Olimpíadas sentimentais | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
70192 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Cassio Scapin e artistas de grandes musicais fazem campanha contra o abuso sexual infantil
>>> Terça Aberta na Quarentena une teatro e a dança
>>> “Um pé de biblioteca” estimula imaginação e ajuda a criar novas bibliotecas pelo Brasil
>>> Diálogos na Web FAAP: Na pauta, festivais de cinema e crítica cinematográfica
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Jingle Bells
>>> Mano Juan, de Marcos Rey
>>> Relationships Matter
>>> Apesar da democracia
>>> Onze pontos sobre literatura
>>> A maçã de Isaac Newton
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Lucas vs. Spielberg
>>> Morando sozinha II
Mais Recentes
>>> As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender de Leslye Walton pela Novo Conceito (2014)
>>> Um Lugar Perigoso de Luiz Alfredo Garcia-Roza pela Companhia das Letras (2014)
>>> Robinson Crusoe de Daniel Defoe pela Ediouro
>>> O pequeno Buda de Gordon McGill pela Círculo do Livro (1998)
>>> O Maior Homem que já viveu de Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados pela Sociedade Torre de Vigia (2020)
>>> Pequot de Vitor Ramil pela Artes e Ofícios (1995)
>>> Quando o espiritual domina de Simone de Beauvoir pela Record (1979)
>>> O resto é silêncio de Érico Veríssimo pela Globo (1998)
>>> Angústia de Graciliano Ramos pela Globo (2013)
>>> O Recurso de John Grisham pela Rocco (2015)
>>> Os doze mandamentos de Sidney Sheldon pela Record (2020)
>>> Direito Ambiental Positivo de Fabrício Gaspar Rodrigues pela Campus (2012)
>>> Mandado de Segurança de Luiz Fux pela Dir (2011)
>>> Lula: A opção mais que o voto de Cândido Mendes pela Garamond (2006)
>>> Latinomérica de Marcus Accioly pela Topbooks (2015)
>>> Levando a vida leve de Laura Medioli pela Justo Junior (2005)
>>> Les Filles du Feu / Les Chimères de Gérard de Nerval pela Garnier-Flammarion (1965)
>>> Revolucione sua qualidade de vida - Navegando nas ondas da emoção de Augusto Cury pela Sextante (2002)
>>> Mulheres certas que amam homens errados de Kristina Grish pela Gente (2007)
>>> Pequenos Poemas em Prosa de Charles Baudelaire pela Nova Fronteira (1981)
>>> E de Evidência de Sue Grafton pela Ediouro (1999)
>>> M - O Homem Sensual de Record pela Record (1997)
>>> Verdura? Não! de Claire Llewellyn; Mike Gordon pela Scipione (2011)
>>> @s [email protected] de [email protected] York - as Senhoritas de Nova York de Daniel Piza pela Ftd (1999)
>>> 1 Real de Federico Delicado pela Pulo do Gato (2014)
>>> 1 Real de Federico Delicado pela Pulo do Gato (2014)
>>> 10 Anos Brasil MTV de MTV pela Mtv
>>> 10 Contos de Natal de Gilberto de Nichile pela Scortecci (2015)
>>> 100 Jogos para Grupos de Ronaldo Yudi K. Yozo pela Agora (1996)
>>> 100 Magias para Aumentar Sua Autoconfiança - os Livros Secretos Witch de Disney pela Edelbra (2004)
>>> 100 Magias para Ter um Supergrupo - os Livros Secretos Witch de Disney pela Edelbra (2002)
>>> 100 Magias para Ter um Supergrupo - os Livros Secretos Witch de Disney pela Edelbra (2002)
>>> 100 Segredos das Pessoas de Sucesso de David Niven pela Sextante (2002)
>>> 1000 Formas de Interpretar o Seu Horoscopo de Girassol Edicoes pela Girassol (2006)
>>> 1000 Lugares para Conhecer Antes de Morrer de Patricia Schultz pela Sextante (2006)
>>> 1000 Lugares para Conhecer Antes de Morrer de Patricia Schultz pela Sextante (2006)
>>> 1000 Melhores Segredos Rapidos e Faceis para Voce de Jamie Novak pela Arx (2007)
>>> 1001 E-mails de Cynthia Dornelles pela Record (2003)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Companhia das Letras (2002)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Companhia das Letras (2002)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Companhia das Letras (2002)
>>> 1001 Maneiras de Enriquecer (livro Muito Raro!) de Joseph Murphy pela Record (1966)
>>> 1001 Maneiras de Enriquecer (livro Muito Raro!) de Joseph Murphy pela Record (1966)
>>> 101 Brasileiros Que Fizeram História de Jorge Caldeira pela Estação Brasil (2016)
>>> 101 Experiências de Filosofia Cotidiana de Roger Pol Droit pela Sextante (2002)
>>> 101 Livros Que Mudaram a Humanidade - Coleção Super Essencial de Superinteressante pela Superinteressante (2005)
>>> 101 Lugares para Fazer Sexo Antes de Morrer de Marsha Normandy; Joseph St. James; Alexandre Rosas pela Best Seller (2010)
>>> 102 Minutos: a História Inédita da Luta de Outros; Jim Dwyer pela Jorge Zahar (2005)
>>> 111 Poemas para Crianças de Sérgio Capparelli pela L&pm (2009)
>>> 117 Maneiras de Enlouquecer um Homem na Cama de Margot Saint-loup pela Ediouro (2005)
COLUNAS >>> Especial Olimpíadas e China

