Pressione desfazer para viver | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
38448 visitas/dia
955 mil/mês
Mais Recentes
>>> MANU LAFER APRESENTA SHOW NOBODY BUT YOU - TRIBUTO A KIKA SAMPAIO
>>> Sesc Belenzinho recebe a banda E a Terra Nunca me Pareceu Tão Distante
>>> Sesc Belenzinho recebe a atriz e cantora Zezé Motta
>>> Psicólogo lança livro de preparação para concurseiros usando a Terapia Cognitiva-Comportamental
>>> O Sertão na Canção: Guimarães Rosa
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> K 466
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
Colunistas
Últimos Posts
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
Últimos Posts
>>> Kleber Mendonça volta a Cannes com 'Bacurau'
>>> Nem só de ilusão vive o Cinema
>>> As Expectativas de um Recrutador e um Desempregado
>>> A Independência Angolana além de Pepetela
>>> Porque dizer adeus?
>>> Direções da véspera IV
>>> Direções da véspera IV
>>> A pílula da felicidade
>>> Dispendioso
>>> O mês do Cinemão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Raul Gil e sua usina de cantores
>>> Humor: artigo em extinção
>>> Armandinho, o subversivo, versus o Cabeça de Melão
>>> Por que ler poesia?
>>> O titânico Anselm Kiefer no Centre Pompidou
>>> Woody Allen
>>> The Second Coming of Steve Jobs, by Alan Deutschman
>>> Como detectar MAVs (e bloquear)
>>> Como detectar MAVs (e bloquear)
>>> 89 FM, o fim da rádio rock
Mais Recentes
>>> Direito Civil. Obrigações. Volume 4. Provas e Concursos de Washington Carlos de Almeida pela Atlas (2005)
>>> Juizados Especiais Criminais na Justiça Federal de Agapito Machado pela Saraiva (2007)
>>> Técnica da Contestação de Nelson Palaia pela Saraiva (2007)
>>> Postal de Alice Springs - um Romance Entre Mulheres de Diana Simmonds pela Gls (1996)
>>> A Linguagem do Meu Filho de Regina Celi Machado Cupello pela Revinter (1993)
>>> Acima de Qualquer Suspeita de Scott Turow pela Record
>>> Pensão Riso da Noite de José Condé pela Record (1987)
>>> Corcovado de Jean-paul Delfino pela Record (2005)
>>> A Ideologia Alemã I Crítica da Filosofia Alemã mais Recente de Karl Marx e Friedrich Engels pela Martins Fontes (1980)
>>> Pássaros de Vôo Curto de Alcione Araújo pela Record (2008)
>>> Metamorfoses do Pássaro - Vol. 3 de Alcione Araújo (autografado) pela Civilização Brasileira (1990)
>>> O Paraíso é uma Questão Pessoal de Richard Bach pela Record (2003)
>>> A Trajetória de um Brabo de Stalin a Giacominho de Evado Diniz pela Record (1984)
>>> O Galo Músico de Fernando Sabino pela Record (1999)
>>> Meio Século de Presença Literária (1919-1969) de Tristão de Athayde pela José Olympio (1969)
>>> O Rei das Estrelas de Edmond Hamilton pela Sabiá (1971)
>>> Um Céu numa Flor Silvestre de Rubem Alves pela Verus (2010)
>>> As Atribulações de uma Caixa de Supermercado de Anna Sam pela Record (2009)
>>> Administração de recursos humanos de Idalberto Chiavenato pela Atlas (1999)
>>> Iracema de José de alencar pela Panda books (2015)
>>> O Cortiço de Aluísio Azevedo pela Melhoramentos (2014)
>>> Cultura Brasileira, Temas e situações de Alfredo Bosi pela Ática (2008)
>>> O escravo dos escravos de Rosa freua de carvalho pela Feesp (2012)
>>> Obras completas - volume 7 - O cancioneiro de Dante Alighieri pela Das Américas
>>> Obras completas - volume 9 - O banquete, Da monarquia de Dante Alighieri pela Das Américas
>>> Obras completas - volume 10 - Da monarquia, Da linguagem vulgar, Epístolas, A questão da água e da terra de Dante Alighieri pela Das Américas
>>> Minha Formação de Joaquim Nabuco pela W.M. Jackson (1948)
>>> Deus um Fracasso Amoroso de E. L. Doctorow pela Record (2003)
>>> Os carneiros de Panúrgio de Bezerra de menezes pela Feesp (2012)
>>> Obras completas - volume 5 - A Divina Comédia - O purgatório de Dante Alighieri pela Das Américas
>>> Obras completas - volume 4 - A Divina Comédia - O inferno de Dante Alighieri pela Das Américas
>>> Memórias de um Delegado de Polícia de Renato Augusto de Lima pela Do Autor (1972)
>>> Obras completas - volume 3 - A Divina Comédia - O inferno de Dante Alighieri pela Das Américas
>>> Obras completas - volume 2 - A Divina Comédia - O inferno de Dante Alighieri pela Das Américas
>>> O Pai do Vento - Cordel de Chico Salles pela Graúna
>>> Obras completas - volume 1 - A Divina Comédia - O inferno de Dante Alighieri pela Das Américas
>>> Vie et Règne de l'Amour de Søren Aabye Kierkegaard pela Aubier
>>> Rumo à Cultura de L. Riboulet pela Globo (1960)
>>> No lar e no magistério de Esther Menna Barreto Costa pela Não consta
>>> Amor sem Fim de Ian McEwan pela Companhia das Letras (2001)
>>> Rei Édipo, antígone, Prometeu Acorrentado (Tragédias gregas) de Sófocles, Ésquilo pela Ediouro
>>> OMC Manual Prático da Rodada Uruguai de Ligia Maura Costa pela Saraiva (1996)
>>> Contos de I. L. Peretz de J. Guinsburg pela Perspectiva (2001)
>>> RS: Modernização & Crise na Agricultura de Elomar Tambara pela Mercado Aberto (1983)
>>> Terra: Planeta Em Perigo de Vinícius Bertoletti pela Chiado (2016)
>>> Sociedade e Estado Volume X - Número 2 de Vicente de Paula Faleiros e Outros pela Unb (1995)
>>> Antimémoires de André Malraux pela Gallimard (1967)
>>> Da Matéria dos Sonhos de Rosana Rios pela Saraiva (1995)
>>> O Último Portal de Eliana Martins e Rosana Rios pela Companhia das Letras (2003)
>>> Hqs Quando a Ficção Invade a Realidade de Rosana Rios pela Scipione (2007)
COLUNAS

