Quase uma despedida | Eduardo Carvalho | Digestivo Cultural

busca | avançada
70192 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> “Um pé de biblioteca” estimula imaginação e ajuda a criar novas bibliotecas pelo Brasil
>>> Diálogos na Web FAAP: Na pauta, festivais de cinema e crítica cinematográfica
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Lucas vs. Spielberg
>>> Morando sozinha II
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> A Piauí tergiversando sobre o fim dos jornais
>>> Mário Sérgio Cortella #EuMaior
>>> O Gabinete do Dr. Caligari
>>> Ser intelectual dói
>>> Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge
Mais Recentes
>>> Direito Ambiental Positivo de Fabrício Gaspar Rodrigues pela Campus (2012)
>>> Mandado de Segurança de Luiz Fux pela Dir (2011)
>>> Lula: A opção mais que o voto de Cândido Mendes pela Garamond (2006)
>>> Latinomérica de Marcus Accioly pela Topbooks (2015)
>>> Levando a vida leve de Laura Medioli pela Justo Junior (2005)
>>> Les Filles du Feu / Les Chimères de Gérard de Nerval pela Garnier-Flammarion (1965)
>>> Revolucione sua qualidade de vida - Navegando nas ondas da emoção de Augusto Cury pela Sextante (2002)
>>> Mulheres certas que amam homens errados de Kristina Grish pela Gente (2007)
>>> Pequenos Poemas em Prosa de Charles Baudelaire pela Nova Fronteira (1981)
>>> E de Evidência de Sue Grafton pela Ediouro (1999)
>>> M - O Homem Sensual de Record pela Record (1997)
>>> Verdura? Não! de Claire Llewellyn; Mike Gordon pela Scipione (2011)
>>> @s [email protected] de [email protected] York - as Senhoritas de Nova York de Daniel Piza pela Ftd (1999)
>>> 1 Real de Federico Delicado pela Pulo do Gato (2014)
>>> 1 Real de Federico Delicado pela Pulo do Gato (2014)
>>> 10 Anos Brasil MTV de MTV pela Mtv
>>> 10 Contos de Natal de Gilberto de Nichile pela Scortecci (2015)
>>> 100 Jogos para Grupos de Ronaldo Yudi K. Yozo pela Agora (1996)
>>> 100 Magias para Aumentar Sua Autoconfiança - os Livros Secretos Witch de Disney pela Edelbra (2004)
>>> 100 Magias para Ter um Supergrupo - os Livros Secretos Witch de Disney pela Edelbra (2002)
>>> 100 Magias para Ter um Supergrupo - os Livros Secretos Witch de Disney pela Edelbra (2002)
>>> 100 Segredos das Pessoas de Sucesso de David Niven pela Sextante (2002)
>>> 1000 Formas de Interpretar o Seu Horoscopo de Girassol Edicoes pela Girassol (2006)
>>> 1000 Lugares para Conhecer Antes de Morrer de Patricia Schultz pela Sextante (2006)
>>> 1000 Lugares para Conhecer Antes de Morrer de Patricia Schultz pela Sextante (2006)
>>> 1000 Melhores Segredos Rapidos e Faceis para Voce de Jamie Novak pela Arx (2007)
>>> 1001 E-mails de Cynthia Dornelles pela Record (2003)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Companhia das Letras (2002)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Companhia das Letras (2002)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Companhia das Letras (2002)
>>> 1001 Maneiras de Enriquecer (livro Muito Raro!) de Joseph Murphy pela Record (1966)
>>> 1001 Maneiras de Enriquecer (livro Muito Raro!) de Joseph Murphy pela Record (1966)
>>> 101 Brasileiros Que Fizeram História de Jorge Caldeira pela Estação Brasil (2016)
>>> 101 Experiências de Filosofia Cotidiana de Roger Pol Droit pela Sextante (2002)
>>> 101 Livros Que Mudaram a Humanidade - Coleção Super Essencial de Superinteressante pela Superinteressante (2005)
>>> 101 Lugares para Fazer Sexo Antes de Morrer de Marsha Normandy; Joseph St. James; Alexandre Rosas pela Best Seller (2010)
>>> 102 Minutos: a História Inédita da Luta de Outros; Jim Dwyer pela Jorge Zahar (2005)
>>> 111 Poemas para Crianças de Sérgio Capparelli pela L&pm (2009)
>>> 117 Maneiras de Enlouquecer um Homem na Cama de Margot Saint-loup pela Ediouro (2005)
>>> 12 Anos de Escravidão de Solomon Northup pela Lafonte (2019)
>>> 12 Fábulas de Esopo de Fernanda Lopes de Almeida; Hans Gartner; pela Atica (2000)
>>> 12 Horas de Terror de Marcos Rey pela Global (2012)
>>> 12 Lições para Ser o Pai Ideal de Kevin Leman pela Portico (2015)
>>> 120 Minutos para Blindar Seu Casamento de Renato Cardoso; Cristiane Cardoso pela Thomas Nelson Brasil (2013)
>>> 120 Músicas Favoritas para Piano 8 Edição, Livro Raro! de Mário Mascarenhas pela Irmãos Vitale (1961)
>>> 125 Brincadeiras para Estimular o Cérebro da Criança de 1 a 3 Anos de Jackie Silberg pela Ground (2008)
>>> 125 Brincadeiras para Estimular o Cérebro do Seu Bebê de Jackie Silberg pela Ground (2008)
>>> 13 Chaves para Compreender o Fim dos Tempos de Tim Lahaye; Ed Hindson pela Central Gospel
>>> 13 Mulheres e um Colar de Diamantes de Cheryl Jarvis pela Fontanar (2010)
>>> 1922 a Semana Que Não Terminou de Marcos Augusto Gonçalves pela Companhia das Letras (2012)
COLUNAS

