Os livros que eu ganhei | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
82631 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Curitiba On-line: atividades culturais disponíveis para fazer em casa
>>> Luis Stuhlberger, um dos maiores gestores de fundos do país, participa do próximo Dilemas Éticos
>>> Cia. Palhadiaço faz temporada online de Depósito acompanhada por oficinas grátis
>>> GRUPO MORPHEUS TEATRO leva obra audiovisual “BERENICES” para teatros públicos do munícipio de São Pa
>>> II Bibliofest debate Agenda 2030 da ONU/IFLA em bate-papos literários e oficinas culturais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Deficiente capilar
>>> A imaginação do escritor
>>> Caindo de paraquedas na escrita
>>> Inteligência artificial
>>> Rimbaud, biografia do poeta maldito
>>> 7 de Setembro
>>> Deixa se manifestar
>>> Auctoritas
>>> A arte do cinema imita o caos. Ou vice-versa
>>> Toca Raul!
Mais Recentes
>>> José Duarte- um Maquinita da Historia de Luiz Momesso pela 8 de Março (1988)
>>> Perfil Literário dos Presidentes das Sobrames Regionais- 2000/2002 de Varios Autores pela Santa Rita (2002)
>>> Dragões do Eter Vol. 3 - Círculos de Chuva de Raphael Draccon pela Leya (2010)
>>> Tecnica e Sociedade no Brasil - de Diana Gonsalves Vidal pela Contexto (1988)
>>> Projeto Resgate Pernambucano-vol. 01 de Varios Autores pela Alepe-pe (2007)
>>> Oásis do Meier de Altamir Tojal pela Calibar (2010)
>>> Redação para o 2 grau- Pensando lendo e escrevendo de Ernani e Nicola pela Scipione (1996)
>>> Gestao Radical: As Licoes Do Programa De Gestao Avancada Da Harvard Business de Mark Stevens pela Campus (2001)
>>> Os Vigilantes de Philip Cornford pela Record (1991)
>>> Inferno na Torre de Richard Martin Stern pela Record
>>> Contos Fluminenses-edições Criticas de Machado de Assis pela Civilização Brasileira (1975)
>>> Discursos- Vol. 01 - 1974 de Ernesto Geisel pela Assessoria Imprensa Nacional (1975)
>>> Cantos do Brasil - o Caminho das Pedras de Shirley Souza pela Escala Educacional (2000)
>>> Remedio Amargo de Arthur Hailey pela Record
>>> A Câmera do Sumiço de Laura Bergallo pela Dcl (2007)
>>> Turismo Em Cronicas de Geraldo Granja Falcão pela Do Autor (1977)
>>> Bonecos na Ladeira de Adriana Victor pela Publikimagem (2011)
>>> Operação Rhinemann de Robert Ludlum pela Record (1974)
>>> Abilio Diniz. Caminhos E Escolhas de Renato pela Campus (2004)
>>> Historias Que o Tempo Esqueceu de Melchiades Montenegro Filho pela Fac Form (2011)
>>> A Saga da Wilson Sons de Patricia Saboia pela Index (1997)
>>> Respostas ao Criador das Frutas de Sonia Carneiro Leão pela Do Autor (2010)
>>> Envolvido pela Luz - 3ª de Betty J. Eadie pela Nova Era (1994)
>>> A Era Da Mulher de Alison Maitland pela Campus (2008)
>>> Mais rápido, barato e melhor de Michael Hammer e Outros pela Campus (2011)
COLUNAS

Quarta-feira, 22/11/2006
Os livros que eu ganhei
Ana Elisa Ribeiro

+ de 5100 Acessos
+ 7 Comentário(s)

Coisa mais gostosa é ganhar livros. De preferência, sem mais nem menos, de presente gratuito, sem obrigação, sem pressão. Livro grosso, livro fino, livro de capa dura, até livro comprado em banca de jornal. Eu ganhei tantos livros na vida que nem sei se poderei me lembrar de todos. Provavelmente precisaria de um longo passeio pelo bosque das minhas estantes para abrir capas, sondar páginas de rosto, espiar as dedicatórias.

Quem gosta de livro sabe: não é fácil ganhar livros de presente. Muito difícil agradar alguém que conhece essa seara e vai além das listas de best-sellers. Dar livros de lista dos mais vendidos é fácil, pode-se encontrá-los em lojas de souvenirs. Mas dar bons livros para quem gosta de livro é tarefa dura. Pior ainda é dar livros para quem tem muitos livros. A chance de repetir a prenda é grande como um incunábulo. É preciso pesquisar, sondar, perguntar; às vezes, é melhor dar um vale-presente da livraria.

