Discos eruditos fundamentais | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
46744 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
Colunistas
Últimos Posts
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
>>> Marco Lisboa na Globonews
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Redes e protestos: paradoxos e incertezas
>>> 2005: Diário de bordo
>>> Alfa Romeo e os bloggers
>>> Defesa dos Rótulos
>>> O Jovem Bruxo
>>> Sua Excelência, o Ballet de Londrina
>>> O diabo veste Prada
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
>>> Daniel Piza by Otavio Mesquita
>>> The Making of A Kind of Blue
Mais Recentes
>>> A Jornada de Erin. E. Moulton pela Nova Conceito (2011)
>>> A Melodia Feroz de Victoria Schwab pela Seguinte (2016)
>>> Despertar ao Amanhecer de C.C. Hunter pela Jangada (2012)
>>> Sussurro - Coleção Hush Hush de Becca Fitzpatrick pela Intrínseca (2009)
>>> Holocausto Nunca mais de Augusto Cury pela Planeta
>>> Lusíada (Nº 1): Revista Ilustrada de Cultura.- Arte.- Literatura.- História.- Crítica de Martins Costa/ Portinari/ Texeira Pascoaes (obras de) pela Simão Guimarães & Filhos./ Porto (1952)
>>> Fábulas que Ajudam a Crescer de Vanderlei Danielski pela Ave Maria (1998)
>>> Ninguém é igual a ninguém de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (1994)
>>> Você Pode Escolher de Regina Rennó pela Do Brasil (1999)
>>> Apelido não tem cola de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (2019)
>>> Coração que bate, sente de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (1994)
>>> A galinha que criava um ratinho de Ana Maria Machado pela Ática (1995)
>>> Pinote, o fracote e Janjão, o fortão de Fernanda Lopes de Almeida pela Ática (2000)
>>> A lenda da noite de Guido Heleno pela José Olympio (1997)
>>> A História de uma Folha de Leo Buscaglia pela Record (1999)
>>> Chapeuzinho Amarelo de Chico Buarque pela José Olympio (1999)
>>> O último judeu: uma história de terror na Inquisição de Noah Gordon pela Racco (2000)
>>> Confissões de um Torcedor: Quatro copas e uma Paixão de Nelson Motta pela Objetiva (1998)
>>> Controle de Infecções e a Prática Odontológica em Tempos de Aids de Vários pela Brasília (2000)
>>> A Roda do Mundo de Edimilson de Almeida Pereira e Ricardo Aleixo pela Mazza/ Belo Horizonte (1996)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> A Propagação do Amor: Sobre o Plantio e a Colheita do Bem de Betty J. Eadie pela Nova Era/ Record (2003)
>>> Auto- Estima: Amar a Si Mesmo para Conviver Melhor Com os Outros de Christophe André - Françoise Lelord pela Nova Era/ Record (2003)
>>> Os Lusíadas: Reprodução Paralela das duas Edições de 1572 / Ed. Ltd. de Luis de Camões pela Impr. Nac. Casa da Moeda/ Lis (1982)
>>> Administração de Marketing: Desvendando os segredos de: Vendas. Promoç de Stephen Morse pela McGraw Hill (1988)
>>> Obras Completas de Álvares de Azevedo - 02 Tomos ) de Álvares de Azevedo/ Org. Notas: Homero Pires pela Companhia Ed. Nacional (1942)
>>> Obras Completas (Poesia, Prosa e Gramática) de Laurindo José da Silva Rabelo/ Org: O. de M. Braga pela Companhia Ed. Nacional (1946)
>>> Sempre Em Desvantagem de Walter Mosley pela Record (2001)
>>> Sempre Em Desvantagem de Walter Mosley pela Record (2001)
>>> Os Anos 80: Contagem Regressiva para o Juízo Final de Hall Lindsey pela Record/ RJ.
>>> Na Linha de Frente de Lawrence Block pela Companhia das Letras/ SP. (2010)
>>> Na Linha de Frente de Lawrence Block pela Companhia das Letras/ SP. (2010)
>>> O Fator Psicológico na Evolução Sintática (Encadernado) de Cândido Jucá (filho)/ Autografado pela Organização Simões/ Rio (1958)
>>> Príncipe das Trevas, Ou Monsieur - o Quinteto de Avignon- I de Lawrence Durrell pela Estação da Liberdade (1989)
>>> Pare de Engordar- Obesidade: um Problema Psicológico de Dr. Nelson Senise pela Record/ RJ.
>>> Os Hospedeiros de Belém de Maria Pires pela Imprensa Oficial/ B. Horizonte (1984)
>>> Os Hospedeiros de Belém de Maria Pires (autografado) pela Imprensa Oficial/ B. Horizonte (1984)
>>> Catálogo dos Editores Brasileiros de Affonso Romano de Sant Anna: Presidente pela Biblioteca Nacional/INL (1994)
>>> Fontes do Latim Vulgar : o Appendix Probi de Serafim da Silva Neto/ Autografado pela Livr. Academica/ RJ. (1956)
>>> Camões e Fernão Lopes de Thiers Martins Moreira/ Autografado pela Rio de Janeiro (1944)
>>> Ver- o- Peso: Estudos Antropológicos no Mercado de belém (Vol. II de Wilma Marques Leitão (organização) pela Paka- Tatu Ed. (2016)
>>> O Pensamento Vivo de Montaigne de André Gide/ Tradução: Sérgio Milliet pela Livr. Martins Ed. (1953)
>>> Na Beleza dos Lírios de John Updike pela Companhia das Letras (1997)
>>> O Nariz Detetive de Stella Carr/ Ilustrações: Avelino Guedes pela Scipione (2019)
>>> Bouvard e Pécuchet: Dois Patetas Iluminados de Gustave Flaubert pela Scipione (1988)
>>> Bouvard e Pécuchet: Dois Patetas Iluminados de Gustave Flaubert pela Scipione (1988)
>>> A Filha da Noite de Marion Zimmer pela Imago/ Rio de Janeiro (1986)
>>> Família e Mudança: O Familismo Numa Sociedade Arcaica em Transformação de C. A. Medina pela Vozes/ Ceris (1974)
COLUNAS >>> Especial Discoteca Básica

