O Ouro do Brasil | Marilia Mota Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
51779 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> DIADORIM | NONADA SP
>>> Porto Blue Sound, festival de música gratuito chega a Belo Horizonte em julho
>>> Projeto Memória leva legado de Lélia Gonzalez ao CCBB BH
>>> DJ Erick Jay participa de A Quebrada É Boa, evento realizado pelo Monarckas em Sapopemba
>>> Espetáculos gratuitos da São Paulo Escola de Dança acontecem na Pinacoteca e Teatro de Contêiner
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Contrate seu Personal Twitter
>>> Lá vamos nós outra vez...
>>> Tempo vida poesia 5/5
>>> Nós, os escritores derrotados
>>> A Paris de Chico Buarque
>>> Muhammad Ana Maria Ali Braga
>>> Segundo, o primeiro de Maria Rita
>>> Os bigodes do senhor autor
>>> Jackie O., editora
>>> Morrer, na literatura
Mais Recentes
>>> Análise de Erros - O que Podemos Aprender com as Respostas dos Alunos de Helena Noronha Cury pela Autêntica (2007)
>>> Diva Em Retalhos de Carla Salcedo, Camila Argeri pela Schoba (2013)
>>> Livro Saúde Cura Com Yoga e Plantas Medicinais de Chiang Sing pela Freitas Bastos (1989)
>>> Mulheres Do Evangelho - E Outros Personagens Transformados Pelo Encontro Com Jesus de Robson Pinheiro pela Casa Dos Espíritos (2005)
>>> Ore Monogatari 04 de kazune Kawahara pela Panini Comics
>>> Os manuscritos do mar morto de Geza Vermes pela Mercuryo (1997)
>>> Livro Infantil Entre Laços e Sapatos de Fania Benchimol pela Galocha (2017)
>>> Coleção Completa Christus História das Religiões 4 Livros Capa dura de José Huby pela Saraiva (1956)
>>> O Rei da Vela de Oswald De Andrade pela Biblioteca Azul (2024)
>>> Livro Infanto Juvenis O Anão de Xaxim Coleção Mito & Magia de Juliana Gonçalves pela Paulinas (2008)
>>> Francisco Xavier de Loyola pela Loyola (2002)
>>> Boitempo: Autobiografia E Memória Em Carlos Drummond De Andrade de Regina Souza Vieira pela Presença (1992)
>>> Historia Do Brasil de Boris Fausto pela Edusp (2015)
>>> Ore Mono Gatari Minha História 05 de kazune Kawahara pela Panini Comics
>>> O Rio E Seu Segredo de Zhu Xiao-Mei pela Objetiva (2008)
>>> Avante Vingadores! 4 Dez/22 - Um Titã Emerge! de Aaron; Cates pela Panini (2023)
>>> Como prevenir e Resolver o Stress dos Professores e a Indisciplina dos Alunos de Saul Neves de Jesus pela Asa (2001)
>>> Terra Dos Homens de Antoine De Sain-Exupery pela Nova Fronteira (1986)
>>> Livro de uma sogra (Pocket) de Aluísio Azevedo pela Edições de ouro
>>> Livro Infantil Um é Pouco? de Carmen Lucia Campos pela Panda Books (2013)
>>> Museu do futebol um museu-experiência de Museu do futebol pela Museu do futebol (2014)
>>> Ensaios de Sobrevivência - Anatomia de uma Crise de Meia Idade de Daryl Sharp pela Cultrix
>>> Livro Em Box Literatura Estrangeira a Linguagem do Amor de Sheila Pickles pela Melhoramentos (1994)
>>> A Coluna Prestes de Anita L. Prestes pela Paz e Terra
>>> Livro Economia Dinheiro? Pra Que Dinheiro? Entre Gastar e Poupar de Altemir Carlos Farinhas pela Inverso (2012)
COLUNAS

Quarta-feira, 17/9/2014
O Ouro do Brasil
Marilia Mota Silva
+ de 6300 Acessos

Há muitos e muitos anos, cinquenta, pra ser exata, num país bem parecido com o que temos agora, aconteceu uma história que se examinarmos hoje, parece um conto de fadas. Mas muita gente acredita que foi conto do vigário.

Os Diários Associados, que eram a Globo da época, fizeram uma campanha, pedindo ao povo que desse qualquer pecinha de ouro, que por acaso tivessem, pra ajudar o Brasil que estava em crise, quebrado.

E o povo acorreu em massa!

Esse é o conto de fadas: um povo confiante, tomado de amor cívico, pronto a ajudar seu país.

Em 1964, quando os militares assumiram o poder, com o apoio dos principais estados e de boa parte da população, encontraram os cofres vazios, o dólar disparando e a inflação sem controle, o que tornava miserável a vida dos que viviam de salário, ou seja, quase todo mundo. Isso explica, provavelmente, o apoio ao golpe. E a adesão espontânea à campanha.

