Mulheres fantásticas e futuristas | Carla Ceres | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Marco Lisboa na Globonews
Mais Recentes
>>> lua de Mel em Portugal de Marco Antonio pela Pin
>>> A História de Fernão Capelo Gaivota de Richard Bach pela Nórdica (1970)
>>> Epigramário de J. Dias de Moraes pela O Autor
>>> O livro de Ouro da Poesia Religiosa Brasileira de Jamil Almansur Haddad pela Edições de Ouro (1966)
>>> São José do Rio Preto:1852 / 1894 de Agostinho Brandi pela Rio-Pretense (2002)
>>> A Abertura dos Portos do brasil de Pinto de Aguiar pela Progresso (1960)
>>> Hawaii Açucareiro de Apolonio Sales pela IPA (1937)
>>> Desidério Desiderávi de Frei Carmelo Surian O. F. M. pela Vozes (1957)
>>> Pearl Harbor de H.P. Willmott pela Livro Técnico S/A (1981)
>>> O Orfeão na escola nova de Leonila Linhares Beuttenmuller pela Irmãos Pongetti (1937)
>>> Robson Crusoé de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1988)
>>> O Comércio e o Desenvolvimento Economico do Brasil de José Papa Júnior pela Nacional (1983)
>>> No Hospital das Letras de Afranio Coutinho pela Tempo Brasileiro (1963)
>>> Fim de Primavera de Edvard Camilo pela Globo (1921)
>>> Corpos de Elite do Passado de Dominique Venner pela Ulisseia (1972)
>>> Tonico de José Rezende Filho pela Ática (1984)
>>> A brigada portyguara 1a Edição de Almicar Salgado dos Santos pela Nacional (1925)
>>> La France en Gènèral de André Frossard pela 'Plon (1975)
>>> O Comércio e o Desenvolvimento Econômico do Brasil de José Papa Júnior pela São Paulo (1983)
>>> O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-Exupéry pela Agir (2003)
>>> Alguns Homens me Falaram da Paz de Jorge Maia pela Pan Americana S/A
>>> Menino de Asas de Homero Homem pela Ática (1982)
>>> A Segunda Guerra Mundial ( Em 12 volumes) de Codex pela Edição do Autor (1966)
>>> Moderato Cantabile (Edição Bilíngue) de Marguerite Duras pela José Olympio (1985)
>>> Pai-de-Todos de Ganymédes José pela Brasiliense (1978)
>>> A Liquidez Mundial e o Fundo Monetário Internacional de José Nabantino Ramos pela São Paulo (1964)
>>> Mulheres Entre Linhas - Contos - 1985 de Sec. do Est. da Cultura pela Cultura Já (1985)
>>> Pai, me compra um Amigo? de Pedro Bloch pela Ediouro (2005)
>>> A Vingança de Electra de Luiz Galdino pela Ftd (1998)
>>> Deslumbramento - Dedicatória e Autografado de Aristheu Bulhões pela Santos (1976)
>>> O Rei Cavalleiro de Pedro Calmon pela Nacional (1933)
>>> Paranóia A Síndrome do Medo de Stella Carr pela Ftd (1990)
>>> Revista Pau Brasil 14 - Ano III - Set./out. 1986 de Enio Squeff (editor) pela Daee (1986)
>>> Império Brazileiro de J. M. Pereira da Silva pela Garnier (1865)
>>> Um e Outros.... de Moacyr Chagas pela SP (1922)
>>> Euclides, Capistrano e Araripe de Afranio Coutinho pela Nacional (1959)
>>> Panis Angelicus Ou o Sacramento da Virgindade de Giuseppe M. Petazzi pela Salesianas (1966)
>>> O Alienista de Machado de Assis pela Ática (1971)
>>> O Romance Paulista no Século XX de Zélia Cardoso pela Academia Paulista de letras (1983)
>>> A Terceira Guerra Mundial Agosto de 1985 de General Sir John Hackett pela Circulo do Livro (1985)
>>> As Mulheres o Poder e a Familia de Eni de Mesquita Samara pela Marco Zero (1919)
>>> Eles Sonharam Com a Liberdade de Eudes Barros pela Gráfica Ouvidor (1962)
>>> O Sol da Liberdade de Giselda Laporta Nicolelis pela Atual (1988)
>>> Innovações do Romanismo de Carlos Hastings Collette pela Evangélica (1912)
>>> O Espião Cícero de Elyesa Bazna pela Flamboyant (1965)
>>> Aqui, entre Nós de Ercília F. de Arruda Pollice pela Ftd (2005)
>>> Observations sur la Compétence Des Consells de Guerre de Francis Laloe pela Librairie Nouvelle de Droit Et de Jurisprudence (1894)
>>> Cyrano de Bergerac de Edmond Rostand pela Scipione (2000)
>>> Diário da Capella de Baptista Pereira pela Saraiva (1933)
>>> Manual de Medicina Veterinária de Dr. Alvaro Penha Sobral pela Rio Médico (1937)
COLUNAS

