Um Godot opaco | Guilherme Conte | Digestivo Cultural

busca | avançada
37543 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 22/3/2006
Um Godot opaco
Guilherme Conte

+ de 4700 Acessos

Começou a temporada de Samuel Beckett. Por ocasião de seu centenário, muitas montagens estão previstas. Apesar de isso ser motivo de comemoração, vale o puxão de orelha: é lamentável que o trabalho da envergadura de um Beckett só seja explorado como deve por aqui em um aniversário de nascimento ou de morte.

O Brasil, aliás, é o país da efeméride. Centenários pra lá, centenários pra cá. De repente, todo mundo monta Beckett. Passada a euforia, volta a ser o trabalho de guerrilha que é fazer esse tipo de teatro por aqui no circuito normal. As atenções, obviamente, estarão voltadas para outro centenário. Não há reflexão constante, falta repertório, o público não tem a chance de ver montagens sistemáticas. Assim, o trabalho de encarar um dramaturgo difícil como ele se torna ainda mais penoso. Tanto para quem faz como para quem assiste.

Mas chega de lamúrias, vamos ao que interessa: a bola da vez é a montagem de Esperando Godot, dirigida por Gabriel Villela, em cartaz no subsolo do SESC Belenzinho até o fim do mês - e, ao que consta, com os ingressos já esgotados. O ótimo elenco é formado pelas atrizes Bete Coelho, Magali Biff, Lavínia Pannunzio e Vera Zimmermann.

Esperando Godot é talvez a peça mais impressionante do século XX. Ela, que já foi classificada como "a certidão de óbito da esperança", causou intenso barulho quando foi lançada, em 1949. Caiu como uma bomba sobre os destroços de um mundo degolado pela Segunda Guerra. É um dos pontos altos da obra de um escritor e dramaturgo fantástico.

Sua violenta riqueza reside tanto no conteúdo quanto na forma. Beckett representa a falência da narrativa; depois que passou como um furacão, não apareceu ninguém que competisse com sua força, suas imagens espetaculares e sua ousadia de narração. Seu absurdo levou a dramaturgia às últimas conseqüências.

A peça traz dois vagabundos - Vladimir (Bete Coelho) e Estragon (Magali Biff), Didi e Gogô na versão de Villela - que vão todos os dias ao pé de uma árvore, à beira de uma estrada, esperar Godot. A partir da conversa entre os dois vamos mergulhando num universo de ceticismo e desolação. A descrença, com uma crueldade ímpar, cresce em direção à asfixia.

Tudo há de melhorar com a chegada de Godot, dizem. Ele resolverá os problemas. Mas e se ele não vier? Eles esperam. Não há opção. Ele há de vir, e isso basta - tem que bastar.

Em ambos os atos Didi e Gogô são interrompidos pela visita de Pozzo (Lavínia Pannunzio), que proclama ser o dono daquelas terras. Ele é acompanhado de Lucky (Vera Zimmermann), preso por uma coleira. É uma das imagens mais fortes de todo o teatro contemporâneo.

Por fim, ainda há a visita de um mensageiro, perto do final de cada ato - também interpretado por Vera. Ele é a ponte mais próxima entre os vagabundos e Godot.

O resultado, frente à grandeza do texto, é decepcionante. A visão impressa por Villela consegue tão somente sumir com toda a ironia e o humor presentes no original. Este é pretendido, aqui, pela encenação, e reduz consideravelmente seus limites. A peça fica melancólica, fria, opaca. Não há jogo - elemento tão caro a Beckett - entre os personagens.

É triste ver o alto nível técnico do elenco comprometido com uma proposta equivocada. Magali, como de praxe, impressiona em um Gogô que aparece como o personagem mais elaborado. Sua expressividade comove, é de uma poesia rara. Já Bete patina em um Didi - como bem apontou Sérgio Coelho, na Folha - próximo de uma Emília, de um Pierrot Lunaire.

Lavínia encarna um Pozzo clownesco, estilizado, que pouco tem a ver com os "palhaços" de Beckett. Eles são metafísicos, sua condição emana da linguagem. O da montagem, por sua vez, tende à obviedade. Já o papel de Lucky está muito mais bem caracterizado, pela bela Vera. Seu monólogo, sob às ordens de Pozzo, é perfeito, fiel retrato da proposta beckettiana. Seus mensageiros também aparecem com correção, cheios de si.

Difíceis de justificar, também, são os cortes e alterações feitos no texto. O primeiro ato termina de uma forma abrupta, beirando a pressa. No segundo ato, Lucky não volta. Seu chapéu, porém, está lá, sugerindo uma interação. Tais opções nada conseguem senão empobrecer o conjunto.

