Mulheres fantásticas e futuristas | Carla Ceres | Digestivo Cultural

busca | avançada
71602 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> 7ª edição do Fest Rio Judaico acontece no domingo (16 de junho)
>>> Instituto SYN realiza 4ª edição da campanha de arrecadação de agasalhos no RJ
>>> O futuro da inteligência artificial: romance do escritor paranaense Roger Dörl, radicado em Brasília
>>> Cursos de férias: São Paulo Escola De Dança abre inscrições para extensão cultural
>>> Doc 'Sin Embargo, uma Utopia' maestro Kleber Mazziero em Cuba
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Meu cinema em 2010 ― 1/2
>>> Paulo Francis não morreu
>>> Levy Fidelix sobre o LGBT
>>> Adaptação: direito ou dever da criança?
>>> Bienal 2006: fracasso da anti-arte engajada
>>> Monteiro Lobato, a eugenia e o preconceito
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> A quem interessa uma sociedade alienada?
>>> E-mail (devassado) para meu filho
Mais Recentes
>>> Mulher-Maravilha 48 de Mariko Tamaki pela Panini (2021)
>>> Mulher-Maravilha 3/53 de Conrad; Cloonan pela Panini Comics (2022)
>>> Superman - Ano dos Vilões 15 de Brian Michael Bendis pela Panini (2020)
>>> Universo Marvel - O indestrutível Hulk 004 de Mark Waid pela Panini (2013)
>>> A Saga da Mulher Maravilha - Vol. 2 de John Byrne pela Panini Comics (2024)
>>> Batman Especial - Vilões de Gotham de Danny Devito pela Panini Comics (2022)
>>> A Saga da Mulher Maravilha Vol 1 de John Byrne pela Panini (2024)
>>> Perigo no Hospital de Mary Higgins Clark pela Record
>>> Contrato de Risco de Thomas Palmer pela Record (1983)
>>> As Cinco Pessoas Que Voce Encontra No Ceu de Mitch Albom pela Sextante (2004)
>>> A Soma De Todos Os Medos de Tom Clancy pela Record (1993)
>>> Mulheres Que Atraem Os Homens E Mulheres Que Os Afastam de Connell Cowan pela Rocco (1999)
>>> O Meu Pé de Laranja Lima (bolso) de José Mauro de Vasconcelos pela Melhoramentos (1993)
>>> Os Chacras de Peter Rendel pela Ediouro (1987)
>>> Invenção da Cidade: Brasília 2ª edição. de Clemente Luz pela Record (1980)
>>> Merlin. Fogo Da Fúria - Livro 3 de T. A. Barron pela Galera Record (2015)
>>> Merlin. As Sete Canções - Livro 2 de T. A. Barron pela Galera Record (2014)
>>> Merlin: Os Anos Perdidos - Livro 1 de T. A. Barron pela Galera (2013)
>>> A Arte de Educar de Flávio Gikovate pela Nova Didática (2001)
>>> Resgatado Pelo Amor de Nora Roberts pela Bertrand Brasil (2007)
>>> Laços De Fogo - Trilogia Da Fraternidade - Vol. 1 de Nora Roberts pela Bertrand Brasil (2008)
>>> Lacos De Pecado - Trilogia Da Fraternidade - Vol. 3 de Nora Roberts pela Bertrand (2008)
>>> Rosa Negra - Trilogia Das Flores - Vol. 2 de Nora Roberts pela Bertrand (2012)
>>> Resgatado Pelo Amor de Nora Roberts pela Bertrand Brasil (2010)
>>> Dalia Azul - Trilogia Das Flores - Vol. 1 de Nora Roberts pela Bertrand (2012)
COLUNAS

Quinta-feira, 3/7/2014
Mulheres fantásticas e futuristas
Carla Ceres
+ de 4800 Acessos

As convenções de fãs estão aí para provar: garotas ainda são minoria entre os consumidores de ficção científica, futurismo e fantasia. No entanto, algumas batedoras já desbravam o território e seu número tende a crescer à medida que surgirem mais livros e filmes como O oceano no fim do caminho, de Neil Gaiman, e Ela (em Portugal, Uma história de amor), escrito e dirigido por Spike Jonze.

Enquanto os rapazes se satisfazem com naves espaciais e robôs trocando tiros para chegar ao poder, as garotas se interessam mais por conflitos emocionais, misticismo e sedução. Não admira que o público feminino não tenha caído de amores por Blade runner, o caçador de androides (em Portugal, Perigo iminente), do diretor Ridley Scott. O filme prima pelos cenários futuristas, mas deixa muito a desejar quanto à profundidade emocional. Transforma o livro Androides sonham com ovelhas elétricas?, de Philip K. Dick, em uma história de detetive noir, cheia de tiros e perseguições. Deixa de lado boa parte dos questionamentos filosóficos, políticos e místicos.

