Uma gripe e dois livros para distrair | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
74501 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Péricles Cavalcanti - lançamento de SALTANDO COMPASSOS
>>> Espetáculo “Canções Para Pequenos Ouvidos” chega ao Teatro Clara Nunes, em Diadema
>>> (Abre 11/10) Mostra BAÚ DA DGT_curadores Francisco Gaspar,Tuna Dwek, Donny Correia e Diego da Costa
>>> Escrever outros Corpos - Criar outras Margens || BELIZARIO Galeria
>>> SESC 24 DE MAIO RECEBE EVENTO DE LANÇAMENTO DA COLEÇÃO ARQUITETOS DA CIDADE
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Universos paralelos
>>> Deseduquei
>>> Cuidado com a mentira!
>>> E agora? Vai ter pesquisa novamente?
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> perversão sexual
>>> Trailer do Fim do Mundo
>>> Uísque ruim, degustador incompetente
>>> O bom e velho jornalismo de sempre
>>> Apresentação
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> Anomailas, por Gauguin
>>> Felicidade
>>> Ano novo, vida nova.
Mais Recentes
>>> A Jornada Para Casa Uma Parabola De Kryon - A Historia De Michael Thomas E Os Sete Anjos de Lee Carroll pela Madras (2011)
>>> No Vale Dos Suicidas - Madras de Evaristo Humbertto De Araujo pela Madras (2009)
>>> Os Segredos Do Karate Shotokan de Robin L Rielly pela Madras (2011)
>>> História social da criança e da família de Philippe Ariés pela Guanabara (1981)
>>> A revolução da palavra - Uma visão do homo loquens de Pedro Paulo Filho pela Siciliano (1987)
>>> A Sombra de uma Paixão de Tanya Oliveira pela Lúmen (2007)
>>> A evolução da consciência de Robert Ornstein pela Best Seller (1991)
>>> Iracema de José de Alencar pela L&Pm Pocket (2009)
>>> Ciência e fé: O reencontro pela- Física quântica de Bispo Rodovalho pela Lua de mel (2013)
>>> A ponte clandestina - Teorias de cinema na América Latina de José Carlos Avelar pela 34 (1995)
>>> As Fortunas do Cortesão de Peter Burke pela Unesp (1997)
>>> O barão das árvores de Italo Calvino pela Companhia Das Letras (1991)
>>> Cultura Brasileira - Temas e Situações de Alfredo Bosi pela Atica (1992)
>>> Poemas de Rainer Maria Rilke pela Companhia Das Letras (1993)
>>> A Feira das Vaidades - I e II Volume de William Makepeace Thackeray pela Civilização Brasileira (1963)
>>> Cinema marginal (1968/1973) - A representação em seu limite de Fernão Ramos pela Brasiliense (1987)
>>> O Circo da Noite de Erin Morgenstern pela Intrínseca (2012)
>>> A vida viaja na luz de Carlos A. Baccelli Inácio Ferreira pela Leepp (2011)
>>> Por que perdeu ?: Dez desfiles derrotados que fizeram história de Marcelo de Mello pela Record (2018)
>>> Cultura de Massa e Cultura Popular de Ecléa Bosi pela Vozes (1973)
>>> Antes de dormir de S. J. Watson pela Record (2012)
>>> História da Civilização - Idade Média, Moderna e Contemporânea de António G. Mattoso pela Lisboa - Livraria Sá da Costa (1956)
>>> Uma história da república de Lincoln de Abreu Penna pela Nova Fronteira (1989)
>>> Adestramento de Cães para Leigos de Jack Volhard / Wendy Volhard pela Alta Books (2005)
>>> Capitalismo, trabalho e educação de José Claudinei Lombardi pela Autores Associados (2004)
COLUNAS

Quinta-feira, 6/7/2006
Uma gripe e dois livros para distrair
Adriana Baggio

+ de 4100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

flor
Ilustra by Tartaruga Feliz

Passar o feriado de cama por conta de uma dessas indefectíveis viroses de inverno tem seu lado bom - por mais que seja difícil perceber. Ficar parada é praticamente um crime nos dias de hoje. Daí vem a doença e te derruba de nocaute no primeiro assalto. E você, indefesa, sabe que o melhor é aceitar e se conformar. Conformação - outra atitude que não combina com essa época tão ativa e pró-ativa, mas que é fundamental em um momento como esse.