Sexta-feira, 17/6/2011
Pressione desfazer para viver
Ana Elisa Ribeiro

+ de 5000 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Algumas ações que a gente pode executar no computador me fazem morrer de inveja. Talvez a mais relevante delas seja o "desfazer" (que em alguns programas está em inglês "undo" e que pode ser similar ao delete e ao "back"). Eu morro de inveja daquela possibilidade de "desexecutar" uma ação, de retroagir, de me arrepender do escrito, desenhado ou testado e simplesmente apagar tudo. Mas não é apenas apagar. É desfazer. É voltar ao ponto zero, àquele momento em que decidi fazer algo. É como não viver aquilo.

Mas mesmo no computador aquela ação e aquela sensação são enganosas, meus caros leigos. A interface gráfica (que é com o que a gente lida) na verdade esconde uma operação mais complexa. Nos bastidores do computador, lá onde os códigos e as linguagens não são mais legíveis para pessoas leigas como eu, o computador gravou o caminho que eu fiz ao me decidir por uma ação, ao me arrepender dela (ou ao avaliar mal seu resultado) e ao apertar o "desfazer". Na verdade, nada se desfaz. Os indícios, os rastros e as pistas ficam lá, para quem sabe ler. O que importa, no entanto, para uma leiga é que parece que eu desfiz tudo, sem deixar marcas e mágoas, e que poderei começar de novo, em especial, fazendo melhor.

