Os EEUU e o golpe de 64 | Humberto Pereira da Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
54051 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Manual prático do ódio
>>> Isn’t it a bliss, don’t you approve
>>> Roberto Carlos:Detalhes em PDF
>>> Olhos de raio x
>>> Os dinossauros resistem, poesia de André L Pinto
>>> Pedro Paulo de Sena Madureira
>>> Fred Trajano sobre Revolução Digital na Verde Week
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> 7 de Setembro
>>> Fazendo as Pazes com o Swing
Mais Recentes
>>> Como Parar O Tempo de Matt Haig pela Harper Collins (2017)
>>> O guia dos curiosos: língua portuguesa de Marcelo Duarte pela Panda Books (2010)
>>> Mentes Geniais: Aumente em 300% a Capacidade do Seu Cérebro de Alberto Dell Isola pela Universo dos Livros (2013)
>>> O Ladrão de Raios de Rick Riordan pela Intríseca (2009)
>>> Tipo Destino: E se sua alma gêmea fosse o namorado de sua melhor amiga? de Susane Colasanti pela Novo Conceito (2013)
>>> Seu Cachorro É O Seu Espelho de Kevin Behan pela Magnitudde (2012)
>>> Os Contos dos Blythes Vol 2 de Lucy Maud Montgomery pela Ciranda Cultural (2020)
>>> O Assassinato de Roger Ackroyd de Agatha Christie pela Globolivros (2014)
>>> Cidade dos Ossos de Cassandra Clare pela Galera (2014)
>>> A Casa de Hades de Rick Riordan pela Intríseca (2013)
>>> Amores impossíveis e outras perturbações quânticas de Lucas Silveira pela Dublinense (2016)
>>> A Marca de Atena de Rick Riordan pela Intríseca (2013)
>>> Will e Will, Um nome, Um Destino de John Green, David Levithan pela Galera (2014)
>>> O Azarão de Markus Zusak pela Bertrand Brasil (2012)
>>> Capitão América: A Ameaça Vermelha de Steve Epting, Mike Perkins, Ed Brubaker pela Panini (2005)
>>> O Fio do Destino de Zibia M. Gasparertto pela Vida e Consciência (1500)
>>> O Fantasma da Ópera de Gaston Leroux pela Principis (2020)
>>> O Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec pela Lafonte (1500)
>>> Coleção folha tributo a Tom Jobim nº8 Tide de Folha de São Paulo pela Mediafashion (2012)
>>> Rostos Do Protestantismo de José Míguez Bonino pela Sinodal/Est (2020)
>>> Coleção folha grandes vozes Fred Astaire nº4 de Folha de São Paulo pela Mediafashion (2012)
>>> Sherlock Holmes – O Vampiro de Sussex e Outras Histórias de Sir Arthur Conan Doyle pela L&PM Pocket (2003)
>>> As pernas de Úrsula e outras possibilidades de Claudia Tajes pela L&PM (2001)
>>> Comer, rezar, amar de Elizabeth Gilbert pela Objetiva (2008)
>>> A vitória final de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2008)
>>> Apoliom de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2005)
>>> O glorioso aparecimento de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2004)
>>> Armagedom de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2004)
>>> Assassinos de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2005)
>>> Nicolae de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2004)
>>> O possuído de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2005)
>>> Profanação de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2004)
>>> O remanescente de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2005)
>>> A marca de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2005)
>>> Comando Tribulação de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2009)
>>> A colheita de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2004)
>>> Deixados para trás de Tim LaHaye / Jerry B. Jenkins pela United Press (2004)
>>> Questões do coração de Emily Giffin pela Novo Conceito (2011)
>>> 1 Litro de lágrimas de Aya Kito pela New Pop (2013)
>>> O lado bom da vida de Matthew Quick pela Intrínseca (2013)
>>> A cidade do sol de Khaled Hosseini pela Nova Fronteira (2007)
>>> Toda sua de Sylvia Day pela Paralela (2012)
>>> Mais escuro - Cinquenta tons mais escuros pelos olhos de Christian de E L James pela Intrínseca (2018)
>>> Grey - Cinquenta tons de cinza pelos olhos de Christian de E L James pela Intrínseca (2015)
>>> História da Companhia de Jesus no Brasil - 5 volumes de Serafim Leite pela Itatiaia (2000)
>>> A hospedeira de Stephenie Meyer pela Intrínseca (2009)
>>> Crepúsculo de Stephenie Meyer pela Intrínseca (2008)
>>> Material Completo de Estudo Elite Musical de Equipe Elite Musical pela Elite Musical
>>> Lua nova de Stephenie Meyer pela Intrínseca (2008)
>>> Amanhecer de Stephenie Meyer pela Intrínseca (2009)
COLUNAS

