Excessos | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
80910 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Contos do Índio e da Floresta estreia dias 03 e 04 de outubro na Sympla Streaming
>>> “Conversa de Criança – Coronavírus” discute o acolhimento das emoções das crianças durante pandemia
>>> São Paulo ganha grafitti gigante que propõe reflexão sobre igualdade racial
>>> Buena Onda Reggae Club faz maratona de shows online a partir de 1ª de outubro
>>> Filó Machado e Felipe Machado dividem o palco em show online pelo CulturaEmCasa
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Trauma a ser evitado
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> 28 de Abril #digestivo10anos
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> O jornalismo que dá nojo
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Útil paisagem
>>> O Brasil da inovação
>>> A terra das oportunidades
Mais Recentes
>>> A História da Primeira Guerra Mundial. 1914-1918 - Com 4 Volumes de David Stevenson pela Novo Século (2018)
>>> Wild Cards: Ases Nas Alturas - Livro 2 de George R. R. Martin pela Leya (2013)
>>> Wild Cards: Guerra aos Curingas - Livro 9 de George R. R. Martin pela Leya (2018)
>>> Wild Cards: Luta de Valetes - Livro 8 de George R. R. Martin pela Leya (2017)
>>> Wild Cards: Ás na Manga: Livro 6 de George R. R. Martin pela Leya (2017)
>>> Pense e Enriqueça - para Mulheres Texto Completo de Sharon Lechter pela CDG Grupo Editorial (2017)
>>> Atitude Mental Positiva de Napoleon Hill pela CDG Grupo Editorial (2015)
>>> O Caso dos Dez Negrinhos de Agatha Christie pela Círculo do Livro (1975)
>>> Mistério no Caribe de Agatha Christie pela Nova Cultural (1964)
>>> Sebastiana Quebra Galho Guia Prático das donas de casa 16ªed. de Nenzinha Machado Salles pela Civilização Brasileira (1994)
>>> Assassinato no Expresso do Oriente de Agatha Christie pela Nova Fronteira
>>> Cem Anos de Solidão de Gabriel García Marquez pela Sabiá (1971)
>>> Melhor que comprar sapatos de Cristiane Cardoso pela Unipro (2015)
>>> Imposto sobre a propriedade territorial rural de Dejalma de Campos pela Atlas (1993)
>>> Archi de soleil de Patrick Bardou e Varoujan Arzoumanian pela Parenthèses (1978)
>>> Passo a passos de Ioberto Tatsch Banunas pela Sulina (1997)
>>> A máquina de fazer espanhóis- 2ª ed. de Valter Hugo Mãe pela BIblioteca Azul- Globo (2016)
>>> Memórias 2º volume - A Aliança Liberal e a Revolução de 1930 de João Neves da Fontoura pela Globo (1963)
>>> Sofrimento como lidar? de Adriano Rocha pela Conselho (2014)
>>> Manuscrito revista de Filosofia Volume II No 2 abril 1979 de Gérard Lebrun, Herman Parret, Yuval Lurie e outros pela Unicamp (1979)
>>> Ele ela 71 março 1975 de Diversos autores pela Bloch (1975)
>>> Tex especial de férias 10 de Mythos editora pela Mythos (2011)
>>> Novo Vocabulário Político Volume Um - Hegemonia e Pluralismo de Pedro Claudio Cunca Bocayuva; Sandra Mayrink Veiga pela Fase-Vozes (1992)
>>> Costos sociales de las reformas neoliberales en America Latina de Anita Kon / Catalina Banko / Dorothea Melcher / Maria Cristina pela Miguel Á. Garcia / Venezuela (2000)
>>> Ícone de Frederick Forsyth pela Record (1997)
>>> Câes de guerra de Frederick Forsyth pela Circulo do Livro (1974)
>>> Gre-nalzinho é sempre gre-nalzinho de Kalunga pela Maneco (2011)
>>> Receitas Comemorativas de Rede feminina de combate ao cancer pela Do autor (1999)
>>> Sob Pressão de Bruce Hoverd pela Gente (2015)
>>> Ai comprei um bode e um bezerro de Nilton Ferreira pela Kirios (2013)
>>> Casa de vó é sempre domingo de Marina Martinez pela Nova Fronteira (2014)
>>> O mundo de Sofia de Jostein Gaarder pela Jostein Gaarder (1996)
>>> Introdução à psicologia vol. 100 de Ernest R. Hilgard / ///Richard C. Atkinson pela Nacional (1979)
>>> Teologia do Antigo Testamemto de Eugene H. Merriell pela Shedd (2009)
>>> Scientia et Virtus Julho 1956 de Colegio Estadoal Lemos Junior pela Do autor (1956)
>>> La guerra de Matisse de Peter Everett pela Circe (1998)
>>> Compêndio de Teologia Apologética de François Turretine pela Cultura Cristã (2011)
>>> Alergia na infância de Maria Candida Faria Rizzo pela Lemos (2002)
>>> Archivos de la universidad de Buenos Aires año 26 n 1 de Diversos autores pela Meuba (1951)
>>> Anais do Primeiro congresso de câmaras Municipais do estado de São Paulo 1° volume de Diversos autores pela Ibge (1948)
>>> Os filhos da África em Portugal: Antropologia, multiculturalidade e educação (2ªed.) de Neusa Maria Mendes de Gusmão pela Autêntica (2006)
>>> A arte de desenhar Perspectiva 14 de Renato Silva pela Conquista
>>> Almanaque do tchê! de Diversos autores pela Tchê (1984)
>>> Cinderela - coleção fantasminha de Cordélia Dias D'Aguiar pela Ediouro (1975)
>>> Signale der Sinnlichkeit erotik de Wolf Donner pela Whilhelm heyne (1989)
>>> King's English 3ª série Ginasial de Harold Howard Binns pela Companhia Nacional (1944)
>>> Ele Ela 70 Rosemary de Bloch editora pela Bloch (1975)
>>> O clube do filme de David Gilmour pela Intrínseca (2020)
>>> Les Deux Nigauds de La condesse de Segur pela Hachette
>>> Navegação - Curso para pescador profissional especializado de Ministério da Marinha pela Marinha (1985)
COLUNAS

