House M.D. | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
70622 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> TEATRO & PODCAST_'Acervo e Memória', do Célia Helena, relembra entrevista com Nydia Licia_
>>> Projeto Cultural Samba do Caxinha cria arrecadação virtual para gravação de seu primeiro EP
>>> Designer e arquiteto brasileiro, Giovanni Vannucchi participa da VIIBienal Ibero-americana de Design
>>> Risorama anuncia retorno aos palcos com grandes nomes do humor nacional em São Paulo
>>> Inspirado nas Living Dolls, espetáculo de Dan Nakagawa tem Helena Ignez como atriz convidada
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
>>> Pouca gente sabe
>>> O chilique do cabeleireiro diante da modelo
>>> Paradiso por Metheny
>>> A nova propaganda anda ruim
>>> A Erva do Diabo, de Carlos Castaneda
>>> Manual para o leitor de transporte público
>>> Ganha-pão
>>> Comunicação: conselhos para (jovens) pesquisadores
>>> Guia Crowdfunding de Livros
Mais Recentes
>>> National Geographic Brasil Nº 224 de Diversos Autores pela National Geographic (2018)
>>> Esaú e Jacó / Memorial de Aires de Machado de Assis pela Nova Cultural (2003)
>>> National Geographic Brasil Nº 225 de Diversos Autores pela National Geographic (2018)
>>> Montaigne - Os Pensadores de Michel de Montaigne pela Nova Cultural (2004)
>>> National Geographic Brasil Nº 218 de Diversos Autores pela National Geographic (2018)
>>> Sociologia do sobrenatural de Luigi Sturzo pela Aster, Casa do castelo (1960)
>>> Do direito natural á sociologia de Jacques Leclercq pela Duas cidades
>>> Ciência x Espiritualidade de Chopra e mlodinow pela Sextante (2018)
>>> Ciência x Espiritualidade de Chopra e mlodinow pela Sextante (2018)
>>> Desvendando os Segredos da Linguagem Corporal de Allan Pease & Barbara Pease pela Sextante (2004)
>>> O Gerente Minuto de Kenneth Blanchard & Spencer Johnson pela Record (1981)
>>> Contabilidade Geral: Teoria e mais de 1.000 questões de Ed Luiz Ferrari pela Impetus (2013)
>>> Aulas de Direito Constitucional para Concursos de Vicente Paulo; Marcelo Alexandrino; Frederico Dias pela Método (2012)
>>> Finanças Públicas: Teoria e Prática no Brasil de Fabio Giambiagi; Ana Cláudia Além pela Elsevier (2011)
>>> Genética: Texto e Atlas de Eberhard Passarge pela Artmed (2004)
>>> Gestão por Processos: Uma Abordagem da Moderna Administração de José Osvaldo de Sordi pela Saraiva (2008)
>>> Gestão de Contratos: Melhores Práticas Voltadas aos Contratos Empresariais de Walter Freitas pela Atlas (2009)
>>> Desafios eclesiais e missionários da cooperação de Israel Batista (org) pela Sinodal (2007)
>>> Marketing de A a Z de Philip Kotler pela Campus (2003)
>>> Contos de Fadas e Suas Versões Originais - Sem Censura de Marina Avila (org.) pela Wish (2016)
>>> Cuidando de quem cuida de Roseli M. kuhnrich de Oliveira pela Sinodal (2007)
>>> Marketing 4.0 - do tradicional ao digital de Philip Kotler pela Sextante (2017)
>>> Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley pela Globo (2001)
>>> Crer: informações sobre fé de Helmut Thilicke (cord). pela Sinodal /EST (2007)
>>> Com Açúcar, Com Afeto: Fiz Seu Poema Predileto de Danci Ramos pela Edigal (2009)
>>> Missão e evangelização na América Latina e Caribe de Nilton Giese (org) pela Sinodal (2012)
>>> Estratégia de Richard Luecke pela Record (2009)
>>> A Homeopatia e Você de Ernst Grimm pela Plus Saber (2001)
>>> Onde está Deus? de Jon Sobrino pela Sinodal (2020)
>>> Desafios da Educação Municipal de Donaldo Bello de Souza; Lia Ciomar Macedo de Faria pela DP&A (2003)
>>> Gerenciando mudança e transição de Mike Beer ( Org. ) pela Record (2003)
>>> Eu Sou Eternamente Livre: Ensinamentos dos Mestres Ascensionados de Luiz Carlos Silveira Dias Júnior pela Divina Presença (2008)
>>> O Que Acontece em Londres - Trilogia Bevelstoke Volume 2 de Julia Quinn pela Arqueiro (2020)
>>> A autoridade da bíblia de Gottfried Brakemeier pela Sinodal, CEBI (2014)
>>> Conectando: Ciência, Saúde e Espiritualidade Volume 1 de Carlos Eduardo Accioly Durgante pela Francisco Spinelli (2012)
>>> Tentação de Diethich Bonhoeffer pela Sinodal (2007)
>>> Hagakure de Yamamoto Tsunetomo pela Hunter Books (2014)
>>> Principio de igualdade de Wilson Engelmann pela Sinodal (2008)
>>> A Vida Como Ela É Para Cada Um de Nós: Em Busca do Eu-caleidoscópio de Denise Aerts; Christiane Ganzo pela Age (2008)
>>> Orientações para a vida de Hans Jochen Boecker pela Sinodal (2004)
>>> Martim Lutero de Ricardo Willy Rieth pela Sinodal (2007)
>>> Da Revolução Francesa até Nossos Dias: Um Olhar Histórico de Samara Feitosa pela Intersaberes (2016)
>>> Tomando Decisões de Richard Luecke pela Record (2009)
>>> A diplomacia na construção do brasil: 1750 - 2016 de Rubens Ricupero pela Versal Editores (2017)
>>> Separação: Angústia e Raiva - Apego e Perda Volume 2 de John Bowlby pela Martins Fontes (1998)
>>> Ferramentas para Empreendedores de Richard Luecke pela Record (2007)
>>> As Vinhas da Ira de John Steinbeck pela Bestbolso (2008)
>>> Contratando e Mantendo as Melhores Pessoas de Peter Cappelli pela Record (2003)
>>> Processo penal - 8 Coleção Sinopes de Leonardo Barreto Moreira Alves pela Juspodivm (2014)
>>> Mentes inquietas de Ana Beatriz B. Silva pela Gente (2003)
COLUNAS

