O Nobel de Tranströmer | Luiz Rebinski Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
78105 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Filó Machado e Felipe Machado dividem o palco em show online pelo CulturaEmCasa
>>> Cassio Scapin e artistas de grandes musicais fazem campanha contra o abuso sexual infantil
>>> Terça Aberta na Quarentena une teatro e a dança
>>> “Um pé de biblioteca” estimula imaginação e ajuda a criar novas bibliotecas pelo Brasil
>>> Diálogos na Web FAAP: Na pauta, festivais de cinema e crítica cinematográfica
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST)
>>> Para você que vai votar...
>>> A medida do sucesso
>>> Fuvest divulga lista de livros para 2017
>>> 35 anos do Clube da Esquina
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Inquietações de Ana Lira
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Jingle Bells
>>> Mano Juan, de Marcos Rey
Mais Recentes
>>> SOL E PARA TODOS O PREMIO PULITZER D de ED JOSE OLYMPIO(347) pela ED JOSE OLYMPIO(347)
>>> ARTE DA GUERRA ,A de ED JARDIM DOS LIVROS(223/7350) pela ED JARDIM DOS LIVROS(223/7350)
>>> Flores Azuis de Carola Saavedra pela Companhia das Letras (2008)
>>> Flor de Poemas de Cecília Meireles pela Companhia José Aguilar (1972)
>>> Final de Verão 9 Edição de Danielle Steel pela Record (1993)
>>> Fim de Fernanda Torres pela Companhia das Letras (2013)
>>> ARTE DA GUERRA A de ED JARDIM DOS LIVROS(223/7350) pela ED JARDIM DOS LIVROS(223/7350)
>>> Feliz Ano Velho de Marcelo Rubens Paiva pela Mandarim (1996)
>>> HEROIS DO OLIMPO 01 HEROI PERDIDO ,O de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> MINHA SOMBRIA VANESSA 1ED de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> DOIS MUNDOS DE ISABEL ,OS de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> LUGAR BEM LONGE DAQUI ,UM de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> MITOLOGIA NORDICA de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> Felicidade Roubada de Augusto Cury pela Saraiva (2014)
>>> Fanny Hill de John Cleland pela Círculo do Livro
>>> Fallen de Lauren Kate pela Galera (2011)
>>> Fábulas Filosóficas de Michel Piquemal e Philippe Lagautrière pela Companhia Nacional (2007)
>>> BREVES RESPOSTAS PARA GRANDES QUESTOES de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> Êxtase de Lauren Kate pela Galera (2014)
>>> Eu Venci a Depressão de Dr. Eunice Higuchi pela Unipro (2019)
>>> COMO EU ERA ANTES DE VOCE de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> TARTARUGAS ATE LA EMBAIXO de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> Eu Creio, e Agora? de Michael L. Simpson pela Cpad (2005)
>>> Estação Carandiru de Drauzio Varella pela Companhia das Letras (1999)
>>> Espirito Santo de Edir Macedo pela Unipro
>>> ULTIMA FESTA ,A de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> Espinhos do Tempo de Zibia Gasparetto pela Vida e Consciência (1999)
>>> BOX PARA TODOS OS GAROTOS QUE JA AMEI de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> Esmeralda de Zibia Gasparetto e Lúcius pela Vida & Consciência
>>> Escritos Feitos de Amor de Antologia Literária pela Casa do Novo Autor (2002)
>>> Éramos Seis Série Vaga-lume de Maria José Dupré pela Atica (1993)
>>> PRINCIPIOS de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> Eragon de Christopher Paolini pela Rocco (2005)
>>> Entre o Amor e a Guerra de Zibia M. Gasparertto pela Vida e Consciência
>>> Entre a Terra e o Céu de Francisco Cândido Xavier pela Feb
>>> MENINA QUE ROUBAVA LIVROS A de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> Entendendo o Espiritismo Curso Básico de Allan Kardec e Outros pela Aliança (2001)
>>> MALORIE A SEQUENCIA DA CAIXA DE PASSAR de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> Ensaio Sobre a Cegueira de José Saramago pela Companhia das Letras (1995)
>>> Energia e Espírito de José Lacerda de Azevedo pela Do Autor (2009)
>>> Encantadores de Vidas de Eduardo Moreira pela Record (2012)
>>> Em Busca da Espiritualidade de James Van Praagh pela Sextante (1999)
>>> Ela Não é Invisível de Marcus Sedgwick pela Galera (2015)
>>> Ela Confiou na Vida de Zibia Gasparetto e Lúcius pela Vida & Consciência (2015)
>>> AGORA E PARA SEMPRE LARA JEAN de ED INTRINSECA(2940/668/2928) pela ED INTRINSECA(2940/668/2928)
>>> Ei! Tem Alguém Aí? de Jostein Gaarder pela Companhia das Letrinhas (1997)
>>> Duda a Reencarnação de uma Cachorrinha (de Bolso) de Tanya Oliveira pela Lumen (2010)
>>> Dossiê do Beijo 484 Formas de Beijar de Pedro Paulo Carneiro pela Catedral das Letras (2003)
>>> Dona Flor e Seus Dois Maridos de Jorge Amado pela Record (1995)
>>> Domingo Paschoal Cegalla de Domingo Paschoal pela Companhia Nacional (2008)
COLUNAS

