Xamas & Concurseiros | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
71136 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
>>> Exposição coletiva 'Encorpadas - Grandes, largos, políticos: corpos gordos'
>>> Clássicos da Literatura Unesp ganha mais cinco títulos
>>> Bertolt Brecht inspira ÉPICO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
>>> Doutor Eugênio (1949-2020)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Palavras impressas
>>> Teoria da Conspiração
>>> Movimento Literatura Urgente
>>> O fim das mídias físicas
>>> Ayn Rand ou o primado da razão
>>> Viagem ao Âmago da Palavra
>>> Modelos plus size: as novas mulheres irreais
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Escrever não é para amadores
Mais Recentes
>>> Águas do Brasil de Araquém Alcântara pela ´Terrabrasil (2007)
>>> O tigre de Sharpe de Bernard Cornwell pela Record (2013)
>>> Os Doze Trabalhos de Hércules 1/2/4 volumes de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1944)
>>> Morte dos reis de Bernard cornwell pela Record (2016)
>>> Bom Apetite vol II de Diversos pela Abril Cultural (1972)
>>> A menina que semeava de Lou Aronica; Maria ângela Amorim De Paschoal pela Novo Conceito (2021)
>>> Curso de Desenho e Pintura 9 volumes de Equipe Globo pela Globo (1985)
>>> 1889 Juvenil ilustrada de Laurentino Gomes; Rita Brugger pela Globo Livros (2014)
>>> Quem me roubou de mim? de fabio de Melo pela Canção Nova (2010)
>>> Se conto ninguem acredita- autografado de Rafael pedrosa pela pandogA (2018)
>>> The Young Riders of Mongolia de Rob Waring pela Footprint (2011)
>>> Let’s Do It Together de Luiz H. Rose, Maiza Fatureto & Tereza Sekiya pela Cambridge University (2008)
>>> A Matter of Prejudice de Luiz H. Rose, Maiza Fatureto & Tereza Sekiya pela Cambridge University (2007)
>>> Depois do Funeral de Agatha Christie pela Círculo do Livro
>>> Strange Noises de Luiz H. Rose, Maiza Fatureto & Tereza Sekiya pela Cambridge University (2007)
>>> A Casa Vazia de Rosamunde Pilcher pela Bertrand Brasill (2006)
>>> Lost in the Woods de Luiz H. Rose, Maiza Fatureto & Tereza Sekiya pela Cambridge University (2007)
>>> Devastação Ou a Volta à Natureza de Rene Barjavel pela Círculo do Livro (1976)
>>> Os segredos da mente milionária de T harv eker pela Sextante (2010)
>>> A Day on the Farm de Luiz H. Rose, Maiza Fatureto & Tereza Sekiya pela Cambridge University (2007)
>>> Economia Solar Global de Hermann Scheer pela Cresesb (2002)
>>> Alguém Que já Não Fui de Artur da Távola pela Nova Fronteira (1986)
>>> Enquanto Eu Estivesse Fora... de Sue Miller pela Bertrand Brasill (2000)
>>> Infâncias Roubadas o Ser Criança Como Desafio para o Reino de Silvana Bezerra de Castro Magalhães pela Coiô Coiô (2016)
>>> Já Pensou Se Alguém Acha e Lê esse Diário? de Nilza Rezende pela Record (2007)
>>> O Quiabo Comunista de Carlos Eduardo Novaes pela Nordica (1977)
>>> Mulheres ajudando mulheres de elyse Fitzpatrick e carol Cornish pela c p a D (2005)
>>> O poder dos Quietos de Susan Cain pela Agir (2012)
>>> O segredo de Luísa de Fernando Dolabela pela Sextante (2008)
>>> Marley & eu de John Grogan pela Ediouro (2010)
>>> O grande conflito de Ellen G. White pela Casa (2004)
>>> Problemas? OBA ! de Roberto Shinyahiki pela Gente (2011)
>>> Ali and his Camera de Raymond Pizante pela Penguin Readers (2008)
>>> Os 10 hábitos da memorização de Renato Alves pela Gente (2009)
>>> Billy and the Queen de Stephen Rabley pela Penguin Readers (2008)
>>> O código da inteligência de Augusto Cury pela Ediouro (2008)
>>> Manual de Normas Internacionais de Contabilidade: IFRS versus Normas Brasileiras de Ernst & Young - FIPECAFI pela Atlas (2010)
>>> Quem mexeu no meu queijo ? de Spencer Johnson,M.D pela Record (2010)
>>> Desenvolvimento Pessoal e Profissional de Josiane C. Cintra; Keli C. de L. Campos; Tatiane R. Bonfim; Yaeko Ozaki; Rodolfo L. de F. Olivo pela Anhanguera Publicações (2011)
>>> Simon and the Spy de Elizabeth Laird pela Penguin Readers (2008)
>>> 0870707329 de Paola Antonelli pela The Museum of Modern Art (2008)
>>> Contabilidade Financeira de Alessandra Cristina Fahl; José Carlos Marion. pela Anhanguera Publicações (2013)
>>> Perícia Contábil de Antônio Lopes de Sá pela Atlas (2011)
>>> Contabilidade Gerencial: Um Enfoque em Sistema de Informação Contábil de Clóvis Luís Padoveze pela Atlas (2010)
>>> Administração de Idalberto Chiavenato pela Elsevier (2010)
>>> João santana , um marqueteiro no poder de luiz Maklouf carvalho pela Record (2015)
>>> Custos e Formação de Preços de Eunir de Amorim Bomfim; João Passarelli; pela IOb (2011)
>>> Estrutura e Análise das Demonstrações Financeiras de Marcelo Cardoso de Azevedo; Fernando Coelho; José Carlos Ruiz; Paulo Neves. pela Alínea (2010)
>>> Desenvolvimento Econômico de Aderbal O. Damasceno; Ana Paula Avellar; Claúdio César de Paiva; Fernando C. B. Oliveira; Flávio V. Vieira; Michele P. Veríssimo; Suzana F. de Paiva. pela Alínea (2013)
>>> Educação Corporativa: Fundamentos, Evolução e Implantação de Projetos de Marisa Eboli; André Luiz Fischer; Fábio Cássio Costa Moraes; Wilson Ap. Costa de Amorim. pela Atlas (2012)
COLUNAS