Quarta-feira, 31/12/2008
House M.D.
Rafael Fernandes

+ de 5100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Nota do Autor
Este texto contém informações sobre a mais recente temporada da série House, que podem estragar a surpresa para quem ainda não assistiu. São os famosos spoilers.

Há sempre bons programas para assistir na televisão, em especial nos canais à cabo. Embora sejam uma minoria comparada à oferta de canais e programas inúteis ou de baixo nível, é mais do que o suficiente para preencher algumas horas da semana com qualidade sem prejudicar outras atividades. Afinal, como eu sempre defendo, o problema ao se utilizar uma mídia, como a TV, o videogame, ou a internet, não está na mídia em si. A questão é como ordenamos tudo isso dentro do nosso tempo e de nossas preferências. De um filme pastelão a um documentário sobre guerra não faltam alternativas. Dentre tantas, destaco neste texto uma das minhas séries favoritas: House (House M.D., nos EUA), que está na sua quinta temporada e é exibida no Brasil via Universal Channel, às 23 horas das quintas-feiras. Há também exibição na Rede Record, que veicula a terceira temporada.

Em House, como em boa parte das séries que precisam atingir um certo nível de "industrialização", os roteiros seguem uma linha básica: introdução, viradas e soluções muito parecidas na maioria dos episódios. No caso dessa série há sempre um esquete que apresenta o caso ― e, em geral, a pessoa doente não é quem esperamos. Após o intervalo, o caso é mostrado ao doutor, que reluta em aceitar, até o momento em que um detalhe desperta seu interesse. A partir daí, uma sucessão de tentativas de solução são pensadas, até que uma é aplicada. E erradamente. Próximo ao fim do episódio, alguém tem um grande insight, ou "epifania", na maioria das vezes House, claro ― e em muitas delas ao conversar com seu amigo Wilson ― e o caso é resolvido brilhantemente. Essa repetição virou até motivo de piada na Internet. Observando assim, parece apenas uma série boba. Mas aí entram os grandes diferenciais.

