As tentações do novo livro de Mayra | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
72073 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Poeta paulista lança “O que habita inabitáveis lugares” abordando as relações humanas durante a pand
>>> Biografias e Microrroteiros do Parque
>>> MONUMENTOS NA ARTE: O OBJETO ESCULTÓRICO E A CRISE ESTÉTICA DA REPRESENTAÇÃO
>>> Cia Triptal faz ensaios abertos para Pedreira das Almas, de Jorge Andrade
>>> Integridade Garantida, peça de Alberto Santoz sobre violência urbana, estreia no Cacilda Becker
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Quando o virtual cai na real
>>> Um Amor Anarquista
>>> ego shots fazem bem à saúde
>>> Curso de Criação Literária
>>> O Sol é Para Todos
>>> Entrevista com Miguel Sanches Neto
>>> De volta às férias I
>>> Píramo e Tisbe
>>> A Última Ceia de Leonardo da Vinci
>>> O Desprezo de Alberto Moravia e Jean-Luc Godard
Mais Recentes
>>> Almas de lama e de aço de Gustavo Barroso pela Abc (2012)
>>> Civilização E Barbárie N'Os Sertões: Entre Domingo Faustino Sarmiento E Euclides Da Cunha de Miriam V Gárate pela Fapesp (2001)
>>> Herois E Bandidos - Os Cangaceiros Do Nordeste de Gustavo Barroso pela Abc (2012)
>>> O Cabeleira de Franklin Távora pela Abc (2021)
>>> Recados da Vida de Francisco Cândido Xavier - Autores Diversos pela Geem (1983)
>>> O Silêncio das Montanhas de Khaled Hosseini pela Globo Livros (2013)
>>> Novas Mensagens de Francisco Cândido Xavier pela Feb (1987)
>>> Bellini e o Demônio de Tony Bellotto pela Companhia das Letras (1997)
>>> O Problema do Ser, do Destino e da Dor de Léon Denis pela Feb (1999)
>>> Energia Elétrica e Integração na América do Sul de Ligia Maria Martins Cabral pela Centro da Memória da Eletric (2004)
>>> Sylvio Pinto. 55 anos de pintura de José Maria Carneiro pela Rbm (1993)
>>> Jornal Nacional - Modo de Fazer de William Bonner pela Globo (2008)
>>> Design sem Fronteiras: a Relação Entre o Nomadismo e a Sustentabilidade de Lara Leite Barbosa pela Edusp (2012)
>>> Dicionário de sociologia: Guia prático da linguagem sociológica de Allan Johnson pela Jorge Zahar (1997)
>>> Quando fui outro de Fernando Pessoa pela Alfaguara (2006)
>>> Neve de Orhan Pamuk pela Companhia das Letras (2006)
>>> Português Alemão Português Vocabulário Básico de Curso de Idiomas Globo pela Globo (1991)
>>> Os espiões de Luis Fernando Verissimo pela Alfaguara (2009)
>>> Minidicionário Alemão Português Portugues Alemão de Erich Ronald Zwickau pela Edelbra
>>> Dicionário Inglês Português - Português Inglês de Liege Maria de Souza Marucci pela Bicho Esperto (2012)
>>> Morrer de Prazer de Ruy Castro pela Foz (2013)
>>> Ponto de Impacto de Dan Brown pela Sextante (2005)
>>> Par Ou Ímpar - Vivendo a Matemática de José Jakubovic pela Scipione (1992)
>>> The Brothers Karamazov de Fyodor Dostoyevsky pela University of Chicago (1989)
>>> Capítulos de História Colonial 1500-1800 de J. Capistrano de Abreu pela Publifolha (2000)
COLUNAS

Quinta-feira, 27/8/2009
As tentações do novo livro de Mayra
Marcelo Spalding

+ de 4000 Acessos

Quando uma adolescente estreia na literatura com um romance em primeira pessoa, é quase inevitável que a história seja autobiográfica e a narradora uma espécie de alter ego da autora. Ainda mais se a história é moderninha, descolada, cheia de sexo, drogas e rock'n'roll. O que não quer dizer, diga-se logo, que essa estreia será frustrada, e a autora, ruim. Fugalaça, de Mayra Dias Gomes, publicado em 2007, mostra que é possível uma adolescente narrar suas "peripécias" com um ritmo capaz de prender o leitor e ideias suficientes para superar eventuais clichês e pieguices. Na época, Mayra disse que Fugalaça era um "vômito literário", e comentei em resenha sobre o livro que o "vômito" era uma tentativa desesperada de compreender-se pelo resgate da memória, de ser aceita pela exposição, de reparar conflitos e dilemas insuperáveis pela aparente lógica proporcionada pelo papel.

Agora, dois anos depois, apenas dois anos depois, Mayra publica um novo romance, e novamente pela Record (decerto satisfeita com as vendas do primeiro), e novamente em primeira pessoa, e novamente com uma narradora mulher em busca de identidade. Mas, pasmem, ela resistiu à tentação: Mil e uma noites de silêncio (Record, 2009, 308 págs.) não é um novo Fugalaça.

Tentações, aliás, não faltaram nem para a protagonista nem para quem se aventura a comentar o livro. Comecemos pelas tentações para quem se aventura a comentá-lo:

A primeira tentação seria ler o segundo livro sob o mesmo prisma do primeiro, uma história autobiográfica, um alter ego de uma narradora jovem demais para imaginar histórias. E seria um olhar absolutamente preconceituoso e injusto com o novo romance de Mayra, que apresenta personagens densos, revela uma trama intrincada e se constrói a partir de uma imaginação privilegiada.