Sexta-feira, 10/3/2006
Quase uma despedida
Eduardo Carvalho

+ de 10700 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Esta não é uma despedida definitiva. O fato de eu me afastar temporariamente desta coluna não significa que me desligo do Digestivo ou - muito menos - que vou parar de escrever. Ambas as possibilidades são impossíveis. Foi aqui que publiquei meus primeiros textos. Devo ao Digestivo este espaço para publicar regularmente, onde desenvolvi o hábito e o gosto de expressar com liberdade - na forma o no conteúdo - o que penso. Essa experiência foi fundamental na minha formação.

O trabalho do Julio, editor do site, como escritor e empreendedor, jornalista e empresário, é o exemplo que deveria vigorar hoje em dia. E foi, de certa forma, um exemplo para mim. O mundo anda cada vez mais complexo, interessante, mas vejo muita gente nova se simplificando muito para se encaixar nas personalidades e profissões mais acessíveis, mais compreensíveis. É um desperdício. O Julio ignora esses esquemas fechados. E combina características que muita gente acha que não funcionam juntas: disciplina e método com uma vocação autêntica para escritor, que é uma atividade que exige concentração, introspecção - e que é provavelmente incompatível com o perfil expansivo e executivo do empresário. O Digestivo é resultado, portanto, de uma combinação difícil, diferente - e a prova de que esta combinação pode dar certo.

Quando comecei a ler mais, aos 15, 16 anos, me convenci de que literatura era o meio mais eficiente para aprimorar minha sensibilidade e suprir minha curiosidade. Tive a sorte de ser bem orientado. Li o que queria ler: livros que ampliaram meus horizontes geográficos, explicaram sentimentos que estavam vagos dentro de mim, estimularam meu interesse por atividades que não conhecia e, portanto, me ensinaram a viver mais e melhor. Esse tipo de educação não é cobrada no vestibular, mas seu valor é, para o resto da vida, inestimável. Aos poucos, senti que precisava compartilhar algumas descobertas. Rabisquei contos, versos, artigos sobre tudo. Entrei na faculdade de administração - onde queria entrar - e continuei escrevendo. Pensei em estudar jornalismo paralelamente, aos 19 anos. Foi quando conheci o Julio por acaso, trocamos muitos e-mails, e - pensando melhor - preferi continuar com administração.