A despeito de sua lentidão angustiante, Blade runner não precisa de uma refilmagem. Marcou época, inovou e estabeleceu as bases para inúmeros trabalhos do gênero. Mas Androides sonham com ovelhas elétricas? ainda merece uma adaptação digna de sua complexidade. Aliás, foi por pouco que o livro não deixou de existir. Em sua última entrevista, na The Twilight Zone Magazine, Philip K. Dick comenta: "A quantidade de dinheiro teria sido muito boa e as pessoas envolvidas no filme nos ofereceram participação nos direitos de merchandising. Mas elas exigiram a supressão do livro original, Androides sonham com ovelhas elétricas?, para focarmos na adaptação novelizada, baseada no roteiro do filme". Por sorte dos leitores, a proposta indecente de US$ 400 mil foi recusada.

Os personagens femininos da ficção científica, quando não se apresentam como "mocinhas em perigo", costumam, na melhor das hipóteses, ficar em segundo plano, apenas aborrecendo o protagonista com seus caprichos. É o caso da esposa de Rick Deckard, o caçador de androides, no livro de Philip K. Dick. Possuindo um aparelho que lhe permite selecionar a emoção que deseja sentir, a mulher contraria o conselho do marido, opta por seis horas de depressão e se torna ainda mais chata do que já era. (Mulheres têm TPM de propósito?)

Por sua vez, a androide Rachel Rosen personifica a mulher fatal, falsa e vingativa. No livro, ela faz sexo com vários caçadores de recompensa para que não tenham mais coragem de eliminar androides fugitivos e, em especial, uma de suas inúmeras "sósias", a androide Pris Stratton. (Mulheres são todas iguais?) Quando seu plano falha, Rachel se vinga no ser vivo que Deckard mais ama.

Alguns autores atuais de fantasia e ficção científica, por estratégia de marketing ou, talvez, porque a humanidade esteja mesmo amadurecendo emocionalmente, começam a tratar suas personagens femininas com mais consideração. Em O oceano no fim do caminho, Neil Gaiman, autor do ultramasculino e merecidamente premiado livro Deuses americanos, dá uma generosa colher de chá ao princípio feminino. A crítica se apaixonou por essa história de um garotinho de sete anos às voltas com problemas familiares, auxiliado por três mulheres encantadoras (em todas as acepções do termo).

Trata-se de uma obra de fantasia para adultos, mas também acessível a adolescentes. Gaiman começou a escrevê-la como um conto para presentear sua esposa, Amanda, que não é fã de fantasia, mas gosta muito do marido e de sentimentos. O conto foi crescendo, virou um romance com toques autobiográficos que respeita os terrores da infância. Sem dúvida, vai atrair leitoras para outros de seus livros.

Ela, o filme futurista sobre um homem solitário que se apaixona pelo sistema operacional de seu computador, arrancou suspiros das espectadoras e conquistou um merecidíssimo Oscar de Melhor Roteiro, em 2014. Concorreu, também, ao prêmio de Melhor Filme juntamente com Gravidade − outra obra de ficção científica com uma protagonista madura e complexa − e muitos pesos-pesados como O lobo de Wall Street e o vencedor 12 anos de escravidão.

Quaisquer que sejam os motivos das transformações nos personagens femininos, convém lembrar que o principal assunto das obras futuristas medianas é o mundo atual, fantasiado de futuro. Já as obras excelentes projetam, no futuro, questões humanas atemporais que exijam uma discussão imediata porque chegamos a um momento decisivo em que devemos escolher nosso destino.

Nota do Editor
Carla Ceres mantém o blog Algo além dos Livros. http://carlaceres.blogspot.com/


Carla Ceres
Piracicaba, 3/7/2014

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Competição de Daniel Bushatsky


Mais Carla Ceres
Mais Acessadas de Carla Ceres em 2014
01. HQs sombrias, anjos e demônios - 2/1/2014
02. Um menino à solta na Odisseia - 6/11/2014
03. Duas distopias à brasileira - 7/8/2014
04. Adolescentes e a publicação prematura - 4/9/2014
05. Vaidade, inveja e violência - 8/5/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro Biografias O Berço de Bambu a História de um Pai Judeu
Avraham Sehwartzhaum
Colel
(1994)



Livro Contos A Pressa dos Mortos
Neir Ilelis
Noovha America
(2002)



Livro Literatura Estrangeira Mercado Sombrio O Cibercrime e Você
Misha Glenny
Cia das Letras
(2011)



Os Pensadores: Nietzsche Volume II - VIDA E OBRA
Friedrich Wilhelm Nietzsche (1844-1900)
Nova Cultural
(1987)



Livro de Filosofia Da certeza Edição Bilingue Biblioteca de Filosofia Contemporânea
Ludwig Wittgenstein
Edições 70
(1969)



Encontros e Desencontros em Educação Infantil
Maria Lucia de A. Machado
Cortez
(2008)



Building Private Pension Systems - A Handbook
Yves Guérard; Glenn Jenkins
Ics Press
(1993)



Nomes de Bebês de Todo o Mundo
Connie Lockhart Ellefson
Ediouro
(1993)



Ah, Se Eu Fosse Presidente (lacrado)
Sidney Rezende
Alta Books
(2015)



Mecânica Vetorial para Engenheiros Estática 1 522
Ferdinand P. Beer
Mcgraw Hill
(1980)





busca | avançada
71602 visitas/dia
2,3 milhões/mês