Quinta-feira, 20/10/2011
Xamãs & Concurseiros
Guilherme Pontes Coelho

+ de 2900 Acessos

Uma vez, em 1998, quando eu havia terminado o segundo grau e não sabia o que fazer da vida (nem saberia pelos dez anos seguintes), uma tia me aconselhou a fazer concursos públicos. Como incentivo, ela me presenteou com uma palestra sobre como passar neles. Ela soube da tal palestra pelo jornal, não sei se na seção classificados. Um guru prometia transformar seus ouvintes em vencedores aprovados e economicamente estáveis, a despeito da função que o aprovado exerceria, porque vocação, ou sonho profissional, é um detalhe sórdido que às vezes se mete à frente da almejada estabilidade. Fui à palestra, que foi no Templo da Boa Vontade, aqui em Brasília. Um dia inteiro de conversa. Não lembro se oito ou seis horas. Algo assim. O evento era longo o suficiente para haver intervalo de almoço, que não estava incluído na fortuna que tias, pais, mães e alguns dos próprios concurseiros pagaram.

Pois bem, o palestrante havia passado num concurso público. Dataprev, INSS, TCU, um concurso assim. Esta, na verdade, era sua única credencial (que tem seu mérito, claro). Nada, nenhuma experiência como palestrante, instrutor, facilitador, nada. Eu, sentado numa desconfortável cadeira de plástico, dediquei horas àquele sujeito para ouvi-lo dizer, sem brilho algum e repetidamente, que só passa em concurso quem estuda. Quem estuda, estuda, estuda. Ele não contou piadas. Nem fábulas edificantes. Ele falou muito, mas à minha frente, e eu estava na fila dos perdigotos, eram só ele, seu cabelo arquitetado em gel, sua gravata de liquidação, seu relógio jurássico e um microfone, que transmitia às caixas de som uma voz cadenciada e anódina. Ele não usou o então onipresente retroprojetor, sobre o qual costumavam repousar transparências rabiscadas à mão com pincel atômico. O hoje estapafúrdio e constrangedor PowerPoint era uma realidade muito distante. Àquela época, acho que só o Steve Jobs usaria*.

O palestrante. Ele tampouco agraciou os presentes com histórias divertidas de primos distantes ou de antepassados batalhadores - narrativas que forçosamente teriam de ter uma mensagem edificante. Não, nada, ele não as contou. Fofoquinhas de cunho profissional-moralizante sobre colegas de trabalho? Nenhuma. Macetes de memorização e leitura dinâmica? Nem de longe. Indicações de livros e, se possível, breves análises bibliográficas? Inexistentes. Instruções sobre como montar mind maps? Esqueçam, não havia essa moda naquela época. Recomendação de alimentos bons para o cérebro e de snacks que combinam com a hora de estudos? Não, nada. (Embora ele tenha dito que "Tomar suco é bom", genericamente falando.) Breves explanações, só a título de vaidade promocional, sobre a diferença entre complementos nominais e adjuntos adnominais, ou sobre a diferença habeas corpus e habeas data, ou sobre a diferença entre atos normativos e atos enunciativos? Não, nenhum conteúdo da santa trindade das disciplinas concurseiras (língua portuguesa, direito constitucional e direito administrativo) foi contemplado, por mais rasteiro que fosse.