Mas nunca parei de escrever. Mantive por pouco tempo uma coluna no jornal da faculdade; ainda hoje tenho um diário; troquei e-mails longuíssimos, cartas mesmo, com amigos, jornalistas, professores. O pequeno contato que tive com o ambiente mais intelectual me incomodou profundamente. Sempre quis viver uma vida mais independente, diferente. O esquema de intelectuais me parecia muito limitado: fechado em poses e jargões, numa arrogância meio patética, vazia. A vida ia se mostrando fascinante - principalmente através da literatura. E este ponto, na verdade, sempre me foi difícil explicar para amigos ou mesmo em outras colunas: como posso gostar de ler e, ao mesmo tempo, não gostar de intelectuais? Acontece que meus escritores favoritos não tem praticamente nada a ver com o estereótipo do intelectual ranzinza, obscuro e comunista. Sempre gostei de ação e nunca me interessei muito por política. Li mais sobre barcos naufragando a caminho de Bangkok, aviões atravessando desertos, amores redescobertos em Fiji, do que tratados políticos incompreensíveis, maçantes.

Me lembro de Joaquim Nabuco, em Minha Formação, dizendo que o estilo de um escritor se cristaliza aos vinte anos, junto com a sua personalidade. Faz sentido: acho que o tamanho do nosso mundo se fecha com essa idade também. Até os vinte anos, tentamos entender o que está a nossa volta; quem são essas pessoas todas; onde começam e onde termina tudo; o que pode estar certo e o que pode estar errado - quase como um bebê aprendendo a andar. É importante pensar em coisas diferentes, imaginar mundos distantes. Se, até os vinte, a pessoa exercitou pouco a imaginação, dificilmente vai viver uma vida mais completa depois. Os vinte anos - dos 20 aos 25, digamos - é a seqüência dessa experiência inicial: são os primeiros passos, os primeiros ensaios. Eles podem negar ou comprovar o que previmos antes. Mas esses ensaios vão estar limitados ao ambiente que estava formado antes. Alguém que nunca se imaginou pescando em Zanzibar, fazendo cooper em Muscat ou morando em Manila dificilmente vai experimentar isso depois sem achar exótico demais.

Escrevi para o Digestivo dos 21 aos 25 anos: durante esta fase de ensaios, de testes, de experiências novas. Não poderia ter sido um período melhor para mim. Foi do começo da faculdade ao fim dela, e coincidiu com experiências - viagens, leituras, etc. - decisivas para a minha formação. Escrever sobre elas foi um exercício insubstituível para a minha educação. Escrever acho que é a forma mais civilizada de se expressar uma idéia ou um sentimento: provavelmente porque é ao mesmo tempo a mais difícil e a mais precisa. Aos vinte anos, esbarrando em novidades, escrever é um desafio particular. As idéias estão incompletas, os sentimentos são inéditos - não que isso mude muito depois... -, e explicar tudo claramente fica muito mais complicado. Mas essa prática apura o raciocínio e a sensibilidade e - se isso não melhora muito também... - a principal vantagem é que, no final das contas, quando você lê o que escreveu, percebe que está quase tudo ali: e descobre como estamos presentes no que escrevemos. Aquela história: o texto somos nós.

Escrever esta coluna foi acima de tudo um exercício de auto-conhecimento. Às vezes sentia alguma coisa sobre um assunto ou situação que não estava nítida; e, escrevendo sobre o tema, minha opinião ia se esclarecendo, se cristalizando. Tentei fazer isso da forma mais limpa e mais bonita que consegui.

Encontrei no Digestivo um espaço para escrever sobre meus assuntos preferidos da forma como eu quisesse. Nunca meus textos foram enxugados ou ajustados. E recebi incentivos e dicas do Julio, com a recomendação de que eu escrevesse sempre - normalmente acompanhada de elogios que não sei se sempre mereci. Fiz o que pude, quando pude. Recebi comentários de todos os tipos. Me correspondi muito com leitores constantes, famosos e desconhecidos. Ignorei os leitores estúpidos. Conheci quase todos os colunistas; alguns são hoje grandes amigos. Fico contente quando temos jantares do site, em que nos reunimos para conversar sobre tudo: cada um tem a sua rotina, o seu trabalho, os seus assuntos preferidos. E todos gostamos muito de escrever. Esse é um hábito que mistura pessoas interessantes interessadas em temas muito diferentes: política no Oriente Médio, jardinagem, cinema, Bach, futebol, quadrinhos, mitologia, oceanografia, etc. Dificilmente se reúnem pessoas assim em outros ambientes.

