Mulheres fantásticas e futuristas | Carla Ceres | Digestivo Cultural

busca | avançada
79919 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Renato Morcatti transita entre o público e o íntimo na nova exposição “Ilê da Mona”
>>> Site WebTV publica conto de Maurício Limeira
>>> Nó na Garganta narra histórias das rodas de choro brasileiras
>>> TODAS AS CRIANÇAS NA RODA: CONVERSAS SOBRE O BRINCAR
>>> Receitas com carne suína para o Dia dos Pais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
Últimos Posts
>>> O cheiro da terra
>>> Vivendo o meu viver
>>> Secundário, derradeiro
>>> Caminhemos
>>> GIRASSÓIS
>>> Biombos
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sultão & Bonifácio, parte IV
>>> Em 2016, pare de dizer que você tem problemas
>>> O Direito mediocrizado
>>> Carma & darma
>>> Carlos H Lopes de chapéu novo
>>> Três paredes e meia
>>> All That Jazz
>>> A proposta libertária
>>> It’s only rock’n’roll but I like it
>>> Maurice
Mais Recentes
>>> O Exu do Fogo de Marcílio Borges pela Madras (2013)
>>> Panorama da Literatura de Flávio Aguiar pela Nova Cultural (1988)
>>> Drácula: O vampiro da noite de Bram Stoker pela Martin Claret (2008)
>>> Arquiteto a Máscara e a Face de Paulo Bicca pela Projeto (1984)
>>> Jonas Assombro de Carlos Nejar pela Novo Século (2008)
>>> A Construção da Cidade Brasileira de Manuel C. Teixeira (Coord.) pela Livros Horizonte (2004)
>>> Ayurveda: A Ciência da Longa Vida de Dr. Edson Antônio D'angelo & Janner Rangel Côrtes pela Madras (2015)
>>> Macunaíma (o heróis sem nenhur caráter) de Mário de Andrade pela Círculo do Livro
>>> Cyrano de Bergerac de Edmond Rostand pela Nova Cultural (1993)
>>> Relações Sociais E Serviço Social No Brasil: Esboço de Uma Interpretação Histórico-metodológica - 41ª Edição (7ª Reimpressão) de Marilda Villela Iamamoto & Raul de Carvalho pela Cortez (2018)
>>> Lima Barreto: o rebelde imprescindível de Luiz Ricardo Leitão pela Expressão Popular (2006)
>>> A Batalha das Rainhas de Jean Plaidy pela Record (1978)
>>> Um Certo Capitão Rodrigo de Erico Verissimo pela Círculo do Livro
>>> O Livro de San Michele de Axel Munthe pela Círculo do Livro
>>> O Espião Que Morreu de Tédio de George Mikes pela Círculo do Livro
>>> O Santo Inquérito - Coleção Prestígio de Dias Gomes pela Ediouro (2004)
>>> Confissões Eróticas de Iris e Steven Finz pela Record (2001)
>>> Diários do Vampiro Vol 1 Origens Ddiários de Stepan de L. J. Smith - Kevin Williamson - Julie Plec pela Galera Record (2011)
>>> Peão da Rainha de Victor Canning pela Record (1969)
>>> Paris - uma Agenda de Bons Endereços de Elisabeth Vanzolini pela Ediouro (1998)
>>> Obras Incompletas - Coleção Os Pensadores - 2 Volumes de Friedrich Nietzsche pela Nova Cultural (1991)
>>> Ensaios Escolhidos - Coleção Os Pensadores de Bertrand Russell pela Nova Cultural (1992)
>>> Diálogos - Coleção Os Pensadores de Platão pela Nova Cultural (1991)
>>> Ensaio Acerca do Entendimento Humano de John Locke pela Nova Cultural (1991)
>>> Do Contrato Social e outros textos - Coleção Os Pensadores de Rousseau pela Nova Cultural (1991)
COLUNAS

Quinta-feira, 3/7/2014
Mulheres fantásticas e futuristas
Carla Ceres

+ de 4000 Acessos

As convenções de fãs estão aí para provar: garotas ainda são minoria entre os consumidores de ficção científica, futurismo e fantasia. No entanto, algumas batedoras já desbravam o território e seu número tende a crescer à medida que surgirem mais livros e filmes como O oceano no fim do caminho, de Neil Gaiman, e Ela (em Portugal, Uma história de amor), escrito e dirigido por Spike Jonze.

Enquanto os rapazes se satisfazem com naves espaciais e robôs trocando tiros para chegar ao poder, as garotas se interessam mais por conflitos emocionais, misticismo e sedução. Não admira que o público feminino não tenha caído de amores por Blade runner, o caçador de androides (em Portugal, Perigo iminente), do diretor Ridley Scott. O filme prima pelos cenários futuristas, mas deixa muito a desejar quanto à profundidade emocional. Transforma o livro Androides sonham com ovelhas elétricas?, de Philip K. Dick, em uma história de detetive noir, cheia de tiros e perseguições. Deixa de lado boa parte dos questionamentos filosóficos, políticos e místicos.