Quinta-feira, 28/8/2008
Olimpíadas sentimentais
Elisa Andrade Buzzo

+ de 4900 Acessos
+ 2 Comentário(s)

O desajeitado ursinho Micha aparece no Estádio Lênin lotado, começa a dançar e a fazer acrobacias engraçadas. Na verdade há toda uma trupe travestida em pelúcia marrom, que enternece a platéia e amolece os corações linhas-duras da velha União Soviética.

A abertura é a das olimpíadas de 1980. Micha é a mascote que me faz chorar quando seu rostinho se move na sincronia perfeita de placas na arquibancada. Há tempos meu controle remoto não zapeava pelos canais esportivos. Há tempos tinha controle emocional ao assistir televisão. No dia seguinte, pela manhã, dou de cara no SporTV com a mesma transmissão ― e não é que minha reação se repete? Os jogos de Beijing se aproximavam e meus sentimentos não estavam preparados para transbordar em ordem. O que acontece comigo quando vejo imagens do bombardeio na Ossétia do Sul ou de um estádio lotado em clima de Olimpíadas? Sentimentalismo barato?

Geopolítica e olimpíadas é uma combinação pacífica... Pelo menos ela parece ser em outra cerimônia de abertura ― Beijing 2008 ―, esquecendo os boicotes de Moscou 1980, por exemplo. Mas que país não quer passar esta imagem em plenos Jogos Olímpicos, momento maior de confraternização de todo o globo, quando outros corações amolecem e os músculos se retesam? Tudo será perfeito nestes jogos, como as "assistentes de cerimônia" chinesas, lindas, altas, educadas, com figurino impecável, robóticas.

O desfile das delegações olímpicas no "Ninho de Pássaro" pode parecer monótono ― os passos medidos, as grandes delegações sendo apressadas pelos chineses. Apesar das diferenças de tamanho, todos os países ficam de certa forma em pé de igualdade, mostrando sua cota de atletas, seus rostos, a quantidade de dentes e, por que não, a representação de sua história. Bonitos, bem nutridos, parecem ser os escolhidos, os fortes para se mostrar ao mundo em espetáculo, seja em trajes mais esportivos, de terno, gravata e tailleur, ou em trajes tribais, véus.

Nestes grandiosos jogos olímpicos "da era moderna", como fazem questão de justificar os comentaristas esportivos, acontecem coisas surpreendentes. Lá está desfilando a primeira mulher de um país do Golfo Pérsico, munida da bandeira de seu país. Países que não existem no mapa, existem nos jogos ― a Palestina aparece com seus gatos-pingados de mãos dadas para o alto. Irã, Iraque, com suas mínimas delegações. Lá está um mapa-múndi em miniatura, os chefes de Estado acenando satisfeitos da arquibancada, no passageiro esquecimento dos conflitos. Adiante, ainda no rol, a judoca Ketleyn Quadros é a primeira atleta brasileira a ganhar uma medalha num esporte individual, pasmem.

Provas duríssimas e decisivas aguardam os atletas, com barreiras que os levam a um fosso cheio d'água. Ou mesmo aquelas em que um único tombo é capaz de desestruturar o corpo, toda uma vida dedicada aos treinos. Pois foi cruel o que fizeram com o ginasta Diego Hypólito na capa da Folha de S. Paulo. O atleta de tantas conquistas é colocado "no chão", o olhar atônito diante do erro improvável, logo no último exercício. Que tristeza rever as imagens de Diego, cambaio mesmo após se levantar da queda, incrédulo, sem entender que locomotiva passara por cima. Olimpíadas são assim mesmo, de se emocionar. E de chorar muito também, que o diga César Cielo, que conquistou o ouro no 100m nado livre. Como se diz, ele chorou como um menino. No pódio, não adiantou nem tentar cantar o Hino Nacional Brasileiro. A câmera é impiedosa, registra todas as reações. O mundo todo saberá de sua vitória ou de seu desastre.