Enfim, o homem cobrou uma fortuna, umas duzentas - duzentas! - pessoas, um bando de inseguros, néscios, angustiados, compareceram e elogiaram o desempenho do palestrante insípido. Alguns saíram até comentando que "Poxa, faz todo sentido", ou "É, ele tá certo", ou "Ah, agora, sim, eu passo", ou "Podia ter demorado mais, né?" e por aí vai. O ilustre palestrante conseguiu segurar sua platéia por milênios, numa palestra sem graça e totalmente desinstrutiva, para repetir, tautologicamente, o que todos aqueles imbecis poderiam dizer, ou diziam, à frente do espelho: "Preciso estudar".

Ele conseguiu a proeza de não usar nenhum clichê de palestras motivacionais para concursos e, mesmo assim, fazer um trabalho insípido, apenas repetindo o mantra: "Estudem". Achei curiosa a postura de conselheiro do palestrante. Ele falava - mas não conversava com a plateia, não houve interação - como se fosse um padrinho que dava uma gentil bronca nos afilhados, como se os pais verdadeiros tivessem acabado de sair da sala, furiosos, e o afilhados, se sentindo culpados por alguma bobagem que tenham feito, estivessem para ser reconfortados pelo padrinho, o good cop. "Estudem", dizia o palestrante, sorrindo - e a combinação do sorriso sem vida com a gravata ordinária era perturbadora.

Hoje, me parece, os mestres concurseiros fazem tudo aquilo que o palestrante insosso deixou de fazer - e fazem mais. Cantam, dançam, improvisam. Contam histórias e piadas, fazem confissões e choram. Inventam macetes para aprender macetes. Criam acrósticos e anagramas para memorizar acrósticos, anagramas, macetes e metamacetes. Ensinam a arte da confecção de mapas mentais (para organizar melhor os decorados acrósticos, anagramas, macetes e metamacetes) e alguns oferecem a técnica da árvore hiperbólica. Os novos palestrantes sobem ao palco e quebram tábuas com golpes de caratê! Vale tudo para convencer uma pessoa de que ela pode passar num concurso público (relembrando, "aprendizado de conteúdo" ou "realização profissional" são fatores secundários).

Mesmo que a performance dos palestrantes tenha sido enhanced (eles adoram esses termos, você sabe), a impressão que tive em 1998, quando saí do Templo da Boa Vontade e, faminto e furioso, fui caçar uma pizzaria, é a mesma que tenho hoje. As pessoas pagam para ter a autoestima insuflada, em muitos casos sabendo que o cotidiano vai cuidar de murchá-la novamente. O serviço pelo qual pagam não é um desempenho pedagógico, mas uma atuação de baixo xamanismo.

No fim das contas, não é o clichê de que as pessoas pagam para se sentirem capazes que sobressai, mas o de que é fácil ganhar dinheiro. "Estudem."

* Brincadeirinha.


Guilherme Pontes Coelho
Águas Claras/Brasília, 20/10/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Xadrez, poesia de Ana Elisa Ribeiro de Jardel Dias Cavalcanti
02. Gerald Thomas: Cidadão do Mundo (parte IV) de Jardel Dias Cavalcanti
03. Minha Terra Tem Palmeiras de Marilia Mota Silva
04. Isto não é um trote de Marta Barcellos
05. Para que serve a poesia? de Ana Elisa Ribeiro


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2011
01. A sordidez de Alessandro Garcia - 9/2/2011
02. Churchill, de Paul Johnson - 2/2/2011
03. Pequenos combustíveis para leitores e escritores. - 7/9/2011
04. Cisne Negro - 16/2/2011
05. Derrotado - 2/3/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




HIGH LIFE LOW LIFE
ALAN BATTERSBY
CAMBRIDGE
R$ 10,00



MAIS VEJA COMO SE FAZ
DEREK FAGERSTORM E LAUREN SMITH
SEXTANTE
(2014)
R$ 10,00



BIBLIOTECA DO CONHECIMENTO DA FAMÍLIA LÍNGUA PORTUGUESA
VÁRIOS AUTORES
DCL
(2006)
R$ 10,00



TOCAIA GRANDE (LITERATURA BRASILEIRA)
JORGE AMADO
FOLHA DE SÃO PAULO
(2008)
R$ 10,00



TERRA ALHEIA
EDUARDO CABALLERO CALDERÓN
BRASILIENSE
(1968)
R$ 10,00



SOB O CÉU DE NOVGOROD
RÉGINE DEFORGES
NOVA FRONTEIRA
(1989)
R$ 10,00



O PEQUENO PRÍNCIPE
ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY
AGIR
(2006)
R$ 10,00



PANTALEÓN E AS VISITADORAS
MARIO VARGAS LLOSA
CIRCULO DO LIVRO
(1975)
R$ 10,00



A TRIBO PERDIDA JAMAIS ESQUEÇA QUEM SOMOS VOL. I - 8691
JACQUES LANZMANN
BERTRAND BRASIL
(2007)
R$ 10,00



EU AMO ONE DIRECTION
JACLYN CRUPI
FUNDAMENTO
(2014)
R$ 10,00





busca | avançada
71136 visitas/dia
2,4 milhões/mês