Ganhei muitos livros quando era criança. E guardei todos. Alguns vinham com disquinhos coloridos. Ouvi tudo até matar minha mãe de enjôo. Criança, vocês sabem, não se comove com a repetição. Coisa gostosa é para viver de novo, de novo, de novo. Criança não se cansa quando o negócio é prazer. E eu ouvi aquelas histórias até crescer e aprender a viver com pressa.

Lembro de quando ganhei alguns volumes da coleção Vagalume, da editora Ática. Talvez tenha sido essa a coleção que formou os leitores da minha geração. Duvido que alguém aí tenha esquecido do Rapto do garoto de ouro ou do Mistério do cinco estrelas. Um clássico: O escaravelho do diabo. E Xisto e suas aventuras em série. Livrinhos encomendados, batidos, repetitivos, mas que fizeram a festa da meninada que gostava de mistério e suspense.

Mais tarde ganhei um O restaurante do fim do universo, de autoria de Douglas Adams. Era um namorado que queria me incentivar a ler umas coisas engraçadas. Mandei brasa. Fiz a coleção, numa época em que era difícil achá-los e eles saíam pela Brasiliense. Estão no alto da estante. Hoje, não tenho apreço pelas histórias, mas ainda me lembro dos risos que dei quando daquela leitura entretida. O namorado se foi, mas a dedicatória carinhosa está lá. A lápis.

No aniversário de 26 anos um amigo, muito tímido, veio me dar um embrulho. Cabisbaixo, ele disse que não sabia se eu já tinha, que poderia trocar e que não sabia se era adequado. Abri com fúria. Era um Luis Fernando Verissimo, Sexo na cabeça. Dei no meu amigo um abraço de afeto e agradeci o presente. Ainda não li, e já fiz 31, mas é que tanta coisa aconteceu de lá para cá que o sexo não pôde ficar na cabeça.

Julio Daio Borges, o editor deste site, vive me enviando caixas de livros. Caixas, sem exagero. Vez em quando me chega um daqueles avisos de entrega. O Centro de Distribuição dos Correios é bem perto da minha casa. Fico ansiosa para ver o que vem. E abro a caixa com afobação. Tanta coisa. Tanto trajeto de leitura. Desta vez, um livro sobre o Stradivarius aguçou minha curiosidade.

Valério de Oliveira, o poeta, é outro que vive me mandando livros em envelopes. São poemas e mais poemas que leio rápido e vão para minha estante ser estrelas. Junto com ele Nelson de Oliveira, Ivana Arruda Leite e Índigo, que envia livros até pro Eduardo, meu filho que ainda não sabe ler.

Joca Reiners Terron me deu dois ou três livros de presente. Uns, dele mesmo; outros, da Adília Lopes. O tesouro maior da minha estante é um que leva o seguinte nome: Quem quer casar com a poetisa?, coisa belíssima, que ele achou importado em algum site. Melhor achado da vida. Depois que ganhei esse, comprei mais uns, já que tendia ao movimento.

Jovino Machado também me deu livros dele. Mas não apenas. Me deu uns livros que pensava se encaixarem no meu jeito. Inclusive uma biografia do Torquato Neto. As dedicatórias de Jovino muita vez emocionavam mais que o livro. Coisa boa de conhecer escritores.

Ebberth, amigo efêmero, me deu, no entanto, um livro pelo qual procurei por anos a fio, A galáxia de Gutenberg, do Marshall McLuhan. É um clássico que eu queria conhecer de perto. Ganhei num embrulho bonito, vindo de um sebo em São Paulo. Os sebos de BH não o tinham. Estavam, de certo, guardados nas estantes das pessoas.

Os livros são os presentes mais imortais que a gente ganha. São assim como se ganhássemos uns dias a mais de vida. Quando alguém nos enterrar, os livros vão dar trabalho. São pesados, são empoeirados, são, no entanto, a materialização do nosso gosto. São o histórico dos nossos trajetos intelectuais. São testemunhos dos caminhos pelos quais passaram nossos olhos. Passamos tanto tempo calados olhando para os livros, tempo que não dispensamos a mais nada nesta vida. Jamais olhamos tanto outra coisa ou alguém. Os livros vão ficar no inventário. Alguma biblioteca (que seja pública, ao menos) há de querê-los, mas isso só no caso de não termos conseguido fazer vingar nos filhos o apreço que temos pelos cadernos encapados.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 22/11/2006


