Olimpíadas sentimentais | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
66543 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Filó Machado encerra circulação do concerto 60 Anos de Música com apresentação no MIS
>>> Mundo Suassuna, no Sesc Bom Retiro, apresenta o universo da cultura popular na obra do autor paraiba
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha”: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
>>> Tião Carvalho participa de Terreiros Nômades Encontro com a Comunidade que reúne escola, família e c
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Waldstein por Andsnes
>>> Festival de Inverno Ouro Preto
>>> Para gostar de ler
>>> Dos livros que li
>>> O legado de Graciliano Ramos
>>> Mané, Mané
>>> Ele é o Rei
>>> Corpos
>>> Dialogando com o público leitor
>>> O fim do futebol-arte?
Mais Recentes
>>> Codependencia Nunca Mais de Melody Beattie pela Best Seller (2024)
>>> Manual de Proteçao Respiratoria de Maurício Torlon/ Antonio Vladimir Vieira pela Abho (2003)
>>> 21 Lições Para O Século 21 de Yuval Noah Harari pela Companhia Das Letras (2020)
>>> O Reino De Moruk de Dimára Guastapaglia pela Do autor (2020)
>>> Como Alimentar Seu Bebê de Sara Lewis pela Marco Zero (1996)
>>> Introduçao A Engenharia Ambiental de Benedito Braga, Ivanildo Hespanhol, João G. Lotufo Conejo, Mário Thadeu L. De Barros, Milton Spencer Veras Junior, Monica F. Do Amaral Porto, Nelson L. R. Nucci, Neusa Monteiro De A. Juliano, Sergio Eiger pela Prentice Hall (2003)
>>> Os Remedios Florais Do Dr. Bach de Dr Edward Bach pela Pensamento (1995)
>>> Poemas Escolhidos De Gregório De Matos de Gregorio De Matos pela Companhia Das Letras - Grupo Cia Das Letras (2024)
>>> A Bruxa Nao Vai Para A Fogueira Neste Livro de Amanda Lovelace pela Leya (2018)
>>> Gandhi - Sua Vida E Mensagem Para O Mundo de Louis Fischer pela Martin Claret (1992)
>>> Tuik - O Amigo Imaginário de Marina Pechlivanis - Mateus Rios pela Formato (2014)
>>> O Hobbit de John Ronald Reuel Tolkien pela Wmf Martins Fontes (2009)
>>> Uyra - O Defensor Do Planeta de Carraro Fernando pela Ftd (2010)
>>> Gestão de Resíduos Sólidos - o Que Diz a Lei de Carlos Roberto Vieira da Silva Filho pela Trevisan (2015)
>>> Química Geral e Reações Químicas - Volume 1 de John C. Kotz - Paul M. Treichel pela Ltc (2002)
>>> Sétimo de Andre Vianco pela Novo Seculo (2009)
>>> O Clube Do Trico de Kate Jacobs - Carolina Mesquita pela Amarilys (2010)
>>> Filhos Do Imperador de Claire Messud pela Nova Fronteira (2008)
>>> Os Acidentes Do Trabalho Na Nova Nr-12 de Valmir Inácio Vieira pela Ltr (2013)
>>> A Batalha Do Labirinto - Percy Jackson E Os Olimpianos Livro 4 de Rick Riordan pela Intrinseca (2010)
>>> Um Buldogue Frances de Ana Paula De Abreu pela Pequeno Viajante (2020)
>>> Avaliação Em Educação Infantil 3 de Mara Krechevsky pela Artmed (2001)
>>> O Trem Contra O Tubarão de Chris Barton pela Paz E Terra (2013)
>>> A Rainha Do Norte de Joana Estrela pela Sesi-sp Editora (2018)
>>> Vygotsky Em Foco de Harry Daniels pela Papirus (1994)
COLUNAS >>> Especial Olimpíadas e China

Quinta-feira, 28/8/2008
Olimpíadas sentimentais
Elisa Andrade Buzzo
+ de 6000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

O desajeitado ursinho Micha aparece no Estádio Lênin lotado, começa a dançar e a fazer acrobacias engraçadas. Na verdade há toda uma trupe travestida em pelúcia marrom, que enternece a platéia e amolece os corações linhas-duras da velha União Soviética.