Quarta-feira, 9/11/2011
O Nobel de Tranströmer
Luiz Rebinski Junior

+ de 2300 Acessos

Um modo bastante eficiente de camuflar a ignorância é desqualificar àquilo que se desconhece. É mais ou menos assim que a imprensa brasileira agiu quando o sueco Tomas Tranströmer, um grande azarão segundo nossos especialistas, mas uma barbada nas casas de apostas europeias, ganhou o Prêmio Nobel de Literatura de 2011. Claro, é muito mais fácil falar daquilo que se conhece, por isso dá-lhe Philip Roth, que, ao que parece, vai sair dessa vida sem a condecoração e o chequinho em euros que a acompanha. Não porque não mereça, claro, pois o homem é um dos grandes de nosso tempo, mas porque seu país não é visto com bons olhos pelos chefões do Nobel, que sempre recorrem ao hermetismo editorial dos EUA para varrer pra debaixo do tapete a brilhante trajetória do criador de Nathan Zuckerman. Mas claro que isso não tem nada a ver com literatura, é apenas política. São especulações divertidas, como aquelas discussões pré-clássico, em que todos fazem suas apostas no time do coração.

Foi divertido ler alguns textos pré-certame, explicando por que certos autores não ganhariam o Nobel. Thomas Pynchon nunca levará, diziam alguns de seus fãs, porque o homem não apareceria para buscar seu checão, mandando certamente a mulher pegar a grana, que com certeza faria uma boa diferença no orçamento da família. Então, deixando o senhor Pynchon relegado às participações esporádicas nos Simpsons, a Academia não correria o risco de levar outro balão, como em 1964, quando foi humilhada pelo zarolho Sartre, que não apareceu para receber a homenagem. Outra vez a política ideológica varrendo a literatura para os cantos.

Pois bem, no tabuleiro literário da Academia, o nosso nobre continente, tão fértil em grandes escribas, também ficaria para depois. Com o prêmio de Vargas Llosa em 2010, vamos ter que esperar mais algumas décadas, ou até alguém escrever o novo Cem anos de solidão, para levar a honraria. Assim como qualquer prêmio literário, o Nobel também não tem muita lógica, então não dá para tomar a sua lista de ganhadores como uma bíblia da boa literatura mundial. Mas era possível perceber nas entrelinhas, o riso de escárnio de nossos literatos ao citar a nota da Academia para explicar a escolha por Tranströmer, que com "suas condensadas e translúcidas imagens, nos dá um novo acesso à realidade". Tá certo que a frase aí poderia estar em algum tratado surrealista, saído da pena do senhor Breton ou dito em uma mesa de algum bar catalão pelo bigodinho Dali, mas a maneira como foi citada pelos jornais foi sintomática de nossa arrogância.