Postos de coleta surgiram em todo canto, na minha rua, inclusive, no interior de Minas. Os arrecadadores, voluntários ali da cidade, traziam uma sacola, provavelmente cedida pela igreja, porque eram iguais às usadas para recolher contribuições durante a missa. E o povo ia chegando, vinha gente de longe, era uma festa cívica.

Obturação de dente extraído, havia muitas; alianças, relógios, medalhas, crucifixos, o que fosse dourado servia, que ali não havia especialista para comprovar a pureza ou autenticidade do metal, nem era o caso, que a cavalo dado não se olham os dentes. Algumas pessoas deram cheque, dinheiro. Tudo pro saco! Sem recibo, sem qualquer comprovante ou registro.

Em troca da doação, a pessoa recebia um anel de metal com a inscrição: Dei ouro para o bem do Brasil. Por muito tempo, não havia quem não ostentasse com orgulho esse anelzinho.

Não sei se aquele Brasil existe ainda. Somos mais informados, mais céticos, mais sofisticados? É discutível.

O amor pelo país, esse persiste. A vontade que dê certo, a disposição para fazer o que for possível, desde que se saiba o que, continua. Vejo aqui na comunidade brasileira (Washington, Virginia, Maryland), esse amor que não tem nada de ufanismo, de nacionalismo fóbico. É, sim, um amor imenso, de família.

Mas aqui entra o resto da história, ou não entra porque faltam dados e sobram perguntas.

O Cruzeiro, a revista mais importante, também dos Diários Associados, menciona a entrega de 400 quilos de ouro; arrecadado nos primeiros dias, só no Estado de São Paulo.
E o resto? Onde o ouro foi parar? Serviu para alguma coisa?

A iniciativa da campanha partiu apenas de Assis Chateaubriand, dono do império de comunicação, na época, ou teria havido um entendimento entre o governo e ele. Quem do governo?

Castelo Branco, o general-presidente, nunca fez referência ao assunto, nunca agradeceu ao povo o gesto de confiança e generosidade.

Como ninguém foi informado, acredita-se que a campanha foi mais um conto do vigário. Mas há quem diga que o ouro está nos cofres do Banco Central; que não foi possível (ou não valeria a pena) transformá-lo em lingotes, devido à diversidade de origens e densidade.

Não consegui confirmar a informação mas, se é verdade, seria o caso de exibir essas peças no museu? Seria um tributo à generosidade, à fé do povo brasileiro, um bálsamo para nossa auto-estima - e bem que merecemos.

Conto do vigário, ou não, o que me fascina nesse episódio é o povo que somos. Não sei quantas mil vezes fomos enganados, quantos blefes, quantos planos fracassados, quantos congelamentos eleitoreiros, quantas entressafras, desabastecimento, caça de boi no pasto, confiscos, impostos, simples incompetência, quanta mentira, quanto descaso! Mas continuamos acreditando. Lutando, contribuindo sempre que podemos. Lembram-se dos fiscais do Sarney? O empenho, a paixão com que as pessoas vigiavam, tentando segurar a maldita inflação no grito, no braço?

Hoje virou moda acusar o povo pela corrupção endêmica e todos os problemas do país. Todo o espectro ideológico encontra nesse ponto seu lugar comum.

Responsabilizar o povo que detém apenas o escasso poder do voto é acusar a vítima. É escarnecer da vítima. É manobra diversionista, é covardia.

Precisamos atribuir e cobrar responsabilidade de quem tem o poder, de quem tem meios e obrigação de fazer acontecer; seria o primeiro passo para construir o país que queremos.


Marilia Mota Silva
Arlington, VA, 17/9/2014

Quem leu este, também leu esse(s):
01. O fim e o café solúvel de Ana Elisa Ribeiro


Mais Marilia Mota Silva
Mais Acessadas de Marilia Mota Silva em 2014
01. Defensores da Amazônia - 19/2/2014
02. Proposta Decente? - 20/8/2014
03. O Subjuntivo Subiu no Telhado - 21/5/2014
04. O Ouro do Brasil - 17/9/2014
05. O Mito da Eleição - 16/4/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Estética e Modernismo
Maria Célia de Moraes Leonel
Hucitec
(1984)



Uma Margem Distante
Caryl Phillips
Record
(2006)



Desvendando o Minitab
Marco Siqueira Campos
Qualitymark Ltda
(2003)



Curso de Cálculos de Liquidação Trabalhistas
José Aparecido dos Santos
Juruá
(2010)



Rome - Pocket Map & Guide
Eyewitness Travel
Dk
(2006)



Livros- Tudo o Que Você Não Pode Deixar de Ler
Christiane Zschirnt
Globo
(2006)



Diamante Bruto
Helen Conrad
Nova Cultural



O Ventre
Carlos Heitor Cony
Civilização Brasileira
(1971)



Elements of Power System Analysis
William D. Stevenson Jr.
Mcgraw-hill Book
(1962)



Gestão de Projetos da Academia à Sociedade
Moacir Ribeiro de Carvalho Júnior
Intersaberes
(2012)





busca | avançada
51779 visitas/dia
2,3 milhões/mês