Ainda volto ao Museu (com 'menas' pressa) | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
9786 visitas/dia
890 mil/mês
Mais Recentes
>>> Palavraria Conversa e Versa
>>> Supercombo no Templo Music: Tour “Adeus, Aurora'
>>> Barracão Cultural estreia montagem de rua a partir de livro de Eva Furnari
>>> Marina Peralta lança novo EP, 'Leve'
>>> Dan Stulbach faz ensaio aberto de Morte Acidental de um Anarquista para alunos da Escola Wolf Maya
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
>>> Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição
>>> Paris branca de neve
>>> A cidade e o que se espera dela
>>> De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
>>> Nos braços de Tião e de Helena
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
Últimos Posts
>>> Efervescências
>>> Justoresoluto
>>> Em segundo plano
>>> A ver navios
>>> As esquinas dos amores
>>> Pelagem de flor I: VERMELHO
>>> Idade Mídia
>>> Quando a alma é visível
>>> A MECÂNICA CELESTE
>>> Diagnóstico falho
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Google: utopia ou distopia?
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> A Casa do Saber no Rio de Janeiro
>>> Marcel Proust e o tempo reencontrado
>>> Pedro Paulo de Sena Madureira
>>> Glenn Gould: caso de amor com o microfone
>>> Glenn Gould: caso de amor com o microfone
>>> Nos escuros dos caminhos noturnos
>>> Dez Anos que Encolheram o Mundo, de Daniel Piza
>>> Entrevista com Guilherme Fiuza
Mais Recentes
>>> Mito ou Verdade - Jair Messias Bolsonaro de Flávio Bolsonaro pela Altadena (2017)
>>> Os contos de Beedle, o Bardo de J. K. Rowling pela Rocco (2008)
>>> Livro De Ouro Da Mitologia de Bulfinch,Thomas; David Jardim Júnior pela Ediouro (2013)
>>> Economia Solidária de Neusa Maria Dal Ri pela Arte&Ciência (1999)
>>> Três Semanas em Paris de Barbara Taylor Bradford pela Record (2003)
>>> Dias Perfeitos de Raphael Montes pela Companhia das Letras (2014)
>>> Quadribol através dos séculos de J. K. Rowling pela Rocco (2001)
>>> A casa dos espíritos de Isabel Allende pela Bertrand Brasil (2009)
>>> Tratado Político de Spinoza pela Bolsil
>>> Feliz por nada de Martha Medeiros pela L&PM Editores (2011)
>>> Bergson O método intuitivo uma abordagem positiva do espirito de Astrid Sayegh pela Humanitas (2008)
>>> A cidade do sol de Khaled Hosseini pela Nova fronteira (2007)
>>> Introdução ao pensar de Arcângelo R. Buzzi pela Vozes (2001)
>>> Cecília de bolso - Uma antologia poética de Cecília Meireles pela L&PM Pocket (2009)
>>> O céu começa em você de Anselm Grun pela Vozes (2002)
>>> Poemas completos de Alberto Caeiro de Fernando Pessoa pela DCL - Difusão cultural do livro (2006)
>>> Vidas provisórias de Edney Silvestre pela Intrinseca (2013)
>>> Competência Profissional Manual de conceitos, métodos e aplicações no Setor de Saúde de Maria Etiennette Irigoin barrenne, Fernando Vargas Zuniga pela Senac (2004)
>>> Família, santuário da vida de Prof. Felipe Aquino pela Cléofas (2013)
>>> Minha querida assombração de Reginaldo Prandi pela Companhia das letrinhas (2014)
>>> Manual das Ações Ex Delicto : Responsabilidade Civil - Doutrina... de Osmar da Rocha Campos/ Pref.: Desembargador Cesar pela Del Rey/ Belo Horizonte (2008)
>>> Kirael A grande mudança de Fred Sterling pela Madras (2007)
>>> Famílias Restauradas de Padre Léo pela Canção Nova (2007)
>>> Pars Vite et Reviens Tard de Fred Vargas pela J'Ai Lu (2005)
>>> Responsabilidade do Estado: Erro Judicial Praticado em Ação Cívil de Marcelo Sampaio Siqueira pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2001)
>>> Ero-Guro de Suehiro Maruo pela Conrad (2005)
>>> Paraíso - O Sorriso do Vampiro de Suehiro Maruo pela Conrad (2006)
>>> Métodos Extrajudiciais de Solução de Controvérsias de Marcelo Dias Gonçalves Vilela (Autografado) pela Quartier Latin/ SP. (2007)
>>> O vampiro que ri de Suehiro Maruo pela Conrad (2004)
>>> Mulheres de aço e de flores de Fábio de Melo pela Gente (2008)
>>> Viva Com Esperança de Mark Finley e Peter Landless pela Casa Publicadora Brasileira (2014)
>>> A cabra vadia de Nelson Rodrigues pela Agir (2007)
>>> Bel- Ami/ Encadernado de Guy de Mupassant pela Vecchi (1947)
>>> A Sensitiva de Hannah Howell pela Lua de Papel (2012)
>>> O código Da Vinci de Dan Brown pela Sextante (2004)
>>> A Vidente de Hannah Howell pela Lua de Papel (2012)
>>> Caixa De Pássaros de Josh Malerman pela Intrínseca (2015)
>>> A novela do curioso impertinente de Miguel de Cervantes pela Relume Dumará (2005)
>>> Fenomenologia do espirito de Georg Wilhelm Friedrich Hegel pela Vozes (2014)
>>> Bruxaria, Oráculos e Magia entre os Azande de E.E. Evans-Pritchard pela Jorge Zahar (2005)
>>> Iniciação ao Islã e Sufismo (Sem uso) de Mateus Soares de Azevedo pela Record: Nova Era (2001)
>>> A Intuitiva de Hannah Howell pela Lua de Papel (2012)
>>> Em Busca da Vida (Sem uso) de Jane Hollister Wheelwright pela Siciliano/ SP. (1994)
>>> Noite Feliz de Mary Higgins Clark pela Literatura Brasileira (2003)
>>> Prevenção de Acidentes Nas Indústrias: Organização das Cipas de W. R. Peixoto pela Ediouro/ RJ. (1980)
>>> Você pode falar com Deus - Princípios para uma oração eficaz de Pedro Siqueira pela Sextante (2014)
>>> O Demonologista de Andrew Pyper pela Darkside (2015)
>>> Treinamento e Seleção na Empresa Moderna de Floriano Serra pela Ediouro/ RJ. (1979)
>>> Exorcismo de Thomas B. Allen pela Darkside (2016)
>>> Cartas entre amigos de Fábio de Melo, Gabriel Chalita pela Ediouro (2009)
COLUNAS