"Quem é esse tal de Tranströmer?", era a pergunta que ecoava até mesmo nos textos que tentavam dizer quem era o velhinho "que surgiu do nada". Bem, do nada partimos nós, não os cinquenta países por onde a poesia do bardo sueco já andou. Que culpa tem o homem se apenas um de seus poemas chegou aqui, escondido em uma coletânea de versos que poucos leram? O castigo é nosso, que passamos longos anos sem ter conhecimento de um poeta que, se acreditarmos no bom gosto da Academia sueca, deve ser muito bom. Assim como não conhecíamos a senhora Wisława Szymborska, Nobel de 1996, que só agora tem um livrinho publicado entre nós. Foi preciso que uma professora da Universidade Federal do Paraná passasse uma temporada na Polônia para nos trazer a poesia da dona Szymborska, que não perde tempo e ri da própria falta de populariadade em um dos poemas do livro publicado recentemente pela Companhia das Letras: "Alguns -/ ou seja nem todos./ Nem mesmo a maioria de todos, mas a minoria./ Sem contar a escola onde é obrigatório/ e os próprios poetas/ seriam talvez uns dois em mil." Regina Przybycien, a tradutora responsável pela boa ação, fez de uma questão pessoal - o aprendizado da língua dos antepassados - o mote para reparar uma lacuna de nosso mercado editorial - e com isso diminuiu a nossa vergonha, descendentes de polacos que sequer sabíamos da existência da conterrânea ilustre. E é assim que muitas vezes as coisas se resolvem no inesgotável mar literário. Nem o mais dedicado dos críticos, o mais atento e poliglota, poderá conhecer todos os poetas, contistas ou romancistas do mundo. Então, a melhor saída é sempre a humildade em reconhecer que somos pequenos diante da grandiosidade da literatura.

Se não conhecemos os grandes escritores da África ou Ásia, pior para nós. Assim como devemos agradecer - e não lamentar - que apenas nós conhecemos a fundo escritores como Dalton Trevisan e João Guimarães Rosa. Pior para quem não conhece, para quem nunca vai saber da existência de Lima Barreto, João Antonio, Marçal Aquino e Sergio Sant'Anna. Só nos sobra a compaixão pelo editor do New York Review of Books, que não vai ler nossos escritores e, por consequência, seus leitores não vão conhecer a obra dessas figuras sensacionais de nossa literatura. Esses leitores vão continuar lendo o que os escritores da América têm a falar sobre a América, alimentando a ideia de que ilhota de Manhattan é o umbigo do mundo. Então, o Nobel para o senhor Tranströmer foi uma boa oportunidade para nos lembrarmos de que há vida literária para além da língua inglesa, cuja predominância em nossas estantes é inegável.


Luiz Rebinski Junior
Curitiba, 9/11/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Entrevista com o tradutor Oleg Andréev Almeida de Jardel Dias Cavalcanti
02. Ode ao outono de Elisa Andrade Buzzo
03. 3 Grandes Escritores Maus de Alexandre Soares Silva


Mais Luiz Rebinski Junior
Mais Acessadas de Luiz Rebinski Junior em 2011
01. O beatle George - 23/2/2011
02. Dostoiévski era um observador da alma humana - 7/12/2011
03. Os contistas puros-sangues estão em extinção - 4/5/2011
04. O mistério em Thomas Pynchon - 22/6/2011
05. O negócio (ainda) é rocão antigo - 20/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




EXERCÍCIOS DE ANÁLISE FINANCEIRA
PAULO MIGUEL GAMA, PEDRO MARCELO TORRES
ALMEDINA BRASIL
(2017)
R$ 49,00



EXPLORAR PARA PRESERVAR
FABIO ALBUQUERQUE & MAURA CAMPANILI
ECOLOG
(2011)
R$ 10,00



QUASE CAIO
ANDRÉA DEL FUEGO
ESCALA EDUCACIONAL
(2008)
R$ 8,00



DOCUMENTOS DA HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA 16 - O GOVÊRNO INVISÍVEL
DAVID WISE E THOMAS B ROSS
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1965)
R$ 6,90



TRÊS AMORES - CAPA DURA
A. J. CRONIN
LIVRARIA JOSÉ OLYMPIO
(1961)
R$ 10,00



TODOS OS BELOS CAVALOS
CORMAC MCCARTHY
COMPANHIA DAS LETRAS
(1993)
R$ 30,00



UM ÔNIBUS DO TAMANHO DO MUNDO
J. M. SIMMEL
NOVA FRONTEIRA
(1982)
R$ 6,90



DIREITO PENAL 3
E. MAGALHÃES NORONHA
SARAIVA
R$ 6,90



AS FADAS NOS FALAM DE RESPONSABILIDADE
ALEIX CABRERA; ROSA MARIA CURTO
CIRANDA CULTURAL
(2010)
R$ 16,66



BRACHER ( CARLOS BRACHER ) BILÍNGUE
JOÃO ADOLFO HANSEN DIETER ALEXANDER BOEMINGHAUS
NICOLAI
(2013)
R$ 95,90





busca | avançada
78105 visitas/dia
2,2 milhões/mês