Façam suas apostas | Rafael Lima | Digestivo Cultural

busca | avançada
49568 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Oscar 2001

Segunda-feira, 19/3/2001
Façam suas apostas
Rafael Lima

+ de 3600 Acessos

Muito já se disse e já se ouviu sobre o notório conservadorismo da Academia nas escolhas do Oscar, mas o que se descobre acompanhando a cerimônia ao longo dos anos é que a previsibilidade acaba sendo bem menor do que se supunha. Apesar da eterna preferência por atores que interpretam limítrofes, aleijados ou dramalhões, e de uma certa aversão à comédias, ficção científica e terror - de certo modo quebrada pela premiação do Silêncio dos Inocentes - a Academia consegue se superar nas complicações de sua lógica interna. O que a fez premiar a Helen Hunt de As Good as it Gets, num ano de Judi Dench em Mrs. Brown, de Helena Bonhan Carter em Wings of the Dove? O fato dela ser a única norte-americana das 5 indicadas. Isso sem falar em loucuras ocasionais, como a Ana Paquim de O Piano (quem diria que ela viria a interpretar a Vampira dos X-Men), ou recente indicação de A Vida é Bela para melhor filme e melhor filme estrangeiro. Mas vamos às chances.

Em geral, ocorre uma das duas alternativas: ou um filme só arrecada a maioria dos prêmios, sobretudo os chamados técnicos (som, efeitos visuais, maquiagem), ficando os prêmios de atuação dividos entre os demais concorrentes, ou, não havendo um filme de destaque, os 12 prêmios principais ficam divididos entre 3 filmes de destaque. O Globo de Ouro, prêmio entregue pelos críticos estrangeiros residentes nos EUA, é o melhor indicativo do que pode acontecer no Oscar, se bem que sua divisão das premiações para ator/atriz em duas categorias, Drama e Comédia & Musical, não se repete no Oscar. Que por sua vez também gosta de inventar umas modas, como utilizar essa distinção para a trilha sonora. Nesse ano, claramente, Gladiador deve fazer a festa.

Gladiador já levou o Globo de Ouro de melhor filme, foi superprodução, arrebentou nas bilheterias, enfim, tem todos os indicativos para levar o melhor filme. Como O Tigre e o Dragão não tem quem o ameace para melhor filme estrangeiro, suas chances de levar também o de melhor filme se reduzem, deixando o primeiro mais isolado na corrida. Sempre é bom lembrar que o Oscar também tem por fim premiar os títulos que mais impulsionaram a indústria comercialmente, o que é mais um motivo para o Gladiador ganhar.

Existe um tradição quase sagrada da Academia premiar também o diretor do Melhor Filme, que explica, por exemplo, o Coração Valente ter conquistado para Mel Gibson sua estatueta, no ano de Razão e Sensibilidade - Ang Lee não tinha sido indicado, então o filme não poderia ser o vencedor. Assim, Ridley Scott vira automaticamente favorito. A Miramax rompeu essa tradição com Shakespeare Apaixonado num lobby fortíssimo, mas foi um negócio tão descarado que é difícil que se repita. Spielberg até hoje não sabe porque o Soldado Ryan não levou...

Tom Hanks encomendou um filme, Náufrago, em que aperecesse sozinho em cena tempo o suficiente para amealhar mais um Oscar, o terceiro de sua carreira (não é absurdo imaginar que ele queira quebrar o recorde de 4 em vida). Pena que tenha dividido a tela com uma expressivíssima bola de vôlei. É o favorito, mas Russel Crowe vem com uma inércia considerável, foi indicado ano passado, ajudou Gladiador a encher a bilheteria e tem boas chances. E ainda há Ed Harris como Jackson Pollock, que num daqueles acessos da Academia...

É duro admitir, mas Julia Roberts só perde para melhor atriz se chover canivete. É isso mesmo. Mais ou menos que nem a Hillary Swank ano passado, interpretando em um filme menor, não deixou para ninguém. Juliette Binoche levou quando não deveria, batendo a carteira de Lauren Baccal com O Paciente Inglês como coadjuvante, e só leva esse ano se for unanimidade - a Academia reconhece tardiamente seus erros - algo que não é. Além de tudo não vai ser possível conferir a maioria das concorrentes, já que The contender, Requiem for a dream e You can count on me só vão estreiar depois do dia 25.

Para melhor ator codjuvante, acontece algo curioso. Há 3 anos o vencedor do Globo de Ouro perde o Oscar, foi assim com Tom Cruise que perdeu para Michael Caine ano passado. Mantendo-se a tendência, Benicio Del Toro, aquele chicano com olho de peixe morto que apareceu em Os Suspeitos e fez Excesso de Bagagem com a Alicia Silverstone (por onde andará?) vai perder para Joaquin Phoenix, o imperador incestuoso de Gladiador e candidato a Malcolm McDowell versão ano 2000.

