Os EEUU e o golpe de 64 | Humberto Pereira da Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
37300 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 22/5/2013
Os EEUU e o golpe de 64
Humberto Pereira da Silva

+ de 3200 Acessos



No decênio mais recente, o cinema documental brasileiro está passando por momento prolífico. A cada ano, novas e instigantes produções revelam, principalmente, aspectos de nossa história cultural e política. Num rápido golpe d´olhos nota-se um "boom" de documentários sobre movimentos como o Tropicalismo (Uma noite em 67, de Renato Terra e Ricardo Calil, e Tropicália, de Marcelo Machado), tanto quanto de instantes da cena política (Dossiê Jango, de Paulo Henrique Fontenelle, Marighella, de Isa Grinspum Ferraz, e Iara, de Flavio Frederico e Mariana Pamplona).

O foco sobre os anos 60, ou mesmo os 70, mereceria discussão pausada. Tanto mais porque com a repercussão de O Som ao Redor, de Kleber Mendonça, desponta a necessidade de se discutir o Brasil, o vazio cultural, as mudanças nas esferas sociais e o alheamento político dos anos recentes. Portanto, o sentido de investimento artístico e de comprometimento de uma obra de arte em confronto com o que se fez, e aconteceu, décadas atrás.

Nesse sentido, a extrema urgência de se ver e discutir O Dia Que Durou 21 anos, documentário dirigido por Flávio e Camilo Tavares. Pai e filho, Flávio, o pai, foi jornalista de destaque nos anos 60, no jornal A Ultima Hora. Militante de esquerda preso pela ditadura, Flávio tornou-se conhecido ao fazer parte do grupo trocado pelo embaixador americano Charles Elbrick, que havia sido sequestrado pela guerrilha, em 1969.

Camilo foi criado no exílio, no México, e, sintomático, agora com pouco mais de quarenta anos, junto com o pai, realiza um filme com o objetivo explícito de mostrar o momento pré-golpe de 64, assim como a efetiva participação dos EEUU para garantir a investida militar e a adesão de seguimentos da sociedade civil. Para tanto, eles contaram com a abertura de arquivos da CIA, cujos relatórios não deixam dúvida de que, por meio da operação Brother Sam, os EEUU interviriam no Brasil caso a resistência levasse o país a uma guerra civil. É a partir desse material de arquivo que se evidencia como os EEUU intervieram no processo político brasileiro, tanto nos preparativos que antecederam ao golpe, quanto na garantia de sustentação do regime nos anos seguintes.

Desde a época do golpe, houve as mais diversas insinuações e acusações explícitas de participação americana. Nisso, claro, o contexto da Guerra Fria, a bipolarização entre capitalismo e comunismo, os jogos de propaganda ideológica de ambos os lados. O Dia..., então, confirma as suspeitas, tanto quanto cala aqueles que acusavam a participação americana de mistificação. Vale lembrar, contudo, que justamente com a abertura dos arquivos da CIA historiadores acadêmicos têm se debruçado sobre o tema (Carlos Fico, da UFRJ, escreveu em 2008 O grande irmão: da operação Brother Sam aos anos de chumbo). O que O Dia... traz como novidade inequívoca para se chegar ao público externo às fronteiras da Universidade é o meio: o cinema documental.

O Dia..., de fato, acompanha de perto o livro de Carlos Fico, o qual, inclusive, participa do documentário com esclarecimentos sobre resultados de sua pesquisa nos arquivos da CIA. Mas a vantagem do filme é justamente a do cinema: pode chegar a espectadores que dificilmente se disporiam a passar pelas páginas de um livro acadêmico. Ou seja, não se pode perder de vista a força do cinema - para o bem e para o mal - destacada por teóricos como Theodor Adorno: servir-se com veículo de expressão na Indústria Cultural.

Para isso o filme conta com recursos que lhe são próprios. Em 77 minutos, O Dia... percorre os acontecimentos que prenunciam o golpe e as tensões pós-golpe que levam ao AI5, com os chamados "anos de chumbo". Como obra cinematográfica, O Dia... faz o que lhe cabe: exibir imagens, depoimentos e documentos por meio de uma narrativa que prende a atenção do espectador e evidencia o papel dos EEUU num momento capital de nossa história. O fluxo das imagens, ajustadas à banda sonora, persuade, toca a sensibilidade com propósito bem claro: exibir material com evidências que calam quem via os defensores da ingerência americana no golpe de 64 como propaladores de teorias conspiratórias.