Outra tentação seria relacionar sua história com a literatura produzida pela "nova geração", uma geração de sexo, drogas e internet. E realmente encontraremos nessas mil e uma noites a droga, muitas drogas, ainda mais se entendermos álcool e remédios como drogas, mas dessa vez a droga não move as ações da protagonista e ela não terminará num leito de hospital depois de tentar o suicídio: Mayra soube superar esse perfil já estereotipado de menina rica e aborda o delicado tema do abandono em tempos de relações familiares fragilizadas.

Terceira tentação: ler o livro em paralelo com As mil e uma noites, e Clara seria uma nova Sherezade tentando sobreviver à depressão, aos abandonos, enquanto a degola do sultão seria sua própria apatia, capaz de fazê-la, por vezes, desejar a morte. Leitura possível, mas o título parece mais um jogo de palavras do que um sinal de intertextualidade, não há sequer a menção de que mil e uma noites separam o começo da narrativa do fim (e bem poderiam sê-lo).

Verdade que talvez todas essas leituras fossem válidas, mas se ficarmos apenas com uma delas será reduzir demais a obra: Mil e uma noites de silêncio é um romance que afirma Mayra como escritora, tirando-a do romance-diário, e deve mexer com uma geração carente tanto de afeto quanto de boas histórias que a represente.

Os dois temas predominantes da obra, tratados sem superficialidade e sem falsas soluções, são temas que parecem incomodar demais as novas gerações: a solidão e a identidade. Clara é uma menina abandonada pela mãe, adotada ainda bebê e que perde a mãe adotiva para o câncer pouco depois de ser deixada pelo noivo em pleno altar. Quando se vê sozinha, cheia de lembranças, saudades e pudores, perde as forças e se deixa levar por profunda apatia e resignação. A partir daí, questiona sua própria identidade e, por conseguinte, sua própria noção de realidade.

"Carente de afeto, eu me agarrava às verdades absolutas com as quais eu havia convivido até então. De qualquer forma, mesmo com esta repentina noção de realidade, ainda acreditava nas mesmas coisas."

A realidade, para Clara, não é o mundo de medos e saudades de sua cabeça, um mundo que não a permite viver a vida lá fora, se envolver. Mas também não parece ser a vida a dois que ela aos poucos constrói com um namoradinho, Lukas. Quando vai para o interior atrás de uma amiga, conhece a face da prostituição, das drogas, da miséria, e por vezes acredita finalmente ter encontrado o "mundo real". Mas não, também não é essa a realidade. Nem será quando finalmente procurar por sua mãe natural, pois descobrirá que também a vida familiar e "bem-sucedida" de uma família como aquela pode ser uma grande mentira.

No meio disso, as drogas (bebidas, remédios, entorpecentes) surgem mais como consequência do que como causa. As pessoas ao redor de Clara fumam, bebem, injetam, algumas de forma absurda, outras tentando conciliar a droga com seu cotidiano.

"Sozinha na mesa, eu analisava os convidados. Estava impressionada com a presença incessante da droga em minha vida. Mesmo que eu não fizesse uso de substância ilícitas, elas sempre encontravam uma maneira de afetar o ambiente em que eu vivia. O mundo inteiro parecia estar drogado."

Clara, porém, diferentemente da protagonista de Fugalaça, irá se manter longe das drogas, o que pode soar como careta para alguns leitores "descolados" mas condiz mais com a atitude de uma menina inteligente em busca de raízes, de respostas, e não de um prazer hedonista e fugaz.

Por fim, é de se saudar que Mayra Dias Gomes tenha resistido à tentação de se repetir numa provável continuação de Fugalaça e de se esperar que prossiga aperfeiçoando a técnica para dar vazão ao turbilhão de emoções e imagens que dela brotam. Imaginação e ritmo a menina tem de sobra.

Para ir além






Marcelo Spalding
Porto Alegre, 27/8/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O abalo sísmico de Luiz Vilela de Cassionei Niches Petry
02. O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite de Jardel Dias Cavalcanti
03. De quantos modos um menino queima? de Duanne Ribeiro
04. Reflexões sobre o ato de fotografar de Celso A. Uequed Pitol
05. Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair de Heloisa Pait


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2009
01. Quanto custa rechear seu Currículo Lattes - 5/3/2009
02. O melhor da década na literatura brasileira: prosa - 31/12/2009
03. Literatura para quê? - 17/12/2009
04. Literatura e interatividade: os ciberpoemas - 10/9/2009
05. Era uma vez o conto de fadas - 2/4/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Antes e depois
Paul Gauguin
L&Pm Editores
(1997)



A História de Despereaux
Kate Dicamillo
Martins Fontes
(2005)



Ben Gurion Biografia de un Hombre extraordnario
Robert St John
Editorial Candelabro
(1960)



Um Homem de Palavra
Nazir Hamad
Companhia de Freud
(2004)



Melhor que comprar sapatos
Cristiane Cardoso
Unipro
(2015)



Direito Tributário - Módulo Exigibilidade do Crédito Tributário
Paulo de Barros Carvalho
Noeses
(2008)



Educação Sentimental - Estórias
Joyce Coral Oastes
Anima
(1985)



A Chave para a Multiplicação
Cesar Castellanos
G12 editores
(2004)



Hausbuch fur die deutsche familie
Frankfurt
Standesamtswesen
(1956)



Didática para o Ensino Superior
Arilda Schmidt Godoy
Iglu
(1988)





busca | avançada
72073 visitas/dia
1,8 milhão/mês