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2006
01. Digite seu nome no Google - 8/3/2006
02. Eu não uso brincos - 27/9/2006
03. Não quero encontrar você no Orkut - 8/2/2006
04. Poesia para os ouvidos e futebol de perebas - 7/6/2006
05. Ex-míope ou ficção científica? - 20/12/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/11/2006
17h14min
Os livros, pra mim, são como as poesias: imortais, imortalidades de nós. E concordo plenamente: acho que já olhei mais pra minha estante de livros nessa vida do que pros olhos de qq humano... rs... Agora, gostaria tanto que eles fossem enterrados comigo, não por egoismo de que alguém os tenha - precioso tesouro - mas pra que eles pudessem estar ali, ao alcance da minha alma que assim, teria motivo pra se levantar dali e ler, ler, ler... Adorei o texto. Um abraço, Simone
[Leia outros Comentários de Simone]
24/11/2006
01h42min
Quem tem alma de estante? Aquela onde cabem todos os bons livros? Em um livro cabe um universo e, numa estante, uma galáxia a explorar. Pois vamos passar desta e os livros vão ficar, ainda por muito tempo, a despeito de todo contexto digital. Por isso sou um eterno apaixonado pelo livro, a leitura do conteúdo, que constrói nosso cenário mental particular, inigualável em criatividade; tocar o papel, admirar a capa, contemplá-lo, voltar a lê-lo... Singela crônica. Saudação ex-libris...
[Leia outros Comentários de Adalberto Camargo]
25/11/2006
22h43min
Ana, esse seu texto ficaria ótimo no livro "Paixão pelos livros". Ah! um dia quero conhecer sua biblioteca e olhar, um pouquinho que seja, para seus livros. Pode? Saudade e um abraço. Áurea
[Leia outros Comentários de Áurea]
26/11/2006
19h08min
Sou apaixonada pelos livros... Em geral, são os meus melhores amigos. Parodiando Vinicius de Morais, os livros são os melhores amigos do homem, ou seja, são cachorros "encapados".
[Leia outros Comentários de Cinthia]
2/12/2006
10h17min
Salve, salve Ana Elisa! Apropriando um pouco do seu pensamento cito Monteiro Lobato "um país é feito de homens e livros". Santo Deus! Não consigo conceber que este país seja o do futuro se as pessoas não se aproximam do hábito de leitura como na Europa. Se soubessémos o quanto é vital a leitura, ficaríamos lendo pelo menos 1/3 de nossas vidas; somente desta forma iríamos nos transformar em melhores seres humanos em muitos sentidos.
[Leia outros Comentários de Elvis Mutti]
5/12/2006
19h13min
O hábito da leitura é realmente um prazer gastronômico, Ana Elisa. Textos como o seu também nos incitam a presentear os amigos. Acredito que o prazer da oferta se iguala ao de quem os recebe. Parabéns à família do Digestivo Cultural.
[Leia outros Comentários de Rosa Nina Serra]
24/4/2007
17h23min
Oi Ana: só agora descobri o Digestivo Cultural. Estou encantada com ele e com seus textos. Perfeitos. Este, então,tudo o que eu escreveria sobre livros. "Um conforto".
[Leia outros Comentários de Anna]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Criança e a Violência na Mídia
Ulla Carlsson e Cecilia Von Feilitzen (orgs.)
Cortez
(2001)



Estruturas Filosóficas e Afins
Paulo Augusto Proença Rosa
Do Autor



A Vida e o Sagrado - 9º Ano
Coleção a Vida e o Sagrado
A Vida é Mais
(2012)



El Espiritu En El átomo: una Discusión Sore los Misterios de La Física
P. C. W. Davies - J. R. Brown
Alianza
(1989)



EXPERT nutriçao
Rejane Teixeira Mendonça
Ridel
(2016)



Grammar Practice 1 a Complete Grammar Workout For Teen Students
Herbert Puchta
Helbling
(2012)



Ciência e Violência
I de L Neves Manta e Edmundo Vasconcelos
Livraria São José (rj)
(1972)



O Menino Que Via o Além
José Ewerton Neto
Escrituras
(2003)



O Olhar Amoroso Textos Sobre Arte Brasileira
Olivio Tavares de Araujo
Momesso
(2002)



A Arte de Correr na Chuva
Garth Stein
Ediouro
(2008)





busca | avançada
82631 visitas/dia
2,6 milhões/mês