Quarta-feira, 22/5/2013
Os EEUU e o golpe de 64
Humberto Pereira da Silva

+ de 3300 Acessos



No decênio mais recente, o cinema documental brasileiro está passando por momento prolífico. A cada ano, novas e instigantes produções revelam, principalmente, aspectos de nossa história cultural e política. Num rápido golpe d´olhos nota-se um "boom" de documentários sobre movimentos como o Tropicalismo (Uma noite em 67, de Renato Terra e Ricardo Calil, e Tropicália, de Marcelo Machado), tanto quanto de instantes da cena política (Dossiê Jango, de Paulo Henrique Fontenelle, Marighella, de Isa Grinspum Ferraz, e Iara, de Flavio Frederico e Mariana Pamplona).

O foco sobre os anos 60, ou mesmo os 70, mereceria discussão pausada. Tanto mais porque com a repercussão de O Som ao Redor, de Kleber Mendonça, desponta a necessidade de se discutir o Brasil, o vazio cultural, as mudanças nas esferas sociais e o alheamento político dos anos recentes. Portanto, o sentido de investimento artístico e de comprometimento de uma obra de arte em confronto com o que se fez, e aconteceu, décadas atrás.

Nesse sentido, a extrema urgência de se ver e discutir O Dia Que Durou 21 anos, documentário dirigido por Flávio e Camilo Tavares. Pai e filho, Flávio, o pai, foi jornalista de destaque nos anos 60, no jornal A Ultima Hora. Militante de esquerda preso pela ditadura, Flávio tornou-se conhecido ao fazer parte do grupo trocado pelo embaixador americano Charles Elbrick, que havia sido sequestrado pela guerrilha, em 1969.

Camilo foi criado no exílio, no México, e, sintomático, agora com pouco mais de quarenta anos, junto com o pai, realiza um filme com o objetivo explícito de mostrar o momento pré-golpe de 64, assim como a efetiva participação dos EEUU para garantir a investida militar e a adesão de seguimentos da sociedade civil. Para tanto, eles contaram com a abertura de arquivos da CIA, cujos relatórios não deixam dúvida de que, por meio da operação Brother Sam, os EEUU interviriam no Brasil caso a resistência levasse o país a uma guerra civil. É a partir desse material de arquivo que se evidencia como os EEUU intervieram no processo político brasileiro, tanto nos preparativos que antecederam ao golpe, quanto na garantia de sustentação do regime nos anos seguintes.

Desde a época do golpe, houve as mais diversas insinuações e acusações explícitas de participação americana. Nisso, claro, o contexto da Guerra Fria, a bipolarização entre capitalismo e comunismo, os jogos de propaganda ideológica de ambos os lados. O Dia..., então, confirma as suspeitas, tanto quanto cala aqueles que acusavam a participação americana de mistificação. Vale lembrar, contudo, que justamente com a abertura dos arquivos da CIA historiadores acadêmicos têm se debruçado sobre o tema (Carlos Fico, da UFRJ, escreveu em 2008 O grande irmão: da operação Brother Sam aos anos de chumbo). O que O Dia... traz como novidade inequívoca para se chegar ao público externo às fronteiras da Universidade é o meio: o cinema documental.

O Dia..., de fato, acompanha de perto o livro de Carlos Fico, o qual, inclusive, participa do documentário com esclarecimentos sobre resultados de sua pesquisa nos arquivos da CIA. Mas a vantagem do filme é justamente a do cinema: pode chegar a espectadores que dificilmente se disporiam a passar pelas páginas de um livro acadêmico. Ou seja, não se pode perder de vista a força do cinema - para o bem e para o mal - destacada por teóricos como Theodor Adorno: servir-se com veículo de expressão na Indústria Cultural.

Para isso o filme conta com recursos que lhe são próprios. Em 77 minutos, O Dia... percorre os acontecimentos que prenunciam o golpe e as tensões pós-golpe que levam ao AI5, com os chamados "anos de chumbo". Como obra cinematográfica, O Dia... faz o que lhe cabe: exibir imagens, depoimentos e documentos por meio de uma narrativa que prende a atenção do espectador e evidencia o papel dos EEUU num momento capital de nossa história. O fluxo das imagens, ajustadas à banda sonora, persuade, toca a sensibilidade com propósito bem claro: exibir material com evidências que calam quem via os defensores da ingerência americana no golpe de 64 como propaladores de teorias conspiratórias.