A abertura é a das olimpíadas de 1980. Micha é a mascote que me faz chorar quando seu rostinho se move na sincronia perfeita de placas na arquibancada. Há tempos meu controle remoto não zapeava pelos canais esportivos. Há tempos tinha controle emocional ao assistir televisão. No dia seguinte, pela manhã, dou de cara no SporTV com a mesma transmissão ― e não é que minha reação se repete? Os jogos de Beijing se aproximavam e meus sentimentos não estavam preparados para transbordar em ordem. O que acontece comigo quando vejo imagens do bombardeio na Ossétia do Sul ou de um estádio lotado em clima de Olimpíadas? Sentimentalismo barato?

Geopolítica e olimpíadas é uma combinação pacífica... Pelo menos ela parece ser em outra cerimônia de abertura ― Beijing 2008 ―, esquecendo os boicotes de Moscou 1980, por exemplo. Mas que país não quer passar esta imagem em plenos Jogos Olímpicos, momento maior de confraternização de todo o globo, quando outros corações amolecem e os músculos se retesam? Tudo será perfeito nestes jogos, como as "assistentes de cerimônia" chinesas, lindas, altas, educadas, com figurino impecável, robóticas.

O desfile das delegações olímpicas no "Ninho de Pássaro" pode parecer monótono ― os passos medidos, as grandes delegações sendo apressadas pelos chineses. Apesar das diferenças de tamanho, todos os países ficam de certa forma em pé de igualdade, mostrando sua cota de atletas, seus rostos, a quantidade de dentes e, por que não, a representação de sua história. Bonitos, bem nutridos, parecem ser os escolhidos, os fortes para se mostrar ao mundo em espetáculo, seja em trajes mais esportivos, de terno, gravata e tailleur, ou em trajes tribais, véus.

Nestes grandiosos jogos olímpicos "da era moderna", como fazem questão de justificar os comentaristas esportivos, acontecem coisas surpreendentes. Lá está desfilando a primeira mulher de um país do Golfo Pérsico, munida da bandeira de seu país. Países que não existem no mapa, existem nos jogos ― a Palestina aparece com seus gatos-pingados de mãos dadas para o alto. Irã, Iraque, com suas mínimas delegações. Lá está um mapa-múndi em miniatura, os chefes de Estado acenando satisfeitos da arquibancada, no passageiro esquecimento dos conflitos. Adiante, ainda no rol, a judoca Ketleyn Quadros é a primeira atleta brasileira a ganhar uma medalha num esporte individual, pasmem.

Provas duríssimas e decisivas aguardam os atletas, com barreiras que os levam a um fosso cheio d'água. Ou mesmo aquelas em que um único tombo é capaz de desestruturar o corpo, toda uma vida dedicada aos treinos. Pois foi cruel o que fizeram com o ginasta Diego Hypólito na capa da Folha de S. Paulo. O atleta de tantas conquistas é colocado "no chão", o olhar atônito diante do erro improvável, logo no último exercício. Que tristeza rever as imagens de Diego, cambaio mesmo após se levantar da queda, incrédulo, sem entender que locomotiva passara por cima. Olimpíadas são assim mesmo, de se emocionar. E de chorar muito também, que o diga César Cielo, que conquistou o ouro no 100m nado livre. Como se diz, ele chorou como um menino. No pódio, não adiantou nem tentar cantar o Hino Nacional Brasileiro. A câmera é impiedosa, registra todas as reações. O mundo todo saberá de sua vitória ou de seu desastre.

Em noite de competição de atletismo, a câmera ― invisível para os telespectadores, mas bem na frente dos atletas, que aparecem gigantes no telão do "Ninho de Pássaro" ― intimida ou rende um sinal tímido de positivo, uma vibração contida. Concentração para a largada! As atletas, por sua vez, ficam mais encabuladas ainda em sua graciosidade, ou pela falta dela. Uma russa de batom cor-de-rosa aponta para a câmera e envia um beijo com as mãos, depois fecha o punho direito e demonstra força.