A série tem boas histórias. Dentro de cada episódio são apresentados os dramas e comportamentos dúbios dos pacientes e dos próprios médicos. Os personagens, fixos ou não, são interessantes, conflitantes e incoerentes ― sem exagerar na dose pra nenhum dos lados. As atuações são ótimas. Destaco o protagonista (Hugh Laurie), cada vez melhor, e seu único amigo, Dr. Wilson (Robert Shean Leonard), meio careta, meio bobalhão, mas que aos poucos teve aumentada sua dose de humor e incisividade. Todas as temporadas apresentaram ótimos textos, muito bem amarrados e diálogos com timming preciso. Por fim, dois dos pontos mais altos: as ironias e o humor ácido que o protagonista apresenta, por vezes sendo politicamente incorreto, mas sem perder inteligência. E, claro, suas frases de efeito, que são grandes aforismos. Não à toa existem sites destinados a listá-los. Além da já clássica "todo mundo mente!", destaco duas das minhas preferidas, entre tantas: "Nós podemos viver com dignidade ― nós não podemos morrer com ela" e "Você tem três chances na vida: seja bom, se torne bom ou desista".

O protagonista, um cínico, é o extremo da sinceridade, mas o texto e a atuação impedem que seja uma caricatura. O médico usa o artifício do "hard talk": a conversa dura, direta, sem concessões, mexendo na ferida dos colegas e dos pacientes ― e, claro, dos telespectadores ― de forma cortante e mordaz. É dissimulado, arrogante e manipulador. Também é idiossincrático, com uma visão de mundo que raramente vemos na TV ― muito menos na vida real. Iconoclasta, é contrário a qualquer exaltação de pessoa ou mito ― seja um deus, um médico ou um atleta. A exceção está em qualquer adulação que infle seu próprio ego. Não crê nas relações afetivas, nas convenções sociais e nem no ser humano em geral. Tenta sempre desmascarar os auto-enganos das pessoas. House é um misto de anti-herói e herói. Seu comportamento muitas vezes inadequado o impede de ser um herói de fato, mas ao mesmo tempo faz com que torçamos para ele continuar disparando suas frases bombásticas. Por isso que é um personagem tão forte e, por que não, querido ― apesar de sua personalidade conter muito do que é percebido como condenável na interação social. Mas ele também apresenta paradoxos. É ranzinza, mas não perde uma piada. Não quer contato com os pacientes, mas vai ao limite para curá-los. Evita se relacionar com seus colegas, mas sempre recorre a eles (que, apesar de tudo, são fiéis). Quer desmistificar muitas das visões românticas e ingênuas sobre a vida, mas tenta fazer as pessoas enxergarem o mundo com mais clareza. Como já dito, é um descrente, mas se interessa intensamente pelos dramas e conflitos humanos ― incluindo seus próprios.

Quando acompanhamos desde sempre uma série e revemos temporadas anteriores é possível notar como sofre alterações. No começo, House tinha um tom mais sóbrio, mais sério; o protagonista e os demais personagens tinham atitudes fechadas demais, presas. Aos poucos, todos foram se soltando, ficaram mais fluidos. House ganhou um humor mais escrachado, sem deixar de lado a sobriedade. E pela já citada previsibilidade do roteiro, muitas vezes são inseridos novos personagens para dar mais conflitos. Nesses casos, há alguns resultados interessantes, mas em geral aparentam uma certa forçação de barra sem o toque de surpresa que deveriam. Numa das temporadas anteriores, apareceu um novo financiador para o hospital, manipulador e arrogante (lembrou alguém?), que começa a impor suas vontades aos funcionários do hospital, usando sempre seu dinheiro como chantagem, e que, claro, entra em conflito com o médico. Em outra, um policial tenta prender House pelo seu vício em remédios para dor. Apesar de alguns bons momentos, já sabemos de antemão quem "ganha" no final.