Sexta-feira, 6/5/2011
Excessos
Marta Barcellos

+ de 3200 Acessos
+ 1 Comentário(s)

O bullying sempre existiu, palmada sempre existiu, assédio no trabalho sempre existiu, violências nas relações amorosas sempre existiram, e vamos deixar assim. Ah, dessa forma se molda o caráter, as defesas do homem. E também da mulher. Traumas moderados são bons, fortalecem; temos que cuidar apenas dos excessos. E se o moderado para um for fatal para outro?

Penso nisso depois de ler "Preciosidade", conto de Clarice Lispector. Sempre Clarice para nos lembrar de alguma coisa esquecida na alma feminina. Algo ainda não nomeado, e que perderá um pouco de sua intensidade depois que o for, e puder ser incluído na lista acima. O conto está na internet, acho que não oficialmente, e se você quiser parar agora para ler, será um prazer esperar.

Ele mostra uma menina de 15 anos, que talvez tivesse 13 nos dias de hoje. Nesta idade, é provável que não se ande só pelas ruas do Rio de Janeiro, como antigamente. Não por causa daquela, ainda não nomeada, mas de outras violências mais óbvias. Mas suponhamos que ela hoje caminha, sim, apenas pequenas distâncias, em ruas tranquilas. Minha filha, de 11 anos, tem orgulho de se parecer com a criança que ainda é, mas algumas amigas da mesma idade aparentam bem mais. Talvez 13 anos ― os 15 da época de Clarice. Outro dia, observando uma delas brincar lá em casa, pensei, distraída: nossa, já parece uma moça. Se caminhar sozinha, ou pegar um ônibus sem a escolta de um adulto, coitada, poderiam... E mudei rápido de pensamento.

Mudei, mas Clarice me lembrou: "poderiam lhe dizer alguma coisa". A adolescente de "Preciosidade" saía sozinha de casa, bem cedo, enlevada pelo despertar de algo precioso, recém descoberto dentro dela. "Ela." Até chegar à escola, teria sorte de "ninguém olhar para ela". Precisava ser séria como uma missionária por causa dos operários no ônibus. Por dentro, ela se venerava, mas o coração batia de medo. É que eles "sabiam". A adolescente de Clarice anda na rua como um soldado, enquanto faz jogos mentais da criança que também é ainda. O conto segue nebuloso, dando conta do rito de passagem e da perda da inocência. Um ritual no qual faz parte a violência praticada por marmanjos contra meninas novas o suficiente para se intimidar.

Esqueça o "fiu-fiu" das histórias em quadrinhos. Ou a cantada criativa de outro jovem para a "moça bonita" que seria "a nora que mamãe pediu a deus". Não é disso que falo. Falo da experiência de quem já teve 15 anos e sentiu vontade de chorar diante da covardia de assédios praticados por homens mais velhos. Assédio: lá fui eu me escorar na nova nomenclatura que diagnostica males antigos. Talvez precisemos, sim, nomear, ou renomear, para criar um distanciamento em relação às tradições sombrias do passado. Daí o termo bullying, que chegou aqui estrangeiro, ainda por cima ganhando as páginas dos jornais logo depois de uma tragédia com cara de importada.