Não é para morrer de inveja? É claro que é. Inveja de poder desistir sem me macular com escolhas erradas; inveja de poder zerar a conta; de poder optar por refazer, mas muito melhor, com resultados muito mais felizes e satisfatórios. Vejam que maravilha esta máquina pode ser.

O "undo" é uma espécie de botão mágico. Na vida, esses dispositivos não existem. A decisão errada de sete ou oito anos atrás, que inclusive nem parecia um decisão (camuflada que estava pela negligência e pela irresponsabilidade), faz um imenso estrago nas ações posteriores e nas possibilidades que passarão a não existir. Mas, é claro, existirão outras. Mas serão bacanas?

Sem o "desfazer", as pessoas precisam viver de acertos. A ideia é acertar, não é? Ou alguém já se prontifica a errar, sem pudor? Não é meu caso, muito embora eu tenha deixado de ouvir meus "instintos" e mesmo as pessoas mais sensíveis do que eu várias vezes. Uma lástima. Eu, que sempre me esforcei por me ouvir antes de agir (talvez seja o famoso "ouvir seu coração"), consegui errar desastradamente muitas vezes. E não existe "undo", constato, cheia de cicatrizes pela alma afora.

Como acertar sempre? É algo da ordem do inviável, não é? Não é possível acertar sempre. Os alvos são móveis e imprevisíveis. Não nos favorecem frequentemente. E viver acertando não depende apenas de nós, de nossas vontades individuais. É claro que vamos errar, mesmo quando achamos que estamos na direção do acerto. Quantas vezes me enganei com isso! Erro de avalição, erro de trajetória, erro desde o início, quando algo me dizia para não continuar.

Bem, mas o computador permite coisas que deixam a vida da gente no chinelo. O computador me sinaliza coisas que só posso fazer depois das outras. São como pré-requisitos, para me ajudarem a acertar na operação. O computador também permite que eu tenha várias experiências ao mesmo tempo e que fique apenas com aquela que me parecer mais satisfatória. E como isso seria bom. Seria como viver no mundo do "se", como fazemos quando as coisas vão mal na vida real, em que não se pode decidir de novo por caminhos que já ficaram para trás.

O computador me permite desenhar sem ter talento. O computador me permite colorir e simular o resultado, dando-me a opção de remodelar tudo, se eu quiser. E com rapidez, sem muita resistência. O computador me testa e eu nele testo meus desejos. Não é assim com a vida, ao menos geralmente. Nela eu me vejo de cara com meus medos, claro, coisa que perdi quando lido com a máquina. Mas na vida as decisões são booleanas. E pior: não se pode dimensionar que efeito as decisões terão de fato. Atropelar um pombo e matar uma abelha podem ter efeitos catastróficos tanto quando decidir sequestrar um avião. Não será gratuito se o leitor se lembrar de uns filmes que tratam de algo assim, como "O efeito borboleta" e assemelhados. Essa ausência do "desfazer" e a sequência desencadeada por nossas ações (inclusive na linguagem) são intrigantes desde sempre, e principalmente no cinema.

Se eu pudesse, eu juro, eu apertaria o "undo" para algumas coisas nesta vida. O problema é que nenhuma ação traz consequências apenas boas ou apenas ruins. O problema é que um ou dois dos efeitos grandes dessas decisões que eu queria apagar são deliciosos, experiências e resultados importantes, relevantes e fundamentais para a vida que se seguiu. Como apagar uns itens e não outros? Existiria um "desfazer" seletivo? O que está posto que pode ser positivo, mesmo nesta lama? O "undo" do computador é mais simples porque parece relacionado a apenas uma ação, sem maiores consequências.

Mas se eu pudesse eu deletaria algumas partes desta história. Tenho certeza. Seria como matar o que me agride hoje. Seria como me poupar, uma espécie de presente que eu me daria. Há, certamente, coisas que a gente dispensa viver, não é mesmo? E o que fazer com essas coisas senão instalar-lhes uma tecla "desfazer"?