Em noite de competição de atletismo, a câmera ― invisível para os telespectadores, mas bem na frente dos atletas, que aparecem gigantes no telão do "Ninho de Pássaro" ― intimida ou rende um sinal tímido de positivo, uma vibração contida. Concentração para a largada! As atletas, por sua vez, ficam mais encabuladas ainda em sua graciosidade, ou pela falta dela. Uma russa de batom cor-de-rosa aponta para a câmera e envia um beijo com as mãos, depois fecha o punho direito e demonstra força.

Há outras lágrimas para os brasileiros nestes jogos olímpicos, não são poucos os dramas. Fabiana Murer, com "chances reais" de se tornar uma medalhista, não encontra a vara que precisaria para um salto mais alto. Resultado, desconcentração e fora da disputa por medalhas. O show da noite no Estádio Olímpico ficou por conta da russa Elena Isinbayeva, recordista olímpica do salto com vara. Já com a medalha de ouro garantida, ela salta para quebrar seu próprio recorde mundial. "Os fotógrafos se deliciam cada vez que ela vai falar com o técnico", diz o locutor. Na última das três tentativas, Isinbayeva, a mulher mais linda do mundo, desliza impávida pelo sarrafo. Agora ela é também a mulher que voa mais alto no mundo e diz: "o céu é o meu limite".

Já a outra musa, Fabiana Murer, numa transmissão ao vivo, fala que a "organização" é uma "desorganização" e que não volta mais à China. "Tenta se segurar", mas abre o berreiro quando fica sabendo pelo repórter que seus pais a estão assistindo naquele momento. Esperamos que os atletas superem e os brasileiros esqueçam os jogos das mágoas...

Coisa antiga isso de se emocionar em olimpíadas. Não sei também agora nem por que insisti neste assunto, se a vida é feita de um variado de secura e umidade. Ficam as lágrimas do urso Micha, na simplicidade do encerramento moscovita, pra servir de alento.



Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 28/8/2008


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2008
01. Como era gostoso assistir à Sex and the City - 26/6/2008
02. Oiti - 20/11/2008
03. Chicas de Bolsillo e o fetiche editorial - 13/3/2008
04. Da indústria do sabor e do desgosto - 2/10/2008
05. No chão em que você pisa com seu salto agulha - 28/2/2008


Mais Especial Olimpíadas e China
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/9/2008
18h24min
obrigado pelo texto tão humano e valioso, elisa. entre tantas críticas e análises de aspectos menos nobres ou tristes do desorganizado e desestruturado esporte olímpico brasileiro, seu texto foi um oásis de beleza. e resgatar o inesquecível misha foi demais. e reparou na tristeza sincera do casal russo? bonito demais. abraço, zé augusto de aguiar
[Leia outros Comentários de zé augusto de aguiar]
11/9/2008
06h37min
Elisa, excelente texto e obrigado pelas imagens. Certamente os russos promoveram a mais criativa e a mais bela festa de abertura de todos os Jogos Olímpicos. Olha que eu já vivi um "bom bocado" e ainda me comovo com todas essas lembranças! Abraços do Sílvio Medeiros.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




RETRATO SEM LEGENDA
ANNA MARIA MARTINS
SICILIANO
(1995)
R$ 6,90



VIVIANE - HISTÓRIA DE UMA MULHER
LUIZ CARLOS CARNEIRO
LAKE
(1998)
R$ 14,00



FERRO E O VOTO SECRETO
MONTEIRO LOBATO
GLOBO
(2010)
R$ 18,00



UM CONSTRUTOR DO NOSSO TEMPO - DEPOIMENTO AO CPDOC
EDMUNDO DE MACEDO SOARES E SILVA
CSN
(1998)
R$ 30,81



EL MANUSCRITO INTERRUMPIDO DE MARC BLOCH
MASSIMO MASTROGREGORI
FONDO DE CULTURA ECONÓMICA
(1998)
R$ 16,64



DE HIROSHIMA A BAGDÁ
JOAQUIM ANTUNES
ARTES GEOGRAFICA
R$ 6,90



CASAMENTO , TÉRMINO & RECONSTRUÇÃO - 8ª ED - REVISTA E ATUALIZADA
MARIA TEREZA MALDONADO
INTEGRARE
(2009)
R$ 42,00



TESTE DE WARTEGG
EHRIG WARTEGG
CASA DO PSICÓLOGO
(1987)
R$ 49,16



HISTORIA GERAL DA ARTE - ARTES DECORATIVAS II
EDITORA DELPRADO
DEL PRADO
(1996)
R$ 6,90



DIREITO DO CONSUMIDOR: ESTUDO COMPARADO BRASIL-QUEBEC
PATRÍCIA GALINDO DA FONSECA (CAPA DURA)
EDUFF
(2017)
R$ 65,82





busca | avançada
70192 visitas/dia
2,2 milhões/mês