Mas nunca é demais ressaltar que um filme, documental ou não, é uma obra de ficção; portanto, um artefato. Desde a Poética, de Aristóteles, uma das finalidades da arte é provocar a purificação, a catarse, enfim. Sendo assim, o espectador deve ser lembrado de que arte é mimese e não a própria realidade. O Dia... é um filme, montado (ou esculpido) de acordo com a visão de mundo de Flavio e de Camilo Tavares; impossível, pois, filtrar o parti pris ideológico colado em suas respectivas biografias. Eles respondem pela forma do filme; por conseguinte, todos os resíduos que pudessem comprometer suas intenções foram devidamente desbastados.

Com isso não se quer questionar as escolhas que fizeram - legítimas e bem sucedidas para o propósito de uma obra fílmica -, mas tão somente lembrar que arte não se confunde com ciência histórica. O Dia... é um filme a ser visto e, com ele, ser impulsionado a refletir sobre nossa condição, sobre o momento em que vivemos: nele um sopro de vento que busca um acerto de contas com o passado, e ao mesmo tempo aponta para as contradições do presente; um sopro que tem o cinema como veículo de expressão privilegiado.

O Dia Que Durou 21 anos se insere, assim, num conjunto de obras recentes que acentuam a necessidade de reflexão cultural, social e política. Os últimos anos têm sido invariavelmente caracterizados pelo excessivo individualismo, pela apatia e alienação política. A iniciativa de Flavio e Camilo Tavares deixa sinais de que há inquietações latentes, de que o cinema pode canalizar anseios, reativar debates e revelar facetas de um país com muito a ser desvelado.


Humberto Pereira da Silva
São Paulo, 22/5/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair de Heloisa Pait
02. As histórias magras de Rubem Fonseca de Cassionei Niches Petry
03. Quem é o abutre de Marta Barcellos
04. O cão da meia-noite de Gian Danton
05. Cavaleiros e o Inexplicável de Duanne Ribeiro


Mais Humberto Pereira da Silva
Mais Acessadas de Humberto Pereira da Silva em 2013
01. Olgária Matos - 1/2/2013
02. Mino Carta e a 'imbecilização do Brasil' - 6/3/2013
03. Toda poesia de Paulo Leminski - 8/5/2013
04. Mídia Ninja coloca o eixo em xeque - 21/8/2013
05. O Som ao Redor - 13/2/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O ESCRITOR - UMA HISTÓRIA DE AMOR
GISETI MARQUES
O CLARIM
(2014)
R$ 10,00



OS OSSOS DE DEUS
LEONARDO GRORI
PLANETA
(2010)
R$ 10,00



POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA
LETÍCIA PINHEIRO
JORGE ZAHAR EDITOR
(2004)
R$ 25,00



MARIA BONITA - 7ª EDIÇÃO - OBRAS DE AFRÂNIO PEIXOTO
AFRÂNIO PEIXOTO
CIA. ED. NACIONAL
(1940)
R$ 11,00



PEQUENA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
MADRES PEETERS E COOMAN
MELHORAMENTOS
R$ 24,79
+ frete grátis



GRUPO - FUGACIDADE, RITMO E FORMA
AFONSO H. LISBOA
AGORA
(1988)
R$ 30,00



O ROMANCE
JAMES A. MICHENER
ROCCO
(1992)
R$ 16,07



OS SETES PORTAIS DA SABEDORIA- PSICOLOGIA DOS SETES RAIOS
ALZIRA MARCONDES
MADRAS
(2013)
R$ 40,84



COLETÂNEA DE LEGISLAÇÃO AMBIENTAL
ANA PAULA LIBERATO
JURUA
(2004)
R$ 30,00



CAPITALISTA COLETIVO IDEAL
MATHEUS FELIPE DE CASTRO
LUMEN JURIS
(2015)
R$ 36,00





busca | avançada
37300 visitas/dia
1,3 milhão/mês