Por fim, é sensível uma dinâmica estranha ao texto. Os silêncios, em Beckett, são tão importantes quanto as falas. Sobretudo em Godot, em que a espera sufoca, asfixia, oprime. Magali é quem consegue imprimir esta atmosfera com mais precisão; sua manipulação do cigarro é meticulosa, esmerada, renegada. Há no geral uma certa pressa, uma ansiedade indevida.

O resultado, pois, deixa a desejar. Teremos que esperar um pouco mais até vermos um Godot à altura de seu legado.

Para ir além
Esperando Godot - SESC Belenzinho / Subsolo - R. Álvaro Ramos, 915 - Belenzinho - Tel. (11) 6602-3700 - R$ 15,00 (ingressos esgotados) - Sexta a domingo, 21h - Até 26/03.

Nota do Editor
Leia também "Vida besta".

Notas

* Voltou ao Espaço CPT, no SESC Consolação (R. Dr. Vila Nova, 245, Vila Buarque, tel. (11) 3234-3000 / R$ 20,00 / Sábado, 21h, e domingo, 19h / Em cartaz por tempo indeterminado) o interessante espetáculo O Canto de Gregório, de Paulo Santoro. A direção é de Antunes Filho, e no elenco estão, entre outros, Arieta Corrêa, Juliana Galdino, Emerson Danesi e Marcelo Szpektor. Ele trata de Gregório, um homem assolado por dúvidas acerca de suas escolhas e ações. É possível ser realmente bom? Entre seus interlocutores, estão personalidades como Jesus Cristo, Sócrates e Buda. Note o controle preciso de Antunes sobre a construção dos personagens. Um texto inteligente, bem humorado e irônico.

* A Cia. São Jorge de Variedades completa oito anos de vida com uma mostra de seu repertório no Centro Cultural São Paulo (R. Vergueiro, 1000, Liberdade, tel. (11) 3277-3611, r. 221 / R$ 12 / conferir programação no site). Em cartaz atualmente está a peça Pedro, o Cru, um retrato rasgado e extremamente irônico do episódio da coroação de Inês de Castro após a sua morte, por El-Rei D. Pedro. Uma peça sobre o amor e sobre a obstinação. Vale a pena conferir a vibração de uma companhia que embarcou com tudo no projeto do espetáculo. A direção é de Georgette Fadel. Até o final de maio, a companhia apresentará ainda Biedermann e os incendiários, As Bastianas e Um credor da Fazenda Nacional.


Guilherme Conte
São Paulo, 22/3/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Meu Sagarana de Renato Alessandro dos Santos
02. Não quero ser Capitu de Cassionei Niches Petry
03. O massacre da primavera de Renato Alessandro dos Santos
04. Corot em exposição de Jardel Dias Cavalcanti
05. Dilúvio, de Gerald Thomas de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Guilherme Conte
Mais Acessadas de Guilherme Conte em 2006
01. Sua majestade, o ator - 18/1/2006
02. Um Brecht é um Brecht - 5/4/2006
03. 13º Porto Alegre em Cena - 15/9/2006
04. A essência da expressão dramática - 26/4/2006
05. Strindberg e o inferno de todos nós - 29/9/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PSICOLOGIA APLICADA À EDUCAÇÃO VOL. 1
KURT MÜLLER
EDUSP
(1977)
R$ 22,00



BREAKING THE CHAIN
WILLY VOET
YELLOW JERSEY
(2001)
R$ 24,00



PAPOULAS VERMELHAS DE ALAI UM ROMANCE DO TIBETE
ALAI
OBJETIVA
(2003)
R$ 10,00



FALANDO DE AMOR
FLÁVIO GIKOVATE
MG
(1976)
R$ 9,93



POLLYANNA
ELEANOR H PORTER
NACIONAL
R$ 25,00



BUILDING SKILS FOR THE TOELF - SECOND EDITION
CAROL KING AND NANCY STANLEY
NELSON
(1989)
R$ 15,00



RIGOLETTO
GUSTAVO MARCHESI & OUTROS
AZZALI
(1985)
R$ 22,31
+ frete grátis



PSICOLOGIA E SENTIDO DO PECADO
MARC ORAISON
PAULINAS
(1974)
R$ 12,00



PROCEDIMENTOS ESPECIAIS
ANTONIO CARLOS MARCATO
ATLAS
(2008)
R$ 30,00



TRABALHO EM GRUPOS E AUTONOMIA COMO INSTRUMENTOS DE COMPETIÇÃO
ROBERTO MARX
ATLAS
(1998)
R$ 10,00





busca | avançada
37543 visitas/dia
1,2 milhão/mês