A despeito de sua lentidão angustiante, Blade runner não precisa de uma refilmagem. Marcou época, inovou e estabeleceu as bases para inúmeros trabalhos do gênero. Mas Androides sonham com ovelhas elétricas? ainda merece uma adaptação digna de sua complexidade. Aliás, foi por pouco que o livro não deixou de existir. Em sua última entrevista, na The Twilight Zone Magazine, Philip K. Dick comenta: "A quantidade de dinheiro teria sido muito boa e as pessoas envolvidas no filme nos ofereceram participação nos direitos de merchandising. Mas elas exigiram a supressão do livro original, Androides sonham com ovelhas elétricas?, para focarmos na adaptação novelizada, baseada no roteiro do filme". Por sorte dos leitores, a proposta indecente de US$ 400 mil foi recusada.

Os personagens femininos da ficção científica, quando não se apresentam como "mocinhas em perigo", costumam, na melhor das hipóteses, ficar em segundo plano, apenas aborrecendo o protagonista com seus caprichos. É o caso da esposa de Rick Deckard, o caçador de androides, no livro de Philip K. Dick. Possuindo um aparelho que lhe permite selecionar a emoção que deseja sentir, a mulher contraria o conselho do marido, opta por seis horas de depressão e se torna ainda mais chata do que já era. (Mulheres têm TPM de propósito?)

Por sua vez, a androide Rachel Rosen personifica a mulher fatal, falsa e vingativa. No livro, ela faz sexo com vários caçadores de recompensa para que não tenham mais coragem de eliminar androides fugitivos e, em especial, uma de suas inúmeras "sósias", a androide Pris Stratton. (Mulheres são todas iguais?) Quando seu plano falha, Rachel se vinga no ser vivo que Deckard mais ama.

Alguns autores atuais de fantasia e ficção científica, por estratégia de marketing ou, talvez, porque a humanidade esteja mesmo amadurecendo emocionalmente, começam a tratar suas personagens femininas com mais consideração. Em O oceano no fim do caminho, Neil Gaiman, autor do ultramasculino e merecidamente premiado livro Deuses americanos, dá uma generosa colher de chá ao princípio feminino. A crítica se apaixonou por essa história de um garotinho de sete anos às voltas com problemas familiares, auxiliado por três mulheres encantadoras (em todas as acepções do termo).

Trata-se de uma obra de fantasia para adultos, mas também acessível a adolescentes. Gaiman começou a escrevê-la como um conto para presentear sua esposa, Amanda, que não é fã de fantasia, mas gosta muito do marido e de sentimentos. O conto foi crescendo, virou um romance com toques autobiográficos que respeita os terrores da infância. Sem dúvida, vai atrair leitoras para outros de seus livros.

Ela, o filme futurista sobre um homem solitário que se apaixona pelo sistema operacional de seu computador, arrancou suspiros das espectadoras e conquistou um merecidíssimo Oscar de Melhor Roteiro, em 2014. Concorreu, também, ao prêmio de Melhor Filme juntamente com Gravidade − outra obra de ficção científica com uma protagonista madura e complexa − e muitos pesos-pesados como O lobo de Wall Street e o vencedor 12 anos de escravidão.

Quaisquer que sejam os motivos das transformações nos personagens femininos, convém lembrar que o principal assunto das obras futuristas medianas é o mundo atual, fantasiado de futuro. Já as obras excelentes projetam, no futuro, questões humanas atemporais que exijam uma discussão imediata porque chegamos a um momento decisivo em que devemos escolher nosso destino.

Nota do Editor
Carla Ceres mantém o blog Algo além dos Livros. http://carlaceres.blogspot.com/


Carla Ceres
Piracicaba, 3/7/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Entre o tempo que passou e todo o tempo do mundo de Alexandre Inagaki


Mais Carla Ceres
Mais Acessadas de Carla Ceres em 2014
01. HQs sombrias, anjos e demônios - 2/1/2014
02. Um menino à solta na Odisseia - 6/11/2014
03. Duas distopias à brasileira - 7/8/2014
04. Adolescentes e a publicação prematura - 4/9/2014
05. Vaidade, inveja e violência - 8/5/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Responsabilidade Civil por Erro Médico
Fábio Motta da Cunha
Cbj
(2007)



Educação Linguistica Em Perspectivas e Horizontes
Khalil Salem
Fiuza
(2011)



Vencendo a Própria Crise
Carlos Wizard Martins
Record
(1993)



Filha da Magia
Justine Larbalestier
Galera



O Tempo Não Apagou
Don R. Christman
Casa
(1987)



A princesa que tudo sabia,,,,menos uma coisa
Rosane paplona, Nino B junior
Brinque-Book
(2001)



Tecnologia Em Gestão e Marketing para Pequenas e Médias Empresas Vol 2
Pedro Hiane e Outros
Uniderp
(2007)



Diga Não À Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes ...
Maria Conceição O. Costa (coord.)
Do Autor
(2012)



Para Sempre uma Aprendiz
Maria Glória Francener Deschamps
Gaia
(2004)



Moda & Sustentabilidade: Design para Mudança - 1ª Edição
Kate Fletcher & Lynda Grose
Senac Sp
(2012)





busca | avançada
79919 visitas/dia
2,6 milhões/mês