Sexta-feira, 30/4/2010
Ainda volto ao Museu (com 'menas' pressa)
Ana Elisa Ribeiro

+ de 3500 Acessos
+ 2 Comentário(s)


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

Sim, leitor, eu tive de colocar "menas" entre aspas. Infelizmente. Pensei mil vezes antes de fazer isso. Matutei: discrimino ou não esta palavra? Devo ou não demarcá-la, como que dizendo ao enunciatário que ele deve estar alerta para um sentido segundo? Tirei as aspas, mas aí tive um temor de que achassem que, vá lá, esta colunista veterana neste sítio ainda não sabe acertar no português. Ao fim e ao cabo, meti logo as aspas para que não haja dúvida de que eis, aí, uma expressão imprópria, digamos, ou inadequada, como preferem alguns, especialmente aqueles que enxergam uma linha razoavelmente clara entre o certo e o errado na língua.

Na verdade, estou afetada pela visita que fiz, mui recentemente, ao Museu da Língua Portuguesa, de novo. Logo nos inícios, quando a exposição do primeiro andar ainda era do meu conterrâneo Guimarães Rosa, fui lá experimentar aquele belo prédio. Lembro pouco do evento. Se eu me esforçar, sei que adorei pular de um canto a outro olhando por uns buraquinhos que me permitiam ler, de ângulos diversos, frases do escritor de Cordisburgo. Não cheguei a visitar a sala de cinema (porque nos atrasamos e perdemos a sessão) e curti muito os jogos de palavras do outro andar.

Desta vez a experiência foi toda mais completa. Um filósofo diria que o rio não é mais o mesmo e nem eu, que entrei nas águas pela segunda vez. Éramos outros: eu e o Museu.

A exposição do primeiro andar é, agora, Menas, um discurso sobre a língua bastante diverso desse que a mídia de massa asperge em nós todos os dias, se não pelos programas de TV, ao menos pelas colunas de jornais (impressos e digitais). O caso ali é de linguística e, mais especificamente, de sociolinguística. Não é à toa que a instalação contou com curadorias e consultorias de especialistas como Ataliba Castilho e Rodolfo Ilari, que são, faz muito, algumas das mais importantes lombadas de livros da bibliografia de qualquer estudante que tenha escolhido se tornar um estudioso de línguas e linguagens.

Menas é uma homenagem à língua como ela é. Não é uma afronta à gramática. É uma aula interativa (no sentido de que essa aula me muda e eu "mudo ela") sobre nossos falares. É uma sessão de imersão na língua brasileira. Portuguesa, com certeza, mas com este nosso cantar.