Há outras lágrimas para os brasileiros nestes jogos olímpicos, não são poucos os dramas. Fabiana Murer, com "chances reais" de se tornar uma medalhista, não encontra a vara que precisaria para um salto mais alto. Resultado, desconcentração e fora da disputa por medalhas. O show da noite no Estádio Olímpico ficou por conta da russa Elena Isinbayeva, recordista olímpica do salto com vara. Já com a medalha de ouro garantida, ela salta para quebrar seu próprio recorde mundial. "Os fotógrafos se deliciam cada vez que ela vai falar com o técnico", diz o locutor. Na última das três tentativas, Isinbayeva, a mulher mais linda do mundo, desliza impávida pelo sarrafo. Agora ela é também a mulher que voa mais alto no mundo e diz: "o céu é o meu limite".

Já a outra musa, Fabiana Murer, numa transmissão ao vivo, fala que a "organização" é uma "desorganização" e que não volta mais à China. "Tenta se segurar", mas abre o berreiro quando fica sabendo pelo repórter que seus pais a estão assistindo naquele momento. Esperamos que os atletas superem e os brasileiros esqueçam os jogos das mágoas...

Coisa antiga isso de se emocionar em olimpíadas. Não sei também agora nem por que insisti neste assunto, se a vida é feita de um variado de secura e umidade. Ficam as lágrimas do urso Micha, na simplicidade do encerramento moscovita, pra servir de alento.



Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 28/8/2008

Quem leu este, também leu esse(s):
01. K 466 de Renato Alessandro dos Santos
02. Notas confessionais de um angustiado (II) de Cassionei Niches Petry
03. Xadrez, poesia de Ana Elisa Ribeiro de Jardel Dias Cavalcanti
04. O Véu, de Luis Eduardo Matta de Fabio Silvestre Cardoso
05. Anonimato: da literatura à internet de Marta Barcellos


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2008
01. Como era gostoso assistir à Sex and the City - 26/6/2008
02. Oiti - 20/11/2008
03. Chicas de Bolsillo e o fetiche editorial - 13/3/2008
04. Da indústria do sabor e do desgosto - 2/10/2008
05. No chão em que você pisa com seu salto agulha - 28/2/2008


Mais Especial Olimpíadas e China
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/9/2008
18h24min
obrigado pelo texto tão humano e valioso, elisa. entre tantas críticas e análises de aspectos menos nobres ou tristes do desorganizado e desestruturado esporte olímpico brasileiro, seu texto foi um oásis de beleza. e resgatar o inesquecível misha foi demais. e reparou na tristeza sincera do casal russo? bonito demais. abraço, zé augusto de aguiar
[Leia outros Comentários de zé augusto de aguiar]
11/9/2008
06h37min
Elisa, excelente texto e obrigado pelas imagens. Certamente os russos promoveram a mais criativa e a mais bela festa de abertura de todos os Jogos Olímpicos. Olha que eu já vivi um "bom bocado" e ainda me comovo com todas essas lembranças! Abraços do Sílvio Medeiros.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Coaching Express as Origens de um Novo Estilo
Suryavan Solar
Gran Sol
(2013)



Viajando pelo folclore de norte a sul
Arlete Piai; Maria Júlia Oaccini
Cortez
(2004)



O Renascimento
Nicolau Sevcenko
Atual
(1988)



A Oração que Prevalece para a Paz
Kenneth E. Hagin
Graça
(2006)



Livro Religião O Pentecoste
Osvaldo Polidoro
Leitura e Arte
(2005)



Um Anjo de Mochila Azul
Diogo Almeida
Novo Século
(2020)



Cronistas do Estadão
Moacir Amancio
O Estado de São Paulo
(1991)



O Corpo e Seus Símbolos
Jean-Yves Leloup
Vozes
(2000)



Livro Esoterismo Toward a Superconsciousness Meditional Theory and Practice
Hiroshi Motoyama
Asian Humanities Press



Odisséia
Roberto Lacerda
Scipione
(2008)





busca | avançada
66543 visitas/dia
2,1 milhões/mês