Já ouvi várias pessoas dizerem que tudo isso é frescura. Crianças são más mesmo, e por isso humilham a mais fraca do grupo. Sempre foi, sempre será. Todos aprendem e sobrevivem. E passam sua "sabedoria" adiante. Sobre isso, achei genial a tirinha do cartunista Bruno Drummond, da série Gente Fina, publicada na Revista do Globo. O menino franzino e de óculos comunica ao pai, distraído e brutamontes: "Papai, fui vítima de bullying no colégio." "Vítima de quê?", se irrita ele. O garoto repete o termo estrangeiro e o pai retruca: "Fala que nem homem, quatrolho!"

Não tenho lembranças de ter sofrido bullying (vou usar, já foi nomeado) na escola, mas é provável que eu me fizesse de invisível, como a jovem do conto de Clarice, já que eu também não era "popular". Mas me surpreendo com as lembranças despertadas agora pelo conto ― provavelmente relido, porque faz parte de um livro que adorava na adolescência, Laços de família. Comento com a minha professora Giovanna, que se solidariza. "Não sei como uma mulher pode não ser feminista, se um homem passa por uma menina na rua e diz para ela: queria te chupar todinha".

Sim, as adolescentes passam por esta violência e outras ainda piores, como insinua "Preciosidade". Ninguém fala sobre isso. Talvez existam graduações de assédio aceitáveis, alguém vai argumentar. Certamente as "quatro mãos difíceis" do conto extrapolam este limite. No colégio onde minha filha estuda, um caso foi extraoficialmente chamado de bullying quando uma menina pagou a outra para cuspir numa terceira. Entre meninos, olhos roxos costumam ser parâmetros mais precisos. Acontecem sempre, em todos os colégios.

No filme Amor?, de João Jardim, somos confrontados com histórias de relacionamentos amorosos nas quais é difícil detectar quando a violência foi entendida ― e nomeada ― como violência (e não como "excesso de amor"). O filme partiu de uma série de depoimentos, mas as histórias reais foram recriadas pelo diretor e pelos nove atores com a delicadeza de um conto de Clarice. Entre uma história e outra, a tensão nos é aliviada pela água. No final, com o distanciamento de expectadores que não viveram aquelas vidas, percebemos o quanto a violência pode ser suportada por jogos de poder e sentimentos de culpa. E o quanto ela se reproduz pela familiaridade. Sempre existiu, sempre existirá. Será?


Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 6/5/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Revolusséries de Luís Fernando Amâncio
02. Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras (3) de Marilia Mota Silva
03. Mistério à americana de Gian Danton
04. So This Is Xmas de Juliano Maesano


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2011
01. A internet não é isso tudo - 14/1/2011
02. Entre livros e Moleskines - 11/2/2011
03. Somos todos consumidores - 8/4/2011
04. Em busca da adrenalina perdida - 4/3/2011
05. A novíssima arquitetura da solidão - 4/11/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
21/5/2011
11h37min
Realmente a linguagem muda com o tempo. Na minha infancia eu ouvia falar, "aquele menino bolinou", "vai bolinar outro", "vive bolinando", entao o termo e o "ato" bolinar sempre existiu. Porque agora tanto "alarde" por isso. Toda vez que se fala muito de uma coisa ela soh aumenta.
[Leia outros Comentários de Maria Anna Machado]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PROGRAMA DE NIVELAMENTO -PLT 213 - PROGRAMA DO LIVRO TEXTO
ANTERITA C S GODOY - ORG
ÁTOMO
(2009)
R$ 5,00



MANUSCRIPTO DE UMA MULHER
VISCONDE TAUNAY
MELHORAMENTOS
(1928)
R$ 34,00



NO CLARÃO DAS ÁGUAS
JORGE FERNANDO DOS SANTOS
PAULUS
(2004)
R$ 7,50



INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DO DIREITO
HERMES LIMA
FREITAS BASTOS
(1971)
R$ 22,50



INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA LÍNGUA PORTUGUESA (4ª ED.)
SERAFIM DA SILVA NETO
PRESENÇA
(1977)
R$ 34,75



BASES MOLECULARES DA NEFROLOGIA
NESTOR SCHOR
ATHENEU
(2004)
R$ 25,00



DICCIONARIO FRANCÊS: FRANCÊS ESPAÑOL E ESPAÑOL FRANCÊS
ANA MARIA GARCIA NAVARRO E JAQUELINE CLERC
HERDER (BARCELONA)
(1976)
R$ 43,28



ROSA A INQUIETA
CALDER WILLINGHAM
CÍRCULO DO LIVRO
R$ 9,90



ATRÁS DO ESPELHO - CARTAS DE MEUS PAIS
AFONSO ARINOS, FILHO
RECORD
(1994)
R$ 8,25



INTELECTUAIS NA ENCRUZILHADA : CORRESPONDÊNCIA DE ALCEU AMOROSO LIMA
FRANCISCO DE ASSIS BARBOSA
ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS
(2001)
R$ 7,50





busca | avançada
80910 visitas/dia
2,2 milhões/mês