O computador me deixa ansiosa pelas analogias que ele permite com a vida. Não bastasse dizer que "processo" informações, como as máquinas, eu também me ressinto de não poder deletar sem deixar vestígio. Ou ao menos uma ilusão de que nada foi registrado de um evento indesejável. No entanto, o sistema do computador executa ações ilegais e se fecha, repentinamente. E eu, viva que estou, consigo me ressignificar, isto é, corrigir meu próprio software quando me vejo em apuros. E vamos nos invejando para lá e para cá: eu porque não desfaço; o computador porque não experimenta.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 17/6/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Fera na Selva, filme de Paulo Betti de Jardel Dias Cavalcanti
02. Reflexões sobre o ato de fotografar de Celso A. Uequed Pitol
03. Apontamentos de inverno de Elisa Andrade Buzzo
04. Imprimam - e repensem - suas fotografias de Ana Elisa Ribeiro
05. A biblioteca de C. G. Jung de Ricardo de Mattos


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2011
01. É possível conquistar alguém pela escrita? - 21/1/2011
02. Meus livros, meus tablets e eu - 15/4/2011
03. Você viveria sua vida de novo? - 18/2/2011
04. Pressione desfazer para viver - 17/6/2011
05. Bibliotecas públicas, escolares e particulares - 20/5/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
2/6/2011
10h27min
Na minha vida, já aconteceu da mesma situação aparecer com outra aparência, e eu pude fazer nela o que me arrependi de não ter feito na anterior. Houve uma anulação, compensação, substituição, ou seja lá o nome que se quiser dar.Não deu para apagar a anterior, mas houve uma nova e melhor.
[Leia outros Comentários de Ricardo]
18/6/2011
12h56min
Ter a ferramenta "desfazer" é o desejo de todos. Entretanto, como saber o momento certo de acioná-la? Que caminhos, decisões escolher depois de acionado o "desfazer"? Continuaríamos precisando viver de acertos. Precisaríamos ter também o "refazer", isto é, voltar ao ponto atual. Mas nessas idas e vindas a vida não ficaria parada? E essa paralização seria um acerto ou um erro?
[Leia outros Comentários de José Frid]
28/6/2011
08h03min
Ana, acho interessante que comigo é exatamente o contrário. Adoro as teclas Ctrl + Z onde posso "refazer" o meu texto apagado da tela.
[Leia outros Comentários de Manoel Amaral]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O SENHOR DAS MOSCAS
WILLIAM GOLDING
PUBLIFOLHA
(2003)
R$ 34,00



ACORDAR OU MORRER
STELLA CARR
MODERNA
(1991)
R$ 12,00



EURICO, O PRESBÍTERO
ALEXANDRE HERCULANO
EDIÇÕES DE OURO
(1967)
R$ 13,00



O MUNDO DAS MÚMIAS
HEATHER PRINGLE
EDIOURO
(2002)
R$ 25,00



VEGETAIS VITAIS - COMA BEM, VIVA MELHOR
SELEÇÕES DO READERS DIGEST
READERS DIGEST
(2002)
R$ 15,00



O BRASIL DE JOHN GRAZ
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
(2014)
R$ 100,00



POR UMA NOVA TEOLOGIA LATINO AMERICANA A TEOLOGIA DA PROSCRIÇÃO
KOINONIA
PAULINAS
(1996)
R$ 20,00



ANÁLISE AERODINÂMICA DE CARROCERIA DE VEÍCULOS
ELMO THIAGO LINS CÖURAS FORD UND VALENTINA A C VALE
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00



DA CARAVELA DE ZARCO À REDAÇÃO DE "PÁTRIA MINEIRA"
ALTIVO DE LEMOS SETTE CÂMARA (COM DEDICATÓRIA
IHG DE S JOÃO DEL REI
(1973)
R$ 30,28



O SURGIMENTO DAS NAÇÕES - DISCUTINDO HISTÓRIA
LEON POMER
ATUAL
(1985)
R$ 8,00





busca | avançada
38448 visitas/dia
955 mil/mês