Na saída do elevador, causa a maior impressão um ambiente quase escuro de cujo teto pendem placas de acrílico com palavras e pedaços de palavras, em várias cores, dispostas de maneira aparentemente caótica. Mas o ambiente nos guia, assim como nossas percepções. Há umas placas pretas com buracos por onde devemos olhar. Pelo orifício conseguimos ler umas frases que nos fazem, ao menos, pensar. Pensar sobre a língua que falamos, da qual somos falantes desde ali pelos dois aninhos. O esquema físico da montagem me trouxe de volta a lembrança da instalação de Guimarães Rosa.

Mais atrás, um painel de aspectos gramaticais da língua. A parede de curiosidades me fez sentir uma imensa vontade de ter uma daquelas em casa. Na sala, no quarto, no escritório. Atrás, máquinas (computadores camuflados) ofereciam jogos que, de primeira, faziam lembrar testes de regras de gramática. Questões de múltipla escolha ofereciam opções para problemas de ortografia, regência e outros. Brincando ali, ainda ancorada em experiências como o Jogo do Milhão ou em testes de língua tradicionais, de repente percebo que todas as opções estão sempre corretas. Logo abaixo da resposta aparece um texto explicando muito bem que relações aquela grafia ou aquela construção tem com os usos. E mais: a máquina computa o percentual de pessoas que responderam como você. Muito interessante, portanto, comprovar que a variação linguística está ali, diante de você, que é mais um dos visitantes do Museu.

Vozes, textos, sons, palavras pendurados nas paredes, caindo do teto, atravessando nosso caminho, zumbindo e ecoando. Imersão. Imensidão. Idioma e, como narrou Fernanda Montenegro, idiomaterno.

Enfim, consegui assistir à projeção dentro daquela sala escura. Um vídeo curto, mas suficiente, traz depoimentos, declamações e uma brevíssima história das línguas, numa mescla de clipe e vídeo didático. A voz de Fernanda é de arrepiar. Uns tantos rostos conhecidos trazem textos de outros autores. Tudo ali é linguajar.

Ao final do vídeo, um monitor nos chama para trás das cortinas. No fundo, atrás da tela, trancam-nos numa sala escura, na qual há arquibancadas onde podemos até nos deitar. No teto, poemas, textos, canções, imagens voam pelas paredes como borboletas. Céu de estrelas. Saí de lá com um poema de Fernando Pessoa completamente incrustado no cérebro. Há quanto não o ouvia/lia.

O sotaque do Museu é paulistano. O descaramento da escolha do português brasileiro é de dar muito orgulho. Todos os portugueses do mundo estão lá, mas a dona da bola é a língua que falamos aqui, deste lado do Atlântico. Focalizando um pouco melhor, estão representados nossos autores famosos, nossos livros, nossos poemas. Canções do exílio, Gregório de Mattos impressionantemente atual. Mas o Museu é paulistano. A lira é paulistana. A galáxia que está ali é a dos irmãos Campos. A cidade cantada em alguns versos é São Paulo. É uma homenagem enfurecida.

O linguista David Crystal, em sua obra A revolução da linguagem, editada no Brasil em 2005, se perguntava: "Toda cidade grande possui algum tipo de galeria de arte ou um museu de história natural. Mas onde está a 'galeria' dedicada à língua? Onde está o espaço ao qual as pessoas podem ir para ver como a língua funciona, é usada e se desenvolve?" Respondo: é ali na Estação da Luz, David. Você não sabia? Ou será que não imaginou que essa iniciativa teria lugar aqui abaixo da linha do Equador?

O mesmo linguista contava, nas mesmas páginas, que, na década de 1990, especialistas "revolucionários" do Reino Unido tiveram a ideia de fazer um Museu de Língua. "Um edifício com vários andares, o primeiro desse tipo, dedicado ao mundo da fala, da escrita, do significado, das línguas e ao seu estudo". O Conselho Britânico apoiou, o prédio foi escolhido, mas parece que os pássaros não gorjearam tanto por lá. Crystal cita outras iniciativas, em vários cantos do mundo, todas na Europa. Mas o Museu está em São Paulo, desde março de 2006.