Logo vêm à mente aquelas fábulas orientais sobre carvalhos rígidos que sucumbem às tempestades, enquanto os bambus se dobram e sobrevivem. Me rendi pacificamente ao ataque dos vírus e bactérias e deleguei as tarefas de lutar e contra-atacar aos meus anticorpos. Enquanto a batalha se desenrolava feroz nos meus brônquios, me distraí com a paisagem a partir do sofá da sala. De um lado, o mundo emoldurado pela varanda, em dias insuportavelmente ensolarados. Sol é um veneno para o corpo com gripe e para a mente obrigada a ficar quieta. Nessas horas, o melhor mesmo é um céu nublado, uma chuvinha fina. Quando a vista ou a posição se tornavam insuportáveis, deixava o sol para trás e redescobria a minha casa. Os livros na estante, as flores no jarro, os quadros na parede. Incrível como até uma sala comum pode conter novidades para seus próprios moradores.

Mas chega uma hora em que os estímulos visuais perdem a graça. Então, parti para os livros: hora de fazer a fila andar, de botar a leitura em dia. Peguei um volume com um título instigante: Putz! Virei a minha mãe!, de Sandra Reishus (Carpe Diem, 2006, 190 págs.). Todas as mulheres, secretamente, sentem algum receio de se tornarem iguais às suas mães nos piores aspectos delas. Um medo estimulado por aqueles comentários que os homens fazem quando querem nos ferir profundamente: "você está ficando igual a sua mãe!". De uma tacada só, eles conseguem atingir duas gerações da família.

Para que comentários maldosos masculinos, se uma mulher pode fazer pior? A contracapa e as orelhas do livro prometem receitas para nos libertarmos do estigma da herança materna. Mas não se deve dar confiança a esse tipo de proposta, não é mesmo? Logo no começo, percebo a farsa: como diria minha mãe, a autora é filha de chocadeira. Os casos que ela cita são patológicos. Os comportamentos descritos não são o normal entre mães e filhas, são as exceções! Sem falar na distorção de responsabilidades: se a filha vai mal na carreira, não arranja namorado ou vive infeliz pelos cantos, pode apostar que é culpa da mãe. Mesmo para um livro de auto-ajuda, passou dos limites. Também, esperar o que de alguém que agradece ao professor de jazz pelo seu desempenho como "escritora"? Ah, tenha a santa paciência! O lado bom é que essa obra me permite realizar o antigo sonho de citar a antológica Dorothy Parker: "este não é um livro para ser posto casualmente de lado. É para ser atirado longe, com toda a força."

Deixando mães e filhas de lado, sigo para as avós. As netas da Ema, de Eugênia Zerbini (Record, 2005, 176 págs.), é um romance com personagens femininas e conflitos idem. O fio da narrativa é conduzido por uma mulher de meia-idade, bonita, corajosa e bem-sucedida. Depois de um assalto, ela decide rever seus objetivos de vida e suas aspirações. Essas reflexões são passadas para o leitor através de monólogos interiores ou em diálogos com as amigas. Enquanto os diálogos são mais naturais, as conversas internas parecem trazer algo da formação acadêmica da escritora (mestre e doutora em Direito Internacional). Às vezes, ela perece estar dissertando, defendendo alguma idéia. Nesses momentos, utiliza termos e estruturas que destoam do restante da linguagem.