Terça-feira, 31/5/2011
Discos eruditos fundamentais
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 7200 Acessos
+ 1 Comentário(s)

A minha relação com a música encontra paralelo teórico nas idéias dos estetas românticos, principalmente Nietzsche, Hegel e Schopenhauer. Antes de indicar aos leitores alguns discos que acho essenciais aos amantes da música, falarei um pouco sobre esta estética.

Nietzsche dizia que a vida sem a música só poderia ser um engano. E interrogava: "Existe vida após a música, mas nós a suportaremos?" Para ele, a verdadeira vida é a música, pois quando entramos em sintonia com ela pertencemos de fato ao Ser.

É a música que nos leva ao coração do mundo, segundo o filósofo, pois sua vivência é que produz o arrebatamento do estado dionisíaco que rompe os limites e fronteiras comuns da existência. E a intensidade da experiência pode por vezes ser tão intensa que tememos pelo nosso pobre eu, ameaçado de sucumbir ao canto das sereias, ao "orgasmo musical". Diante da música de Richard Wagner ele escreveu: "em relação a essa música cada fibra, cada nervo estremece, e há muito não tive um sentimento tão duradouro de alheamento".

Já Hegel dizia que "a música traduz sentimentos profundos e imprecisos, movimentos de alma por assim dizer imateriais a que não se pode atribuir conteúdo nem pensamento". Por isso, a música difere das formas de pensamento (filosofia, ciência e religião) pelo poder de dar às idéias elevadas uma representação sensível e de torná-las acessível através do som. Diz o filosofo que "a missão principal da música consiste em fazer ressoar o eu mais íntimo, a sua mais profunda subjetividade, a sua alma ideal... porque ela é sustentada apenas pela interioridade subjetiva e não existe se não por e para ela".

Além de gerar uma liberação da alma para regiões insuspeitadas, ela pode suavizar os mais cruéis e trágicos destinos, transformando a dor em prazer, nos fazendo atingir um alto grau de libertação. É por isso que a música é tão importante em nossa vida, intensificando sentimentos, gerando catarses, nos fazendo evadir dos estados mornos da realidade.

Há uma série de discos que me apaixonam e aos quais sempre ouço, mas o espaço aqui é pequeno para elencar todos. Indicarei alguns aos leitores do Digestivocultural, sofrendo pelos que deixarei de mencionar. Farei uma seleção apenas de discos de música erudita, abandonando os de jazz, rock e musica popular brasileira que aprecio também.