O impacto que aquele espaço nos faz sentir vai além da curiosidade pelas máquinas e pelas projeções na parede. O que é um Museu (ele nos faz pensar)? O professor Paulo Cézar Ventura, especialista em museus em Minas, questionava os visitantes: "O que lhe vem à cabeça quando você pensa em museu?" Susssurravam alguns: "Coisa velha". Outros arriscavam: "Um lugar cheio de objetos". E o que é este museu? Qual é sua noção de acervo? Onde vai o humano neste projeto? Eu, falante da língua portuguesa, faço parte do acervo enquanto estou aqui. E teria sido ainda mais interessante se o Museu da Língua Portuguesa entrasse nesta onda 2.0 e aceitasse nossa contribuição. Este meu sotaque mineiro precisa de registro, antes que o Jornal Nacional acabe com ele. Minha pronúncia, minha sintaxe, meu dialeto, meu português. Paulo Ventura menciona a existência de alguns museus-fórum, que me lembram muito aspectos da Web colaborativa. Será?

Esta visita foi toda mais completa. Alinhavei minha língua ali, ouvindo e experimentando os espaços onde as palavras corriam pelas paredes e me faziam rememorar textos que já estavam guardados. Um jogo de linguajar em três andares para a gente se reconhecer em todos os cantos.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 30/4/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Inferno em digestão de Renato Alessandro dos Santos
02. Corot em exposição de Jardel Dias Cavalcanti
03. Simpatia pelo Demônio, de Bernardo Carvalho de Jardel Dias Cavalcanti
04. A futebolização da política de Luís Fernando Amâncio
05. It's evolution, baby de Luís Fernando Amâncio


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2010
01. O menino mais bonito do mundo - 29/1/2010
02. Por que a Geração Y vai mal no ENEM? - 30/7/2010
03. Meu querido Magiclick - 12/2/2010
04. Palavrão também é gente - 26/2/2010
05. Caçar em campo alheio ou como escrever crônicas - 11/6/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/4/2010
14h08min
Ai, Ana, vi outro dia no Futura a divulgação da exposição e já fiquei querendo ir, depois do seu texto, então, quero inda mais. Pena que a grana anda curta (se é que anda...). Uma amiga que ia a SP me perguntou dicas e eu sugeri o Museu e esta exposição, ela num entendeu... falou "pra que ir no Museu pra ver erro da língua portuguesa?" Deixei quieto, ela provocou: "imagina, Dayse, uma exposição todinha sobre a ABNT? você ia ficar doida, hein?" Fazer o que... Cada 1 é cada 1.
[Leia outros Comentários de Dayse Vilas Boas]
12/5/2010
08h52min
Ana, muito legal sua coluna. Já tenho acompanhado seu trabalho desde 2006, em um oficina que fiz na SEVFALE. Cada dia fico mais interessado em tudo que tem feito. Indico sempre aos meus alunos de Português seus textos e, aqui na Alemanha, todos eles acharam o texto muito interessante. Felicidades.
[Leia outros Comentários de Marcos Fabio de Fari]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ASSIMETRIA DE INFORMAÇÕES E DECISÕES DE ESTRUTURA DE CAPITAL
RAPHAEL BROCCHI, JOSÉ OLIVEIRA NETO UND JAQUELINE BROCCHI
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



COMISSÕES DE CONCILIAÇÃO PRÉVIA: OBJETIVOS E ...
SIND. DOS PROFESSORES DO ESTADO GOIÁS
SIND. PROF. GOIÁS
(2000)
R$ 9,00



INTRODUCTION TO DYNAMIC MACROECONOMIC GENERAL EQUILIBRIUM MODELS 2ND
JOSE LUIS TORRES CHACON
VERMOS ART AND SCIENCE
(2015)
R$ 110,00



DO CAMPO A MESA - O CAMINHO DOS ALIMENTOS
TEDDY CHU; AMANDA GRAZINI
MODERNA
(2012)
R$ 37,90



PIRARUCU (ARAPAIMA GIGAS) NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL
MAURO VINICIUS DUTRA GIRÃO UND ELIANA MATOS RIBEIRO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



CARA DE VILÃO
JANAINA GAMBA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00



SELEÇÕES DO READERS DIGEST DE AGOSTO DE 1970
TITO LEITE (REDATOR RESPONSÁVEL)
YPIRANGA
(1970)
R$ 7,00



I SPY IN THE SKY: LONG VOWELS Y
SUZANNE BARCHERS
LEAP FROG
(2009)
R$ 18,82



ELETROSUL 40 ANOS (6420)
LIGIA MARIA MARTINS CABRAL
SOL
(2008)
R$ 19,00



ANTÔNIO MARIA: NOITES DE COPACABANA (PERFIS DO RIO)
JOAQUIM FERREIRA DOS SANTOS
RIO ARTE
(1996)
R$ 24,82





busca | avançada
9786 visitas/dia
890 mil/mês