Melhor Atriz Coadjuvante. Kate Hudson levou o Globo de Ouro por Quase Famosos, está com uma mão e meia lá, mas Judi Dench está mais uma vez brilhante em Chocolate, rabujenta como só ela consegue ser. Quem sabe a Miramax não seja tão forte para encarar o Gladiador, mas é pouco provável que Chocolate saia de mãos abanando, e Judi Dench seria um gol de honra. O problema é que eles já gastaram todas as fichas que tinham premiando Gwyneth Paltrow em Shakespeare Apaixonado. A melhor maneira de descobrir a favorita para atriz coadjuvante é ver se tem alguma indicada em filme de Woody Allen. Mira Sorvino e Diane West estão entre as recentes, é sempre, sempre barbada.

Os prêmios técnicos devem ficar na maioria com Gladiador: fotografia, figurino, som, efeitos visuais, edição, direção de arte (que eu até hoje não entendi direito bem o que é isso. Maesano, será que você consegue explicar?). Eu pensaria também em O Homem sem Sombra para efeitos visuais, Contos Proibidos do Marquês de Sade em figurino e o Tigre e o Dragão em direção de arte - as duas últimas categorias costumam premiar surpresas, como As Loucuras do Rei George e Topsy Turvy. É onde se pode arriscar. É onde O Tigre e o Dragão pode - e deve - levar mais algum.

Maquiagem é outro prêmio interessante, porque nem sempre a transformação de gente em bichos, monstros ou alienígenas leva o prêmio. Nunca esqueço, em Ed Wood, a transformação de Martin Landau em Bela Lugosi, que derrubou o Frankstein de Kenneth Branagh. Nesse raciocínio, ficamos com Shadow of the Vampire ao invés de O Grinch.

O prêmio de melhor roteiro original deve ser visto com atenção, porque costuma reunir os filmes mais originais do ano, especialmente os injustiçados, que não levam o Oscar de Melhor Filme. Caso clássico, A Sociedade dos Poetas Mortos. Pulp Fiction não tinha como superar Forrest Gump em melhor filme, mas deu poeira em melhor roteiro. É onde Quase Famosos deve levar a sua, batendo Gladiador. Roteiro adaptado, outro prêmio meio de consolação, está dividido entre Wonder Boys e Traffic, com vantagem para o último. Mas nunca se deve ignorar os irmãos Cohen - Where art thou, my brother? - numa disputa de melhor roteiro. Apesar da já mencionada aversão da Academia à polêmica, o que diminuiria as chances de Traffic, é bom lembrar que recentemente Larry Flynt foi premiado, um filme bastante provocante.

Por fim, uma nota especial sobre melhor canção. Se tem desenho da Disney no meio, música composta por Elton John ou Phil Collins, não tem o que vacilar. Nesse ano, o exemplar foi A Roupa Nova do Imperador, com música do Sting, mas quem deve subir ao palco para ornamentar sua lareira é ninguém mais, ninguém menos que o freewheling Bob Dylan, que compôs para Wonder Boys. Sempre é interessante ver um dos ícones da cultura pop subir naquele palco, a ovação da platéia, o discurso abobalhado, o estrago que o tempo fez em seu rosto, e algo me diz que o grande momento do Oscar desse ano vai ser quando mr. Jakob ouvir seu nome no microfone...


Rafael Lima
Rio de Janeiro, 19/3/2001


Mais Rafael Lima
Mais Acessadas de Rafael Lima em 2001
01. Charge, Cartum e Caricatura - 23/10/2001
02. A diferença entre baixa cultura e alta cultura - 24/7/2001
03. Sobre o ato de fumar - 7/5/2001
04. Um álbum que eu queria ter feito - 6/11/2001
05. Vendem-se explicações do Planeta dos Macacos - 4/9/2001


Mais Especial Oscar 2001
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O TRONCO DO IPÊ
JOSÉ DE ALENCAR
SARAIVA
R$ 4,00



CLASH ROYALE
GUILHERME ATHAIDE
PANDA BOOKS
(2016)
R$ 15,00



EDUCAÇÃO E TRANSIÇÃO DEMOCRÁTICA
GUIOMAR N. MELLO
CORTEZ
R$ 5,00



O CAVALO VERDE - CAUSOS GAÚCHOS E RELATOS INTERIORANOS
LUIZ CORONEL
MECENAS
(2002)
R$ 24,00



O PENSAMENTO ANTIGO (2 VOLUMES) RODOLFO MANDOLFO (FILOSOFIA)
RODOLFO MANDOLFO
MESTRE JOU
(1964)
R$ 30,00



SELEÇÃO E COLOCAÇÃO DE PESSOAL
MARVIN D. DUNNETTE
ATLAS
(1973)
R$ 10,00



CARLOS VERGARA: PINTURAS
PAULO SERGIO DUARTE
AUTOMÁTICA
(2011)
R$ 60,00



THAT WAS THAT! CONSONANT DIGRAPHS TH
SUZANNE BARCHERS
LEAP FROG
(2010)
R$ 20,28



ANTOLOGIA POÉTICA
MAIACOVSKI
MAX LIMONAD
(1984)
R$ 35,00



ESTA MENINA ESTÁ FICANDO IGREJA
PE. ZEZINHO
PAULINAS
(1984)
R$ 4,84





busca | avançada
49568 visitas/dia
1,2 milhão/mês