Começo indicando o CD "The three piano sonatas", do compositor francês Pierre Boulez, com as peças interpretadas pelo pianista Paavali Jumppanem, gravado pela Deutsche Grammophon. A obra expressa seu conteúdo poético e sensual através de uma rigorosa organização dos elementos sonoros (sua técnica ficou conhecida como serialismo). Segundo observação de Tiago Charters de Azevedo, "na última sonata, inspirada no livro-projeto de Mallarmé, Boulez evoca três imagens ou ideias que dirigem a obra: a ideia de obra aberta, que cabe ao executante resumir/acabar, a de work in progress e a de infinitude e permutatividade; a ideia de labirinto; e, por último, a ideia de um universo em expansão (as equações de Einstein em sua Teoria da Relatividade Geral ressoam nas simetrias que Boulez impôs à sua terceira sonata para piano e cuja ideia, a de um universo em expansão, tem nas equações do físico uma das soluções mais relevantes para a compreensão da evolução do universo)".

Outra indicação é "Piano Works" (4 vols), de Erik Satie, interpretadas pela pianista Klára Koermendi (Naxos Gravadora). Músicas inclassificáveis, que vão do deboche ao intimismo, com peças minimalistas (as vezes apenas seis notas), onde a repetição é por vezes solene e sem desenvolvimento, como um instante para sempre prolongado; outras vezes a repetição é mecânica e ainda dramática. Um nonsense que abusa de títulos absurdos, como "embrião ressecado", que se traduz em situações sonoras divertidas, tristes, vulgares, etc.

Compositor oficial da Rosa-Cruz, Satie produziu para a Ordem músicas irracionais, com acordes dissonantes. O tempo das peças varia entre 1 minuto e meio e 4 minutos. Mas vale registrar uma apresentação de John Cage, em 1963, de "Vexations" de Satie, pequena partitura que levaria dois minutos para ser executada, se não aparecesse a informação no alto da partitura: "tocar o tema 840 vezes". Andy Warhol assistiu a apresentação e se inspirou nela para seu vídeo de 8 horas no Empire State. Nesse disco de Satie eu tenho uma preferência particular pelas 4 "Ogives".

Indico duas obras de Arnold Schoenberg, que são "Noite Transfigurada" e "Pelleas e Melisandre", ambas com a Orquestra Filamônica de Berlin, sob a regência de Herbert Von Karajan (Deutsche Grammophon). Há ainda uma ótima edição da gravadora Naxos de "Pelleas und Melisande", com Robert Craft na regência. Schoenberg caracterizou sua música atonal como um gesto de resistência à cultura popular predominante, fazendo música dissonante, com linhas cromáticas que se emaranham contrapontísticamente, e como Wagner, não deixa os acordes se resolverem, criando sufocos, texturas diáfanas, gestos impetuosos. Mas vai além de Wagner, Debussy, Strauss e Malher, que apesar de suas dissonâncias e acordes incomuns, não quebraram de vez o pescoço da tonalidade, que é o que Schoenberg dizia ter feito.

De Gustave Malher é imprescindível ouvir "Das lied Von der Erde" (As canções da terra). Obra inspirada nos poemas chineses de Li Tai Po, expressa movimentos que vão das alegrias da juventude ao pessimismo diante da morte, sendo seu último movimento "Der Abschied" (O Adeus), depois de "Amor e morte" de "Tristão e Isolda", uma das músicas mais comoventes de que se tem notícia. A edição que eu indico é a da Orquestra Sinfônica de Ljubljana, com os solistas Zeger Vandrsteene (tenor) e Glenys Linos (mezzosoprano).

Do compositor americano John Cage, tenho apreço por "Music for prepared piano", dois volumes, da Naxos, interpretadas pelo pianista Boris Berman. Nas suas músicas ressoa uma busca espiritual pela forma concisa, derivadas da música de vanguarda européia (como não pensar em Satie e a Escola de Viena?) cruzada com interesses filosóficos pelo Zen Budismo, o I Ching e Induísmo. Vale ressaltar a composição "Music for Marcel Duchamp", que demarca também a área de interesse neodadaísta de Cage. Uma das características de sua música são os silêncios extensíssimos, com retornos sonoros de grande exatidão, inspirado no teatro Nô japonês. O Piano preparado consiste na introdução de vários acessórios dentro de um piano normal, que produz uma variada e renovada gama de sons.