Por isso acho que a temporada anterior (a quarta), apesar das controvérsias, se saiu bem com a inserção de novos personagens e da "competição" incentivada pelo doutor pelas três vagas na sua equipe. Assim, com mais personagens, houve mais dinâmica e mais alternativas. Foi uma temporada de transição que deu um fôlego que faltava à série, trouxe ótimos personagens e um final dramático. O resultado mais claro dessa mudança apareceu no começo da quinta temporada, que levou a série de volta à sua melhor forma. Ela começou com a ruptura de Dr. Wilson com House. Achava que tal ruptura seria mais longa, mas já no quarto episódio Wilson se reconcilia com seu amigo. Apesar de ótimas participações de Michael Weston como um detetive durante os episódios iniciais, o episódio do "retorno" do relacionamento e os seguintes mostram como essa amizade enriquece o programa, como os atores estão cada vez melhores e que essa interação dos dois é vital para a trama. Um dos meus episódios favoritos é aquele em que Wilson, após se separar da última dentre tantas esposas que teve, vai morar com House, que começa uma série de trotes juvenis (como colocar sua mão numa bacia com água quente enquanto dorme) contra o amigo. O inesperado acontece e Wilson entra no "jogo" e serra a bengala de House. A cena dela quebrando é um dos melhores momentos de toda a série. Outro grande momento foi a participação do músico Dave Matthews como um pianista clássico renomado que tem problemas mentais. A cena dele finalizando uma música que o médico compunha há anos é ótima. Para quem procura diversão com inteligência, vale a pena dar uma olhada em House.

Assista a um vídeo promocional da quinta temporada (com legenda feita por um fã):



Rafael Fernandes
Sorocaba, 31/12/2008


Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes em 2008
01. High School Musical e os tweens - 9/1/2008
02. Tritone: 10 anos de um marco da guitarra rock - 10/9/2008
03. Videogame também é cultura - 10/12/2008
04. Blog precisa ser jornalismo? - 9/4/2008
05. 2007 e os meus CDs ― Versão Internacional 1 - 7/5/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
12/1/2009
09h16min
Realmente, esta série é o que há de melhor na TV atualmente. Tanto é que, nas suas férias, optei por não apelar para nenhum outro programa ou série atual: Estou revendo "Anos Incríveis". Só ela para bater "House" em qualidade e quantidade de informação, mesmo que sejam de universos completamente diferentes...
[Leia outros Comentários de Marcos Lauro]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A NINFA INCONSTANTE
GUILLERMO CABRERA INFANTE
FOLHA DE SÃO PAULO
(2012)
R$ 13,90



TERRA DOS HOMENS
ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY
NOVA FRONTEIRA
(2016)
R$ 15,00



UM BRASILEIRO NA CHINA
GILBERTO SCOFIELD JR.
EDIOURO
(2007)
R$ 14,30



FAHRENHEIT 451 - 2018
RAY BRADBURY
GLOBO
(2018)
R$ 25,00



PRESENÇA DO AXE - 1ª EDIÇÃO
DENISE PINI ROSALEM DA FONSECA
PALLAS
(2014)
R$ 36,00



DESENVOLVIMENTO DE COMPETENCIAS MATEMÁTICAS COM RECURSOS LÚDICO MANIPULATIVOS
ANGEL ALSINA
BASE
(2009)
R$ 17,90



TERRA LUSÍADA - ANTOLOGIA POÉTICA INTERNACIONAL
EUCLIDES CAVACO E ZENI BRASIL ( ORG.)
ZENI LEAL ED
(2005)
R$ 30,00



IMMIGRATION NATION
FOREIGN AFFAIRS, NOVEMBEREDECEMBER, 2006
MONTEFIORE
(2006)
R$ 29,82



365 HISTÓRIAS DA FAZENDA
VIDEU, VALÉRIE
CIRANDA CULTURAL
(2011)
R$ 39,00



ANÁLISE TRANSACIONAL NAS VENDAS
EGÍDIO VECCHIO
VOZES
(1979)
R$ 15,00





busca | avançada
70622 visitas/dia
2,0 milhões/mês