Em cinco anos, foram mais de 60 colunas. Agora, revendo os títulos, lembrando os assuntos, relendo trechos, fico com saudades. Escrevi sobre assuntos variados: uma justificativa por morar em São Paulo; algumas viagens de carro pelo Brasil, de São Luis a Cuiabá; de férias em Roma, Londres, Viena, Moscou, Nova York, Paris; Bernard Shaw, Raymond Radiguet, Montaigne, Paulo Francis; a liquidação de um sebo, minha formatura na faculdade, um teatro na Moóca; filme sobre músico caipira, exposições, revistas. Escrevi de lugares diferentes: na correria da sala de computadores da GV; na calma do escritório na fazenda; com vista para a praia, no litoral de São Paulo; viajando de ônibus no interior da Hungria; de madrugada num restaurante em Vancouver; cansado, depois de voltar da academia à noite e ler uns parágrafos de Proust para desacelerar; num domingo de manhã num internet café em Barcelona. Sinto, relendo tudo, que estou quase inteiro nas minhas colunas: minhas opiniões, preferências, impressões. O texto somos nós.


Eduardo Carvalho
São Paulo, 10/3/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Coisa Mais Linda de Marilia Mota Silva
02. A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto de Jardel Dias Cavalcanti
03. Memorial do deserto e das ruínas de Elisa Andrade Buzzo
04. Brasil brochou na Copa de Jardel Dias Cavalcanti
05. A mitologia original de Prometheus de Vicente Escudero


Mais Eduardo Carvalho
Mais Acessadas de Eduardo Carvalho
01. Com a calcinha aparecendo - 6/5/2002
02. Festa na floresta - 9/9/2002
03. Hoje a festa é nossa - 23/9/2002
04. Preconceito invertido - 4/7/2003
05. Por que eu moro em São Paulo - 8/7/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
12/3/2006
11h27min
Darling, eu adoro as suas colunas e lamento vê-lo entrar em um período de silêncio. Pena. Agora, permita-me discordar apenas de uma passagem do seu texto: eu não acredito que ninguém esteja pronto e cristalizado aos vinte anos de idade. Somente quem aceita como verdade essa afirmação. É possível nos transformarmos a cada dia, sermos novas pessoas, novos universos e estarmos a vida toda nos transformando em algo diferente - melhor ou pior. Um brinde a sua coluna, sua falta será sentida.
[Leia outros Comentários de Daniela Castilho]
4/4/2006
23h34min
Sei que fomos avisados de sua quase despedida, mas não ver seu nome na coluna de 6ª feira lembrou-me nossa "fluidez" (palavra emprestada do último texto do Julio). Restarão muitas saudades dos seus textos e o Digestivo inteiro para ler, cada dia melhor. Realizações onde quer que vá.
[Leia outros Comentários de L.T. de A.]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PRONTO SOCORRO - EMMANUEL
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
CULTURA ESP. UNIÃO
(1980)
R$ 9,00



LAVENEMENT DHUGUES CAPET
L. THEIS
GALLIMARD
(1984)
R$ 59,84



REPENSER LEUROPE (HISTOIRE, ECONOMIE, SOCIETE)
MARIO TELÒ E PAUL MAGNETTE (EDITORES)
EDITIONS UNIVERSITE BRUXELLES
(1996)
R$ 49,82



DIDATICA GERAL DINAMICA
IMIDEO G NERICI
ATLAS
(1980)
R$ 5,00



NOS BASTIDORES DA HISTÓRIA
PAULO SETUBAL
NACIONAL
(1928)
R$ 22,75



OS DENTES DO INSPETOR
L. SPRAGUE DE CAMP
FRANCISCO ALVES
(1976)
R$ 12,00



PESQUISA E REALIDADE NO ENSINO DE 1º GRAU
GIZELDA SANTANA MORAIS
CORTEZ
(1980)
R$ 17,25



AS CORES DO SIMPLES
JACKSON ANTUNES
PAULINAS
(1995)
R$ 6,90



RECEITAS RÁPIDAS PARA MULHERES ACTIVAS 128 RECEITAS RÁPIDAS DAS AMI...
NATHALIE LE FOLL CLAIRE BRETÉCHER
PUBLICAÇÕES DOM QUIXOTE
(1996)
R$ 16,50



LA TRANSICION POLITICA
RAUL MORODO
TECNOS
(1984)
R$ 42,28





busca | avançada
70192 visitas/dia
2,2 milhões/mês