A obra de Edgar Varèse, apresentada pela New York Philarmonic e Ensemble InterContemporain, sob regência de Pierre Boulez (Sony Classical) é imperdível. Pode-se ouvir "Ionisation", "Density 21.5", "Intégrales", dentre outras peças importantes do compositor. Rompendo com a estrutura melodia/harmonia/ritmo, princípio sob o qual se faz música até as vanguardas, Varèse cria a idéia de espaço a partir do ajuste entre tensão/ relaxamento, concentração/dissolução sem perder a idéia de mistério, liberdade e tensionamentos (que por vezes ressoa Stravinsky da "Sagração da Primavera").

De Richard Wagner não se pode deixar de ouvir "Tanhauser", mas sugiro a ópera "Tristão e Isolda", ao qual indico a gravação de 1952, regida pelo maestro Wilhelm Furtwägner, editada pela Folha de São Paulo e que tem sido vendida em bancas de jornais. Em "Tristão e Isolda", estamos na forma da ópera como o apaixonado está na forma do seu delírio amoroso. Os estados interiores variam irracionalmente e Wagner faz o mesmo com a música, quando então entramos no tempo do sonho ou do pesadelo, da embriaguês e do incomensurável, no reino do inapreensível. Wagner leva o espectador para o universo dos sobressaltos, gerando incertezas, e estados de alma que são verdadeiras suspensões inconclusas. Música sublime e de abismos profundos.

De Stravinsky é "A Sagração da Primavera" que destaco (sobre o qual já dediquei um texto aqui no digestivo). Obra polêmica no momento de sua primeira apresentação, que pareceu brutal aos educados ouvintes parisienses, talvez seja tão atual quanto qualquer obra contemporânea pela sua energia futurista, seus cortes bruscos, sua alternância de estados emocionais. Possuo várias gravações, mas sugiro três, uma pela Orquestra de Minnesota, sob regência de Stanislaw Skrowaczewski (Au Coeur Du Classique), outra sob regência de Pierre Boulez (da Sony) e, por último, pela Philarmonica Slavonica, regida por Hanspeter Gmür (Del Prado).

As sugestões acima apresentam os principais aspectos da música erudita moderna e oferecem momentos de grande prazer através de composições ousadas e instigantes. Boa audição!


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 31/5/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Viagens e viajantes de Carla Ceres
02. O incompreensível mercado dos e-books de Vicente Escudero
03. O futuro do ritual do cinema de Marta Barcellos
04. Cartas@de.papel de Ana Elisa Ribeiro
05. De Cuba, com carinho de Alexandre Inagaki


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2011
01. Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I) - 20/12/2011
02. A arapuca da poesia de Ana Marques - 22/11/2011
03. Wagner, Tristão e Isolda, Nietzsche - 13/9/2011
04. Vantagens da vida de solteiro - 23/8/2011
05. Discos de Jazz essenciais - 28/6/2011


Mais Especial Discoteca Básica
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
25/6/2011
00h10min
Anotadas muitas das sugestões.
[Leia outros Comentários de Marcos Ordonha]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A TEOLOGIA DO APÓSTOLO PAULO
HERMAN RIDDERBOS
CULTURA CRISTÃ
(2004)
R$ 102,00



BRAS BEXIGA E BARRA FUNDA
ALCANTARA MACHADO
OBJETIVO
R$ 5,00



COMPETÊNCIAS PSICOLÓGICAS DE MESATENISTAS BRASILEIROS
ROGERIO MARCHIORETTO, MARCOS G. FERNANDES UND HELDER MIGUEL FERNANDES
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



EJA, INCLUSÃO E LETRAMENTO
ANTÔNIA APARECIDA BARROS ALENCAR CORREIA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 321,00



PINGO
MARIA CLARA MACHADO
EDIOURO
R$ 8,00



MATEMÁTICA 8ª OITAVA SÉRIE
IMENES E LELLIS
SCIPIONE
(1999)
R$ 5,50



RAZÃO E SENSIBILIDADE
JANE AUSTEN
NOVA CULTURAL
(2002)
R$ 15,00



COMO ORGANIZAR SUA VIDA FINANCEIRA
GUSTAVO CERBASI
SEXTANTE
(2015)
R$ 15,00



AS IMAGENS DA IMAGEM DO SESC
SOLANGE FERRAZ DE LIMA
SESC - MEMÓRIAS
(2014)
R$ 30,00



A ESCRAVA ISAURA
BERNARDO GUIMARÃES
CIRANDA
R$ 10,00





busca | avançada
46744 visitas/dia
1,1 milhão/mês