico consistente e politizado ou uma novela contemporânea sarcástica e existencial.


Marcelo Spalding
Porto Alegre, 7/2/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Voto fulo de Guga Schultze
02. Radiação de Fundo de Guga Schultze
03. Autores novos reloaded de Julio Daio Borges
04. Outra palavra, da cidade Coração de Vitor Nuzzi
05. Mordaça virtual: o Google na China de Celso A. Uequed Pitol


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2006
01. O centenário de Mario Quintana, o poeta passarinho - 8/8/2006
02. Romanceiro da Inconfidência - 10/1/2006
03. Um defeito de cor, um acerto de contas - 31/10/2006
04. As cicatrizes da África na Moçambique de Mia Couto - 5/12/2006
05. A literatura feminina de Adélia Prado - 25/7/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




INOCÊNCIA - COLECAO TRAVESSIAS
VISCONDE DE TAUNAY
MODERNA
(1998)
R$ 8,00



O ESPIÃO INVISÍVEL
MARK FOWLER
SCIPIONE
(1993)
R$ 8,88



85 VEZES SILVIO SANTOS AS MELHORES CARICATURAS DO REI DOS DOMINGOS
VÁRIOS AUTORES
ASTRAL
(2016)
R$ 27,44



GUIA PORTUGAL. O GUIA DE VIAGEM MAIS FACIL DE USAR
VÁRIOS AUTORES
PUBLIFOLHA
(2009)
R$ 70,00



A PSICOLOGIA DO ANORMAL E A VIDA CONTEMPORÂNEA
JAMES C. COLEMAN
PIONEIRA
(1973)
R$ 60,00



SEMPRE SERÁS LEMBRADA
JOSUÉ MONTELLO
NOVA FRONTEIRA
(1999)
R$ 7,48



MONTEIRO LOBATO VIDA E OBRA TOMO I
EDGARD CAVALHEIRO
COMPANHIA NACIONAL
(1956)
R$ 14,00



ESTORIAS PARA CRIANÇAS QUE OS ADULTOS DEVEM LER ESCONDIDOS
RICARDO BANDEIRA
DO AUTOR
(1977)
R$ 5,00



PAIXÃO E CRIME O PROCESSO DO DR. JACCOUD
CARLOS LACERDA
NOVA FRONTEIRA
(1965)
R$ 10,00



ECLIPSE
STEPHENIE MEYER
INTRÍNSECA
(2008)
R$ 34,90
+ frete grátis





busca | avançada
44947 visitas/dia
1,2 milhão/mês