Quinta-feira, 3/7/2014
Mulheres fantásticas e futuristas
Carla Ceres

+ de 3400 Acessos

As convenções de fãs estão aí para provar: garotas ainda são minoria entre os consumidores de ficção científica, futurismo e fantasia. No entanto, algumas batedoras já desbravam o território e seu número tende a crescer à medida que surgirem mais livros e filmes como O oceano no fim do caminho, de Neil Gaiman, e Ela (em Portugal, Uma história de amor), escrito e dirigido por Spike Jonze.

Enquanto os rapazes se satisfazem com naves espaciais e robôs trocando tiros para chegar ao poder, as garotas se interessam mais por conflitos emocionais, misticismo e sedução. Não admira que o público feminino não tenha caído de amores por Blade runner, o caçador de androides (em Portugal, Perigo iminente), do diretor Ridley Scott. O filme prima pelos cenários futuristas, mas deixa muito a desejar quanto à profundidade emocional. Transforma o livro Androides sonham com ovelhas elétricas?, de Philip K. Dick, em uma história de detetive noir, cheia de tiros e perseguições. Deixa de lado boa parte dos questionamentos filosóficos, políticos e místicos.

A despeito de sua lentidão angustiante, Blade runner não precisa de uma refilmagem. Marcou época, inovou e estabeleceu as bases para inúmeros trabalhos do gênero. Mas Androides sonham com ovelhas elétricas? ainda merece uma adaptação digna de sua complexidade. Aliás, foi por pouco que o livro não deixou de existir. Em sua última entrevista, na The Twilight Zone Magazine, Philip K. Dick comenta: "A quantidade de dinheiro teria sido muito boa e as pessoas envolvidas no filme nos ofereceram participação nos direitos de merchandising. Mas elas exigiram a supressão do livro original, Androides sonham com ovelhas elétricas?, para focarmos na adaptação novelizada, baseada no roteiro do filme". Por sorte dos leitores, a proposta indecente de US$ 400 mil foi recusada.

Os personagens femininos da ficção científica, quando não se apresentam como "mocinhas em perigo", costumam, na melhor das hipóteses, ficar em segundo plano, apenas aborrecendo o protagonista com seus caprichos. É o caso da esposa de Rick Deckard, o caçador de androides, no livro de Philip K. Dick. Possuindo um aparelho que lhe permite selecionar a emoção que deseja sentir, a mulher contraria o conselho do marido, opta por seis horas de depressão e se torna ainda mais chata do que já era. (Mulheres têm TPM de propósito?)

Por sua vez, a androide Rachel Rosen personifica a mulher fatal, falsa e vingativa. No livro, ela faz sexo com vários caçadores de recompensa para que não tenham mais coragem de eliminar androides fugitivos e, em especial, uma de suas inúmeras "sósias", a androide Pris Stratton. (Mulheres são todas iguais?) Quando seu plano falha, Rachel se vinga no ser vivo que Deckard mais ama.