Mas nunca é demais ressaltar que um filme, documental ou não, é uma obra de ficção; portanto, um artefato. Desde a Poética, de Aristóteles, uma das finalidades da arte é provocar a purificação, a catarse, enfim. Sendo assim, o espectador deve ser lembrado de que arte é mimese e não a própria realidade. O Dia... é um filme, montado (ou esculpido) de acordo com a visão de mundo de Flavio e de Camilo Tavares; impossível, pois, filtrar o parti pris ideológico colado em suas respectivas biografias. Eles respondem pela forma do filme; por conseguinte, todos os resíduos que pudessem comprometer suas intenções foram devidamente desbastados.

Com isso não se quer questionar as escolhas que fizeram - legítimas e bem sucedidas para o propósito de uma obra fílmica -, mas tão somente lembrar que arte não se confunde com ciência histórica. O Dia... é um filme a ser visto e, com ele, ser impulsionado a refletir sobre nossa condição, sobre o momento em que vivemos: nele um sopro de vento que busca um acerto de contas com o passado, e ao mesmo tempo aponta para as contradições do presente; um sopro que tem o cinema como veículo de expressão privilegiado.

O Dia Que Durou 21 anos se insere, assim, num conjunto de obras recentes que acentuam a necessidade de reflexão cultural, social e política. Os últimos anos têm sido invariavelmente caracterizados pelo excessivo individualismo, pela apatia e alienação política. A iniciativa de Flavio e Camilo Tavares deixa sinais de que há inquietações latentes, de que o cinema pode canalizar anseios, reativar debates e revelar facetas de um país com muito a ser desvelado.


Humberto Pereira da Silva
São Paulo, 22/5/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Entrevista com Gerald Thomas de Jardel Dias Cavalcanti
02. As pedras de Estevão Azevedo de Wellington Machado
03. Simplicidade ou você quer dormir brigado? de Daniel Bushatsky
04. Dez obras da literatura latino-americana de Marília Almeida
05. Três discos instrumentais imperdíveis de Rafael Fernandes


Mais Humberto Pereira da Silva
Mais Acessadas de Humberto Pereira da Silva em 2013
01. Olgária Matos - 1/2/2013
02. Mídia Ninja coloca o eixo em xeque - 21/8/2013
03. Toda poesia de Paulo Leminski - 8/5/2013
04. Mino Carta e a 'imbecilização do Brasil' - 6/3/2013
05. O Som ao Redor - 13/2/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DE OLHO NA CIÊNCIA - O VERDE E A VIDA - COMPREENDENDO O EQUILÍBRIO E O DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO
SÔNIA TOKITAKA E HELOÍSA GEBARA
ÁTICA
(1997)
R$ 13,00



O LIVRO DA 8ª CASA
MARC ROBERTSON
OBJETIVA
(1992)
R$ 12,00



POESIA CARIOCA O RIO, EU E VOCÊS - AUTOGRAFADO
GUTO GRAÇA
FRANCISCO ALVES
(2000)
R$ 10,00



O VENDEDOR DE ESTRELAS
OLAVO DRUMMND
ARX
(2003)
R$ 8,38



O CABELEIRA
FRANKLIN TAVORA
EDIOURO
R$ 5,00



A FORÇA DO ENTUSIASMO
PROF.GRETZ
VIABILIZAÇÃO DE TALENTOS HUMANOS
(2005)
R$ 15,00



A SEDUÇÃO PERFEITA DESTINOS EDIÇÃO 92
PENNY JORDAN
HARLEQUIN BOOKS
(2008)
R$ 6,90



F DE FALCÃO
HELEN MACDONALD
INTRINSECA
(2016)
R$ 20,00



O QUE SEI DE LULA
JOSÉ NÊUMANNE PINTO
TOPBOOKS
(2011)
R$ 23,93



FOLHA VERDE, RASTRO BRANCO. DROGA. TRAFICO E CONSUMO
MARIE AGNÉS COMBESQUE
SCIPIONE
(2002)
R$ 12,00





busca | avançada
54051 visitas/dia
2,1 milhões/mês