Um aspecto interessante do livro é a maneira como as personagens são chamadas. Ao invés de nomes, estereótipos, como "A-loira-muito-linda-de-olhos-gateados". As amigas-estereótipos são como exemplos de caminhos que as mulheres têm seguido em suas vidas. A divorciada e com filhos, a linda e sozinha, a mãe solteira que não precisa de homens, e por aí vai. Essas são as netas da Ema, a Bovary, personagem clássica de Gustave Flaubert. A explicação para a referência é feita pela narradora, em uma de suas reflexões pós assalto. As mulheres de hoje seriam como netas de uma mulher que era livre, de certa forma, mas cuja insatisfação foi sua perdição. Os objetivos e as metas de realização femininas atuais são diferentes, mas como diz a narradora, parece que algo ainda nos puxa para trás, para sonhos com príncipes encantados e famílias perfeitas. Ou seja, continuamos insatisfeitas.

As netas da Ema venceu a edição 2004 do Prêmio SESC de Literatura. A história inusitada e a forma diferente de "batizar" as personagens dão um ar de contemporaneidade ao livro. No entanto, algumas vezes o roteiro parece meio solto, sem ligação entre suas partes. Tem uma passagem da adolescência da protagonista, de forte apelo erótico e dramático. Isoladamente, é um bom trecho, mas se perde em função do restante. Parece que falta um pouco mais de tempo para contar a história, de laços que amarrem um segmento ao outro. Quando se chega ao final, é uma verdadeira surpresa. A sensação é de pisar em falso, de achar que vai encostar no chão e só encontrar o vazio. Terminar o livro é quase um tombo. Senti pena por ele ter acabado assim tão rápido, sem eu perceber.

Enfim, depois dessas leituras, de quatro dias de cochilos e de assistir a doze jogos de Copa do Mundo, os anticorpos parecem estar vencendo a batalha. Os vírus, bactérias ou seja lá o que for, estão batendo em retirada. Hora de voltar ao trabalho, de correr de um compromisso a outro, de extinguir todos os espaços vazios do dia. Os livros que não foram escalados vão ter que se conformar com o banco, pelo menos até chegar a vez deles. E se as coisas continuarem assim, daqui a pouco eles vão me fazer companhia novamente, em mais uma dessas viroses que insistem em nos colocar no nosso devido lugar.

Para ir além









Adriana Baggio
Curitiba, 6/7/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Jonny Quest de Nemo Nox
02. Quem Não Lê Não É Humano de Alexandre Soares Silva


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2006
01. Dicas para você aparecer no Google - 9/3/2006
02. Eles vão invadir seu Orkut! - 9/2/2006
03. Cruzeiro marítimo: um espetáculo meio mambembe - 23/2/2006
04. O amor e as mulheres pelas letras de Carpinejar - 20/7/2006
05. Breve reflexão cultural sobre gaúchos e lagostas - 12/1/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/7/2006
13h05min
Olá, Adriana. Seus textos são realmente deliciosos de se ler. Parabéns! Bjinhos. Ana
[Leia outros Comentários de Ana Claudia]
15/7/2006
20h02min
Amei, Adriana. Muito legal, vou repassar. Beijo.
[Leia outros Comentários de Gisele Lemper]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Encontro com o Mestre
DeRose
matrix
(2002)



Iluminação Interior
John White. Org
Cultrix
(1998)



O Sonhador a Fábrica de Sonhos
João Berbel
Farol das Três Colinas
(2014)



O Melhor da Cronica
Lindolfo Paoliello
Del Rey
(2003)



A Teia do Homem Aranha - Vol. 5
Marvel
Panini Comics
(2011)



Simpatias e Segredos Populares - 4ª Edição
Nivio Ramos Sales
Pallas
(2008)



Histórias "Animais" que as Pessoas Contam
Marcel Benedeti
mundo maior
(2006)



Brincando Com Colagens, Recortes e Dobraduras
Rosangela P. Nascimento
Global
(2002)



Livro - Série Bom Livro - o Alienista
Machado de Assis
Ática
(2002)



Sangue e Esplendor
Daniel Myerson
ediouro
(2003)





busca | avançada
74501 visitas/dia
2,0 milhão/mês