Alguns autores atuais de fantasia e ficção científica, por estratégia de marketing ou, talvez, porque a humanidade esteja mesmo amadurecendo emocionalmente, começam a tratar suas personagens femininas com mais consideração. Em O oceano no fim do caminho, Neil Gaiman, autor do ultramasculino e merecidamente premiado livro Deuses americanos, dá uma generosa colher de chá ao princípio feminino. A crítica se apaixonou por essa história de um garotinho de sete anos às voltas com problemas familiares, auxiliado por três mulheres encantadoras (em todas as acepções do termo).

Trata-se de uma obra de fantasia para adultos, mas também acessível a adolescentes. Gaiman começou a escrevê-la como um conto para presentear sua esposa, Amanda, que não é fã de fantasia, mas gosta muito do marido e de sentimentos. O conto foi crescendo, virou um romance com toques autobiográficos que respeita os terrores da infância. Sem dúvida, vai atrair leitoras para outros de seus livros.

Ela, o filme futurista sobre um homem solitário que se apaixona pelo sistema operacional de seu computador, arrancou suspiros das espectadoras e conquistou um merecidíssimo Oscar de Melhor Roteiro, em 2014. Concorreu, também, ao prêmio de Melhor Filme juntamente com Gravidade − outra obra de ficção científica com uma protagonista madura e complexa − e muitos pesos-pesados como O lobo de Wall Street e o vencedor 12 anos de escravidão.

Quaisquer que sejam os motivos das transformações nos personagens femininos, convém lembrar que o principal assunto das obras futuristas medianas é o mundo atual, fantasiado de futuro. Já as obras excelentes projetam, no futuro, questões humanas atemporais que exijam uma discussão imediata porque chegamos a um momento decisivo em que devemos escolher nosso destino.

Nota do Editor
Carla Ceres mantém o blog Algo além dos Livros. http://carlaceres.blogspot.com/


Carla Ceres
Piracicaba, 3/7/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nuvem Negra* de Marilia Mota Silva
02. Em 2016, pare de dizer que você tem problemas de Fabio Gomes
03. Apresentação: Ficção e Sociedade de Heloisa Pait
04. O romance do 'e se...' de Cassionei Niches Petry
05. A feira ao longe de Elisa Andrade Buzzo


Mais Carla Ceres
Mais Acessadas de Carla Ceres em 2014
01. HQs sombrias, anjos e demônios - 2/1/2014
02. Duas distopias à brasileira - 7/8/2014
03. Um menino à solta na Odisseia - 6/11/2014
04. Adolescentes e a publicação prematura - 4/9/2014
05. Vaidade, inveja e violência - 8/5/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UMA VIDA EM SEGREDO
AUTRAN DOURADO
EDIOURO
R$ 6,00



MÉTODO MODERNO DA LIMITAÇÃO DOS FILHOS
DR. THURSTON SCOTT WELTON
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1980)
R$ 19,90
+ frete grátis



AS VIAGENS DE GULLIVER
JONATHAN SWIFT
VECCHI
R$ 10,00



DA MATÉRIA DOS SONHOS
ROSANA RIOS
SARAIVA
(2002)
R$ 4,50



IRENE LISBOA 1892-1958
PAULA MORÃO
INSTITUTO DA BIBLIOTECA NAC
(1992)
R$ 24,56



PSICOLOGIA PRÁTICA VISÃO E AUDIÇÃO
JOSÉ NAVA

R$ 14,00



ROTEIROS DA NATUREZA
ANTONIO PENA JOSE CABRAL
TEMAS E DEBATES
(1997)
R$ 17,71



MONCADA MOTOR DE LA REVOLUCION TOMO 3 - COLECCIÓN REVOLUCIONÁRIA
CENTRO DE ESTUDOS DE HISTÓRIA MILITAR
POLITICA
(1986)
R$ 12,57



A DICTIONARY OF GEOGRAPHY
W. G. MORRE
PENGUIN BOOKS
(1954)
R$ 4,93



ELEMENTOS DE SOCIOLOGIA
SAMUEL KONIG
ZAHAR
(1976)
R$ 35,00
+ frete grátis





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês